Acirrada só com Luciano Leitoa e Alexandre Almeida, disputa em Timon fica imprevisível com a entrada de Socorro Waquim

 

timon 1
Leitoa, Almeida e Waquim: disputa muito dura em Timon

Hoje o terceiro maior município do Maranhão em população – são 165 mil habitantes – e sempre desafiando os seus chefes políticos a livrá-lo do estigma de ser “dormitório” de Teresina, o município de Timon vem dando sinais de que será palco de uma das disputas mais duras, tensas e com desfecho imprevisível entre os embates eleitorais a serem travados nos 217 municípios maranhenses. Ali, o prefeito Luciano Leitoa (PSB) vai enfrentar o poder de fogo de dois adversários fortes e implacáveis, o deputado Alexandre Almeida (PTN), e a ex-prefeita Socorro Waquim (PMDB). Os embates para a corrida sucessória já vêm sendo travados desde o ano passado na Assembleia Legislativa, onde Alexandre Almeida dispara semanalmente intensa artilharia contra a administração do prefeito Luciano Leitoa; os ataques são rebatidos em tom igualmente forte pelo primo do prefeito, o deputado Rafael Leitoa (PDT). E o que o que vinha antes sendo limitado ao confronto Leitoa-Almeida, ganhou na quinta-feira mais um concorrente de peso com a entrada da ex-prefeita Socorro Waquim na briga e cuja candidatura foi lançada em expressivo ato político comandado pelo presidente estadual do PMDB, senador João Alberto.

Muitos os fatores que a envolvem sugerem que a disputa pelo comando de Timon tem características bem diferenciadas da maioria dos grandes municípios maranhenses. Para começar, as forças políticas timonenses são divididas em quatro grupos bem definidos. O primeiro, cujo núcleo básico é formado pelo PDT e pelo PSB, nasceu da liderança do ex-prefeito e ex-deputado Chico Leitoa, que durante muito tempo foi um dos mais importantes integrantes do grupo de líderes municipais comandados pelo fundador e líder maior do PDT, Jackson Lago. Hoje, o comando desse grupo é do prefeito Luciano Leitos, que tenta renovar o mandato. O segundo grupo é liderado pelo deputado Alexandre Almeida, que entrou na política timonense como vereador e acabou líder de uma grande corrente outrora liderada pelo ex-prefeito Napoleão Guimarães e ligada ao Grupo Sarney, da qual é hoje líder inconteste. A terceira corrente é liderada perla ex-deputada e ex-prefeita Socorro Waquim, que juntamente com seu marido, o ex-deputado federal Sétimo Waquim, tem o controle do PMDB pelo qual foi prefeita duas vezes. E finalmente, o grupo disperso de esquerda comandado pelo PT, fundado há décadas por Marcos Igreja, que nunca foi em frente.

A movimentação política em Timon é intensa, pois os três maiores grupos têm suas militâncias organizadas e não perdem oportunidade para mostrar suas forças. Tanto que, ao contrário de outros municípios importantes, Timon sempre mandou dois representantes para a Assembleia Legislativa, o que nem sempre aconteceu com Caxias, por exemplo. E no momento, o grande confronto é entre o prefeito Luciano Leitoa e o deputado Alexandre Almeida, embora ninguém duvide que a ex-prefeita Socorro Waquim tenha poder de fogo para entrar na briga em condições de disputar o cargo.

Em movimento pela reeleição, o prefeito Luciano Leitoa (36 anos) é um politico jovem e aguerrido, formado na escola do pai como militante de esquerda nascido no movimento estudantil, com estágio decisivo na Juventude do PDT. Seus passos bem sucedidos – já foi deputado federal e deputado estadual – tiveram o suporte do ex-prefeito Chico Leitoa, mas há quem diga que ele já ganhou a autonomia e caminha com os próprios pés, tendo o pai apernas como consultor e operador político. Aliado de primeira hoje do governador Flávio Dino (PCdoB), Luciano Leitoa tem seu projeto de reeleição incluído na lista do Palácio dos Leões como um dos mais importantes, pois não é do interesse do atual Governo estadual a eleição de Alexandre Almeida ou de Socorro Waquim.

O deputado Alexandre Almeida, 33 anos, é o principal contraponto do prefeito Luciano Leitoa. Sua trajetória é uma das mais bem sucedida entre as novas lideranças do Grupo Sarney. Na Assembleia Legislativa, representa pelo menos uma dezena de municípios, mas nunca escondeu que o objetivo central da sua ação politica é Timon e que seu projeto maior é governar o município. Dono de um discurso forte e de firme disposição para o embate politico, Alexandre Almeida tinha até quinta-feira o apoio total do Grupo Sarney, mas essa força politica foi dividida com a entrada da pemedebista Socorro Waquim na corrida. Tem mantido posição de equilíbrio em relação ao Governo Flávio Dino, fazendo uma oposição que não incomoda e deixando claro que o alvo preferencial dos seus petardos é a “administração caótica” do prefeito Luciano Leitoa, que pretende destronar. Pesquisas divulgadas em blogs da região e cuja autenticidade a Coluna não pode confirmar o apontaram com o líder na corrida.

A ex-prefeita Socorro Waquim entra na corrida com um lastro político sólido, com mandatos de vereadora, um mandato de deputada estadual e dois mandatos de prefeito, podendo incluir aí o mandato de deputado federal do marido Sétimo Waquim -, todos tendo como fatias de votos maiores saídas do eleitorado de Timon. Foi secretária de Estado no Governo de Roseana Sarney e goza de forte prestígio dentro do PMDB. Tanto que no lançamento da sua candidatura, quinta-feira, o senador João Alberto disse que ela “não é uma aventura” e que o partido tem total confiança na sua ação política e que vai apoia-la incondicionalmente.

As condições que embalam cada um dos três candidatos indicam, com clareza e sem dúvida, que a disputa pela Prefeitura de Timon será, muito mais que um embate eleitoral, uma guerra política.

 

 

PONTO & CONTRAPONTO

Castelo repete rei francês e diz “O PSDB sou eu!”
castelo 6
João Castelo: recado decisivo sobre sua candidatura

“O PSDB sou eu, e anuncio que sou candidato a prefeito de São Luís!”, anunciou João Castelo, repetindo o absolutista francês Luis XI, ao deixar o encontro organizado pelo Instituto Teotônio Vilela na Assembleia Legislativa do Maranhão nesta sexta-feira (19), noticia o sempre bem informado blog do jornalista Diego Emir.

Ao fazer uma declaração nesse tom e com esse grau de afirmação, João Castelo pode está confirmando que existe de fato uma crise dentro do PSDB e ele resolveu enfrentar o vice-governador e presidente do partido Carlos Brandão, ou então obteve sinal verde para colocar sua candidatura na rua. Politico experiente e com muitos de estrada, o ex-governador, ex-senador, ex-prefeito e atual deputado e com uma imagem a preservar, apesar de todos os arranhões, Castelo não faria uma declaração tão bombástica e definitiva se não tivesse pronto para uma guerra interna ou motivado por uma situação de paz com seu partido. À primeira vista, o prefeito falou grosso embalado por uma carta branca que, segundo ele, lhe foi dada pelo chefe nacional dos tucanos, senador Aécio Neves. Isso significa dizer que ele está municiado para enfrentar o presidente Carlos Brandão, que está determinado a levar o PSDB para a aliança com o prefeito Edivaldo Jr. (PDT), seguindo orientação do governador Flávio Dino. E como é improvável que Brandão lhe entregue o partido naturalmente, a situação mais provável é que o ex-prefeito tenha feito uma declaração de guerra ao vice-governador. Uma terceira hipótese é a de que o ex-prefeito esteja jogando uma cartada decisiva, para resolver de vez essa indefinição que reina no PSDB em relação ao seu projeto de tentar voltar á Prefeitura de São Luís.

 

Rede diz que candidatura de Eliziane é uma das suas prioridades
eliziane 5
Eliziane: posição consolidada na Rede

O comando nacional da Rede Sustentabilidade divulgou ontem Nota reafirmando apoio à pré-candidatura de Eliziane Gama. Diz o seguinte:

“Em razão das especulações geradas pela imprensa maranhense em torno do apoio do partido nas eleições municipais em São Luís, a Rede Sustentabilidade vem a público reafirmar veementemente o apoio à pré-candidatura da deputada federal Eliziane Gama à Prefeitura da capital maranhense. A Rede também destaca que a candidatura de Eliziane Gama é uma das prioridades para o pleito deste ano, quando serão escolhidos os novos prefeitos e vereadores nos municípios brasileiros. Por esse motivo, a Rede reitera que as notícias geradas pela imprensa em São Luís, de possíveis “acenos” para outras lideranças são infundadas, não têm nenhum sentido e também não contam com o apoio desta instância nacional. Além disso, esta Executiva Nacional já trabalha conjuntamente com o Elo Estadual da Rede no Maranhão para estabelecer uma ação comum com o objetivo de fortalecer a pré-candidatura da deputada Eliziane, em relação à definição de um programa de governo, da política de alianças e demais iniciativas necessárias como forma de consolidar a candidatura da Rede na cidade de São Luís”.

A Nota da Rede contém todos os ingredientes de uma manifestação séria, pois dá uma demonstração de que o comando do partido ficou preocupado com as suspeitas de que estaria colocando a deputada maranhense de lado. A nota reafirma o apoio e, mais do que isso, afirma que a candidatura de Eliziane Gama é uma prioridade para o partido.  A Nota trouxe um tom equilibrado e dá à deputada gás partidário para seguir em frente com a sua candidatura, interrompendo movimentos que vinham sugerindo a busca de outra agremiação. Se tem de fato o apoio do seu partido como a direção nacional diz, tudo que Eliziane Gama tem de fazer agora é focar nas articulações que possam dar a ela as condições para se preparar para a campanha.

 

São Luís, 19 de Fevereiro de 2016.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *