Marketing: Roberto Rocha registra em cartório um “caderno de boas ideias” como base do seu plano de Governo

Acompanhado de Alexandre Almeida, José Reinaldo tavares e Graça Paz, Roberto Rocha protocola o Caderno de Boas Ideias no Cartório Cantuária de Azevedo

O antigo Cartório Cantuária de Azevedo, situado no tradicionalíssimo Beco Catarina Mina (Rua Djalma Dutra, 84), no coração da São Luís histórica -, onde estão guardadas suas memórias e onde lateja muito da  sua consciência política -, recebeu, ontem à tarde, para registro à posteridade, um documento que pode ser definido como importante: uma cópia do plano de ação do candidato ao Governo do Estado pela coligação “União e Coragem para Fazer um Maranhão Melhor”, senador Roberto Rocha (PSDB). Batizado “Caderno de Boas Ideias”, o documento contém as linhas gerais do que o candidato tucano tem em mente para realizar, se eleito governador. São ideias que elaborou ao longo da sua vida política e que, acredita, poderão incrementar o desenvolvimento sócio-econômico do estado e, por via de desdobramento, melhorar a vida dos mais de sete  milhões de maranhenses. E para dar solenidade e credibilidade ao ato, que classificou de compromisso com o povo maranhense, Roberto Rocha fez o registro acompanhado da sua companheira de chapa, deputada Graça Paz (PSDB), e dos dois candidatos ao Senado da sua coligação, o deputado federal José Reinaldo Tavares (PSDB) e o deputado estadual Alexandre Almeida (PSDB). “É um plano de Governo que fazemos questão de registrar em cartório para ser de conhecimento público os nossos compromissos com o Maranhão”, declarou, enfático, o candidato tucano.

De acordo com um press release divulgado pela assessoria da coligação “União e Coragem para Fazer um Maranhão Melhor”, o “Caderno de Boas Ideias” “é a síntese das principais propostas básicas que o senador Roberto Rocha desenvolveu em todos os municípios do estado, ao longo de suas atividades parlamentares”. E acrescenta: ”A proposta deriva de uma concepção de governo que já vem norteando as ações, projetos e ideias do mandato do senador maranhense e definem uma visão geral que, segundo ele, deve estar clara para a população maranhense, no momento em que oferece seu nome para ocupar o mais alto cargo de comando no estado”. E fecha a informação assinalando que Roberto Rocha pretende, se eleito governador, inaugurar uma “cultura do fazer” no estado, adotando novas práticas na gestão pública que sirvam, inclusive, como referência aos municípios maranhenses. “O foco é na eficiência e nos resultados administrativos sem a ideologização do Governo, que acaba atravancando o desenvolvimento do estado”, sentencia o candidato tucano.

Não é o primeiro Plano de Governo que um aspirante a ocupar o gabinete principal do Palácio dos Leões registrou no Cartório Cantuária de Azevedo nas últimas décadas. Pelo menos metade dos candidatos a governador que disputaram as oito últimas eleições no Maranhão registraram planos de ação naquele cartório. Seja por não haver o proponente conseguido a eleição, seja porque, quando eleitos, foram levados a esquecer os compromissos obrigados pelas circunstâncias, ou seja porque os itens prometidos eram autênticas promessas de campanha, aquelas que foram feitas para encantar o eleitor e serem esquecidas. O fato é que as prateleiras dos arquivos seculares do pequeno prédio situado no Beco Catarina Mina guardam pelo menos uma dezena desses documentos-promessa registrados por candidatos. Luiz Rocha, Epitácio Cafeteira e João Castelo, entre outros, fizeram tal registro.

O governador Edison Lobão (1991-1994) concluiu parte expressiva do que prometeu em documento, como a conclusão da Avenida Litorânea, por exemplo, iniciada pelo governador Luiz Rocha (1993-1997). E o governador Flávio Dino vem cumprindo à risca os compromissos que assumiu no seu Plano de Governo, como Escola de Tempo Integral e Escola Digna e aumento do efetivo da Polícia Militar, por exemplo. (A Coluna não conseguiu confirmar se Roseana Sarney registrou algum compromisso de campanha nas cinco vezes em que disputou o Governo do Estado entre 1994 e 2010).

Em que pesem a falta de originalidade, por ser essa uma jogada de marketing eleitoral já manjada e pouco eficiente, o gesto do candidato tucano Roberto Rocha pode funcionar como a revitalização de uma maneira série de assumir compromissos com o eleitor. Roberto Rocha vem pautando sua campanha com um discurso propositivo. E isso lhe dá um crédito de confiança em relação ao pacote que deseja por em prática se for eleito governador.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Pesquisas mostram que, apoiado por Lula, Haddad tem força para chegar ao Planalto

A julgar pela pesquisa Datafolha, Fernando Haddad, vice de Lula da Silva chegará a São Luís como forte candidato a presidente da República

Se o ex-presidente Lula da Silva (PT) estiver tão forte como mostraram as pesquisas do Ibope, divulgada segunda-feira, e do Datafolha, divulgada ontem, o seu vice, Fernando Haddad (PT), desembarcará nesta sexta-feira em São Luís como um fortíssimo candidato a presidente da República. No cenário que incluiu o ex-presidente Lula, a pesquisa Datafolha encontrou o líder petista com 39% das intenções de voto. No cenário sem Lula e com  Fernando Haddad como candidato, este aparece com apenas 4% das intenções de voto. Ocorre que a mesma pesquisa investigou situações diversas e apurou que 30% dos eleitores de Lula, a seu pedido, votarão em Fernando Haddad, o que representará 15% dos eleitores. E tendo outros 10% respondido que “poderão” votar no substituto, se Lula pedir. Considerando-se metade disso, serão mais 2%, o que totalizará 17% de votos para Fernando Haddad. E somando-se aos quatro que ele já tem por conta própria, o substituto do ex-presidente irá seguramente para o segundo turno, praticamente empatado com Jair com Jair Bolsonaro. Levando-se em conta que Lula está mostrando força para fazer muito mais, não será nenhuma surpresa se Fernando Haddad for mesmo para o segundo turno e destroçar o candidato da extrema direita nas urnas e eleger-se presidente da República. É verdade que o cálculo é simplista e que tudo pode acontecer durante a campanha. Mas é também verdadeiro que os candidatos são fracos e previsíveis, enquanto Fernando Haddad é um “poste” com mais de quatro anos de Ministério da Educação, outros quatros como prefeito de São Paulo, e com padrinho político mais influente do País.

 

Edilázio Jr. assume a liderança da nova geração do Grupo Sarney

Edilázio Jr. foi prestigiado por José Sarney , Sarney Filho e Arnaldo Melo no ato de inauguração do seu comitê de campanha por uma cadeira na Câmara Federal

Ao inaugurar, ontem, seu comitê de campanha à Câmara Federal, o deputado estadual Edilázio Jr. (PSD) assumiu de vez a posição de mais influente membro da nova geração do Grupo Sarney. Nenhum outro candidato daquela corrente a mandato proporcional conseguiu até aqui  reunir num mesmo espaço o ex-presidente José Sarney (MDB), a ex-governadora e candidata do Grupo ao Governo Roseana Sarney e o deputado federal Sarney Filho (PV), candidato a senador. O prestígio do jovem parlamentar dentro do Grupo tem explicação cara, que vai muito além de fazer parte da família Sarney. Num movimento que começou desde que assumiu na Assembleia Legislativa, Edilázio Jr. incorporou o discurso oposicionista num crescendo que o tornou a mais agressiva e frequente voz do Grupo contra o Governo Flávio Dino, jogando o jogo pesado que o primogênito da terceira geração do sarneysismo, deputado Adriano Sarney (PV), por exemplo, não jogou. Mais recentemente, Edilázio Jr., que é advogado militante, emprestou seu nome a pelo menos cinco ações-denúncia contra o governador Flávio Dino, entre elas uma que pediu o impeachment do governador. Uma carga muito pesada, que poderia, por exemplo, ter sido dividida com o atuante deputado federal Hildo Rocha, mas que ele preferiu colocar no currículo. No meio político, o deputado Edilázio Jr. é visto como um forte candidato a deputado federal. Tem audácia e suporte para andar com seus próprios pés, mas o Grupo Sarney tem obrigação a lhe dar o lastro necessário para chegar lá. Até porque é um quadro político centrado, ousado e com algum horizonte.

São Luís, 22 de Agosto de 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *