Mudanças no PSDB podem levar Luis Fernando Silva a incorporar projeto do partido ou protagonizar guinada radical

 

Luis Fernando: mudança no PSDB pode levá-lo a dar guinada
Luis Fernando Silva: mudança no comando e candidatura do PSDB podem levá-lo a dar guinada

Uma das perguntas mais ouvidas recentemente no meio político é a seguinte: a se confirmar a mudança de comando no PSDB e a filiação e a candidatura do senador Roberto Rocha ao Governo do Estado, qual será a reação do prefeito de São José de Ribamar, Luis Fernando Silva? E seus desdobramentos: vai permanecer no partido e incorporar o projeto de Rocha? Continuará tucano, mas com posição de neutralidade? Manter-se-á filiado ao partido, mas assumirá posição de dissidente apoiando o projeto de reeleição do governador Flávio Dino (PCdoB)? Ou alçará voo do ninho em busca de um novo pouso partidário? Mergulhado na tarefa de impulsionar São José de Ribamar, tentando cumprir, numa maratona de penitente, as promessas de campanha, Luis Fernando Silva não emitiu, até aqui, sinais de que esteja interessado na agitação interna do PSDB. Passa a impressão de que, pelo menos por enquanto, não pretende envolver-se nessa guerra doméstica.

Quando ingressou no PSDB, depois da tremenda frustração que fora seu projeto de ser candidato a governador pelo PMDB em 2014, Luis Fernando Silva parece ter avaliado que teria um pouso partidário tranquilo e identificado com sua visão de centro e liberal da agremiação tucana, na qual pudesse permanecer por muito tempo. Naquele momento, o ninho dos tucanos lhe dava tal perspectiva e, mais do que isso, a possibilidade de montar ali um projeto macro, que lhe permitiria até disputar o Governo do Estado, depois, é claro, de governar São José de Ribamar mais uma vez. A oportunidade de voltar ao comando da Cidade do Padroeiro lhe foi dada por mais de 90% dos votos, e de uma maneira tão eloquente que não apareceu adversário para enfrentá-lo para valer nas urnas.

Numa sociedade em que os políticos se impõem aos partidos num grau de permissividade inacreditável, o PSDB viveu no Maranhão uma situação que dificilmente sobreviveria: uma aliança com PCdoB e o PT, algo cuja ruptura era apenas uma questão de tempo. Luis Fernando Silva elegeu-se e estava planejando seu futuro na condição de aliado do governador Flávio Dino. Com a reviravolta radical no comando e no rumo do PSDB, o prefeito de São José de Ribamar se vê na iminência de tornar-se adversário do governador, condição que além dos desdobramentos políticos, poderá criar sérias complicações também na seara administrativa, pois certamente criará embaraços desgastantes numa parceria que até agora vem dando certo.

Em meio à situação a ser criada no PSDB com a mudança de comando e a definição do senador Roberto Rocha como candidato a governador, um gesto  do prefeito de São José de Ribamar indicará o seu rumo. Se ele permanecer no partido após o dia 7 de outubro, sinalizará que tentará conviver com a nova situação sem envolvimento direto na guerra eleitoral de 2018. Mas se, ao contrário, deixar o PSDB e assinar ficha de filiação em outra agremiação antes do dia 7 de outubro, estará informando que tem perspectiva de encarar as urnas no ano que vem. E aí virão indagações fatais: será candidato a deputado federal, a senador ou a governador?

Político de movimentos discretos, mas extremamente eficientes, o prefeito de São Jose de Ribamar se colocará bem em qualquer situação: é um dos quadros mais bem sucedidos da sua geração, ostenta o cacife de craque em gestão pública e tem nome leve como candidato a qualquer cargo eletivo. Em resumo: se ficar no PSDB e incorporar o projeto de Roberto Rocha, será peça fundamental e decisiva na campanha. Mas se resolver se desprender da Prefeitura e dar um salto mais alto, entrará na corrida com cacife para obrigar seus concorrentes a reverem suas estratégias.

 

PONTO & CONTRAPONTO

Ida de Roseana à festa de advogado em Lisboa trem muito mais por trás do que registrou a “grande imprensa”

Roseana Sarney e Antônio Carlos Almeida Castro: laços profissionais e de amizade
Roseana Sarney e Antônio Carlos Almeida Castro: laços profissionais e de amizade

A registrar a presença da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) “única estrela do universo político”, e do marido dela, o empresário Jorge Murad, na festa de aniversário de 60 nos do competente e festejado advogado criminalista Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, a chamada “grande imprensa” lembrou que ele foi o defensor da pemedebista no rumoroso Caso Lunus. O caso eclodiu quando no dia 4 de março de 2002 a Polícia Federal, cumprindo ordem judicial dada pelo Luiz federal, Carlos Madeira, invadiu os escritórios da Lunus, empresa de Roseana Sarney e Jorge Murad, e ali encontrou cerca de R$ 1,3 milhão em espécie, o que deu a um processo que por pouco não levou a ex-governadora para a cadeia sob a alegação de que ela teria desviado recursos da Sudam. O que a “grande imprensa” não conta é que, depois de quase uma década de guerra no tapetão judicial, o criminalista festeiro mostrou que é um craque no seu oficio: provou por A mais B que a acusação do Ministério Público Federal à ex-governadora não tinha fundamento e estava tecnicamente cheia de falhas. Resultado: Roseana Sarney, depois de submetida a todo tipo de investigação – incluindo um duro interrogatório feito por delegados da PF na antiga sede da PF no Anil -, foi inocentada, tendo inclusive recebido a dinheirama de volta, nota sobre nota. Em tempo: além dos bons serviços prestados, Antônio Carlos de Almeida Castro e os Sarney mantêm fortes laços de amizade.

Tremor no ninho: Sérgio Frota avisa que apoiará reeleição de Flávio Dino, queira ou não o PSDB

Flávio Dino ouve declaração de apoio de Sérgio Frota
Flávio Dino ouve declaração de apoio de Sérgio Frota em audiência nos Leões

A decisão do deputado tucano Sérgio Frota de que apoiará o projeto de reeleição do governador Flávio Dino (PCdoB) independente de qual venha ser a posição do PSDB na corrida sucessória estadual foi um sinal forte e claro de que o PSDB viverá momentos de forte tensão com a mudança de comando no estado e a filiação do senador Roberto Rocha e o lançamento da sua candidatura a Governo do Estado. Sérgio Frota fez a declaração de corpo presente, durante audiência em que representantes do time do Sampaio Corrêa foram ao Palácio dos Leões para receber os cumprimentos do chefe do Poder Executivo, que se classificou ascendeu de novo para a Série B do Campeonato Brasileiro. A posição cria um problema para o futuro comando do ninho maranhense, que será liderado pelo ex-prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira. Se decidir sair do partido ou for convidado a deixa-lo, Sérgio Frota desfalcará o PSDB de um deputado estadual expressivo, o que o é uma perda importante. Mas se decidir permanecer na agremiação, abrirá uma dissidência ao mesmo tempo incômoda e perigosa, que poderá impor fortes desgastes ao partido. Sérgio Frota é um político de posições firmes e que, depois dos momentos complicados que ele passou no comando do Sampaio Corrêa, saboreia agora o salto para a frente, tendo recuperado  fôlego político a musculatura eleitoral.

São Luís, 25 de Setembro de 2017.

Um comentário sobre “Mudanças no PSDB podem levar Luis Fernando Silva a incorporar projeto do partido ou protagonizar guinada radical

  1. Amigo,o prefeito de São José de Ribamar nos tempos atuais, sempre servirá de exemplo de competência Administrativa com a coisa pública a muitos gestores municipais. Sabemos como ele recebeu e como ele deixou essa magnifica e acolhedora cidade. A sua eleição por unanimidade, foi uma comprovação da sua visão do que podemos fazer com pouco recurso e melhorar uma comunidade nas suas necessidades. Caso queira dar um passo maior na sua caminhada politica,o momento é agora. Lembrando que, o maior arrependimento do ser humano é de se arrepender por não ter tentado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *