Nas chapas já definidas para a disputa em São Luís há vices com diferentes poder de fogo

 

Chapas já definidas: Rubens Júnior/Honorato Fernandes, Neto Evangelista/Luzimar Lopes, Duarte Júnior/Fabiana Vilar, Yglésio Moises/Mauro César, Adriano Sarney/Vall Nascimento. Jeisael Marx/Jacinelma Fernandes, Carlos Madeira/Jaremias Fernandes, Franklin Douglas (d)/Ribamar Arouche e Hertz Dias/Jayron Mesquita

Nem todas as convenções foram ainda realizadas, mas, à exceção dos candidatos Eduardo Braide (Podemos) – que só realizará sua convenção no dia 14 (segunda-feira) – e Bira do Pindaré (PSB) – cuja convenção será realizada neste sábado -, os companheiros de chapa dos outros nove candidatos já estão definidos. São os seguintes: Duarte Júnior (Republicanos) terá como vice a advogada Fabiana Vilar (PL), Rubens Júnior (PCdoB) formará neste domingo chapa com o vereador Honorato Fernandes (PT), Neto Evangelista terá na chapa Luzimar Lopes (PDT), Adriano Sarney (PV) somará com a fisioterapeuta e lutadora de jiujitsu Vall Nascimento, Jeisael Marx (Rede) escolheu a pedagoga Janiselma Fernandes (Rede), Carlos Madeira (Solidariedade) foi buscar o oficial bombeiro Jeremias Fernandes, Yglésio Moises (PROS) terá na chapa o médico Mauro César, Franklin Douglas (PSOL) terá na vaga de vice o sindicalista Ribamar Arouche, e Hertz Dias (PSTU) terá na vice o sindicalista Jairo Mesquita (PSTU). São vices com pesos diferentes, alguns com força eleitoral, outros com estatura profissional, outros com veia de militante e as soluções caseiras por falta de alternativa.

Provavelmente o mais forte entre os candidatos a vice, o vereador Honorato Fernandes dará forte contribuição política, eleitoral e estrutural à viabilização da candidatura de Rubens Júnior, pois entra com mais de cinco minutos de rádio e TV, agrega o nome do ex-presidente Lula à campanha e põe no apoio a aguerrida militância petista, dando ao candidato da aliança PCdoB/PT/Cidadania/DC/PMB um poder de fogo excepcional.  Militante social e comunitária pedetista Luzimar Lopes, também conhecida como Nêga do Coroadinho, não será efetivamente uma canalizadora de votos para o candidato Neto Evangelista, mas tem poder para abrir caminhos em comunidades importantes, como a região Coroado/Coroadinho, onde ela atua, o que a torna peça de grande importância na engrenagem da aliança DEM/PDT/MDB/PSL.

Por seu turno, Fabiana Vilar, indicada pelo PL de Josimar de Maranhãozinho, nada agregará em matéria de voto à candidatura do republicano Duarte Júnior, mas o seu partido terá importância capital na formação do tempo da campanha do candidato do Republicanos no rádio e na TV, além de uma boa estrutura para intensificar a corrida ao voto.

As chapas Adriano Sarney/Val Nascimento, Jeisael Marx/Jacinelma Fernandes, Carlos Madeira/Jeremias Fernandes, Yglésio Moises/Mauro César, Franklin Douglas/Ribamar Arouche e Hertz Dias/Jayro Mesquita são chapas caseiras, montadas pelo fato de que os partidos dos candidatos não conseguiram parceiros na ciranda das alianças eleitorais, como deverá ser o caso da chapa a ser liderada por Bira do Pindaré, que não conseguiu parceiro para coligar e deve apresentar uma solução caseira na convenção que realizará hoje à tarde.  Nessa condição, esses vices não agregam expressivo poder de fogo eleitoral. Eles podem atrair credibilidade aos projetos dos cabeças da chapa e atuar na campanha como bons cabos eleitorais no plano geral ou junto a segmentos, funcionando como aliados produtivos no sentido de apoiar as ações do líder da chapa. No caso das mulheres, elas podem ser um diferencial se conseguirem falar a língua da banda feminina do eleitorado que, aliás, é maior que a masculina.

Inicialmente com favoritismo que lhe permitiria ter um poste como vice, Eduardo Braide se vê agora num cenário em que a escolha do vice pode ser decisiva para o futuro da sua candidatura. Seus aliados – senador Roberto Rocha (PSDB), deputado federal Edilázio Júnior (PSD) e deputado federal Aluísio Mendes (PSC) – estão igualmente interessados na vaga, mas corre nos bastidores que os ventos sopram para o ex-vereador Roberto Rocha Júnior, que preside o PSDB em São Luís. Eduardo Braide terá de conduzir com habilidade uma ampla negociação, que já está em curso, para evitar que a escolha venha a comprometer a aliança partidária e as vantagens que ela proporcionará à sua candidatura, principalmente em matéria de tempo no rádio e na TV.

Vale lembrar que a campanha para valer será iniciada no próximo dia 27, conforme o calendário fixado pela Justiça Eleitoral.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Edivaldo Holanda Júnior não apoiará ninguém no primeiro turno

Edivaldo Holanda Júnior: longe da corrida eleitoral e tocando o programa de obras

Andaram especulando que o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) anunciaria seu candidato à sua sucessão no início da campanha eleitoral. Bola fora. A pelo menos três interlocutores o prefeito revelou que não se manifestará no primeiro turno, para não ser acusado de usar seu programa de obras com caráter eleitoreiro, o que, garante, não é o caso. Nessas conversas, Edivaldo Holanda Júnior teria dito que apoiará o candidato da aliança liderada pelo governador Flávio Dino (PCdoB) que for para o segundo turno, provavelmente contra o candidato do Podemos, Eduardo Braide. Antes disso, se manterá distanciado da cena política e eleitoral, dedicando integralmente seu tempo à execução do alentado programa de obras com o qual fechará seus dois mandatos consecutivos, ou seja, oito anos no comando da Prefeitura de São Luís. Sem um só “porém”.

 

Atuação de Maranhãozinho na corrida eleitoral tem chamado atenção

Continua chamando a atenção a maneira avassaladora com que o deputado federal Josimar de Maranhãozinho (foto) avança nos municípios, lançando candidatos do seu partido, o PL, com festas imensas, aglomerações perigosas e discursos inacreditáveis, nos quais avisa que dará as cartas nas administrações de prefeitos eleitos com o seu apoio. A espantosa tática do chefe do PL envolve dinheiro gordo, sendo difícil crer que o braço maranhense do PL seja detentor. Motivado pela ideia de que será candidato a governador em 2022, o parlamentar da “BR”, Josimar de Maranhãozinho parece dispostos a financiar candidaturas viáveis, tudo indica que com o propósito de se tornar “parceiro” de prefeitos que vierem a ser eleitos dentro da sua “estratégia”. Vale lembrar que seu modus operandi não funcionou para viabilizar a candidatura da deputada Detinha em São Luís.

São Luís, 12 de Setembro de 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *