Flávio Dino confirma projeto presidencial, sabe que o jogo é duro e diz que está se preparando para enfrentar “a turma do mal”

 

Flávio Dino fala na Conferência do PCdoB e confirma projeto de disputar presidência da República na sucessão de Jair Bolsonaro no pleito de 2022

“Estou mesmo me preparando para 2022. Vocês nem notaram, já estou até com cinco quilos a menos. Vamos enfrentar o laranjal e a turma do mal”. Foi com esse misto de confirmação grave e dosado com alto astral que o governador Flávio Dino mandou para o espaço todas as dúvidas que restavam a respeito do seu projeto, já em franco andamento, de disputar a Presidência da República em 2022. E o fez em São Luís, na noite de sexta-feira (22), durante a Conferência do Estadual do PCdoB,  na Assembleia Legislativa, um ato partidário de forte significado, comandado pelo presidente regional da agremiação, deputado federal Márcio Jerry, tendo ao lado nomes destacados do partido, como a presidente nacional, deputada ????? (PE), e o deputado Othelino Neto, presidente da Assembleia Legislativa. Com suas declarações, o governador do Maranhão abriu mais uma larga picada na estrada na direção do Palácio do Planalto liderando as forças do chamado campo progressista, que vai do centro à esquerda, enfrentando as correntes da direita, hoje comandada pela sua ala mais conservadora, hoje encarnada pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL).

A Conferência do PCdoB e a manifestação do governador Flávio Dino, ocorrem num momento de forte simbolismo na relação esquerda-direita. No campo nacional, a direita, representada pelo Governo Jair Bolsonaro, que se elegeu ocupando nas redes sociais o vazio deixado pelos infortúnios do PT, inicia sua presença no poder já desfigurada em termos políticos e ideológicos e minada por fortes indícios de podridão. No campo internacional, a exemplo do que vem acontecendo na Europa (França e Itália, por exemplo), a direita volta ao poder com toda força na América Latina (Brasil, Argentina e Colômbia, por exemplo), articulando-se para desmontar governos de esquerda, escolhendo a Venezuela – fragilizada pela estupidez da ditadura chavista -, para ser o recado mais eloquente, endereçado principalmente a Cuba.

É nesse contexto de ascensão da direita conservadora, legitimada pelo voto direto e democrático, e da fragilização da esquerda, que Flávio Dino, governador de um estado pobre como o Maranhão, realiza uma gestão inovadora e transparente, focada no social, se insere na macro política do País e avança como a mais forte, autorizada e eloquente voz do campo progressista. Forjado na geração que deu vida no movimento estudantil na segunda metade dos anos 80, primeiro lugar em concurso para a magistratura federal, destacado como juiz, tendo presidido a associação nacional, da qual se desligou para entrar na política, elegendo-se deputado federal em 2006, tendo um dos maiores destaques da Câmara Federal até 2010. Amargou insucessos eleitorais em 2008 e para prefeito de São Luís e em 2010 para governador. Mas virou o jogo em 2014 elegendo-se governador de maneira contundente, reelegendo-se em 2018 em turno único, completando a desmontagem do sarneysismo iniciada pelo legendário Jackson Lago (PDT) em 2006.

No plano nacional, Flávio Dino foi a voz mais assumida e intensa contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) e da condenação do ex-presidente Lula (PT), vendo um golpe disfarçado no primeiro caso, e uma armação política no segundo. Apoia a Operação Lava Jato, mas denunciou enfaticamente os excessos praticados pelo juiz Sérgio Moro, um magistrado assumidamente de direita, vendo neles viés fortemente político, o que se confirmou quando ele deixou a magistratura para ser ministro da Justiça e Segurança Pública do Governo Bolsonaro e já apontado como candidato à sua sucessão. Flávio Dino manteve sua coerência política e ideológica ao apoiar a aliança PCdoB-PT e abraçar a candidatura do petista Fernando Haddad para presidente em 2018, liderando um movimento que lhe deu mais de 75% dos votos no Maranhão e a vitória eleitoral em todos os estados do Nordeste. É hoje, entre os governadores, o mais duro crítico do Governo Bolsonaro, mas respeitando a legitimidade presidencial que ele recebeu nas urnas, e trabalhando para manter uma relação institucional produtiva, valorizando ao máximo a condição do Maranhão como ente da Federação.

Esse perfil tem levado o nome de Flávio Dino aos espaços mais diversos do pensamento político. No final do ano passado, ele foi aplaudido por duas centenas de professores universitários jornalistas, escritores e editores cariocas, em conferência numa livraria do Rio de Janeiro, já fez pelo menos uma dezena de palestras em diferentes ambientes, e há três semanas foi recebido aos brados de “presidente” num evento da UNE. Sabe-se que seu nome está na agenda das grandes organizações partidárias e corporações sindicais e empresariais, que monitoram seus passos, atentas a tudo o que ele faz e diz. As vozes mais expressivas da direita no poder – como a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SC) – já o identificam como um adversário a ser levado muito a sério.

Em resumo: o governador do Maranhão já pontifica como um político de abrangência nacional, com aliados e adversários de peso, e situado no contexto da corrida presidencial de 2022, podendo ter como adversário o agora ministro Sérgio Moro, a quem já venceu em concurso público. E foi com a convicção dos democratas que ele revelou na Conferência do PCdoB:  “Eu adoro uma eleição, estou doido para disputar mais uma, essa em especial. A gente tem que plantar a coisa certa, para colher a coisa certa”.

Flávio Dino sabe que a estrada é longa, muito acidentada e cheia de armadilhas, mas já tem experiência e lastro suficientes para encarar a grande caminhada.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Assembleia Legislativa completará 184 anos trazendo a público parte importante da sua memória

Livro com registros raros do Poder Legislativa mandado resgatar por Othelini Neto e que serpa explicado por Sálvio Dino nos 184 anos da instituição

Nesta segunda-feira, 25 de Fevereiro, a Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão completará 184 anos, ou seja, 67.160 dias de existência. Não se trata de uma data redonda nem está marcada por um fato de importância capital na sua trajetória, mas será comemorada com o destaque devida à importância que a instituição representa como um dos três pilares do Estado do Maranhão. O aniversário da Assembleia Legislativa será registrado numa sessão solene a ser realizada hoje às 16h, comandada pelo presidente Othelino Neto (PCdoB), que em seguida abrirá a exposição “Memorial do Legislativo Maranhense”, que terá como substância uma palestra do ex-deputado, escritor e pesquisador Sálvio Dino.

Os 184 anos da Assembleia Legislativa serão comemorados num clima bem diferente dos últimos anos. A começar pelo fato de que o Poder Legislativo foi objeto de uma das mais amplas renovações impostas pelas urnas nas últimas décadas, com mais de 60%dos seus quatros mudados pelo eleitorado em 2018, com grande parte dos deputados representando a novíssima geração da política maranhense, todos dispostos a ocupar espaços no cenário político e institucional do Maranhão. E com um dado de importância sócio-política superlativa: numa guinada surpreendente, as urnas determinaram que a composição do Legislativo maranhense tenha hoje mais de 20%, maior participação feminina na história da instituição.

Além disso, a Assembleia Legislativa completa 184 anos de ecistÇenci9a renovada no seu comando, tendo na presidência um dos parlamentares mais jovens e destacados da sua geração, o deputado Othelino Neto, que preside uma Mesa Diretora com integrantes jovens e na qual há um surpreendente e inovador equilíbrio de gênero.

Além desse contexto político e de representação, o aniversário do Poder Legislativo será marcado pela exposição “Memorial do Legislativo Maranhense”, na qual serão exibidas 13 obras documentais raras, que integram O dado documental e memorialístico da instituição. A importância dessas obras será explicada pelo ex-deputado estadual, pesquisador e escritor Sálvio Dino, membro da Academia Maranhense de Letras. O acervo encontrado foi destacado pelo jornalista, pesquisador e historiador Benedito Buzar, presidente da Academia Maranhense de Letras e contemporâneo de Sálvio Dino na Assembleia e que, como ele teve mandato cassado pela ditadura militar.

As 13 obras raras foram encontradas durante o processo de restauração de documentos manuscritos e impressos da Casa, iniciado em fevereiro do ano passado.  Dentre as raridades, que datam de 1894 a 1953, foram descobertos registros de atas, expedientes, sessões extraordinárias, atividades parlamentares e leis estaduais relevantes. O diretor Legislativo Bráulio Martins, o diretor Administrativo Antino Noleto, e o diretor-geral da Assembleia Legislativa Valney Pereira, que coordenam a organização do evento, explicaram que o Projeto “Memorial do Legislativo Maranhense” é uma prioridade da gestão do presidente Othelino Neto, para quem o arquivo contém dados importantes e históricos a respeito do Maranhão, tendi determinado que seja preservado em formato digital.

Com a digitalização, as obras estarão ao alcance de qualquer cidadão (www.al.ma.leg.br), num processo de democratização de informações como quer o presidente Othelino Neto.

 

Aliança PDT/DEM está sendo costurada em torno de Neto Evangelista, Osmar Filho e Ivaldo Rodrigues

Neto Evangelista, Osmar Filho e Ivaldo Rodrigues cotados para disputar Prefeitura

Uma série de indícios dão conta de que PDT e DEM entabularão conversas para definir o candidato que a aliança dos dois lançará para disputar a prefeitura de São Luís. Pelo PDT estão na linha de frente o vereador e presidente da Câmara Municipal, Osmar Filho, o vereador e atual secretário municipal – promotor das feirinhas – Ivaldo Rodrigues e, numa hipótese muito, mas muito mesmo, remota o senador Weverton Rocha. Pelo DEM está cotado o deputado estadual Neto Evangelista, ex-secretário de Estado de desenvolvimento Social. Com a batida de martelo de Felipe Camarão, que em nota anunciou que está fora do páreo e que prefere continuar à frente do arrojado projeto educacional do Governo Flávio Dino, o deputado Neto Evangelista ganhou força, devendo “disputar” a indicação com Osmar Filho e Ivaldo Rodrigues na aliança PDT/DEM. Nas conversas paralelas, é quase dominante a impressão de que, mesmo reconhecendo o peso político do presidente da Câmara e do secretário de Governo, o deputado Neto Evangelista está mais cacifado para entrar  uma disputa desse quilate.

São Luís, 24 de Fevereiro de 2019.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *