Debate na TV Mirante: Flávio Dino enfrenta com segurança artilharia articulada por Roseana Sarney, Maura Jorge e Roberto Rocha    

 

Odívio Neto, Roberto Rocha, Flávio Dino, Maura Jorge e Roseana Sarney, ontem, no debate da TV Mirante: clima de normalidade sem momentos de tensão forte

Um embate morno, nada revelador e sem um momento sequer de destaque por algum dos participantes. Foi assim o debate entre os cinco candidatos a governador travado ontem na TV Mirante, durante o qual os candidatos Roseana Sarney (MDB), Maura Jorge (PSL) e Roberto Rocha (PSDB) se juntaram contra o governador Flávio Dino (PCdoB), que não deixou pergunta sem resposta e deu o troco “dialogando” com o candidato do PSOL, Odívio Neto, que acabou beneficiado pelo maior tempo de exposição e que, tivesse se preparado, certamente sairia do evento para pontuar nas pesquisas que ainda vêm por aí. O esperado confronto entre Flávio Dino e Roseana Sarney não passou de algumas estocadas de parte a parte, e o anunciado show à parte do senador Roberto Rocha também não foi ao ar. No final, tudo analisado, pesado e medido, os cinco saíram da TV Mirante com as mesmas imagens com que entraram, registrando-se um único diferencial: Maura Jorge “vendeu” bem sua aliança com o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), que foi chamado de facista pelo candidato do PSOL, que também pediu votos para o presidenciável do seu partido, Guilherme Boulos. Os demais candidatos não entraram de cabeça na disputa presidencial.

Desde o primeiro momento ficou claro que Roseana Sarney, Maura Jorge e Roberto Rocha combinaram a estratégia de fazer perguntas entre si, deixando Flávio Dino no isolamento. E quando a ele se dirigiram foi tentando desqualificar sua gestão de maneira genérica, já que ninguém formulou uma só pergunta que pudesse tirar o candidato do PCdoB do eixo ou colocá-lo em desconforto. Ao contrário, o governador, em que pese a limitação “planejada” da sua participação pela estratégia dos três adversários, mostrou-se sempre descontraído, sem alterar o seu bom humor. Roseana Sarney entrou muito tensa, com certa dificuldade de formular perguntas, mas ao longo do embate, sem ser atacada por Roberto Rocha e Maura Jorge, conseguiu mergulhar um pouco na descontração e levar o embate até o fim sem maiores problemas.

Nas vezes em que teve direito à palavra, o governador Flávio Dino exibiu confiança e segurança, foi propositivo destacando as conquistas do seu Governo e avisando que se for reeleito vai “fazer muito mais”. Além da segurança com que se manifestou, o governador não escorregou em nenhuma casca de banana, até mesmo porque seus adversários não souberam provocá-lo, talvez por falta de interesse mesmo. O senador Roberto Rocha tentou desqualificar o atual Governo, mas o governador Flávio Dino segurou o “veneno” e inibiu o ataque do candidato tucano. Da mesma maneira fez com as investidas da candidata Maura Jorge, deixando-a a repetir frases de efeito, mas sem apresentar um dado numérico ou estatístico as questões levantadas.

No jogo de isolar o governador Flávio Dino, Roseana Sarney, Roberto Rocha e Maura Jorge deixaram um espaço imenso para que Odívio Neto vendesse o seu peixe. Inicialmente inibido e vacilante, o candidato do PSOL foi aos poucos soltando a língua e aproveitando para bater nos adversários.  Chegou mesmo a anunciar algumas de suas metas de Governo, fazendo com que o mundo viesse saber que todas elas estão fundadas na educação. Nesse ambiente de ação articulada, Roberto Rocha tentou fazer um discurso de nível elevado, mas sem nenhuma objetividade para alcançar o que deveria interessá-lo: o eleitor de todos os níveis, objetivo que o governador Flávio Dino mirou com cuidado e eficiência, seguido de Roseana Sarney, que apesar da tensão e de algumas frases atravessadas, conseguiu dar alguns recados.

Mas o fato é que, no geral e apesar do engessamento do formato, o debate da TV Mirante não produziu vencedores nem vencidos. O governador Flávio Dino saiu do jeito que entrou, na condição de favorito e sem qualquer rasura. A ex-governadora Roseana Sarney recebeu algumas estocadas, devolveu umas e foi para casa certa de que nada acrescentou à sua condição de candidata. O senador Roberto Rocha discursou para uma plateia que certamente não era a grande massa de eleitores do Maranhão. A candidata Maura Jorge não apresentou uma só proposta concreta de Governo e usou o debate para propagar a sua aliança com o presidenciável Jair Bolsonaro. E o candidato do PSOL, em que pese sua dificuldade discursiva, aproveitou as oportunidades que lhe foram dadas e estocou os adversários, fazendo o papel de anticandidato.

 

 PONTO & CONTRAPONTO

 

Debate passou ao largo da disputa presidencial

Salvo pela festa bolsonarista da candidata Maura Jorge (PSL) e da manifestação do candidato do PSOL, Odívio Neto, sobre o presidenciável Guilherme Boulos, o debate na TV Mirante passou ao largo da corrida para a presidência da República. O governador Flávio Dino não teve oportunidade para falar do assunto, embora tenha feito referências aos seus aliados do PT.  Já o senador Roberto Rocha não deu uma só palavra sobre Geraldo Alckmin, que é o presidenciável do seu partido e se encontra numa situação extremamente delicada, com potencial para vencer Jair Bolsonaro no segundo turno, mas sem condições de chegar lá. A ex-governadora Roseana Sarney, por sua vez, mesmo sendo provocada sobre o assunto, ignorou solenemente a provocação e não deu uma palavra sobre o presidenciável emedebista Henrique Meirelles, esquivando-se também de se manifestar em relação ao presidente Michel Temer (MDB). O destaque nesse quesito foi mesmo para a candidata Maura Jorge, que foi fantasiada de “bolsonarista”, tendo inclusive enfrentado a militância de esquerda ao chegar à TV Mirante. Maura Jorge disse ter certeza de que “cada voto em Bolsonaro será também um voto em mim”.

 

Candidatos elogiam companheiros de chapa e candidatos ao Senado; Roberto Rocha comete ato falho

Os candidatos usaram o espaço do debate na TV Mirante para propagar também seus candidatos a vice e a senador. O candidato do PSOL, Odívio Neto, usou boa parte das suas considerações finais para exaltar sua candidata a vice Gigia Helena e os seus candidatos a senador, Saulo Pinto e Iego Bruno, tecendo rasgados elogios sobre cada um deles. Nessa linha, o governador Flávio Dino fez elogios ao vice-governador Carlos Brandão e pediu votos para os seus candidatos a senador, Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (PPS), os quais, aliás, o acompanharam ao Sistema Mirante. Maura Jorge também exaltou seu candidato a vice, coronel Roberto Filho e o candidato a senador, Josué de Itapecuru. Provavelmente por falha de memória, Roseana Sarney não se referiu nem ao vice Ribinha Cunha (PSC) nem aos seus candidatos a senador, Edison Lobão (MDB) e Sarney Filho (PV).  Mas o ato mais falho nesse detalhe ficou por conta do tucano Roberto Rocha, que fez rasgados elogios à vice Graça Paz, mas ignorou os candidatos do PSDB ao Senado José Reinaldo e Alexandre Almeida. E para completar o ato falho, Roberto Rocha fez rasgados elogios ao senador Edison Lobão ao informar que ele o apoiou na aprovação do projeto da ZPE, provavelmente no momento esquecido de que Edison Lobão é o alvo direto da violenta campanha do tucano Alexandre Almeida contra o que ele chama de “políticos profissionais…”

São Luís, 03 de Outubro de 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *