Acordo PDT-DEM, apoiado pelo PCdoB, garante escolha de Juscelino Filho para coordenar a bancada maranhense em Brasília

 

Juscelino Filho foi escolhido coordenador da bancada numa articulação  de Weverton Rocha, com a desistência de Gil Cutrim e o aval de Márcio Jerry

O deputado federal Juscelino Filho (DEM) será o coordenador da bancada federal do Maranhão. O martelo para sua eleição como candidato único foi batido com o apoio da maioria dos deputados e senadores maranhenses, formada por parlamentares que integram a base de apoio do Governo Flávio Dino (PCdoB), e com a decisão dos congressistas de Oposição de não lançar candidato, evitando assim derrota certa. A escolha do deputado Juscelino Filho tem dois vieses importantes, que certamente produzirão resultados políticos de curto e médio prazo. O primeiro é a capacidade de articulação do parlamentar, que vem se consolidando politicamente como uma das “raposas” da nova geração. E o outro é uma bem armada aliança do DEM com o PDT, que permitiu, numa ação comandada diretamente pelo senador Weverton Rocha (PDT), que o deputado federal Gil Cutrim (PDT), que se anunciara candidato, saísse do páreo para apoiar a Juscelino Filho. Esse entendimento deve se refletir nas eleições municipais, principalmente em São Luís, onde vem se desenhando a candidatura do deputado estadual Neto Evangelista (DEM) com o apoio do PDT.

Para quem não sabe, coordenador da bancada federal não é um cargo formal, mas o seu ocupante acumula uma expressiva carga de poder, à medida que o deputado-coordenador funciona como um articulador das ações da bancada junto ao Governo da União quando o assunto for de interesse do Maranhão. Entre suas obrigações está o agendamento de audiências da bancada com ministro de Estado e com o presidente da República, como também encaminhar pleitos do Governo do Estado nos respectivos ministérios e de prefeitos, quando o pedido for formulado pela Famem. Enfim, o coordenador da bancada passa a ser a principal referência da representação maranhense no Congresso Nacional, o que não é pouca coisa. Para se ter uma ideia, durante os tempos áureos de poder do Grupo Sarney, o deputado federal Sarney Filho coordenador a bancada por mais de uma década.

No exercício do segundo mandato, o deputado federal Juscelino Filho dá mais uma demonstração de habilidade política e determinação de chegar cada vez mais longe. Esse perfil começou a se evidenciar quando ele, exibindo faro político, tirou o DEM de uma das gavetas do ex-deputado federal Clóvis Fecury e assumiu o seu comando, numa cartada que o colocou em posição de força na Câmara Federal, aproximando-se da cúpula nacional do partido – caiu nas graças do presidente nacional ACM Neto – e soube aproveitar os espaços abertos e conseguiu fortalecer o partido no estado e  no mandato passado e lhe deu chance de sair das urnas de 2018 com mais força ainda, uma vez que o DEM elegeu cinco deputados estaduais: Neto Evangelista, Andreia Rezende, Antônio Pereira, Daniella Tema e Paulo Neto. O desempenho nas urnas o permitiu manter o DEM em boa posição na aliança partidária liderada pelo governador Flávio Dino (PCdoB). Além disso, retornou à Câmara Federal com boa votação. E seu poder do fogo aumenta como coordenador da bancada.

A escolha de Juscelino Filho para coordenar a bancada maranhense é fruto de um acordo que vem estreitando a relação do DEM com o PDT, numa articulação entre ele e o senador Weverton Rocha, que preside o PDT no estado. O deputado federal Gil Cutrim saiu na frente como candidato a coordenador, mas foi convencido por Weverton Rocha a ter um “gesto de grandeza” e abrir mão da candidatura em favor, numa operação concretizada. O acerto em torno de Juscelino Filho foi avalizado pelo Palácio dos Leões, tanto que o deputado Márcio Jerry (PCdoB), principal porta-voz do governador Flávio Dino na Câmara Federal e na bancada, cumprimentou o colega Gil Cutrim por recuar da candidatura em favor de Juscelino Filho, cuja confirmação no posto será feita por consenso pelos senadores e deputados federais do Maranhão.

No viés político propriamente dito, é evidente que o apoio decisivo do comando pedetista ao democrata reforçou a aliança que está sendo costurada por PDT e DEM visando, num primeiro momento, a soma de forças na disputa pelas Prefeituras de São Luís e São José de Ribamar. No caso de São Luís, já se comenda abertamente que a aliança PDT-DEM pode ter como candidato o deputado estadual Net Evangelista (DEM) ou o presidente da Câmara Municipal, vereador Osmar Filho (PDT) ou ainda uma terceira via. E tudo indica que o deputado Gil Cutrim tentará voltar ao comando da Cidade do Padroeiro.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Grupo Sarney caminha para uma disputa interna entre Adriano Sarney e Victor Mendes pela Prefeitura de São Luís

Adriano Sarney e Victor Mendes devem disputar candidatura em São Luís dentro do Grupo Sarney

Todos os sinais emitidos até aqui começam a indicar que haverá uma disputa interna pela vaga de candidato do Grupo Sarney à Prefeitura de São Luís. Depois de um largo período em que especulações levantaram diversos nomes, que se revelaram inviáveis ou desinteressados, o deputado estadual Adriano Sarney (PV) se colocou como virtual candidato, afirmando estar interessado no projeto e já se considera pré-candidato. Do outro lado, ao contrário do que muitos consideraram um “chute” no escuro, está o ex-deputado federal Victor Mendes (MDB), que mantém firmemente seu nome como opção na mesa do presidente regional do partido, ex-governador João Alberto.

A pré-candidatura de Adriano Sarney não é, com certeza, um projeto pessoal. Por maior que seja sua autonomia para agir no campo político, essa é uma decisão que não tomaria sozinho. Para se colocar como pré-candidato do que restou do sarneysismo a prefeito de São Luís, o parlamentar verde certamente recebeu algum estímulo, aval, sinal-verde ou coisa parecida, ainda que tenha sido do tipo “Vai que cola?”. O fato é que ele se declarou pré-candidato, confirmou a notícia da Coluna e não foi desautorizado por ninguém, deixando no ar a impressão de que esse pode ser mesmo o projeto do clã e aliados mais próximos.

Há algumas semanas, a Coluna publicou uma revelação: numa reunião do comando estadual do MDB, o ex-deputado federal Victor Mendes apresentou seu nome como opção para a vaga de candidato do partido à sucessão do prefeito Edivaldo Holanda Jr. (PDT). A primeira reação foi de surpresa, mas passado algum tempo a ficha caiu e as lideranças do partido, principalmente as da ala mais jovem, fizeram a avaliações do cenário e algumas contas e admitiram que a proposta do jovem político pinheirense, que foi secretário de Meio Ambiente com forte atuação em São Luís, fazia algum sentido. Houve um esfriamento, mas de uns dias para cá o assunto voltou à pauta interna do MDB, que pode dar o aval a esse projeto de candidatura.

Se os dois se mantiverem seus projetos de pé, haverá dois caminhos. O primeiro será uma refrega dentro do Grupo Sarney para escolher o mais viável. A outra é dividir o Grupo em dois e cada corrente lance o seu candidato, o que contribuirá para pulverizar o eleitorado e forçar um segundo turno.

Othelino Neto aprova projeto instituindo o “Abril Marrom”, uma guerra contra as doenças visuais

Othelino Neto: projeto para alertar a sociedade para as doenças que afetam a visão

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Othelino Neto (PCdoB) declarou ontem guerra aberta contra a cegueira e as doenças que afetam a visão. A arma que vai usar para mobilizar a sociedade para esse problema foi a aprovação de projeto de sua autoria que institui o “Abril Marrom”, que prevê uma série de ações com o objetivo de chamar a atenção das autoridades, das organizações civis e o próprio cidadão para esse problema. O projeto de lei proposto pelo presidente do Poder Legislativo define como necessárias ações para conscientiza e educar a população sobre a importância da prevenção às doenças que provocam deficiência visual. O projeto prevê campanha para estimular visitas periódicas ao oftalmologista e exames preventivos.

O projeto proposto pelo presidente Othelino Neto incentiva a mobilização de entidades médicas, centros hospitalares, os governos federal, estadual e municipal a atuarem para reduzir a nível aceitável o risco de deficiência visual. E estabelece ainda ações a serem realizadas sem implicação em nova despesa pública, valendo-se das estruturas dos órgãos públicos envolvidos.

Othelino Neto justificou a instituição do “Abril Marrom”: “Temos de chamar a atenção da população para os constantes riscos das doenças visuais, como forma de reduzir drasticamente a incidência de pessoas com esses problemas, em sua maioria por falta de informação”.

E foi além cobrando que a sociedade se mobilize contra as doenças visuais e anunciando que a Assembleia Legislativa se engajará usando todos os meios para propagar esse guerra: “Toda a estrutura de comunicação da Assembleia estará envolvida nesse projeto e esperamos que os demais meios se envolvam nessa proposta, porque ela atingirá uma significativa parcela da população, evitando  o aumento do número de maranhenses atingidos pelo drama da cegueira e outras patologias visuais, exatamente pela falta de informação”.

São Luís, 25 de Março de 2019.

Um comentário sobre “Acordo PDT-DEM, apoiado pelo PCdoB, garante escolha de Juscelino Filho para coordenar a bancada maranhense em Brasília

  1. O projeto do deputado Adriano não está atrelado ao MDB, pois o atual líder da oposição é do Partido Verde e tem o aval da nacional e dos filiados para seguir com o projeto. É o melhor nome até o momento para a disputa para Prefeitura de São Luis e tem debatido os grandes problemas da cidade através dos seus artigos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *