Dino empossa novos secretários pregando unidade e confirmando que vai para a guerra presidencial

 

Flávio Dino com o vice Carlos Brandão, o presidente da Assembleia Legislativa, Othelino Neto,  o vice de São Luís, Júlio Nogueira, os deputados federais Josimar de Maranhãozinho, André Fufuca e Márcio Jerry  (sentados) e novos secretários em pé logo apás a nomeação que oficializou a entrega dos cargos 

Quando assumiu o comando do Estado, em janeiro de 2015, o governador Flávio Dino empossou o secretariado pregando unidade dentro da diversidade de visses políticas. Ontem, quatro anos depois, reafirmou essa linha de ação política ao empossar 12 novos secretários, representantes de diversas cores partidárias, formando um leque bem visível de tendências. Para o governador, o importante é que, como os atuais os que ficaram e os que saíram, os novos secretários incorporem ao máximo o viés social do Governo, de modo a que ele seja movido pelo princípio da unidade. “Vamos continuar a buscar o melhor. Não estamos deitados no leito confortável dos êxitos do primeiro mandato. Nos orgulhamos muito do passado, mas buscamos agora o dinamismo com unidade e união. Não a unidade representada pelo silêncio da concordância plena. A boa unidade é a unidade na diversidade. Me orgulho muito dessa equipe plural”, destacou o governador. E brincou: “O meu Governo é tão plural que tem comunista”.

Foi nesse clima, entre festivo e solene, que ele empossou Ana Mendonça (Mulher), Ruben Pereira (Cidades e Desenvolvimento Urbano), Fabiana Vilar (Agricultura, Pecuária e Pesca), Rodrigo Lago (Comunicação Social e Assuntos Políticos), Márcio Honaiser (Desenvolvimento Social), Rogério Cafeteira ( Esporte e Lazer), Flávia Alexandrina (Gestão, Patrimônio e Assistência dos Servidores), Lilian Guimarães (Secretaria de Transparência e Controle), Antônio José Bittencourt de Albuquerque Júnior (Turismo), Rafael Ribeiro (Meio Ambiente e Recursos Naturais) e Jowberth Frank (Trabalho e da Economia Solidária), e Fabíola Ewerton  (Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão), Deoclídes Macedo (Companhia Maranhense de Gás), Mayco Pinheiro (Empresa Maranhense de Recursos Humanos e Negócios Públicos).

Ao lhes dar boas-vindas tão enfáticas, o governador passou aos novos auxiliares um recado muito claro: eles têm, desde agora, o compromisso e a responsabilidade de dar às suas pastas a dinâmica necessária para que o Governo não apenas mantenha a que vem sendo mantida até aqui, mas intensificá-la. Quando afirma que “não estamos deitados no leito confortável dos êxitos primeiro mandato”, o chefe do Executivo está alertando no sentido de que a ordem é seguir em frente em busca de êxitos bem maiores. Ou seja, a chegada deles às pastas que lhes foram destinadas não é um prêmio, mas uma oportunidade excepcional que lhe está sendo dada para que mostrem seus conhecimentos, seus talentos e, principalmente, o compromisso político com a sociedade. Mais do que isso: depois de ter chegado onde chegou com a reeleição do governador e uma avaliação positiva em mais de 60% da população, a recomendação é que cada um ao seu modo imponha dinâmica à pasta que presta serviços diretos ao cidadão: Educação, Saúde, Infraestrutura, Desenvolvimento Social, Direitos Humanos e Participação Popular e Segurança Pública.

O governador Flávio Dino sabe que são muitos os desafios que o aguardam no plano interno e no front externo. E se não tropeçou nem de leve no mandato passado, no segundo mesmo é que não poderá cometer qualquer vacilo. Afinal, além do compromisso assumido em campanha de fazer o melhor pelo povo do Maranhão, o governador Flávio Dino reafirmou que está mesmo se preparando para a corrida presidencial. Para chegar a essa condição adequadamente lastreado, o governador precisa manter o foco para que o Governo continue gerando bons resultados, tenha um bom desempenho nas eleições municipais e chegue em 2022 turbinado e bem avaliado. Do contrário, seu projeto de poder e seu futuro político estarão sob risco.

Coube ao novo secretário das Cidades e Desenvolvimento Urbano, Rubens Pereira Jr., que se licenciou do mandato de deputado federal pelo PCdoB para encarar o desafio da nova etapa, responder ao governador Flávio Dino: “O espírito que todos nós trazemos é de moderação e amor. É um desafio compor um Governo reeleito com mais de 60% aprovação popular, o Governo que mais cumpre compromissos, e temos o desafio de manter esse ritmo, com honestidade e olhando para os invisíveis, como o governo Flávio Dino sempre olhou”.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Destaque

Sessão solene, palestra de Sálvio Dino e abertura de exposição  marcam os 184 anos da Assembleia Legislativa

Acompanhado pelos desembargadores Cleones Cunha e Ricardo Duailibe, o preside te Othelino Neto observa os documentos expostos; Sálvio Dino durante a palestra, a deputada Thaíza Hortegal contempla um documento,, o mesmo fazendo os deputados Rafael Leitos, e Adelmo Soares, e o prefeito Fábio Gentil e o pai, deputado Zé Getntil

Simples e marcante. Foi assim a sessão solene que marcou os 184 anos da Assembleia Legislativa do Maranhão. Primeiro pela palestra do ex-deputado estadual e membro da Academia Maranhense de Letras Sálvio Dino sobre a trajetória do parlamento estadual, e depois pela abertura da Exposição “Memória do Legislativo Maranhense”, com a apresentação ao público de 13 obras documentais encontradas por pesquisadores do Projeto Memorial do Legislativo Maranhense. O evento levou a Palácio Manoel Beckman autoridades, políticos, acadêmicos e pessoas interessadas nas obras expostas. O presidente Othelino Neto (PCdoB) definiu o evento com clareza: “Nesse momento pelo qual passa o país, é muito importante que todos nós, principalmente as novas gerações, tenham acesso à história do nosso estado, afinal não há caminho que não seja o da política”.

A palestra teve a duração certa e fugiu às amarras acadêmicas. Aos 84 anos e com lucidez invejável, o ex-deputado fugiu à rigidez de um roteiro de datas e fatos e focou a Assembleia Legislativa do Maranhão como uma instituição que viveu altos e baixos em diferentes momentos, mas sempre chamando a atenção para o fato de que o parlamento maranhense tem importância capital na evolução política do Maranhão e do Brasil e do Brasil. Mergulhou, portanto, na História política nacional e seus reflexos no Maranhão, assim como a os reflexos da política no cenário nacional. Emocionado, Sálvio Dino lembrou o episódio em que ele e o historiador e atual presidente da Academia Maranhense de Letras, Benedito Buzar, que estava na sessão.

– Lembro-me como se fosse hoje. Militares sob o comando de um coronel do Exército, foram até a Assembleia e anunciaram que eu estava cassado. Passei 40 dias preso no quartel do 24º BC, em São Luís, juntamente com os saudosos jornalistas Bandeira Tribuzi e Vera Cruz Marques. Era muito jovem e, naquela época sequer tinha aprofundamento sobre a ideologia do comunismo – relatou. E arrematou: “A Bíblia Sagrada diz que o filho pródigo sempre volta à casa paterna. Aqui estou eu, voltando à minha casa, cheio de felicidades, sendo muito bem recebido”.

Sálvio Dino foi ao fundo da na História política, lembrando que quatro maranhenses sentaram na cadeira de presidente do Brasil:  João Bráulio Muniz, que comandou o País durante a Regência, Urbano Santos, Tasso Fragoso e José Sarney, sendo este foi único que exerceu mandato completo, de 1985 a 1990. Intercalando política, literatura e poesia, fez citações de poemas de Gonçalves Dias, livros de Guimarães Rosa e abordou Padre Antônio Vieira, para ele o maior orador de todos os tempos da língua portuguesa e lembrou que a Constituição Brasileira de 1835 concedeu plenos poderes aos prefeitos. “Isso teria originado, no Maranhão, a conhecida Revolta popular denominada Balaiada, sob a liderança de Cosme Bento das Chagas, o Negro Cosme”. Na sequência, destacou o papel da mulher na trajetória da Assembleia Legislativa, lembrando que as pioneiras. Zuleide Bogéa e Rosa Castro se elegeram em 1932, quando Getúlio Vargas instituiu o voto feminino.

Sálvio encerrou sua palestra destacando a larga visão e a sensibilidade do presidente Othelino Neto, em iniciar o trabalho de resgate do Poder Legislativo do Maranhão. “É uma grande empreitada, presidente e estou à sus disposição, para que possamos mostrar a força das mulheres neste Parlamento e mostrar quem são e quem foram os grandes oradores na política do nosso Estado”.

Ao falar na sessão, o presidente Othelino Neto disse que deputado, foi um presente receber o escritor e ex-deputado estadual Sálvio Dino, que durante sua palestra, relembrou trechos importantes da história maranhense. “O Sálvio nos fez mergulhar em casos que muitos de nós não conhecíamos. Tanto ele, quanto o Benedito Buzar, presidente da Academia Maranhense de Letras, presente na solenidade, são histórias vivas do Legislativo Estadual. Foram deputados que tiveram seus mandatos cassados pelo regime de exceção e que, anos depois, tive o prazer de participar da sessão em que lhes foram devolvidos, ainda que simbolicamente, seus mantados, na gestão do então presidente, deputado Arnaldo Melo”, lembrou.

O presidente destacou, em seguida, a importância de ter acesso a essas informações para a valorização do processo democrático e disse ainda que a democracia precisa ser valorizada e o Poder Legislativo, preservado. “É aqui que são representadas todas as forças da sociedade e a democracia é o único regime que permite que tenhamos liberdade e que o estado democrático de direito seja valorizado, assim cultuemos a democracia, porque o Brasil precisa cada vez mais disso”.  E acrescentou: “Nossa história se confunde em grande parte com a história do Maranhão, que foi recuperada, digitalizada e, agora, está disponível em exposição e em rede digital para todos maranhenses”, finalizou.

 

Bira do Pindaré afirma que o PSB deve lançá-lo candidato a prefeito de São Luís

Bira do Pindaré confirma que deve ser o candidato em São Luís

O PSB vai ter candidato a prefeito e eu posso vir a ser esse candidato. Foi o que declarou o deputado federal Bira do Pindaré (PSB) ao ser provocado pela Coluna a respeito da sua participação na corrida eleitoral para a Prefeitura de São Luís no   ano que vem. Ele deixou muito claro que não é candidato “ainda”, porque é deputado e porque ainda é cedo para essa definição. E explicou: “O PSB vai discutir nomes e o meu nome estará na discussão”. Bira do Pindaré falou com a firmeza e a convicção de que, independentemente de qual seja o contexto da disputa, ele será candidato a prefeito de São Luís. “Ainda não sou, mas serei candidato. Meu nome está colocado, não só nesta, mas em outras eleições. Só que agora tem mais chance”. Com essas declarações, feitas ontem à tarde, pouco antes de ele embarcar para Brasília, o deputado federal Bira do Pindaré, que comanda o PSB no Maranhão, dissipou a fumaça que embaçava o seu projeto relacionado com a sucessão do prefeito Edivaldo Holanda Jr. (PDT). Será um candidato para ser levado muito a sério.

São Luís, 26 de Fevereiro de 2019.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *