Flávio Dino fecha primeiro mandato com Governo aprovado, vitória nas urnas e fazendo História na política

Flávio Dino vai repetir no dia 1º de Janeiro o ato que marcou sua posse em 2015

À meia-noite desta segunda-feira (31/12/2018), o governador Flávio Dino (PCdoB) fechará o seu primeiro Governo, iniciado há exatos 1.640 dias ao longo dos quais os mais de 6,8 milhões de maranhenses espalhados nos 331 mil quilômetros quadrados do território estadual, dos grandes centros urbanos aos confins fronteiriços, viveram uma sensação de virada no rumo da sua caminhada histórica. E na tarde do dia seguinte (01/01/2019), o governador será empossado para o segundo mandato, conquistado nas urnas em Outubro, em eleição de turno único, por meio da qual 59% dos eleitores decidiram mantê-lo no comando do Estado. Ao lhe dar mais quatro anos, a esmagadora maioria dos maranhenses declarou ter aprovado o primeiro Governo, e confirmou, de maneira cristalina, a sua confiança neste maranhense de 50 anos, que abandonou a magistratura federal para dedicar-se exclusivamente à política. Sua reeleição, à frente de uma ampla aliança partidária, consumou o fim do mais longo ciclo político da História do Maranhão no último século, dominado pelo Grupo Sarney. Vai para a posse lastreado como bem-sucedido no campo administrativo e vitorioso na seara política.

Como gestor, Flávio Dino conduziu um Governo focado no social, investindo forte em Educação, Saúde e Segurança, produzindo também bons resultados em infraestrutura. Além disso, realizou uma gestão fiscal algo draconiana, mas eficiente, controlando severamente o equilíbrio entre receita e despesa, o que assegurou, por exemplo, o pagamento antecipado da folha de pessoal, que foi ampliada com a contratação de mais de dois mil novos policiais. Deu uma dimensão revolucionária à Educação com o Programa Escola Digna, com a Implantação o Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA) e a ampliação da educação superior. Na Saúde, construiu e colocou em funcionamento uma dezena de hospitais de médio e grande porte em diferentes regiões do Maranhão. Nas demais áreas, fez uma gestão de resultados, e com a marca da transparência, que é também um dado renovador do seu Governo. Houve pontos criticados, como a gestão tributária, com o reajuste de alíquotas de ICMS em alguns casos, mas teve a inteligência de compensar o arrocho com isenções equivalentes para milhares de pequenas empresas,e de assegurar que o preço dos combustíveis no Maranhão seja menor do que em outros estados. Conseguiu transformar o Maranhão numa das boas exceções em matéria administrativa num contexto de estados mergulhados na falência.

No campo político, o governador Flávio Dino consolidou o seu projeto de poder nos últimos quatro anos desmontando o Grupo Sarney e tendo sua imagem projetada para além das fronteiras do Maranhão. Em 2014, liderou as forças que destroçaram o grupo dominante nas urnas, fazendo o mesmo nas eleições municipais de 2016, quando aliados seus, a começar pelo prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Jr. (PDT), ganharam quase 180 das 217 prefeituras maranhenses – seu partido, o PCdoB, elegeu 46. Repetiu o sucesso eleitoral em 2018, reelegendo-se em turno único com 59% dos votos válidos sobre os 30% da ex-governadora Roseana Sarney (MDB) e 2% do senador Roberto Rocha (PSDB), e emplacando os deputados federais Weverton Rocha (PDT) e Elisiane Gama (PPS) nas duas vagas para o Senado sobre o deputado federal Sarney Filho (PV) e o senador Edison Lobão (MDB). Não bastasse isso, Flávio Dino liderou a vitória acachapante do presidenciável Fernando Haddad (PT), com 75%, sobre Jair Bolsonaro (PSL) no Maranhão.

Nesse período, em que o Brasil mergulhou na crise econômica, foi abalado pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), pela prisão do ex-presidente Lula da Silva (PT) e pela a chegada da direita conservadora ao poder com a eleição de Jair Bolsonaro, Crítico duro do tratamento dado aos dois ex-presidente, Flávio Dino tornou-se a voz mais estridente e acreditada da esquerda moderada, tendo-se credenciado para voos políticos mais altos. Sabe que esse campo é minado por obstáculos imensos e que, tanto no plano estadual quanto no nacional, adversários ardilosos e sedentos de poder estão dispostos a tudo para barrar-lhe a caminhada de político vitoriosos. A turma que cerca o presidente Jair Bolsonaro já o tem como um adversário que preocupa. E é exatamente com essa gente que ele terá de usar todo o seu pragmatismo para construir a ponte que o permitirá a estabelecer uma relação institucional produtiva com o Palácio do Planalto.

Ao fechar o primeiro mandato e abrir o segundo no embalo das suas vitórias e dos desafios que o aguardam, o governador Flávio Dino está consolidado como um grande vencedor, com autoridade para seguir em frente defendendo seus postulados sob a guarda do pleno estado democrático de direito. E com a consciência de que, mais do que governar e exercitar a política, está fazendo História.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Governo relaciona 40 itens que formaram a base das ações do primeiro mandato de Flávio Dino

A Casa Ninar, instalada na mansão que durante décadas foi refúgio de veraneio de governadores, é uma das obras mais simbólicas do Governo Flávio Dino

Na semana que passou, a Secretaria de Estado de Comunicação e Articulação Política (Secap) divulgou um balanço com 40 itens que formam a espinha dorsal do conjunto de resultados alcançados pelo Governo Flávio Dino ao longo dos quatro anos do primeiro mandato. Trata-se de um informe conciso, mas bem fundamentado com informações, explicações e números precisos. O balanço não inclui inúmeras informações adicionais, limitando-se a enumerar informações básicas, secas, destinadas tão somente a apresentar um panorama da ação governamental ao longo das 216 semanas de Governo. Segue, na íntegra, o balanço resumido do Governo do PCdoB:

Educação – 1. 840 Escolas Dignas construídas, reconstruídas ou reformadas. Isso significa um prédio entregue a cada dois dias em todo o Maranhão.
2. 51 escolas de ensino integral. Antes não havia nenhuma. Hoje existem o Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão, o Centro Educa Mais, e o Núcleo de Educação Integral.
3. 26 unidades do IEMA. Pela primeira vez, o Maranhão tem ensino técnico profissionalizante de Ensino Médio. São 13 unidades plenas e 13 vocacionais.
4. 1,4 milhão de uniformes. Todos os alunos da rede estadual receberam os fardamentos em 2017 e 2018.
5. 1,2 milhão de alunos no Bolsa Escola. Foram investidos R$ 148 milhões no apoio à compra de material escolar.
6. 20 mil alfabetizados pelo Sim, Eu Posso!. O programa tem como alvo jovens, adultos e idosos das 30 cidades do Plano Mais IDH, que leva uma série de ações para melhorar a qualidade de vida nesses municípios.
7. 60 mil alunos no Aulão do Enem. As aulas ajudaram a preparar os jovens maranhenses para fazer o Exame Nacional do Ensino Médio.
8. Salário de R$ 5.750,83 para os professores. É o maior valor da rede estadual em todo o Brasil para profissionais com licenciatura e jornada de 40 horas.
9. Ideb de 3,4. A nota do Ensino Médio do Estado subiu 21% entre 2013 e 2015, indo de 2,8 para 3,4. É a melhor marca da história do Maranhão.
10. 1.435 novas vagas no vestibular. Foi um aumento de 41% no ensino superior do Maranhão.

Saúde – 11. 10 novos grandes hospitais. Eles estão em Chapadinha, Imperatriz, Caxias, Balsas, Bacabal, Pinheiro, Santa Inês, Colinas (maternidade) e São Luís (Hospital de Traumatologia e Ortopedia e novo Hospital do Servidor)
12. 80 mil atendimentos do Sorrir. São dentistas e especialistas fazendo próteses, implantes e outros tratamentos.
13. 240 mil atendimentos no Mais Saúde. São mutirões nos bairros da Grande São Luís que ficam mais distantes dos hospitais.
14. 202 ambulâncias. São veículos equipados com tecnologia e que podem funcionar como semi-UTI.
15. 800 mil atendimentos da Fesma. A Força Estadual de Saúde percorre povoados isolados e distantes para fazer atendimento médico de casa em casa.
16. 25 mil atendimentos do Ninar. É um serviço inédito para crianças com problemas de neurodesenvolvimento. A antiga Casa de Veraneio virou a Casa de Apoio Ninar, para acolher as crianças e seus familiares.

Infraestrutura – 17. 3.000 quilômetros do Mais Asfalto. São pavimentações em ruas, avenidas e rodovias em todo o Maranhão.
18. 127 motoniveladoras. Elas abrem e melhoraram estradas rurais.
19. 300 Ruas Dignas. É um mutirão que já chegou a 22 cidades e no qual os próprios moradores trabalham, gerando emprego e renda.

Segurança Pública – 20. 15 mil policiais. É a maior marca da história do Maranhão.
21. 1.078 viaturas. São carros e motocicletas novos.
22. 3.700 vagas a mais nos presídios. Com os investimentos, acabou o caos em Pedrinhas.
23. 2 novas bases do CTA. O Centro Tático Aéreo agora está presente também em Imperatriz e Presidente Dutra, além de São Luís. São helicópteros para combater o crime.
24. Queda de 62% nos homicídios. A redução se refere ao período entre janeiro e novembro de 2018 na comparação com o mesmo período de 2014.

Trânsito e Mobilidade – 25. 33 mil adesões ao Moto Legal. O programa ajudou a regularizar a situação dos veículos com o pagamento reduzido do IPVA.
26. 12 milhões de passageiros no Expresso Metropolitano. O novo serviço oferece transporte com conforto e segurança na Grande Ilha e na região de Imperatriz.
27. 62 mil viagens do Travessia. É um serviço para ajudar pessoas com deficiência a ir ao médico, passear e se deslocar a diversos lugares.

Cidadania – 28. 12 milhões de refeições nos Restaurantes Populares. O número de restaurantes aumentou de 6 para 23, além de 2 Cozinhas Populares, totalizando 25 unidades de alimentação gratuita.
29. 10 vezes mais Viva/Procon. As unidades fixas do serviço subiram de 5 para 52.
30. 7.500 Cheques Minha Casa. São recursos para as famílias reformarem e ampliarem os lares.
31. 13 mil famílias com títulos de propriedade. São documentos que garantem a posse do local onde moram.

Água e Saneamento – 32. 80 pontos de esgoto retirados da Lagoa da Jansen. Isso equivale a três piscinas olímpicas de esgoto por dia.
33. 35% a mais de água para São Luís. Com a nova adutora do Italuís, houve reforço no abastecimento para a capital.
34. 250 Sistemas de Abastecimento de Água e poços. É a água encanada chegando a moradores de diversas cidades, na maioria pela primeira vez.

Trabalho e Renda – 35. 2 mil empreendedores do Mais Renda. O programa prepara trabalhadores informais para garantir renda mensal, com kits de trabalho. Já são 14 cidades alcançadas.
36. 10% a mais de empresas abertas. A comparação é entre 2018 e 2014. Mesmo com a recessão, o Maranhão expandiu a abertura.
37. R$ 1,2 bilhão de investimentos públicos no Porto do Itaqui. Isso permitiu modernizar a estrutura e gerar mais emprego e renda.

Agronegócio – 38. 17 Diques da Produção. Eles permitem que a água doce esteja à disposição o ano inteiro e também impedem que a água salgada invada os campos e estrague a produção.
39. 17 edições da Agritec. A Feira de Agricultura Familiar e Tecnologia já capacitou mais de 30 mil pequenos produtores.
40. 300 patrulhas agrícolas. São veículos para a agricultura familiar produzir mais e melhor.

 

Márcio Jerry e Rubens Jr. descartam secretarias e vão atuar na linha de frente da Câmara Federal

Márcio Jerry e Rubens Jr. vão  guerrear no front de Brasília

Tudo indica que o deputado federal eleito Márcio Jerry e o deputado federal reeleito Rubens Pereira Jr., ambos do PCdoB, vão mesmo cumprir seus mandatos em Brasília, descartando a possibilidade de se licenciarem para assumir postos-chave no primeiro escalão do Governo estadual. O argumento é simples e definitivo: no cenário político que está desenhado com a mudança no Governo da República, o Congresso Nacional é o campo no qual as grandes batalhas em defesa do Brasil e do Maranhão deverão ser travadas. Além de Márcio Jerry e Rubens Jr., o Palácio dos Leões conta com o apoio de Bira do Pindaré (PSB), Zé Carlos (PT), Gil Cutrim (PDT), Cléber Verde (PRB), Josimar Maranhãozinho (PR), André Fufuca (PP), Juscelino Filho (DEM), Pedro Lucas Fernandes (PTB) e Júnior Lourenço (PR), que formam a maioria da bancada maranhense na Câmara Federal.

São Luís, 30 de Dezembro de 2018.

Em Tempo: Desejando a todos Boas Festas e um Feliz 2019, a Coluna folga na virada do ano e só será atualizada no dia 2 de Janeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *