Flávio Dino faz contraponto a Jair Bolsonaro e se firma como a principal voz de Oposição no País

 

Flávio Dino rebate Jair Bolsonaro e se firma como a voz da Oposição no País

O governador Flávio Dino (PCdoB) já é, de longe, o mais destacado opositor do presidente Jair Bolsonaro (PSL) em todo o País. Hoje a principal referência da esquerda democrática, que agrega um espectro que vai do centro à esquerda mais ranzinza, o governador do Maranhão é a voz que faz o contraponto a todas as declarações e decisões polêmicas feitas e tomadas pelo chefe da Nação, que a cada dia se posiciona como um militante de direita radical. Na linha do bate-rebate intenso e permanente, ao longo desses quatro meses em que Jair Bolsonaro chefia o Governo da República, Flávio Dino, com a autoridade de governador reeleito em turno único, se firmou como a voz mais presente e mais constante a apontar incoerências e contradições nas palavras e nos movimentos e no discurso do presidente, numa frequência que vai aos poucos mudando o clima inicial de indiferença adotado pelo ocupante do Palácio do Planalto. O dado a ser destacado é que o governador rebate o presidente no campo das ideias e da inteligência, com reações de alto nível, que não permitem aos porta-vozes planaltinos treplicarem com truculência verbal. Nesse contexto, Flávio Dino cresce como um adversário potencial do presidente na corrida ao Planalto em 2022.

Nesse período, o governador Flávio Dino rebateu o presidente Jair Bolsonaro em inúmeros episódios em que o segundo jogou pesado, impondo o seu viés conservador, às vezes primário. Dois casos ganharam repercussão maior. O primeiro foi o comentário inacreditável de Jair Bolsonaro ao afirmar que, para ele, se o turista quiser vir ao Brasil “para comer uma mulher, tudo bem”, mas o País não será o “paraíso do turismo gay”. No mesmo dia, o governador Flávio Dino lançou uma campanha afirmando que o Maranhão está à disposição de turistas de todo o mundo, mas as nossas “Mulheres, não!” Em poucas horas governos e prefeituras de todo o Nordeste abraçaram a campanha maranhense, transformando-a num posicionamento regional, que ganhou repercussão em outros estados e cidades das demais regiões. A reação do governador do Maranhão incomodou ao Palácio do Planalto, que tentou concertar a derrapagem verbal do presidente, mas já era tarde.

Outro contraponto feito por Flávio Dino se deu quando o presidente Jair Bolsonaro resolveu autorizar as Forças Armadas a exaltarem o 31 de Março, data de eclosão do Golpe Militar de 1964, afirmando que se tratou de um movimento “democrático”, quando na verdade foi o passo inicial de uma ditatura militar que durou 21 anos. Flávio Dino reagiu fazendo uma homenagem aos maranhenses perseguidos pela ditadura representados nas figuras da médica comunista Maria Aragão e do poeta Bandeira Tribuzi, símbolos da resistência à repressão ditatorial no Maranhão.

Nessa linha de se contrapor às investidas do presidente da República sobre situações pontuais do País, o governador Flávio Dino anunciou a valorização cada vez maior do ensino de Filosofia e de Sociologia na universidade maranhense depois que o chefe da Nação orientou o Ministério da Educação no sentido de reduzir investimentos na manutenção dessas duas disciplinas, que considera inúteis, quando em todas as universidades do mundo elas são a chave para a evolução do pensamento e para a compreensão do mundo. “Sem ideias e pensamento crítico nenhuma sociedade se desenvolve de verdade”, justificou o governador, que defendeu também a autonomia da universidade, ameaçada pelo novo Governo. No mesmo tom, Flávio Dino reagiu à decisão presidencial de cortar 30% das verbas para as Universidades de Brasília, Federal Fluminense e Federal da Bahia, por considerá-las ambientes de “bagunça”, afirmando que fará o que estiver ao alcance do seu Governo para aumentar os investimentos na Universidade estadual do Maranhão, na linha do que acontece em todo o planeta. “Ou haverá novo recuo, ou nova derrota no Judiciário. Lamentável tanta confusão”, disse Flávio Dino na sua rede social.

Ainda no campo da Educação, o governador Flávio Dino rebateu no ato a declaração do presidente Jair Bolsonaro afirmando que o educador Paulo Freire, cujo método de educação popular é reconhecido em todos os continentes e reconhecido pela ONU, “é um chato”, e quer tirá-lo da condição de patrono da educação no Brasil.  “Resolvi conceder ao professor Dr. Paulo Freire (in memoriam) a condecoração máxima do Estado do Maranhão. Reconhecimento à importância de sua monumental obra para a educação em todo o mundo. Claro que também no nosso Estado, pois agimos inspirados em suas lições, que são eternas”, disparou o governador publicou o governador na sua conta no Twitter.

Embalado por argumentos consistentes e pelo desassombro político, o governador do Maranhão vai assim construindo uma plataforma de pré-candidato a presidente da República, e pelo menos até aqui com um discurso o presidente Jair Bolsonaro dificilmente resistirá num combate direto.

 

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Othelino Neto deve fechar a segunda-feira autorizado a comandar a Assembleia Legislativa até 2022

Othelino Neto: deve ser reeleito nesta segunda-feira

A Assembleia Legislativa deve antecipar hoje a eleição da Mesa Diretora que a comandará no exercício de 2020/2022. E o presidente Othelino Neto (PCdoB) deve ser reeleito em chapa única, fazendo apenas alguns ajustes na composição atual da Mesa, de acordo com entendimentos com as lideranças partidárias. A antecipação da eleição do comando do Poder Legislativo foi assegurada por uma mudança no Regimento Interno da Casa, por meio de Resolução Legislativa proposta pelo deputado Glaubert Cutrim (PDT) e aprovada em segundo turno pelos 35 que participaram da sessão, realizada na última quinta-feira. Com a mudança. Um acordo articulado pelo presidente com os líderes de bancadas após a aprovação da Resolução decidiu que a eleição da futura Mesa Diretora será realizada logo nesta segunda-feira.  Com a reeleição, que deverá confirmar também o deputado Glaubert Cutrim como 1º vice-presidente, o presidente Othelino Neto será o quarto presidente ad Poder Legislativo a ser reeleito na mesma legislatura, caracterizando o período como uma quadra em que os presidentes foram deputados politicamente fortes e bons articuladores. O deputado-presidente, que assumiu o comando com a morte do presidente Humberto Coutinho (PDT), em Janeiro de 2018, e de lá para cá se revelou um líder eficiente e um interlocutor de resultados, conquistando o respeito e a confiança de todos os deputados. Ninguém duvida de que o presidente Othelino Neto terminar a sessão desta segunda-feira com mandato garantido para comandar a Casa por toda essa legislatura.

 

Natalino Salgado se inscreve hoje para tentar voltar ao comando da UFMA

Natalino Salgado se candidatará mais uma vez para comandar a UFMA

O ex-reitor Natalino Salgado anunciou que nesta segunda-feira formalizará sua candidatura a reitor da Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Ele decidiu tentar o terceiro mandato num momento em que a instituição passa por graves dificuldades e sob a desmotivadora certeza de que a partir do segundo semestre sofrerá um corte de 30% nas no seu orçamento. Com o projeto de voltar ao comando da UFMA em momento tão delicado, o ex-reitor dá uma demonstração de coragem política e convicção de que poderá repetir o desempenho e alcançar os resultados dos dois mandatos consecutivos que cumpriu à frente da instituição. As chances de Natalino Salgado voltar ao comando da UFMA pelo voto de professores, servidores e estudantes são concretas. Começa com o fato de que ele é um gestor de ponta, competente e eficiente, que durante sua gestão prolongada, que coincidiram com os dois Governo do PT, transformou o Campus do Bacanga num imenso canteiro de obras – algumas delas, como a nova sede da Biblioteca, viraram esqueletos de concreto. Com o apoio de uma grande fatia dos servidores, professores e estudantes, Natalino Salgado terá como adversário a esquerda, que enxerga nela um expoente da direita conservadora. Todos, porém, reconhecem a sua habilidade em tratar as questões da UFMA em Brasília. Há quem diga que o ex-reitor entra na corrida como favorito. Vale aguardar.

São Luís, 05 de Maio de 2019.

Um comentário sobre “Flávio Dino faz contraponto a Jair Bolsonaro e se firma como a principal voz de Oposição no País

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *