Início de campanha mostra Flávio Dino forte em Imperatriz e Roseana Sarney tentando reverter cenário

 

Flávio Dino acompanhado por uma multidão em Imperatriz; Roseana Sarney entre Edison Lobão, Assis Ramos e Sarney Filho em um auditório na cidade

Ao longo dos confrontos eleitorais no Maranhão, a experiência tem demonstrado que para chegar ao Palácio dos Leões o candidato precisa sair-se bem em dois testes de popularidade: um é a caminhada pela Rua Grande, em São Luís; o outro é também uma caminhada, esta no centro de Imperatriz. Na avaliação dos observadores mais experientes da cena política maranhense, o candidato que for melhor sucedido nas duas empreitadas, irá para as urnas com lastro para vencer a eleição. O governador Flávio Dino (PCdoB), que segundo as pesquisas lidera a corrida com larga vantagem em todo o estado, com possibilidade de vencê-la em turno único, e a ex-governadora Roseana Sarney (MDB), que aparece em segundo lugar e tenta reverter o cenário, já fizeram a primeira passagem por Imperatriz. O resultado foi francamente favorável ao governador Flávio Dino, em que pese o fato de Roseana Sarney ter escolhido um vice imperatrizense, o empresário Ribinha Cunha (PSC), e contar com o apoio do prefeito Assis Ramos (MDB). Nenhum dos dois fez ainda o exigente teste que é a travessia da Rua Grande.

É verdade que a campanha propriamente dita está começando e ainda que cedo, já é possível rascunhar um esboço de previsão sobre a preferência da grande maioria do eleitorado da Princesa do Tocantins, com seu gigantismo econômico, sua independência política e a partir da sua conhecida falta de afeição eleitoral pelos candidatos do Grupo Sarney. Nas últimas cinco eleições para o Governo do Estado, os candidatos do grupo liderado pelo ex-presidente José Sarney amargaram derrotas naquele bastião oposicionista. Neste início de campanha, os imperatrizenses fizeram grande festa para o governador Flávio Dino, reconhecendo as atenções que o seu Governo tem dado à cidade e à Região Tocantina como um todo, simbolizada pela UemaSul. Em seus governos, Roseana Sarney trabalhou por Imperatriz – coloca o complexo industrial da Suzano na sua conta -, mas não há dúvida de que a balança agora pesa a favor do atual mandatário estadual.

As preferências do eleitorado imperatrizense foram sinalizadas em pesquisa feita pelo Instituto Interpreta.  De acordo com o levantamento, se a eleição fosse hoje, Flávio Dino teria 54,08% dos imperatrizenses. Roseana Sarney teria 17,92%, seguida de Roberto Rocha com 2,72% e Maura Jorge com 1,6%. Odívio (PSOL) teria 0,32% e Ramon Zapata 0,16%. Não souberam ou não responderam somam 13,72%, brancos e nulos 9,44%. E na conta dos votos válidos (sem os indecisos, nulos e brancos) o resultado seria o seguinte: Flávio Dino 70,42% dos votos válidos, seguido de Roseana Sarney 23,83%, Roberto Rocha 3,54% e Maura Jorge (PSL) 2,08% – Odívio Neto (PSOL) e Ramon Zapata (PSTU) juntos não alcançaram 1%. E todos os exercícios de cálculo possíveis com a margem de erro (4%) e posição de indecisos confirmam a larga vantagem do governador na antiga Vila do Frei.

O cenário da disputa em Imperatriz indica com clareza que o governador Flávio Dino reúne condições para consolidar o seu favoritismo em todo o estado. Isso não significa dizer que Roseana Sarney deva jogar a toalha. A campanha para valer está apenas no começo e terá ponto alto nos debates na TV, que, tudo indica, serão decisivos para que o eleitor forme juízo definitivo a respeito dos candidatos. À frente de uma gestão apontada como eficiente e produtiva, o governador tem discurso pronto em defesa da continuidade das ações do seu Governo, e traquejo para se conduzir nesse tipo de embate. Pelo tempo de estrada e de governo, a ex-governadora tem passado e marqueteiros experientes para orientá-la, restando saber se ela está pronta para o confronto verbal com o governador. A evolução da campanha e os confrontos diretos já agendados produzirão material suficiente para embasar as escolhas do eleitor.

Mas não há como ignorar ou esconder o fato de que nesse momento inicial da campanha eleitoral o comunista Flávio Dino navega na condição de favorito prenunciada pelas pesquisas realizadas na pré-campanha. E que por isso a emedebista Roseana Sarney, o tucano Roberto Rocha, a bolsonariana Maura Jorge, o professor Odívio Neto e o servidor público Ramon Zapata têm um baita desafio pela frente.

Em Tempo: Registrada no TSE sob o nº MA-07496/2018, a pesquisa do Instituto Interpreta ouviu 625 eleitores de Imperatriz no dia 10 de agosto tem margem de erro de quatro pontos percentuais para mais ou para menos e intervalo de confiança de 95%.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Ricardo Murad terá seu destino político imediato decidido terça-feira pelo TRE

Ricardo Murad: aguarda “sereno” a decisão do TRE sobre seu futuro político

Não é confortável a situação do ex-deputado Ricardo Murad, que aguarda julgamento que o tem como acusado e que poderá tirá-lo da corrida eleitoral com direitos políticos suspensos por oito anos. O ex-deputado é acusado de abusar de poder econômico nas eleições de 2012, em Coroatá, durante a campanha em que sua mulher, Teresa Murad, foi eleita prefeita (PMDB). O julgamento foi iniciado na última terça-feira (14), tendo três dos sete desembargadores votado pela sua condenação. Um desembargador votou a seu favor, e em seguida o desembargador Itaércio da Silva interrompeu o julgamento com um pedido de vistas. A situação atual á a seguinte: três votos pela condenação e um voto pela absolvição. Restam três votos. Se houver mais um voto pela condenação, Ricardo Murad estará fora da corrida deste ano para a Câmara Federal. Se houver dois votos a seu favor, formando empate de três a três, o futuro do ex-deputado dependerá do voto de Minerva do presidente da Corte, desembargador Ricardo Duailibe, que poderá sacramentar sua inclusão no listão dos ficha-suja ou mantê-lo entre os ficha-limpa com pleno direito de ser candidato a deputado federal. O desfecho do julgamento está previsto para terça-feira (21).  Nas redes sociais, Ricardo Murad diz que aguarda o desfecho do julgamento “com serenidade”.

 

Concorrência será dura na corrida à Assembleia Legislativa e à Câmara Federal

Será dura a disputa pelas 42 cadeiras da Assembleia Legislativa e nas 18 da Câmara Federal, segundo sinalizam os números acerca da relação entre o número de candidatos que concorrem, levantados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e divulgados pelo sítio DivulgaCand.

Nada menos que 472 candidatos pediram registro para concorrer a mandato de deputado estadual. Desses, 32  já exercem o mandato e concorrem à reeleição no pleito de 2018, o que dá um total de 11,23 candidatos por vaga. Não concorrem à reeleição, por diversos motivos, os deputados Eduardo Braide (PMN), Edilázio Jr. (PSD), Bira do Pindaré (PSB), Graça Paz (PSDB), Nina Melo (MDB), Stênio Rezende (DEM), Josimar de Maranhãozinho (PR), Alexandre Almeida (PSDB), Hemetério Weba (PV) e Max Barros (PMB).

Já para a Câmara Federal, serão 197 candidatos disputando os 18 assentos que o Maranhão tem direito. A média será de 10,94 por cada vaga no. Não concorrem à reeleição os deputados Weverton Rocha (PDT), Eliziane Gama (PPS), José Reinaldo Tavares (PSDB), Sarney Filho (PV) e Pedro Fernandes (PTB).

São Luís, 19 de Agosto de 2018.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *