Em debate com líder governista, Dino critica a retórica agressiva de Bolsonaro e defende diálogo federativo maduro

 

Flávio Dino manteve críticas e defendeu federativo no debate com líder governista Major Vitor Hugo

O Brasil precisa que o Governo e as forças da Situação e da Oposição estabeleçam um diálogo federativo maduro, porque a estratégia do presidente Jair Bolsonaro (PSL) de manter uma retórica beligerante, de confronto, não conduzirá o País a um bom caminho. Tem de mudar a forma. Não é porque fez campanha de um jeito, que vai conseguir governar desse jeito. Isso está errado. Além do mais, o Governo não tem uma agenda positiva na economia, não tem um programa definido, não está enfrentando como deveria problemas como o desemprego, com o presidente preferindo tentar fazer do filho embaixador nos Estados Unidos e insistir no erro de liberar o uso de armas. “Nós somos patriotas de verdade. Não batemos continência para a bandeira dos Estados Unidos. Nós, que de fato somos brasileiros, queremos que o Governo dê certo”.

Foi esse o eixo central do discurso do governador Flávio Dino (PCdoB) no embate que travou com o líder do Governo na Câmara Federal, deputado Major Vitor Hugo (PSL-GO), no programa Globo News Política, apresentado pelo jornalista Gerson Camarotti e levado ao ar ontem à noite. No primeiro momento, o líder governista discursou para justificar a linha de ação presidente, mas seus argumentos não foram convincentes. Depois, se esforçou para mostrar que o Governo Bolsonaro está ativo, citou algumas ações iniciadas no Governo Michel Temer (MDB). Criticou a posição oposicionista dos governadores do Nordeste, alegando o fato de o Governo Federal ter liberado emendas para parlamentares nordestinos, muitos de esquerda, reconhecendo que as emendas são impositivas, mas a liberação fica a critério do presidente. E tentou apontar o Maranhão como beneficiário de ações inexistentes do Governo Federal.

Sem entrar em detalhes, Flávio Dino desmontou, um a um, os argumentos do líder Major Vitor Hugo, que diante do desmonte nem tentou sustentar seu discurso. E sem usar, em nenhum momento, a condição de alvo de uma ordem explícita de retaliação ao governador maranhense dada pelo presidente Jair Bolsonaro ao chefe da Casa Civil, Onix Lorenzoni. “De fato, e infelizmente, nós temos um Governo Federal de extrema direita – essa é a realidade -, que adota um discurso muito beligerante, o tempo inteiro. Nós nos esforçamos para criar esse ambiente democrático, mas isso tudo se destrói logo em seguida por ações concretas. A atitude deles é o tempo inteiro de encontrar na Oposição inimigos, porque, de fato, como o Governo não tem resultados – e as pesquisas de opinião estão mostrando isso -, precisa colocar alguma coisa no lugar, e o que se coloca no lugar é essa retórica do confronto. Essa retórica dispersiva, essa retórica da agressividade contra tudo e contra todos. Não é contra o Nordeste, é o tempo inteiro, contra todos”, disse Flávio Dino.

Foi um embate civilizado, sem momentos de tensão, mas bastante esclarecedor das posições e posturas do Governo e da Oposição. O líder Major Vitor Hugo usou uma série de informações equivocadas sobre o Maranhão, numa demonstração de que ele tentou se preparar para enfrentar o governador. Mas, provavelmente por não conhecer os meandros da política maranhense, juntou alhos com bugalhos e não levou o embate em frente. Por seu turno, o governador Flávio Dino agiu com paciência e fez uma série de esclarecimentos ao líder, mostrando os equívocos do seu discurso e reafirmando suas críticas à linha de ação colocada em prática pelo presidente da República. Para o governador, o Governo vai enfrentar problemas muito graves se o presidente continuar no palanque e não propuser uma agenda produtiva em discussão imediatamente.

Foi um debate bastante civilizado, sem tensões. E pouco antes do encerramento do programa, o líder governista deputado Major Vitor Hugo pareceu impressionado com as colocações do governador do Maranhão, parecendo concordar com as suas posições. Deixou no ar a impressão de que atenderá ao apelo do governador para levar ao presidente Jair Bolsonaro a necessidade urgente de um diálogo federativo maduro.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Joaquim Figueiredo foi dormir ontem de novo como presidente do Judiciário

Joaquim Figueiredo (centro, de terno), na visita à Baixada, comanda o lançamento da pedra fundamental de um centro cultural em Viana

O governador em exercício Joaquim Figueiredo cumpriu com desenvoltura de político tarimbado e entusiasmo de jovem o roteiro da visita que fez ontem aos municípios de Viana e São João Batista. Primeiro deixou cravada em Viana a pedra fundamental para a construção de um centro cultural que se chamará “Casa Anica Ramos”, em homenagem e uma teatróloga e tradutora vianense, e inaugurou uma fabriqueta que potencializará o trabalho das quebradeiras de coco na extração do óleo do babaçu.  Em São João Batista, sua terra natal, o governador em exercício inspecionou as obras do trecho da rodovia MA-014, que liga Viana a São João Batista, e constatou o asfaltamento de parte da cidade, um investimento de R$ 500 mil fruto de emenda do deputado Pará Figueiredo (PSL), seu filho, que não integrou a comitiva.

– Estar na condição de governador do Maranhão é uma honra e agradeço aos pares que em mim confiaram para esta importante missão. Só tenho a agradecer este gesto democrático e numa demonstração inequívoca de como se exerce o poder no Maranhão – discursou, exibindo em São João Batista, onde foi recebido em festa, o mesmo entusiasmo do momento da posse, na manhã de quinta-feira, no Palácio dos Leões.

Depois de dois dias vivenciando o poder sedutor e incontestável do cargo de governador, o desembargador Joaquim Figueiredo foi dormir ontem como presidente do Poder Judiciário, já que o governador Flávio Dino tinha marcado o seu desembarque em São Luís na madrugada deste sábado.

 

Famem mobiliza prefeitos para tentar reverter retenção de FPM pela Receita Federal

Prefeitos alcançados pela retenção de cotas do FPM de Julho da Receita Federal para quitar débitos devem se reunir na Famem

A segunda-feira (29) será movimentada na sede da Federação dos Municípios do Maranhão (Famem), em São Luís. A explicação: para lá deve se dirigir algumas dezenas de prefeitos que tiveram cotas do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) retidas ou bloqueadas por ordem judicial. Os prefeitos devem comparecer acompanhados de respectivos procuradores e contadores. Proposta pelo presidente da Famem e prefeito de Igarapé Grande Erlânio Xavier (PDT), a mobilização é uma reação ao bloqueio integral ou parcial de cotas de Julho do FPM pela Receita Federal para a quitação de débitos previdenciários e fiscais por determinação judicial. A medida deixa prefeituras atingidas em situação dramática, já que o FPM é a sua principal fonte de receita – em alguns casos, a única. Para evitar o caos administrativo causado pela retenção parcial dos recursos do FPM, a Famem pretende unir as prefeituras num grande esforço judicial para reverter a pancada desferida pela Receita Federal.

São Luís, 27 de Julho de 2019.

Um comentário sobre “Em debate com líder governista, Dino critica a retórica agressiva de Bolsonaro e defende diálogo federativo maduro

  1. O manezão do PT, o Haddad, é um professor distorcedor de conceitos…
    E o PT?
    PT?

    “Muito engana-me, que eu compro”
    Nós todos apreciamos consumir alguma coisa, com certa constância. Então isso poderia ser bom.

    Eis:
    Vive o PT© de clichês publicitários bem elaborados por marqueteiros.
    Nada espontâneo.
    Mas apenas um frio slogan (tal qual “Danoninho© Vale por Um Bifinho”/Ou: “Fiat® Touro: Brutalmente Lindo”). Não tem nada a ver com um projeto de Nação.
    Eis aqui a superficialidade do PETISMO:

    0.“Coração Valente©”
    1.“Pátria Educadora™” [Buá; Buá; Buá].
    2.“Haddad agora é verde-amarelo®” [rsrsrs].
    3.“A Copa das Copas ®”
    4.“Fica Querida©”
    5.“Impeachment Sem Crime é Golpe™” [lol lol lol]
    6. “Pronatec©, transformando a Vida de Milhões de brasileiros ™”[kkk].
    7.“Foi Golpe™”
    8.“Fora Temer©”
    9.“Ocupa Tudo®”
    10.“Lula Livre®”
    11.“®eleição sem Lula é fraude” [kuá!, kuá!, kuá!].
    12.“O Brasil Feliz de Novo ™”
    13.“Lula é Haddad Haddad é Lula®” [kkkk]
    14.“Ele não®”.
    15.“Controle social da mídia” (hi! hi! hi!): desejo do petismo.
    16.“LUZ PARA TODOS™” (KKKKK).
    17. (…e agora…):
    “Ninguém Solta a Mão de Ninguém ©”

    18.
    “SKOL®: a Cerveja que desce RedondO”. [Nesse estilo. Desse tipo]

    PT© é vigarista e é Ersatz.
    PT Vive de ótimos e CALCULADOS mitos publicitários.
    É o tal de: “me engana que eu compro”.

    Produtos disfarçados, embalagens mascaradas e rótulos mentirosos. PT!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *