Pré-candidatos a prefeito de São Luís saem da inércia e iniciam movimentos na direção das urnas

 

Rubens Júnior, Bira do Pindaré, Jaisael Marx, Carlos madeira, Franklin Douglas, Saulo Arcangeli, Eduardo Braide, Wellingtin do Curso, Adriano Sarney, Neto Evangelista, Duarte Júnior , Yglésio Moises e Detinha já em movimento depois da inércia causada pelo novo coronavírus

Abruptamente interrompida pelo desembarque avassalador do novo coronavírus na Ilha de Upaon Açu, em meados de março, a pré-campanha para a Prefeitura de São Luís está sendo retomada com toda força em meio ao quase oficialmente confirmado adiamento das eleições de 4 de Outubro para 15 de Novembro. Cada um a seu modo e com os instrumentos que dispõe, os pré-candidatos já cumprem agendas intensas, seja no campo das articulações políticas e partidárias, seja em encontros líderes políticos e comunitários, ou seja ainda no política e eleitoralmente fértil campo virtual, com a veiculação de clips e mensagens e realização de lives. Todos os 12 aspirantes à sucessão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) já têm suas posições partidárias consolidadas, dependendo apenas das convenções, previstas para Julho, para confirmar suas candidaturas. Não há, em princípio, sinais de alguma desistência; ao contrário, a impressão geral é a de que os pré-candidatos estão obstinadamente decididos a seguir firmes para as urnas.

Consolidado na vaga de candidato do Podemos, o deputado federal Eduard Braide, que até aqui lidera as preferências do eleitorado, mas já sem indicação de que liquidará a fatura em turno único, se movimenta em todas as frentes, se articulando com líderes partidários em busca de uma coligação que lhe dê, pelo menos, algum tempo de TV. Nome incontestável do PCdoB, o deputado federal Rubens Júnior trabalha em busca de aliados, principalmente o PT, ao mesmo tempo em que busca atrair eleitores por meio de conversas virtuais, nas quais vem se propondo a discutir os problemas da cidade, principalmente os que afetam as populações periféricas.

Sem concorrente dentro do Republicanos, o deputado estadual Duarte Júnior segue entre os preferidos do eleitorado nesta fase da corrida, e alimentando seus robustos nichos de apoio nas redes sociais, onde se movimenta com invejável desenvoltura, ao que parece indiferente à intensa pancadaria disparada por concorrentes, ao que responde dando seguidas demonstrações de que manterá seu projeto de candidatura até o fim, sem qualquer chance de recuo. Detentor do apoio expresso e incondicional do comando nacional do PSB, que tem na sua candidatura um projeto prioritário, o deputado federal Bira do Pindaré vem intensificando sua pré-campanha no meio sindical e junto a entidades civis, num esforço para tentar resgatar pelo menos parte da força eleitoral que mobilizou na eleição de senador em 2006, quando venceu a Epitácio Cafeteira e Manoel Ribeiro em São Luís.

Mesmo confirmado como o nome do DEM para a corrida à prefeitura de São Luís, o deputado estadual Neto Evangelista está dividindo seu tempo entre incursões por bairros e associações em busca de suporte eleitoral e as frenéticas articulações para confirmar a aliança com o PDT, conforme acerto alinhavado no ano passado com o senador Weverton Rocha, que comanda o PDT no Maranhão, e o prefeito de Salvador, ACM Neto, chefe maior do Democratas no País – isso ainda sem saber se terá o apoio do prefeito Edivaldo Holanda Júnior. Numa outra vertente, o deputado estadual Yglésio Moises, praticamente confirmado candidato do PROS, faz uma pré-campanha agressiva visando ocupar espaço e se afirmar como candidato: distribui pancadas em alguns concorrentes, bate forte no favorito Eduardo Braide e estoca com força Duarte Júnior, ao mesmo tempo em que garimpa defeitos na atual gestão.

Com candidatura a ser confirmada pelo chefe dos tucanos maranhenses, senador Roberto Rocha, o deputado estadual Wellington do Curso (PSDB) se movimenta embalado por razoável margem de intenção de votos, investe todo o seu cacife numa oposição agressiva e, pelo visto até aqui, inócua ao governador Flávio Dino, mesmo ciente que o Governo do PCdoB é aprovado pela maioria dos ludovicenses. Embalado pelo apoio declarado e entusiasmado da ex-senadora Marina Silva, o jornalista Jeisael Marx já se movimenta como o nome do Rede na corrida eleitoral da Capital, realizando atos de pré-campanha, promovendo reuniões em bairros, e com a vantagem de ainda se encontrar em ação profissional em programa de rádio.

Depois de passar por período dominado pela incerteza em relação ao futuro do seu projeto eleitoral, o ex-juiz federal Carlos Madeira vem tendo sua pré-candidatura confirmada pelo Solidariedade, situação que o tem incentivado a sair do escritório para participa de eventos, como batizado de bumba-boi, por exemplo, e receber declarações de apoio, como como as feitas pela deputada estadual Helena Duailibe e do vereador Afonso Manoel Ferreira, ambos do SD e conhecedores dos caminhos do voto em São Luís. Pré-candidata inconteste do PL, partido controlado com mão de ferro pelo seu marido, o deputado federal e aspirante a candidato a governador Josimar de Maranhãozinho, a deputada estadual Detinha alimenta sua pré-campanha incursionando em bairros com promoções polêmicas e já denunciadas à Justiça Eleitoral, mas com a desenvoltura de quem tem candidatura garantida.

Noutro campo, e com candidatura praticamente confirmada pelo PV, onde não tem adversário, o deputado estadual Adriano Sarney tem confirmado seu projeto, fazendo uma pré-campanha de oposição ao Governo do Estado e trabalhando com a possibilidade, ainda remota, de vir a se tornar candidato de uma aliança do seu partido com o MDB, contando com o peso político e eleitoral da tia, a ex-governadora emedebista Roseana Sarney. O professor Franklin Douglas, do PSOL, está em pré-campanha aberta, trabalhando no front interno para consolidar sua candidatura, já que o partido vem sendo sondado para fazer alianças, e no front externo, promovendo eventos e debates sobre a situação da Capital no que respeita a infraestrutura, transporte, educação e outras áreas. Candidato já definido nas fileiras do PSTU, Saulo Arcangeli está em plena pré-campanha, na qual alimenta o discurso da ultraesquerda contra tudo e contra todos, aguardando apenas a convenção partidária para consolidar formalmente um projeto que já existe de fato.

São esses os movimentos que já dão alguma dinâmica a corrida para a Prefeitura de São Luís.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Coroatá deve ter uma das disputas mais agitadas da corrida às prefeituras

Luis da Amovelar Filho vai enfrentar  Ricardo Murad

Cresce no maio político e partidário a impressão de que Coroatá será palco de uma das disputas mais renhidas e movimentadas pelo comando da Prefeitura, envolvendo, de um lado, o prefeito Luís da Amovelar Filho, que pleiteará a reeleição, tendo como adversário o ex-prefeito Ricardo Murad, que depois de sofrer ali dura derrota em 2016 e perder todos os espaços políticos em 2018, tentará voltar ao comando político e administrativo daquele município. O prefeito é jovem e aguerrido, tem o apoio do pai, que foi prefeito duas vezes, e conta com o apoio do PCdoB e de alguns aliados do governador Flávio Dino, com chances, portanto, de renovar o mandato. Já Ricardo Murad é hoje uma incógnita no plano eleitoral, se levados em contas todos os reveses políticos que sofreu nos últimos pleitos – a derrota da esposa prefeita ao tentar a reeleição em 2016 e a não reeleição da filha Andreia Murad para a Assembleia Legislativa. Partidários do prefeito Luís Filho apostam na sua reeleição, enquanto apoiadores do ex-deputado Ricardo Murad, entre eles o senador Roberto Rocha, chefe estadual dos tucanos, torcem pela sua eleição.

 

Datafolha: 75% dos brasileiros preferem a atual democracia e rejeitam a ideia de ditadura

Maioria dos brasileiros quer os poderes garantindo a democracia plena no País

Pesquisa Datafolha divulgada neste sábado trouxe o seguinte recado direto e em tom elevado aos terraplanistas que apoiam o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e pregam intervenção militar: 75% dos brasileiros preferem a atual democracia, contra 10% que consideram a ditadura “aceitável”, e os outros 15% que não quiseram ou não souberam responder. Isso significa dizer que as marcas deixadas na vida do País pela ditadura que o infernizou entre 1964 e 1984 estão vivas e quem cometer a insanidade de tentar restaurá-la vai pagar preço muito elevado. A pesquisa apurou também que 78% dos brasileiros são contra o fechamento do Congresso Nacional, por entenderem que não há democracia sem representação política. E ainda que 56% dos entrevistados disseram ser totalmente contra o fechamento do Supremo Tribunal Federal, enquanto 18% discordam “em parte”, 12% disserem ser favoráveis, 7% responderem ser favoráveis “em parte” e 5% não souberam ou não quiseram responder. Em resumo: a esmagadora maioria dos brasileiros quer as suas   instituições de pé, funcionando a todo vapor e garantindo o estado democrático de direito.

São Luís, 28 de Junho de 2020.

2 comentários sobre “Pré-candidatos a prefeito de São Luís saem da inércia e iniciam movimentos na direção das urnas

  1. Parafraseando o personagem da escolinha do professor Raimundo “o seu boneco” que dizia: “Eu vou pra galera”, à partir de agora, todos os pré-candidatos irão “para a caça aos votos”.

    Já sobre a super concorrida campanha e eleição de Coroatá, a minha modesta opinião é de quê o Ricardo Murad, o boneco de Olinda, não têm mais a mínima chance de vitória. É ultrapassado!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *