Famem mobiliza prefeitos para organizar reação aos estragos causados pelo aguaceiro que vem se abatendo sobre o Maranhão

 

Cleomar Tema fala a prefeito na reunião contra os estragos das enchentes
Cleomar Tema fala a prefeito na reunião contra os estragos das enchentes no estado

O surpreendente e implacável aguaceiro que vem se abatendo sobre o Maranhão  neste verão, com volumosas chuvas quase diárias que vêm causando estragos em alguns municípios e, com isso, dificultando imensamente a já difícil vida de milhares de maranhenses, está produzindo um fato novo no estado. É que, em vez de chororô, de procurar culpados, de se vitimizar e de procurar caminhos solitários para resolver os problemas dos que aguardam no sufoco as suas providências, prefeitos de municípios afetados se mobilizaram para uma ação conjunta para combater os estragos causados pelas enchentes. Fizerem o que é feito nesses casos em qualquer lugar do mundo: mobilizados pelo prefeito de Tuntum, Cleomar Tema (PSB), presidente da Federação dos Municípios do Maranhão (Famem), sua entidade corporativa, bateram às portas dos Governos do Estado e da União em busca de apoio, que será viabilizado tão logo os dirigentes municipais baixarem decretos reconhecendo o estado de calamidade pública nos seus municípios.

A mobilização foi articulada pelo presidente da entidade municipalista, Cleomar Tema, prefeito de Tuntum, um dos municípios mais afetado pelos temporais, que inundaram áreas urbanas, afogaram pequenas propriedades rurais e romperam rodovias, dificultando imensamente a vida de milhares de pessoas. Cleomar Tema transformou a sede da Famem em QG das operações contra as consequências do aguaceiro, à medida que ali os problemas foram colocados na mesa de negociações por prefeitos e secretários municipais para o secretário de Articulação Política e Comunicação do Estado, Ednaldo Neves, o coordenador adjunto da Defesa Civil do Estado, major Jairon Moura. Foi formada ali, informalmente, uma “força-tarefa”, que deverá atuar para minimizar o sufoco das populações afetadas.

Com a autoridade de presidente da Famem e de prefeito de município gravemente afetado, Cleomar Tema relatou a situação de calamidade que se abateu sobre Tuntum, considerado uma referência em gestão em todo o estado: “Nosso município passa por uma situação delicada. Num período  de 10 horas, choveu o equivalente a um mês, provocando o transbordamento do riacho que dá nome à cidade e deixando um rastro de problemas, com cerca de 400 famílias desabrigadas”. E na sequência da esteira de problemas, sugeriu que seus colegas prefeitos adotem as medidas necessárias para a decretação do estado de emergência, identificando número  de desabrigados, prédios públicos e privados danificados e que recorram de imediato à Defesa Civil.

Na reunião, prefeitos de Lagoa Grande, Chico Freitas (PCdoB); de Araioses, Cristino Araújo (PSDC), e Morros, Sidrack Feitosa (MDB), de Morros, fizeram relatos da dramática situação vivida por seus municípios e deixando claro que as prefeituras não têm condições de enfrentar sozinhas as dificuldades causa pelos vendavais às suas cidades.  Chico Freitas relatou, por exemplo, que as estradas vicinais de Lagoa Grande ficaram intrafegáveis, com uma ponte prestes a desabar. Sidrack Feitosa destacou que as ruas e estradas de Morros estão praticamente bloqueadas. Araioses enfrenta uma situação mais complicada, uma vez que várias ilhas dos municípios estão alagadas e com seus moradores sem poder sair de casa. “É uma verdadeira catástrofe”, disse o prefeito Cristino Araújo. Outros municípios, como Imperatriz, Pedreiras, Bacabal, Marajá do Sena, Presidente Vargas, São João do Sóter, Trizidela do Vale e Lago dos Rodrigues  vivem situações difíceis com o excessivo volume de chuvas.

No campo mais operacional, assessores da Famem entraram em ação dando orientações técnicas para que os prefeitos e suas equipes ajam mais rapidamente no sentido de obter as condições possíveis de apoio aos municípios por meio esta “força-tarefa”. O secretário adjunto de Articulação Civil e diretor-executivo da Famem, Geraldo Nascimento,  orientou os prefeitos no sentido de que agilizem as providências formais que têm de tomar, para que o socorro por parte do Governo estadual seja o mais rápido possível.  Seguindo orientação do presidente Cleomar tema, o diretor-geral da entidade, Gildásio Ângelo informou que parte da bancada federal já estava alertada em Brasília e à disposição para atuar na esfera do Governo da União, na busca de ajuda aos municípios encharcados pelo aguaceiro.

O secretário Ednaldo Neves destacou que o governo Flávio Dino – que conversou por telefone com o presidente da Famem – está sensível ao drama das populações que estão sofrendo  com as cheias, mas ponderou ser necessário que os prefeitos ajam com a máxima urgência no encaminhamento dos documentos adequados para a decretação do estado de emergência. Por sua vez, o coordenador adjunto  da Defesa Civil, Major Jairon, fez uma explanação técnica a respeito do decreto emergencial, ressaltando que com uma modificação na lei da emergência, agora os  municípios é que dão os  passos iniciais quando de qualquer ocorrência desastrosa.

 

PONTO & CONTRAPONTO

PT tem posição delicada e complicada em relação à aliança liderada por Flávio Dino

Zé Inácio tenta encontrar um caminho para o PT do Maranhão
Zé Inácio tenta encontrar um caminho eleitoral para o PT do Maranhão

É delicada a posição do PT do Maranhão em relação à aliança partidária liderada pelo governador Flávio Dino. Mergulhado pela disputa entre vários grupos, entre eles o que defende o alinhamento ao movimento governista e o que prega o lançamento de candidatura própria ao Governo do Estado ou a reedição da aliança com o Grupo Sarney, o partido parece não saber exatamente o que quer nem para onde vai. Os que defendem a participação na aliança dinista condicionam o alinhamento à inclusão de um nome do PT na chapa majoritária. O problema é que o partido não viabilizou nenhum nome competitivo, ao contrário do que fez o PDT, que fechou questão em torno da candidatura do deputado Weverton Rocha ao Senado, exemplo que foi seguido pelo PPS, que jogou tudo pela deputada federal Eliziane Gama com o mesmo foco. Politicamente ativo, mas eleitoralmente fraco, o braço do PT no Maranhão consome  mais tempo se digladiando internamente do que procurando caminhos de formar um grupo compacto e forte para sentar à mesa de negociações como um partido que tem posições fechadas no tocante a alianças e eleições. Daí viver a estranha situação em que o seu presidente, Augusto Lobato, prega o alinhamento movimento liderado pelo governador Flávio Dino, enquanto o ex-presidente, Raimundo Monteiro, diz que ele próprio está disposto a ser candidato a governador, quando o que quer mesmo é ser candidato à vice de Flávio Dino ou de Roseana Sarney (MDB), ou até mesmo suplente de um dos candidatos a senador. Entre as duas correntes, o ativo deputado estadual Zé Inácio faz um esforços gigantesco para encontrar um discurso único para o partido. Enquanto isso, o governador Flávio Dino joga todo o peso do seu prestígio na defesa que faz do presidente Lula da Silva, numa cruzada que a maioria dos petistas maranhenses parece não enxergar nem entender.

 

Edison Lobão desfaz rumores e reafirma sua candidatura à reeleição

Edison Lobão desfaz rumores garantindo ser candidato à reeleição
Edison Lobão desfaz rumores  e afirma ser candidato à reeleição

Não têm base nem fazem sentido os rumores segundo os quais o senador Edison Lobão (MDB) estaria pensando em desistir da candidatura à reeleição, abrindo a vaga para o seu atual primeiro suplente, Lobão Filho (MDB). Lobão é candidatíssimo. E tem dito isso enfaticamente a todos os interlocutores com quem fala sobre o momento político. O seu argumento principal é que ainda tem fôlego suficiente para encarar uma campanha, ânimo que aumenta diante dos percentuais de pesquisas que o apontam como um dos candidatos mais viáveis entre os que estão na disputa. No plano político, conta com o apoio, declarado ou discreto, de um grande número de prefeitos e de um bom número de vereadores e deputados estaduais, base que é reforçada com aval de muitos segmentos empresariais da indústria, do comércio e da produção rural. Ele mostra que os problemas que enfrenta por conta da Operação Lava Jato estão equacionados e sob controle pela defesa. E, finalmente, os problemas de saúde recente estão já superados, como ficou demonstrado durante a maratona de visita a municípios que fez no mês passado com a ex-governadora Roseana Sarney. Na avaliação tanto de aliados como de adversários, o senador Edison Lobão é um candidato forte e não precisa das bênçãos do ex-presidente José Sarney bem da ex-governadora Roseana Sarney para manter e consolidar sua candidatura à reeleição. Ele tem voo político próprio e continua sendo uma das apostas do MDB nacional para se manter majoritário na composição do plenário do Senado a partir de 2019. E como sua candidatura é fato consumado, as urnas terão a palavra final sobre o assunto.

São Luís, 13 de Abril de 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *