Vídeo de Fernando Haddad consolida a aliança de Flávio Dino com Lula no Maranhão

 

Fernando Haddad anuncia vinda ao Maranhão para anunciar aliança de Lula da Silva com Flávio Dino  na corrida eleitoral

Um vídeo de 26 segundos divulgado ontem pela assessoria de imprensa do PT colocou ponto final na dúvida a respeito de quem está autorizado a falar em nome do ex-presidente Lula da Silva no Maranhão. Na peça, o candidato à vice na chapa presidencial de Lula, Fernando Haddad, ex-prefeito de São Paulo, faz o seguinte anúncio: “Essa semana nós vamos estar no Maranhão, para levar o apoio de Lula à reeleição do nosso governador Flávio Dino. E também para levar uma mensagem de Lula ao povo maranhense, para o Brasil ser feliz de novo”. Mais claro, impossível. No Maranhão, portanto, quem está autorizado a falar em nome de Lula é o governador Flávio Dino (PCdoB), agora formalmente chancelado pelo vice escolhido pelo líder petista, e seu substituto como candidato a presidente, se (ou quando) a Justiça Eleitoral confirmar a inelegibilidade do ex-presidente. Com a batida de martelo, o governador Flávio Dino vai incorporar ao seu discurso, agora com mais ênfase, a luta do líder petista, que, segundo pesquisa do Ibope, divulgada pela Rede Globo na noite de segunda-feira, lidera com folga as intenções de voto (37%) na corrida ao Palácio do Planalto.

A opção de Lula por Flávio Dino no Maranhão envolve uma série de detalhes que amarram fortemente a aliança. Para começar, o PCdoB tem se portado como o mais correto aliado do PT em todos os momentos. Além disso, fechou um acordo pelo qual a deputada gaúcha Manuela D`Ávila, que abriu mão da candidatura a presidente pelo PCdoB, será vice de Fernando Haddad se (ou quando?), a Justiça Eleitoral confirmar a inelegibilidade do ex-presidente. E para tornar a aliança mais forte, o PT maranhense, que há mais de uma década vinha mantendo uma relação furta-cor com Flávio Dino, decidiu agora embarcar de vez na locomotiva partidária dinista, mesmo com o sorriso amarelo de alguns petistas de proa no estado, que não escondem certo saudosismo em relação ao tempo em que a banda maior dos petistas maranhenses experimentou o poder durante o Governo de Roseana Sarney.

Essa reviravolta é, em grande parte, resultado de uma longa, paciente e bem cuidada tessitura política realizada pelo  governador Flávio Dino. O primeiro momento se deu logo após a posse da presidente Dilma Rousseff (PT) para o segundo mandato, quando, depois de uma série de acenos de ambas as partes, Flávio Dino, eleito governador, foi recebido com distinção no Palácio do Planalto. A relação ganhou forma e peso quando surgiram os primeiros sintomas de que o mandato de Dilma Rousseff estava em perigo. Passando uma borracha em tudo o que acontecera durante a campanha, quando Dilma Rousseff, candidata à reeleição, pediu votos para Lobão Filho, candidato do PMDB ao Governo do Estado, Flávio Dino assumiu a defesa da presidente reeleita, tornando-se, em pouco tempo, a principal voz não petista em todo o País contra o impeachment. Nos piores momentos da crise que resultou na deposição dela, Flávio Dino esteve ao seu lado, assumindo o ônus político. Os aliados pemedebistas maranhenses fizeram exatamente o contrário, embarcando abertamente na onda a favor do impeachment.

Em Setembro do ano passado, Lula encerrou em São Luís uma incursão política pelo Nordeste. Foi ovacionado por milhares num monumental ato político organizado pelo governador Flávio Dino em frente ao Palácio dos Leões, selando ali a aliança agora reafirmada. Mais recentemente, Flávio Dino manteve a linha de ação política e se posicionou clara e abertamente contra a condenação e a prisão do ex-presidente. Com a autoridade de ex-juiz federal, e correndo o risco de retaliações, o governador foi duro com seus ex-colegas magistrados federais envolvidos no processo e no julgamento, especialmente com o juiz Sérgio Moro, chefe da Operação Lava Jato, a quem criticou enfaticamente pelo que entendeu ser abuso de poder. Certo de que Lula é vítima de um processo político, o governador manteve o discurso em favor do líder petista, tendo, entre outros movimentos, liderado um grupo de governadores que o visitaram na prisão em Curitiba.

A chegada de Fernando Haddad a São Luís, na sexta-feira, será, portanto, o nó que faltava para fortalecer os laços que levarão enfim Lula e sua força política, sendo candidato ou não, ao palanque de Flávio Dino, resolvendo de vez uma pendência que os manteve afastados por quase duas décadas.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

TRE confirma condenação e mantém Ricardo Murad inelegível por oito anos

Ricardo Murad tem condenação confirmada e está fora da corrida para a Câmara Federal

O ex-deputado estadual Ricardo Murad (PRP) está inelegível por oito anos e não poderá ser candidato a deputado federal, como pretendia. A confirmação da inelegibilidade aconteceu ontem, em sessão plenária do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), na qual a maioria da Corte rejeitou recurso do ex-deputado contra condenação que lhe fora imposta pela juíza Josane Araújo Farias Braga, da 8ª Zona Eleitoral, de Coroatá, sob a acusação de abuso de poder praticado pelo então secretário municipal na campanha eleitoral de 2012. Com a saída de Ricardo Murad do páreo, a coligação “O Maranhão quer mais”, liderada pela ex-governadora Roseana Sarney (MDB), perde um nome forte na chapa para a Câmara Federal, reduzindo consideravelmente as chances de eleger dois deputados federais além do que previa. Tão logo tomou conhecimento da decisão do TRE em relação ao seu recurso, o ex-deputado Ricardo Murad divulgou nas redes sociais nota em que lamenta a decisão da Corte Eleitoral e avisa que examinará com seus advogados a possibilidade de recorrer da medida no Tribunal Superior Eleitoral.

 

Cleide Coutinho prepara ato-gigante para lançar sua candidatura em Caxias

Cleide Coutinho prepara ato-gigante em Caxias para lançar sua candidatura à Assembleia Legislativo

Em meio à repercussão sobre o tamanho do ato de lançamento da candidatura do ex-deputado estadual José Gentil (PRB) a novo mandato na Assembleia Legislativa, que contou com a participação do senador Edison Lobão (MDB), a ex-deputada estadual Cleide Coutinho (PDT) anunciou a realização do ato em que lançará a sua candidatura ao parlamento estadual. A festa política está marcada para o dia 24 de Agosto, data em que o então presidente da Assembleia Legislativa, deputado Humberto Coutinho (PDT), seu marido e líder do grupo que agora comanda, completaria 75 anos. O anúncio criou uma forte expectativa nos partidários dos dois candidatos em Caxias. Isso porque José Gentil e Cleide Coutinho travam uma luta de prestígio na Princesa do Sertão, que será medido pela votação com que cada um sairá das urnas em Outubro. Aliados dos Coutinho se desdobram para reunir milhares e, assim, mostrar a força do grupo no eleitorado caxiense. Vale aguardar.

São Luís, 21 de Agosto de 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *