Com pauta de questões complicadas para resolver, Roseana prefere não fazer festa com número de pesquisa

 

Roseana Sarney: movimentos mais intensos, mas atenta ao futuro de Michel Temer
Roseana Sarney: reação discreta diante dos números da pesquisa Escutec, muito festejados por seus aliados

Muita gente estranhou que a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) não tenha feito movimentos de comemoração dos números da pesquisa Escutec e emitidos sinais claros de que, embalada por eles, vai mesmo entrar na corrida sucessória tendo como adversário o governador Flávio Dino (PCdoB). Contrariando expectativas, a estrela maior do Grupo Sarney preferiu manter-se discreta, evitando exposição num momento político extremamente delicado no cenário nacional, no qual a cúpula do seu partido, a começar pelo presidente Michel Temer, está na linha tiro dos canhões da Justiça, e também porque tem pendências a resolver dentro do seu arraial partidário. Roseana Sarney sabe que, ao mesmo tempo em que pode funcionar como uma espécie de tábua de salvação para muitos dos seus aliados, sua candidatura ao Palácio dos Leões, embora dependendo apenas da sua vontade, é também um parto complicado por uma série de fatores intestinos.

Para começo de conversa, Roseana Sarney tem noção plena de que, ao contrário do que alguns dos seus parceiros estão prevendo, a disputa de 2018 pelo Palácio dos Leões não será um fato isolado, mas um evento situado no contexto nacional. Experiente nesse jogo, sabe que, mesmo com o trucidamento das esquerdas, o governador Flávio Dino é favorito, e numa aliança com Lula – mesmo que o ex-presidente seja impedido de se candidatar -, essa parceria pode se transformar num rolo-compressor imbatível no Maranhão.

Outro ponto a ser ajustado é que não é unânime no conjunto das suas forças a ideia de que ela seja candidata ao Governo tendo o seu irmão, o deputado federal Sarney Filho (PV), atua ministro do Meio Ambiente, como candidato ao Senado. Mesmo considerando o fato de que Sarney Filho aparece nas pesquisas liderando as preferências, muitos caciques sarneysistas temem que na evolução da campanha a banda maior do eleitorado acabe fazendo uma opção, por considerar exagero ter Sarney em dose dupla na disputa majoritária. É verdade que essa não é uma discussão que já agite as entranhas do Grupo Sarney, mas também não é exagero afirmar que ela está na pauta. Nas contas de alguns, um Sarney se dará bem na corrida majoritária, enquanto o outro será atropelado.

Sem os instrumentos de poder que sempre movimentou, dando asas e carta branca a operadores políticos e eleitorais do naipe do ex-deputado Ricardo Murad, a ex-governadora enfrentará enormes dificuldades para mover as forças do seu grupo, que sempre contaram com ajuda generosa para bancar suas campanhas. A Operação Lava Jato e outras ações que fecharam os dutos de irrigação de campanhas eleitorais no País criaram um ambiente de extrema dificuldade para os grandes grupos políticos estaduais do PMDB, entre eles o Grupo Sarney. Isso não significa dizer que essa não será uma dificuldade insuperável, mas não há com não registrá-la como um obstáculo de difícil remoção.

Roseana Sarney terá de administrar ainda questões incômodas como a definição do candidato à segunda vaga de senador que, tudo está indicando, será do senador Edison Lobão (PMDB). Mas aí vem a indagação: como ficará o senador João Alberto, que preside o PMDB n estado?  Há sinais de que, se vier a ser candidata, Roseana poderá convocar João Alberto para ser candidato a vice-governador, projeto com o qual o ex-governador simpatiza. Ainda assim, será uma costura delicada.

É verdade que, mesmo agravadas pelo furacão que atinge o PMDB e até mesmo o ex-presidente José Sarney, o principal incentivador, articulador e avalista desse projeto, nenhuma dessas situações é fator impeditivo à sua candidatura. Mas é igualmente verdadeiro que, ao assumir a candidatura, caso assim decida, a ex-governadora Roseana Sarney terá de dar solução eficiente para essas questões e, ao mesmo tempo, se preparar para enfrentar um bombardeio intenso e impiedoso. Como, aliás, costuma fazer com seus adversários.

 

PONTO & CONTRAPONTO

Legislativo terá divulgação turbinada com Rádio Online, jornal e livros

Carlos Alberto Ferreira amplia o sistema de comunicação do Legislativo com apoio total do presidente Humberto Coutinho
Carlos Alberto Ferreira amplia o sistema de comunicação do Legislativo com apoio total do presidente Humberto Coutinho

Você já ouviu a Rádio Assembleia Online? Não?! Então ouça. O faça nos intervalos em que assistir à TV Assembleia, e daqui a algum tempo puder ter nas mãos um jornal mensal com informações ampliadas sobre as ações do Poder, e aprofundar essas informações “devorando” os livros sobre a trajetória, o perfil e as ações da Assembleia Legislativa. Essencial à formação crítica da cidadania, essa teia de canais é o resultado de um arrojado projeto ampliação e expansão do sistema de informação da Assembleia Legislativa, elaborado e posto em prática pela Diretoria de Comunicação, comandada por Carlos Alberto Ferreira e com o aval entusiasmado do presidente Humberto Coutinho (PDT).

A Rádio Assembleia Online é a grande vedete do pacote de novidades destinadas a enriquecer e expandir o sistema de comunicação da Assembleia Legislativa, que tem como carro-chefe a TV Assembleia e uma “máquina” de produção e disseminação de notícias pela web sobre o dia-a-dia do Parlamento estadual. E é fruto de uma inteligente engenharia que potencializa a Rádio Assembleia 96.9 FM, que até domingo passado existia por apenas duas horas diárias dentro da programação da Rádio Senado FM. Agora, a emissora online, que será a voz do Poder Legislativo maranhense, estará no ar 24 horas por dia, levará aos seus ouvintes uma rica programação de informações – noticiário e entrevistas – e muita música, valorizando sobretudo a MPB, com ênfase na música maranhense.

Outra novidade saudável é o Núcleo de Jornalismo Impresso, que produzirá um jornal mensal e uma revista trimestral. Além disso, editará, até o final deste ano, três livros com informações sobre os mais diferentes aspectos do Poder Legislativo. Atualmente, o único impresso do Poder Legislativo é o Diário da Assembleia, de conteúdo exclusivamente institucional. O Núcleo de Jornalismo Impresso rompe essa limitação a abre caminho para um registro bem mais denso e rico das atividades do Poder Legislativo.

De acordo com o está programado pela Diretoria de Comunicação primeiro jornal deve ser lançado no fim de setembro, com matérias especiais, resumo das últimas ações do Legislativo e atuação dos parlamentares. Junto com o jornal também será lançado o primeiro livro, que trará um perfil dos atuais deputados estaduais. Esse trabalho terá a coordenação da jornalista Jaqueline Heluy

“A Rádio Online possibilita uma maior abrangência na comunicação, além de ser uma ferramenta importante na publicidade das ações do parlamento estadual e na participação do cidadão, assim a interação entre o ouvinte e o Legislativo se tornará ainda mais rápida e direta”, enfatizou o diretor Carlos Alberto Ferreira, que entregou a coordenação geral desses novos instrumentos à competente jornalista Jaqueline Heluy.

Ontem, o deputado César Pires (DEM), que participou efetivamente da criação do Núcleo de Comunicação, ocupou a tribuna para saudar as novidades implantadas pela Diretoria de Comunicação. Ele parabenizou o presidente Humberto Coutinho e destacou que as novidades darão mais abrangência e eco às ações do Poder Legislativo. “É um sistema de comunicação bem liderado pelo competente Carlos Alberto, sem perder de vista outros talentos que compõem essa equipe, como Luís Pedro, Jackeline Heluy, Ellen Serra, Elda Borges e demais jornalistas e radialistas. Sou ouvinte e telespectador assíduo e tenho aprendido muito com a programação cultural que eles produzem”, destacou César Pires.

Atenção: A Rádio Assembleia Online pode ser acessada por computador, tablete ou celular, pelos sites www.radioalema.com e www.al.ma.leg.br. Nos smartphones com sistema operacional Android ou iOS, basta baixar o aplicativo da Assembleia Legislativa do Maranhão, pelo Google Play Store ou App Store. A programação também está sendo transmitida ao vivo pelo Facebook, na fanpage Rádio Assembleia Maranhão.

 

Brandão pode ganhar ou perder na conversa com a cúpula dos tucanos

Carlos Brandão ganha tempo com a crise para manter controle
Carlos Brandão: reunião decisiva

É provável que o mundo saiba hoje o desfecho da conversa do vice-governador Carlos Brandão com a cúpula nacional do PSDB, para definir quem, afinal, ficará com o controle do partido no Maranhão. O vice-governador, que o preside o ninho dos tucanos no estado, viajou levando na bagagem uma série de argumentos de peso, entre eles o de que ele é o responsável pelo crescimento substancioso do partido nas eleições municipais, saindo das urnas em segundo lugar com 29 prefeitos e uma alentada penca de vereadores, e que, ao contrário, o ex-prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira, só contribuiu para desagregar o partido, e mais: o senador Roberto Rocha nada acrescentará à agremiação em matéria de poder político e eleitoral. A conversa será decisiva, e dela Carlos Brandão sairá confirmado como chefe maior do partido no Maranhão ou deixando o ninho e procurando um novo pouso partidário, o que fará acompanhado de um grande número de prefeitos. Se vencer a parada, isolará Sebastião Madeira e deixará Roberto Rocha numa sinuca de bico. Se perder, corre o risco de perder também a vaga de vice na chapa do governador Flávio Dino.

São Luís, 20 de Setembro de 2017.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *