Visita de Lula ao Maranhão vai liquidar vestígios da aliança com Sarney e consolidar união com Flávio Dino

 

Lula da Silva e Flávio Dino consolidando aliança
Lula da Silva e Flávio Dino consolidando aliança para 2018

São Luís será palco, nas próximas 72 horas, de uma série de eventos que poderão ter influência decisiva no desenho político-partidário para a corrida eleitoral do ano que vem. Trata-se da etapa maranhense da peregrinação que o ex-presidente Lula da Silva (PT) faz pelo Nordeste, na qual terá o governador Flávio Dino (PCdoB), seu aliado declarado, como anfitrião, e o ex-presidente José Sarney (PMDB), também aliado e guru durante seu governo, agora como adversário.  Dois itens da programação marcarão a visita: a recepção do ex-presidente pelo governador no Palácio dos Leões e o ato público no qual o PT espera reunir uma multidão para ouvir e aplaudir seu maior líder. Lula tem dois objetivos claros: consolidar-se como vítima do que ele chama de armação político-judicial destinada a sufocar sua trajetória e tirá-lo da vida pública, e pavimentar a estrada para disputar estrada para tentar voltar ao Palácio do Planalto se puder ser candidato. Nesse contexto, além de anfitrião, o governador Flávio Dino reafirmará sua posição de referência destacada da esquerda moderada no País e de apoiador linha de frente da (im)provável candidatura do líder petista.

Nas avaliações feitas por entusiasmados militantes petistas, de certa maneira corroboradas por analistas ligados ao Palácio dos Leões, Lula aposta alto que, se candidato, arrebanhará entre 70% e 80% dos mais de quatro milhões de votos maranhenses. Tal perspectiva se baseia no histórico do seu vitorioso desempenho eleitoral no Maranhão. E nesse contexto, nada mais natural e promissor do que uma dobradinha com o governador Flávio Dino, que caminha para consolidar a tendência de favoritismo na corrida ao voto. Mesmo os observadores mais cautelosos e nada simpáticos ao ex-presidente petista, a expectativa é que, em sendo candidato, Lula não terá menos que 50% dos votos no Maranhão, sejam quais forem seus concorrentes.

Durante sua passagem por São Luís, onde desembarcará amanhã (4) à tarde e seguirá em frente na manhã de quarta-feira (6), Lula deverá colocar pingos nos is e até mesmo ponto final nas dúvidas que ainda restam a respeito do seu relacionamento com o ex-presidente José Sarney e em relação à solidez da sua amizade política com o governador Flávio Dino. Isso porque sua aliança pessoal e política com o ex-presidente foi tão forte que em 2006, quando Lula deu as costas para seus antigos aliados no Maranhão e obrigou o PT a romper com Dino e Jackson Lago (PDT) para apoiar a candidatura de Roseana Sarney (PMDB), chegando ao ponto de, às vésperas da eleição, num discurso emocionado em Timon, pedir “pelo amor de Deus” que os maranhenses elegessem Roseana, que àquela altura já estava irreversivelmente derrotada. A aliança Lula-Sarney se manteve firme em 2010 em torno das candidaturas de Dilma Rousseff (PT) para presidente e Roseana Sarney para o Governo, tendo inviabilizado as candidaturas de Flávio Dino e Jackson Lago. Em 2014, Lula e Dilma de novo ficaram com o Grupo Sarney, desta vez apoiando o empresário e suplente de senador Lobão Filho (PMDB) contra Flávio Dino. Naquela disputa, porém, pressionado pela banda rebelada do PT, que o apoiava aberta e ostensivamente, Flávio Dino fez uma campanha pedindo votos para Dilma contra José Serra (PSDB), mesmo com a petista mantendo indiferença ao candidato pemedebista.

Os laços de Lula e do comando nacional do PT com Flávio Dino só se estreitaram na crise do impeachment, quando Dilma Rousseff foi abandonada pelo PMDB, que arrastou o Centrão para a campanha do “Fora Dilma!” tendo o Grupo Sarney na linha de frente. Dino assumiu a defesa da então presidente, entrando em choque aberto com os caciques do Congresso Nacional, acusando-os de tramar um golpe de estado contra a presidente, e até mesmo com os chefes da Operação Lava Jato, questionando decisões do juiz Sérgio Moro em relação ao ex-presidente Lula.  Nos momentos mais decisivos da crise, Dino colocou em risco o seu cacife político e seu prestígio pessoal e se expôs na defesa de Dilma e Lula. A tomada de posição do governador resultou na reunificação do PT no Maranhão, que agora está inteiramente integrado à aliança partidária comandada pelo governador.

A visita de Lula servirá para colocar uma pá de cal nas dúvidas e incertezas do passado recente e consolidar definitivamente uma relação política sólida que abra um horizonte largo no grande confronto eleitoral que está a caminho.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Lula e Dino devem conversar sobre aspirações do PT em relação à vice e ao Senado

Waldir maranhãom entra no PTdoB para ser candidato a senador
Waldir Maranhão entra no PTdoB e pode ser  candidato a senador apoiado por Lula

O governador Flávio Dino e o ex-presidente Lula da Silva deverão se reunir a portas fechadas para colocar sobre a mesa alguns pontos que precisam ser ajustados na relação do PCdoB com o PT no Maranhão. Mesmo com cacife eleitoral não muito atraente – tem um deputado federal (José Carlos), um estadual (Zé Inácio) e uma penca modesta de sete prefeitos e algumas dezenas de vereadores –, a cúpula do PT quer emplacar o candidato a vice-governador na chapa que será liderada por Flávio Dino, ou um nome do partido ou o deputado federal Waldir Maranhão (PTdoB), que teria o aval de Lula, compor com o deputado federal Weverton Rocha (PDT) a chapa de candidatos ao Senado. No caso da candidatura à vice, o PT, além de não ter nome para propor, terá de brecar os movimentos do vice-governador Carlos Brandão para permanecer no PSDB e convencer o tucanato de que o partido deve mantar a aliança com o PCdoB no Maranhão. Além disso, está em andamento um movimento destinado a viabilizar a candidatura de Cleomar Tema Cunha, atual prefeito de Tuntum e presidente da Famem, à vice-governador.  No núcleo que cerca o governador há quem garanta que esses assuntos não serão tratados agora, mas garantem que é apenas uma questão de tempo, de escolher o momento mais adequado, que deve surgir provavelmente até o final deste mês de setembro. Mas há também que ache que o PT entrar na aliança e apoiar o projeto de reeleição de Flávio Dino só com seus candidatos a deputado federal e deputado estadual, por considerar que o importante agora e alimentar o poder eleitoral de Lula da Silva no Maranhão e torcer para que ele seja candidato a presidente.

 

“Fake news” tentou encurtar a interinidade de Fufuca no comado da Câmara Federal

André Fufuca: exercício da presidência sem cometer erros
André Fufuca: presidente interino da Câmara

Tentaram diminuir em um dia – de quarta-feira (6) para terça-feira (5) – a interinidade do deputado maranhense André Fufuca (PP) na presidência da Câmara Federal. O jornalismo sôfrego que vem sendo feito pela Globo News, que se preocupa em investigar quem entra e quem sai do Palácio do Jaburu, produziu uma imensa barriga na sexta-feira, quando a bela repórter Andrea Sadi, ouvindo sabe-se lá que fonte – ministro, assessor, porteiro, motorista ou jardineiro? –, “descobriu” que, por causa de provável nova denúncia do empresário-bandido Joesly Batista, o presidente Michel Temer anteciparia em um dia o seu retorno da bem sucedida viagem à China. Era uma “fake news” (notícia falsa) grosseira, desmentida pelo próprio presidente da República, que exibiu um indisfarçável ar de ironia. André Fufuca, que passa o fim de semana no estado, nem se tocou para o imbróglio que a turma da Globo News se desdobrou para desmanchar, tarefa que foi entregue ao Jornal Nacional.

 

São Luís, 02 de Setembro de 2017.

 

Um comentário sobre “Visita de Lula ao Maranhão vai liquidar vestígios da aliança com Sarney e consolidar união com Flávio Dino

  1. O PT e o Petismo são vigaristas, picaretas, bregas, Kitsch, charlatões, cafonas, barangos, de mau gosto.

    E até frei católico é a favor de PT! É mole?

    ¿Ou é um sonho? Ei-lo:

    Frei Beto é um manezão e um curió.
    Parou no tempo.
    Até hoje está nos anos 60.
    Manezão, traumatizado.

    Amante do Taquara-BuarQ-Rachada
    com sua vozinha fraca
    e fanhenta e musiquinhas de 5 minutinhos.

    O Taquara-Rachada é outro antigão e velho na mente
    e na alma que até hoje é super puxa-saco
    do PeTê e do PETISMO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *