Roseana Sarney confirma candidatura, ataca Flávio Dino e diz que vai “para cima”

 

Entre Sarney Filho e Edison Lobão, Roseana Sarney anuncia sua candidatura a partidários na mansão do Calhau
Entre Sarney Filho e Edison Lobão, candidatos ao Senado, Roseana Sarney anuncia sua candidatura ao Governo do Estado a partidários na mansão do Calhau

Com um discurso em que prometeu “mostrar quem é a trabalhadora, guerreira, que gosta do povo”, e atacou a competência e a honestidade do governador Flávio Dino (PCdoB), afirmando que “isso não existe”, a ex-governadora Roseana Sarney (MDB) confirmou ontem sua candidatura ao Governo do Estado. O anúncio foi feito em ato que reuniu, na mansão do Calhau, o senador Edison Lobão (MDB) e o deputado federal Sarney Filho (PV) – ambos candidatos ao Senado -, o senador João Alberto – presidente regional do PMDB –, dois deputados federais, três deputados estaduais, cerca de uma dezena de prefeitos e militantes do Grupo Sarney na Ilha de Upaon Açu. Roseana Sarney deixou no ar que está motivada por uma pesquisa – cujos números não revelou -, na qual estaria “muito bem” e que o governador Flávio Dino “tem uma rejeição muito grande”, apostando assim que a corrida ao Palácio dos Leões pode dois turnos.

O anúncio de ontem foi o desfecho de uma operação dentro do Grupo Sarney, iniciada na semana passada, para pressioná-la a assumir a candidatura, já que, segundo algumas fontes, a ex-governadora relutava. O argumento mais forte foi o de que não existe no Grupo outro nome com cacife para entrar na disputa, não lhe restando alternativa, já que um candidato fraco comprometeria o projeto do Grupo de eleger pelo menos um senador. Roseana Sarney fez uma série de consultas, inclusive ao comando nacional do PMDB e ao presidente Michel Temer, e diante de apelos e ponderações que ouviu, decidiu entrar na disputa, mesmo sabendo que enfrentará um quadro que, se não chega a ser-lhe hostil, não lhe é francamente favorável. Todas as pesquisas feitas até agora mostraram um cenário em que o governador Flávio Dino lidera com folga a preferência do eleitorado, sendo que a mais recente, do Data Ilha, publicada na semana passada, mostra o chefe do Executivo com 60% das preferências do eleitorado e ela com 27%, indicando uma tendência no sentido de que a fatura pode ser liquidada em turno único.

Roseana Sarney sabe que nas circunstâncias políticas em que o Grupo Sarney navega atualmente pesam muito as fendas de um implacável desgaste, causado primeiro pelo tempo, e depois pelo seu longo período (quase 14 anos) no comando do Estado, e que isso somado à renovação do eleitorado e à chegada de uma espécie de nova ordem política no Maranhão, ganha a forma de um gigantesco obstáculo ao seu projeto de voltar ao poder. A tímida base política que se apresentou ontem na simbólica residência do Calhau nem de longe lembrou os tempos áureos da sua força política, quando anúncios dessa importância eram feitos ginásio ou casas de festa, respaldado por legiões de prefeitos e vereadores, por metade da Assembleia Legislativa e por, pelo menos, dois terços da bancada federal. As acachapantes derrotas sofridas pelo Grupo Sarney nas eleições gerais de 2014 e nas eleições municipais de 2016 foram evidências indiscutíveis de que o Maranhão político é outro, bem diferente daquele que a elegeu em 2010 em turno único, tendo um Flávio Dino ainda verde e um Jackson Lago (PDT) extremamente fragilizado pela ação devastadora de um câncer.

Esse conjunto de fatores não significa dizer que Roseana Sarney esteja fora do cenário político. Ela tem mais de o dobro das intenções de voto do deputado e (im)provável candidato Eduardo Braide (PMN), do senador Roberto Rocha (PSDB), Maura Jorge (Podemos) e Ricardo Murad (PMN) juntos, e está posicionada como o principal adversário do governador Flávio Dino. O problema é que, ao contrário de 2010, quando estava no cargo e teve o apoio declarado e ostensivo do então presidente Lula da Silva (PT) e da candidata a presidente Dilma Rousseff, agora ela está fora do cargo e tem com o apoiador por Michel Temer (MDB), o presidente mais impopular da história até aqui. No estado, o seu maior ponto de apoio é o prefeito de Imperatriz, Assis Ramos (MDB), que não tem ainda cacife para transferir prestígio e voto. E para superar esse quadro visivelmente desfavorável, ela anuncia que percorrerá todo o Maranhão em campanha: “Vocês sabem que quando eu começo uma campanha eleitoral, eu vou pra cima”.

A largada de Roseana Sarney em direção ao Palácio dos Leões parece não ter causado qualquer alteração no ânimo do governador Flávio Dino e os integrantes do seu núcleo duro. E curiosamente, só mesmo tempo em que partidários da ex-governadora festejam sua decisão, partidários do governador avaliam que ela “é o melhor adversário”.

 

 PONTO & CONTRAPONTO

João Alberto desfaz rumores de tensão com Roseana Sarney

João Alberto nega tensão com Roseana Sarney pelo controle do MDB
João Alberto nega tensão com Roseana Sarney pelo controle do MDB

Ao mesmo tempo em que estava na mansão do Calhau participando, na linha de frente, do ato em que Roseana Sarney confirmava sua candidatura ao Governo do Estado, o senador João Alberto era alvo da seguinte informação: Roseana Sarney teria tentado afastá-lo da presidência do MDB. Procurado pela Coluna para esclarecer o assunto, o senador reagiu com surpresa à notícia, afirmando em seguida que nada disso acontecera e que não há qualquer problema na sua relação com a ex-governadora. “Muito pelo contrário, participei hoje do lançamento da candidatura dele, que tem meu apoio total”, declarou João Alberto, para acrescentar: “A eleição para a escolha da nova direção do partido será em agosto, e se ela quiser a presidência do partido, não qualquer problema, eu passo para ela”. João Alberto disse também que o partido está animado com a decisão da ex-governadora de se candidatar ao Governo, avaliando que os candidatos da coligação “vão crescer” durante a campanha.

 

Mobilizados pela Famem, prefeitos maranhenses vão à Brasília pressionar por melhorias

Cleomar Tema: mobilizando prefeitos para mocimento em Brasília
Cleomar Tema: mobilizando prefeitos para ação municipalista em Brasília

Pelo menos 50 prefeitos maranhenses desembarcaram ontem em Brasília. Mobilizados pela Federação de Municípios do Maranhão (Famem), comandada pelo seu presidente, o prefeito de Tuntum Cleomar Tema, cerca de 60 prefeitos maranhenses desembarcaram ontem em Brasília ontem, para participar, a partir de hoje, da XXIª Marcha à Brasília em defesa dos Municípios, que neste ano defenderá o tema “Compromissos com o Brasil” e cujo ponto alto será um ciclo de debates com os candidatos a presidente da República Ciro Gomes (PDT), Álvaro Dias (Podemos), Geraldo Alckmin (PSDB), Jair Bolsonaro (PSL), Marina Silva (Rede), Manuela D`Ávila (PCdoB) e Henrique Meirelles (MDB). Um dos líderes municipalistas mais ativos do País na atualidade, o presidente da Famem defende a participação do maior número possível de prefeitos maranhenses na XXIª Marcha à Brasília, justificando que esses movimentos na Capital da República são de grande importância para que eles sejam devidamente informados a respeito de tudo o que diz  respeito aos Municípios no âmbito do Governo Federal. Nesse encontro, por exemplo, serão discutidos assuntos de importância decisiva para o futuro dos municípios, como os critérios para a divisão do bolo bilionário formado pelos royalties do petróleo, e o pagamento dos créditos do ISS e o aumento de 1% no bolo formado pelo Fundo de Participação dos Municípios (FPM). O presidente Michel Temer participará da abertura.

São Luís, 21 de Maio de 2018.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *