São Luís escolhe hoje prefeito numa eleição que terá forte influência no futuro político do Maranhão

 

retafinal
Edivaldo Jr. e Eduardo Braide: esforços finais na corrida pelo voto para a Prtefeitura

Líderes de dois movimentos que mexeu com os brios políticos de São Luís, atiçando os ludovicenses no debate para a escolha de um rumo nos próximos quatro anos, com reflexos importantes em 2018, o prefeito Edivaldo Jr. (PDT) e o deputado Eduardo Braide (PMN) levarão às urnas, neste domingo, pelo menos grande maioria dos mais de 600 mil eleitores. O primeiro busca a reeleição; o segundo tenta chegar ao cargo pela primeira vez. As pesquisas mais recentes dão vantagem a Edivaldo Jr., mas a última delas, divulgada ontem, trouxe um dado que torna instável a diferença: 15% do eleitorado ainda não decidiram em quem votar – e como o levantamento foi feito antes do debate de sexta-feira à noite, é provável de que parte desse contingente de indecisos tenha se posicionado depois do embate. O fato é que, apesar do clima de tensa expectativa que dominou a cidade no sábado – nos bares, nos supermercados, nos cafés, nas rodas, nos shoppings e nas filas de padarias não se falou em outra coisa – os dois candidatos estão animados e seus partidários também.

A eleição para a Prefeitura de São Luís é um pleito diferente, no qual o que está em jogo vai muito além da simples escolha do mandatário da Capital. Primeiro, ela colocou face too face representantes da mais nova geração de políticos que hoje respondem pelos destinos do Maranhão, começando pelos seus 217 municípios, sendo a Capital o epicentro da vida política estadual. Edivaldo Jr. é a expressão mais forte e ativa do poderoso movimento político e partidário liderado pelo governador Flávio Dino (PCdoB) que hoje dá as cartas no Maranhão, tendo a tarefa de salvar a reputação do grupo depois dos tropeços em Imperatriz, Caxias, Pinheiro. Eduardo Braide, que já integrou aquele movimento como um dos seus mais atuantes e eficientes porta-vozes na Assembleia Legislativa encarna um projeto solitário, baseado única e exclusivamente no seu talento político, sem grupo nem chefe maior.

Advogado por formação e político por opção e profissão, o prefeito Edivaldo Jr. exibe uma trajetória ainda curta, mas suficientemente densa para encarar o eleitorado e pedir mais um mandato de prefeito. Foi duas vezes vereador de São Luís, vivenciou dois anos como deputado federal, e agora acrescentando quase quatro anos como prefeito da Capital, lastreado pela proeza de haver sobrevivido a dois anos de completo isolamento em relação ao Governo de Roseana Sarney (PMDB), que o tratou como inimigo, apesar das tentativas de estabelecer pelo menos um relacionamento institucional minimamente produtivo. Sobreviveu e respirou a plenos pulmões nos últimos 22 meses graças à providencial parceria com o Governo Flávio Dino, período em que conseguiu colocar a máquina municipal em movimento. Politicamente, o candidato do PDT se manteve coerente, não colocando sequer em dúvida sua posição de fidelidade ao movimento liderado pelo governador Flávio Dino. Pleiteia novo mandato credenciado como gestor e como político.

Advogado por formação Eduardo Braide fez clara opção pela vida pública, primeiro como gestor – presidiu a Caema com menos de 30 anos e foi secretário municipal de Orçamento Participativo na gestão João Castelo (PSDB), fazendo em seguida, caminho na vida política ao se eleger e se reeleger deputado estadual. Na Assembleia Legislativa, integrou a bancada de apoio ao Governo de Roseana Sarney (PMDB), mas não se definiu como sarneysista de carteirinha, o que irritou o Grupo Sarney. Político que enxerga longe, Braide percebeu que as eleições de 2014 trariam mudanças profundas para o Maranhão, e para não perder o carro da História, se engajou no projeto político vencedor e liderou, por um ano, o maior bloco parlamentar de apoio ao Governo Flávio Dino, tendo sido também a mais eficiente voz governista nos embates parlamentares. Certo de que não teria chance de avançar nas fileiras do dinismo, decidiu construir o seu próprio caminho candidatando-se a prefeito contra todas as expectativas. Pleiteia a reeleição devidamente credenciado.

Vencer essa eleição em São Luís é crucial para os planos políticos do prefeito Edivaldo Jr. e crucial para o projeto de poder do governador Flávio Dino, que depende de um braço firme e confiável no comando político e administrativo do mais importante centro urbano e colégio eleitoral do Maranhão. Para Eduardo Braide, sair das urnas vitorioso significa abrir caminho para ocupar um espaço na linha de frente do tabuleiro político do estado – isso não significará que Braide venha ser adversário do governador Flávio Dino, já durante a campanha insistiu na afirmação de que, se eleito, baterá às portas do Palácio dos Leões em busca de parcerias.

Enfim, além das propostas para melhorar a cidade – um colosso urbanos que abriga mais de 1 milhão de habitantes e que é infernizada por uma gama de problemas graves e desafiadores –, a eleição de hoje será também um marco na trajetória política do Maranhão.

 

 PONTO & CONTRAPONTO

 

Camila e Graziela: portos seguros de Edivaldo Jr. e Eduardo Braide
buchuda-2
Camila Holanda, gravida, apoio total ao marido Edivaldo Jr.; Graziela Braide: participação intensa na campanha e esteio firme de Eduardo Braide

Edivaldo Jr. e Eduardo Braide entraram fundo na disputa pela Prefeitura de São Luís embalados por seus dois mais importantes trunfos: as suas mulheres. Camila Holanda e Graziela Braide atuaram na campanha como esteios: conselheiras, incentivadoras, escudos e ombros para os momentos de tensão e crise. A atual primeira-dama de São Luís, que é servidora concursada do Tribunal de Justiça, foi incansável ao lado do prefeito “na alegria e na tristeza”, mesmo coincidindo com sua gravidez avançada – deve correr para a maternidade a qualquer momento –, acompanhou o marido em eventos diversos, foi para as ruas panfletar e só se afastou do corre-corre da campanha por exigência médica. Graziela Braide, que é médica ginecologista, foi o suporte principal e porto seguro do candidato do PMN, tendo participado intensamente da campanha desde o primeiro momento, ocupando espaço cada vez maior à medida que a corrida avançava, chegando a ganhar um quadro no programa em que se transformou em porta-voz do marido no diálogo com as mulheres. Independente de qual venha ser o resultado da disputa, os candidatos serão eternos devedores dessas jovens, belas, solidárias e determinadas parceiras de vida.

Escutec dá vantagem insegura a Edivaldo Jr.

Além de apurar que o prefeito Edivaldo Jr. tem 54% das intenções de voto contra 46% de Eduardo Braide (votos válidos), a pesquisa Escutec/O Estado divulgada ontem levantou o índice de definição dos eleitores de São Luís. Segundo o instituto, apenas 15% do eleitorado da Capital ainda podem mudar de voto (9%) ou não (6%). Os outros 85% garantem que não mudam mais a escolha que já feita. Como a consulta mostra uma diferença de oito pontos percentuais pró-Edivaldo Jr. nos votos válidos nenhum poderá cantar vitória até que as urnas se pronunciem hoje à noite. Em tempo: A pesquisa Escutec foi contratada por O Estado e ouviu 1.100 eleitores, entre os dias 26 e 28, tem margem de erro de três pontos percentuais, intervalo de confiança de 95% e foi registrada na Justiça Eleitoral foi feito sob o protocolo MA-02907/2016.

São Luís, 30 de Outubro de 2016.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *