Partidos da base do governador Flávio Dino vão se engalfinhar na guerra entre Josemar e Dutra em Paço do Lumiar.

 

trinca do paço
Josemar Sobreiro, Domingos Dutra e Gilberto Aroso: guerra eleitoral sem trégua  no Paço do Lumiar

Os três mais importantes partidos da base de sustentação do governador Flávio Dino (PCdoB, PDT e PSDB) se enfrentarão na que promete ser uma das disputas mais renhidas e barulhentas da corrida sucessória municipal agendada para outubro, a de Paço do Lumiar. Ali, o prefeito Josemar Sobreiro (PSDB) ganhou sexta-feira o apoio entusiasmado do PDT, com a filiação ao partido do vice-prefeito Marconi Lopes. Do outro lado, o ex-deputado Domingos Dutra vai jogar todo peso do seu partido, PCdoB, e junto com ele o prestígio do governador Flávio Dino. Será, portando, uma guerra eleitoral na qual, em tese, será usado o “fogo amigo”, mas quem conhece o quadro político lumiense garante que será um enfrentamento “de vida ou morte”. O prefeito Josemar Sobreiro busca a reeleição escorado numa gestão que alguns aplaudem e outros criticam e no lastro político de haver apoiado  Flávio Dino na corrida ao Palácio dos Leões. O ex-deputado Domingos Dutra se movimenta vendendo sua imagem controvertida de oposicionista radical ao Grupo Sarney e de defensor intransigente do que chama de “governo popular”, de natureza socialista, visão que alimenta como fundador do PT no Maranhão.

O cenário de Paço do Lumiar se assemelha ao de Imperatriz, onde PDT e PCdoB se preparam para um confronto sem medidas. O projeto inicial do PDT era lançar candidato próprio para enfrentar o prefeito Josemar Sobreiro, mas diante da falta de opção, sondou o prefeito para deixar o PSDB e ingressar nas suas fileiras, mas ele argumentou que estava se dando bem com ninho dos tucanos, preferindo fazer uma aliança. A solução articulada pelo presidente pedetista, deputado federal Weverton Rocha, foi de mestre: atraiu para o PDT o vice-prefeito Marconi Lopes, um jovem que poderá se viabilizar para a disputa de 2020. Na avaliação de dois políticos experimentados na região metropolitana, o PDT mexeu a pedra certa no tabuleiro sucessório lumiense e tem todas as condições de se consolidar como uma força política no município. Vale recordar que o PDT já elegeu um prefeito no Paço, Mábenes Fonseca, em 1988, na esteira da primeira eleição de Jackson Lago para a Prefeitura de São Luís.

No contrapeso, o ex-deputado federal Domingos Dutra vai para a briga com duas armas importantes e decisivas. A primeira é a sua trajetória de mais de 30 anos de militância política, iniciada no início dos anos 80 do século passado como um dos fundadores do PT no Maranhão. Foram vários mandatos de vereador, deputado estadual, vice-prefeito de São Luís e deputado federal, fortemente caracterizados pelo viés oposicionista, tendo se notabilizado como o mais agressivo e contundente adversário do Grupo Sarney. Nesse período, Dutra fez oposição implacável a todos os governos do Maranhão e municipais apoiados pelo Grupo Sarney, incluindo as gestões de Paço do Lumiar, principalmente no período dos integrantes da família Aroso. Além de fazer oposição às administrações lumienses, Dutra sofreu uma dura derrota quando tentou emancipar o Maiobão – em plebiscito, mas a maioria rejeitou a proposta, preferindo manter a região como parte territorial do Paço. Saído do PT, ingressou no PCdoB, já com a garantia de que seria o candidato do partido naquele município.

Todos os aspectos da disputa sucessória em Paço do Lumiar sugerem que será renhida a guerra a ser travada entre o prefeito Josemar Sobreiro, que se mantém tucano, e o ex-deputado federal Domingos Dutra, que deixou o petismo para se converter ao comunismo “cristão” do governador Flávio Dino. Observadores os mais diversos avaliam que o projeto de Gilberto Aroso (PMDB) de voltar à Prefeitura pode até ser beneficiado em meio ao confronto do PCdoB com o PDT e o PSDB, ganhando assim a oportunidade de dar mais força eleitoral. O mesmo acontece como vereador Caetano, aspirante do Grupo Sarney lançado pelo PV com o aval do presidente regional do partido, deputado federal Sarney Filho.

Vale assinalar que esse é o cenário do momento, a oito meses das eleições. E como em política nada pode ser considerado definitivo, tudo pode acontecer de agora por diante. Será uma guerra para ser acompanhada com atenção. Afinal, Paço do Lumiar, com 117 mil habitantes, é um dos 10 mais importantes municípios do Maranhão. E com uma vantagem: a gestão de Josemar Sobreiro parece haver tirado o município da esfera de influência de políticos nada afeito à ética.

Flávio Dino e Humberto Coutinho reforçam candidaturas em atos no Paço do Lumiar

dino coutinho
Dino e Coutinho: campos diferentes em Paço do Lumiar

A guerra eleitoral em Paço do Lumiar foi declarada com dois eventos ocorridos no final da semana, envolvendo os partidos da base do governo e, isso mesmo, dois chefes de Poder, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Humberto Coutinho (PDT) e o governador Flávio |Dino (PCdoB). Na noite de quinta-feira, o PDT realizou uma reunião comandada pelo presidente estadual, deputado federal Weverton Rocha, e com a participação de ninguém menos que o presidente nacional, o ex-ministro do Trabalho Carlos  Lupi, e o deputado-presidente Humberto Coutinho, que começa a montar uma base de apoio para disputar uma cadeira no Senado em 2018. O ato final do encontro foi uma declaração efusiva de apoio ao projeto de reeleição do prefeito Josemar Sobreiro (PSDB) – curiosamente, o presidente estadual do partido, vice-governador Carlos Brandão, não apareceu.  Na noite de sábado, Paço do Lumiar voltou a ser palco de festa política, desta vez com o desembarque ali da cúpula estadual do PCdoB, capitaneada pelo influente secretário de Estado de Articulação Politica e Comunicação Social, Marcio Jerry, presidente estadual do PCdoB, e, mais tarde, com a presença do próprio governador Flávio Dino, para declarar, também efusivamente, apoio in condicional á candidatura do ex-deputado federal Domingos Dutra. Os dois eventos deixaram claro que tanto o PDT quanto o PCdoB consideram que a Prefeitura de Paço do Lumiar é administrativa e politicamente estratégica e, por isso, vão jogar pesado para conquistá-la, os pedetistas in diretamente, e os comunistas no comando efetivo. No seu discurso, o presidente do PCdoB não mediu palavras para elogiar Dutra, como também não fez reservas quanto ao interesse que o seu partido tem na eleição do mais novo convertido à versão “cristã” do comunismo no Maranhão.

 

PONTO & CONTRAPONTO

PMDB deve escolher Fábio Câmara ou Andrea Murad

andrea fábio
Andrea e Câmara devem se enfrentar em convenção

O programa partidário do PMDB veiculado na TV na semana passada sinalizou claramente que o vereador Fábio Câmara e a deputada estadual  Andrea Murad estão definidos como os dois nomes que a agremiação vai avaliar para definir quem será mesmo o candidato a prefeito de São Luís. Fábio Câmara participou do programa como pré-candidato assumido, com um discurso direto e objetivo relacionado com o desafio de governar São Luís por meio de ações políticas simples, mas eficientes. No momento, Câmara tem mais fôlego e identificação com a vaga de candidato a prefeito, pelo fato de militar no dia a dia da cidade como vereador e de já ter dado alguns passos importantes para consolidar seu projeto eleitoral. Já a deputada Andrea Murad preferiu centrar fogo no Governo do Estado, disparando artilharia verbal contra o que diz ser desmandos na atual administração. Nos bastidores do PMDB, dois grupos medem forças para emplacar seus candidatos a enfrentar o prefeito Edivaldo Jr. nas urnas. Fábio Câmara ganhou o aval do presidente do partido, senador João Alberto, cujos aliados começam a admitir a candidatura do vereador. Já Andrea Murad tem o apoio velado do ex-presidente José Sarney, que nela enxergam um longo e movimentado futuro político, ao que se soma o aval do pai, o ex-deputado Ricardo Murad. A ideia de alguns é promover o embate interno dos dois até à convenção, de onde sairá o candidato apoiado por todo o partido. Se assim agir, o PMDB será o único partido que exercerá a democracia interna e escolherá seu candidato pelo voto dos convencionais.

 

Arnaldo Melo sinaliza projetoção de ser deputado federal

arnaldo melo
Arnaldo Melo pensa continuar morando em Brasília

O ex-deputado Arnaldo Melo, que presidiu a Assembleia Legislativa por dois mandatos consecutivos e chegou a governar o Estado por pouco mais de 10 dias no final do mandato, sinalizou levemente, mas com clareza, como será o seu futuro político. Na solenidade em que foram comemorados os 181 anos da Assembleia Legislativa e os cinco anos de existência da TV Assembleia, realizada quinta-feira no Palácio Manoel Beckman, ocasião em que foi homenageado como um dos ex-presidentes que, durante seus mandatos, contribuiu para a consolidação da emissora, Arnaldo Melo fez um discurso de declaração de amor pela vida parlamentar. Nessa manifestação, ele se disse orgulhoso de que sua filha, a médica Nina Melo, tenha seguido seus passos elegendo-se deputada estadual, acrescentando desejar-lhe um futuro brilhante no Legislativo maranhense. Para os ouvidos mais atentos, a impressão que o atual diretor da Fundação nacional de Saúde (Funasa) passou foi a de que está se preparando para voltar à vida parlamentar, só que como deputado federal.

 

São Luís, 27 de Fevereiro de 2016.

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *