Osmar Filho chega à presidência da Câmara de São Luís com o desafio de completar a grande transição na política ludovicense

 

Osmar Filho: discurso de posse revela político com visão larga

A julgar pelo tom e pelo tema central do seu discurso de posse, ocorrida no 1º dia do ano, o novo presidente da Câmara Municipal de São Luís, vereador Osmar Filho (PDT), poderá entrar para a crônica ludovicense como uma boa nova no cenário político da Capital do Maranhão. Enquanto a gestão passada, de responsabilidade do vereador Astro de Ogum (PR), apresentou como balanço conquistas do tipo “reforma do plenário”, Osmar Filho aproveitou o ato para defender mudanças imediatas no Pacto Federativo, numa demonstração inequívoca de que sua visão política vai muito além das janelas do Palácio Pedro Neiva de Santana. Com esse nível de abordagem, o novo presidente da Câmara Municipal de São Luís – que neste ano completará quatro séculos de existência, consolidada como uma das mais antigas do Brasil – dá a verdadeira dimensão que deve ter um vereador de uma cidade como São Luís, principalmente um representante da nova geração de políticos maranhenses.

– Como presidente do Legislativo de São Luís, não medirei esforços, juntamente com os demais vereadores e a classe política de nosso estado, para modificarmos este Pacto Federativo injusto que beneficia, tão somente, a União, deixando os municípios praticamente sem nenhum recurso – declarou, mostrando que sabe o que diz.

Pelo nível das suas declarações, o novo presidente da Câmara Municipal deixa no ar a boa impressão de que tem plena consciência do que São Luís representa. Parece ter plena compreensão de que, além de ser uma joia da arquitetura colonial portuguesa, que lhe valeu o título de Cidade Patrimônio Cultural da Humanidade, que é base para sua vocação turística, de dispor de um complexo portuário de ponta, de já abrigar mais de um milhão de habitantes e de ter alcançado a condição de metrópole, São Luís poderá vir a receber uma gigantesca base naval – que sediará a Terceira Frota –  e funcionar como suporte para a movimentação que cedo ou tarde acontecerá na Base Especial de Alcântara.

Ao cobrar a revisão do Pacto Federativo, o novo presidente da Câmara Municipal de São Luís se mostra um político centrado. A começar pelo fato de que, depois de décadas em que os recursos tributários ficam concentrados na União, que só transfere para estados e municípios o que a Constituição obriga – no caso FPE e FPM -, parece ter chegado a hora de uma ampla redefinição do Pacto Federativo, que deve resultar numa distribuição mais equilibrada dos recursos arrecadados no País. No momento, a rediscussão do Pacto é apenas uma reivindicação, mas ninguém duvida que uma mudança nesse cenário está a caminho, embalada por manifestações como a do novo presidente da Câmara Municipal de São Luís, a exemplo do que acontece com líderes municipalistas de diversas regiões do País.

Aos 32 anos, com uma sólida base de quem estudou Direito e já está no exercício do terceiro mandato, tendo sido o mais votado no último pleito, o vereador Osmar Filho chega à presidência do Legislativo de São Luís com o um sopro de renovação numa Casa parlamentar marcada por um incômodo conservadorismo nos últimos tempos, quando esteve sob o controle dos vereadores Chico Carvalho (PSL), Isaías Pereirinha (PSL) e Astro de Ogum (PR). Seu maior mérito será colocar um ponto final, definitivo mesmo, nesse ciclo de gestões concentradoras, sem qualquer movimento de grandeza, portanto inteiramente incompatíveis com o tamanho histórico e político da Capital do Maranhão. Apesar da pouca idade, o vereador Osmar Filho já tem acumulado um cacife de experiências, entre elas uma passagem proveitosa pela Secretaria de Governo da Prefeitura de São Luís, atendendo a convocação do prefeito Edivaldo Jr., de quem é aliado partidário e parceiro na articulação política e parlamentar.

Ao chegar no topo da vereança na Capital, Osmar Filho ocupa um lugar de destaque na geração de políticos que estão fazendo a grande transição no Maranhão, sob a liderança do governador Flávio Dino (PCdoB), como o prefeito Edivaldo Jr., Weverton Rocha (PDT),  Eliziane Gama (PPS), Márcio Jerry (PCdoB), Rubens Jr. (PCdoB), Duarte Jr. (PCdoB), e também de quadros que representam outras correntes políticas, como Eduardo Braide (PMN), Roberto Costa (MDB), Adriano Sarney (PV), entre tantos outros que estão desembarcando na vida política com pé direito. Osmar Filho começa seu mandato presidencial também apontado como opção do PDT para disputar a Prefeitura de São Luís.

Sua postura e seu discurso de posse indicam que o novo presidente da Câmara Municipal de São Luís reúne todas as condições para levar a instituição a um patamar superior ao que ela se encontra. E, ao contrário do que sugeriu o ex-presidente e agora 1º vice-presidente Astro de Ogum, que quer a Câmara “pacificada, em paz”, Osmar Filho tem o dever de estimular a Casa a debater em profundidade os problemas de São Luís, promovendo o saudável choque de contrários para assim produzir o novo. Daí porque não  há redundância em afirmar que ele  começa seu mandato presidencial apontado como opção do PDT para concorrer à Prefeitura de São Luís.

Em Tempo: Além do presidente Osmar Filho, integram a nova mesa Diretora da Câmara de São Luís os seguintes vereadores: Astro de Ogum (1º vice-presidente), Nato Júnior (2º vice-presidente), Josué Pinheiro (3º vice-presidente), Chico Carvalho (1º secretário), Francisco Chaguinhas (2º secretário), Beto Castro (3º secretário), Concita Pinta (4º secretário) e Afonso Manoel (5º secretário).

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Bolsonaro rasga elogios a Sarney pela atenção que ele deu aos militares quando presidente

Jair Bolsonaro abraça Jose Sarney, a quem elogiou em discurso a militares

Se ouviu com alivio e satisfação a referência que recebeu do presidente Jair Bolsonaro (PSL) no seu discurso de posse na Câmara Federal, o ex-presidente José Sarney (MDB) ficou em estado de graça com os afagos que lhe foram dedicados pelo novo presidente ontem, na posse do ministro da Defesa. Quebrando a tradição segundo a qual presidente não participa de ato de transmissão de cargo em ministério, Jair Bolsonaro se fez presente nas posses de quatro generais. E surpreendendo ainda mais, discursou na posse do novo ministro da Defesa. E no pronunciamento, ele rasgou elogios ao ex-presidente José Sarney, lembrando o apoio que este deu às Forças Armadas no seu Governo. Segundo o novo presidente, José Sarney fez todos os esforços possíveis para garantir a estabilidade financeira dos ministérios do Exército, Marinha e Aeronáutica. Revelou que sempre ao final de cada ano, quando os caixas dos ministérios militares estavam em baixa, o então presidente José Sarney “dava um jeito” de conseguir aportes às três forças. Jair Bolsonaro revelou que obteve essas informações em longas conversas com o general Leônidas Pires, que foi ministro do Exército e chefe da Casa Militar do Governo da Nova República, escolhido pelo presidente eleito Tancredo Neves e mantido pelo presidente José Sarney.

 

Wellington do Curso ainda não decidiu se disputará a Prefeitura de São Luís nem o rumo que tomará

Wellington do Curso deve redefinir sua linha de ação parlamentar

Reeleito com uma votação muito menor do que esperava, o deputado estadual Wellington do Curso (PSDB) tem ouvido sugestões para avaliar sua trajetória no próximo mandato. Para começar, Wellington do Curso estaria inclinado a disputar novamente a Prefeitura de São Luís, mas foi recentemente avisado pelo senador Roberto Rocha, seu chefe partidário, que a vaga de candidato do PSDB à Prefeitura em 2020 será ocupada por ele próprio. No exercício do mandato parlamentar, Wellington do Curso já se posicionou informando que continuará se opondo ao Governo Flávio Dino, mesmo que para isso pague o preço de ser rotulado de sarneysista – como, aliás, já vem sendo. Tudo indica que Wellington do Curso já começa a compreender que ave solitária não tem muito futuro em política, o que significa dizer que ele poderá tomar uma posição definitiva com relação a essa situação, que já parece incomodá-lo. Porém o parlamentar neotucano é fortemente marcado pela imprevisibilidade, o que impossibilita qualquer previsão sobre seus passos futuros.

São Luís, 03 de Janeiro de 2019.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *