Dino diz que Brandão é favorito e Weverton tem seu apoio, mas definições para vice e para o Senado só em março

 

Flávio Dino deve manter Carlos Brandão como vice e escolher os dois senadores entre Weverton Rocha, José Reinaldo, Márcio Jardim e Eliziane Gama
Flávio Dino deve manter Carlos Brandão como vice e escolher os dois candidatos ao Senado da República entre  entre Weverton Rocha, José Reinaldo, Márcio Jardim e Eliziane Gama. Definição só em março

 

O governador Flávio Dino (PCdoB) colocou ontem pingo em todos os is que vinham alimentando conflitos de informação relacionados com a montagem da chapa que ele vai liderar na corrida ao Palácio dos Leões no ano que vem. Numa entrevista coletiva em que fez um balanço positivo das atividades do Governo, o chefe do Poder Executivo reafirmou seu projeto de reeleição, sinalizou claramente que o vice-governador Carlos Brandão (PRB) deverá ser novamente o seu companheiro de chapa, e que o deputado federal Weverton Rocha (PDT) é o mais bem situado aspirante ao Senado, mas que a definição da chapa majoritária completa – os candidatos a vice-governador e dois candidatos ao Senado – que só será definida depois do Carnaval. E para completar, avisou que, passado o reinado de Momo, provavelmente ainda na ressaca carnavalesca, fará uma ampla reforma administrativa, por meio da qual dispensará os ocupantes de cargos em comissão, a começar pelos secretários, que pretendem encarar as urnas por mandatos eletivos.

Em relação à vaga de vice na sua chapa, o governador Flávio Dino foi hábil e transparente e abriu caminho para o vice-governador Carlos Brandão intensificar seus movimentos e, assim, consolidar o seu favoritismo. Flávio Dino disse aos jornalistas que Carlos Brandão revelou-se um “bom companheiro”, tem sido correto na função, e por isso admite que ele poderá ser novamente seu companheiro de chapa. Mas, ao contrário do que publicaram alguns canais, Flávio Dino não fechou questão nesse item. Destacou Carlos Brandão como o nome da sua preferência, tem todas as qualidades e condições para o cargo, mas deixou claro só que o que decidirá mesmo a composição da chapa serão as negociações com os partidos. Contrariando algumas previsões, Carlos Brandão não afundou politicamente ao romper com o PSDB, pois agiu rapidamente e encontrou no PRB porto certo para desembarcar com mais de duas dezenas de prefeitos, obtendo assim cacife político e partidário para se credenciar como o nº 2 da chapa liderada pelo governador. “É natural que o Brandão continua, não existe nenhuma razão para que ele não continue, a não ser que ele não quisesse, o normal é que a chapa se repita”, assinalou o governador.

Quando se referiu à escolha dos dois candidatos ao Senado na sua chapa, o governador Flávio Dino usou de novo a transparência e a mesma habilidade para manifestar sua simpatia pela candidatura do deputado federal Weverton Rocha (PDT), com a qual tem afinidades políticas e ideológicas, por ser o PDT um parceiro importante e consistente, e por ser ele, Weverton Rocha, um líder partidário com invejável poder de articulação política. O deputado federal José Reinaldo (PSB migrando para o DEM), a deputada federal Eliziane Gama (PPS) e o ex-secretário de Esportes, Márcio Jardim (PT), estão também no páreo. O primeiro é dono de um cacife gordo no campo político e na seara eleitoral; Eliziane Gama tem expressivo potencial eleitoral, mas precisa construir uma base política; e Márcio Jardim entrará com a credencial que poderá lhe ser dada pelo PT.

Num jogo sem manipulação e sendo franco e direto, o governador Flávio Dino não elegeu nenhum dos quatro aspirantes às duas vagas de candidato a senador. Disse que todos eles têm condições para entrar na chapa, mas que vai esperar o prazo de filiação partidária, no início de março, quando não mais haverá possibilidade de algum postulante estar enfrentando problemas de natureza partidária. O “fator” Márcio Jardim pode ser se transformar num elo forte com o PT, mas poderá também ser um foco de crise, já que ficou claro que o PT está profundamente divido no Maranhão. “Nós temos uma pré-candidatura ao Senado com amplo apoio do nosso campo político que é do deputado federal Weverton Rocha. No caso da outra candidatura ao Senado, isso não está tão nítido assim, porque nesse momento não há nitidez para definir quem é o favorito ou quem é a favorita, e eu estou na verdade fazendo consultas, como fiz em 2014”, explicou Flávio Dino.

E como em tempos de movimentações pré-eleitorais as verdades políticas não costumam ter consistência, as declarações do governador Flávio Dino poderão ou não ser confirmadas nos próximos meses.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Destaque

Fábio Braga consolida ação parlamentar como porta-voz entusiasmado do setor produtivo

Fábio Braga transformou a tribuna numa "trincheira" em defesa dos segmentos produtivos
Fábio Braga transformou a tribuna numa “trincheira” em defesa dos segmentos produtivos: do agronegócio à pecuária

Num ano em que os problemas econômicos e seus desdobramentos políticos dominaram os debates na Assembleia Legislativa, uma voz se destacou na defesa contundente e efetiva do setor produtivo maranhense. A voz traduziu as expectativas dos que atuam no campo em todas as áreas e em todos os ramos, manifestando igual preocupação com a agricultura de subsistência, a grande produção mecanizada de grãos e a expansão da pecuária estadual, que vem transformando o Maranhão numa das mais importantes fronteiras do agronegócio e da pecuária do País. Esse porta-voz é o deputado Fábio Braga (SD), um advogado por formação, que tem ligação profissional direta com o maior complexo de ensino superior privado no estado, mas que enxerga no setor primário a alavanca que mantém o Maranhão nos trilhos do desenvolvimento econômico. Integrante da base de sustentação do governador Flávio Dino, o deputado Fábio Braga atua no parlamento mapeando as dificuldades dos setores produtivos em todas as regiões do estado.

Com base familiar e política na centenária cidade de Vargem Grande  e Nina Rodrigues  polos na Região do Baixo Parnaíba, o deputado Fábio Braga (SD),  que entrou na política com um ideário em grande parte focado no mundo rural. E o fez com a perspectiva de melhorar o incentivo ao homem do campo em todos os níveis – produtores de grãos, criadores dos mais diversos espécimes e beneficiadores em todas as áreas –, além da indústria extrativista e de transformação – produção de óleo, beneficiamento de carne bovina, suína e caprina -, enfim, tudo o que se produz no campo. Ele próprio é um criador entusiasmado de caprinos de raça, com uma fazenda na Região Leste do Estado, onde se refugia sempre que pode.

Advogado por formação e profissão, político por afinidade e criador para unir a “paixão” pela pecuária com a atividade econômica, o deputado Fábio Braga não tem descuidado dos problemas de infraestrutura. Seus discursos, em sua maioria, chamam atenção para a situação em que se encontra a rodovia tal, que liga tais e tais municípios, e para a defesa da recuperação e construção de estradas vicinais e da construção de pontes e estruturas viárias que assegurem a livre circulação da produção.

Com essas credenciais, o deputado Fábio Braga foi eleito presidente da Comissão de Obras e Infraestrutura da Assembleia Legislativa. Seus movimentos incluem, além de visitas técnicas a obras governamentais, como aconteceu na semana passada quando, acompanhado do deputado Eduardo Braide (PMN), também membro da Comissão, fez uma vistoria à Barragem do Bacanga, na qual detectou vários problemas, que foram imediatamente comunicados aos responsáveis pela obra.

Poucos dias antes, Fábio Braga ocupou a tribuna para registrar sua ida a Teresina, onde participou da Exposição Agropecuária do Estado do Piauí – Expoapi. Ele destacou que os estados que fazem parte do Matopiba, a imensa e movimentada região agrícola que envolve Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia, e na qual, apesar das dificuldades financeira, os produtores  estão lutando para realizar as suas feiras, onde há troca de tecnologias. Viu ali o incentivo aos pequenos, médios e grandes produtores e criadores a continuarem a melhoria genética do rebanho, na produção de grãos e no cultivo de hortaliças e de frutas, fazendo com que a agropecuária nesses Estados seja a alavanca do PIB, com a realização dessas feiras.

– Presenciei lá em Teresina uma feira que nesse ano foi coberta de êxito – disse, com claro entusiasmo, ressaltando que existiam mais de cinco mil animais no parque de exposição, incluindo caprinos, ovinos, bovinos e equinos. Destacou a presença de produtores da região de Tasso Fragoso e de Alto Parnaíba na Exposição piauiense, e defendeu a interligação rodoviária entre os dois estados, para que a produção maranhense e piauiense seja escoada por rodovias, de maneira mais rápida, adequada e com segurança. “É a rota hoje que talvez tenha o maior trânsito de grãos – algodão, soja e milho. Nós não podemos deixar de fazer essa reclamação para que a MA-006 seja cada vez mais melhorada com pavimentação e mais organização para que cause menos transtornos aos criadores e aos produtores da região Sul do Maranhão, Sul do Piauí e da região que interliga a Bahia”, acentuou o parlamentar, com a segurança de quem sabe o que está dizendo e propondo.

Ao longo ano, o deputado Fábio Braga também tomou posição por melhoria na infraestrutura dos municípios, defendendo investimentos públicos que transformem as cidades em lugares melhores para se viver. Nessa linha, ele fez ontem um denso discurso cobrando investimentos em esgotamento sanitário em Brejo. Na segunda-feira, fez um entusiasmado pronunciamento para destacar a criação do Museu da Balaiada em Nina Rodrigues, depois de ter proposto importância histórica da Balaiada, a revolta popular que sacudiu o Maranhão no final do século XVIII, e que se espraiou por toda a Região do Baixo Parnaíba e no vale do Itapecuru, tendo seu ponto alto em Caxias.

O deputado Fábio Braga passa para a luta pelo terceiro mandato cada vez mais convencido de que está politicamente correto tendo a produção como bandeira.

 

Estado de saúde do presidente Humberto Coutinho é crítico

Humberto Coutinho: recuperação entre famiiiares em Caxias
Humberto Coutinho: luta pela vida

Familiares, amigos, parceiros e correligionários do deputado Humberto Coutinho (PDT), presidente da Assembleia Legislativa, começam a admitir a possibilidade de que ele não volte ao comando da instituição. É que, contrariando o desencontro de informações que alimentavam tensões e expectativas há até pouco tempo, quando uns informavam que seu estado era muito grave e outros diziam que não era exatamente assim, já que ele havia melhorado a olhos vistos. Agora, a informação dominante é sombria, desanimadora, pois dá conta de que o presidente do Poder Legislativo e um dos pilares da aliança polpitica e partidária que dá sustentação ao Governo Flávio Dino estaria em vias de fazer sua passagem, o que parece ser apenas uma questão de dias. Esse rumor triste e comovente ganhou força de verdade incômoda ontem, durante o que por tradição seria o almoço de confraternização da área de Comunicação da Assembleia Legislativa com jornalistas. O esforço de descontração foi inibido por um rápido e dramático pronunciamento do diretor de Comunicação da instituição, Carlos Alberto Ferreira que, em lágrimas, informou que o estado de saúde do presidente é gravíssimo e, pior, irreversível, já tratado com desengano por médicos, sendo o seu passamento apenas uma questão de dias. Como que aceitando a perda como um fato consumado, o diretor Carlos Alberto agradeceu o que nós, jornalistas, fizemos pelo presidente Humberto Coutinho, que foi respeitar seu estado e torcer para que ele superasse seu inimigo e voltasse a viver como o ser humano superior que se revelou ao longo da vida e o líder em quem os políticos aprenderam a confiar e respeitar. E por mais adversas que sejam as notícias vindas de Caxias, a Coluna mantém a crença – frágil, é verdade, mas firme, numa volta por cima.

São Luís, 19 de Dezembro de 2017.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *