Edivaldo Jr. mantém silêncio e secretários mergulham em expectativa sem saber se continuam ou serão dispensados

 

edivaldo-jr-3
Edivaldo Jr. curte a reeleição, mas não fala sobre equipe

O prefeito Edivaldo Jr. (PDT) manterá intacta a equipe para os próximos quatro anos? Fará alguns ajustes? Ou está programando uma reforma ampla no secretariado? As indagações estão alimentando um forte clima de expectativa – que segundo uma fonte caminha para tensão – nos bastidores da Prefeitura de São Luís. Nesse contexto dominado pelo compasso de espera e pelo silêncio do chefe do Executivo municipal, há entre os 24 secretários alguns que estão tranquilos, por já saber que continuarão nos seus postos; os que acreditam que permanecerão, mas não ouviram ainda a palavra final do chefe maior; e, finalmente, os que, segundo rumores que invadem corredores e gabinetes de secretarias, sabem que poderão ser alcançados por uma eventual degola reformadora, mas permanecem aguardando sinais que lhes apontem o que, de fato, está a caminho. Até ontem, o prefeito Edivaldo Jr. não disse uma só palavra sobre o futuro da equipe, levando seus auxiliares a trabalhar em clima de incerteza.

No frenético campo das especulações é dado como certo que o prefeito Edivaldo Jr. manterá Moacir Feitosa (Educação), Helena Duailibe (Saúde), Marlon Botão (Cultura), Mittyz Rodrigues (Administração), Cursino Moreira (Planejamento e Desenvolvimento), Canindé Barros (Trânsito e Transportes), Antônio Araújo (Obras e Serviços Público), Maluda Fialho (Meio Ambiente), Socorro Araújo (Turismo), Andréia Lauande (Criança e Assistência Social) e Diogo Diniz (Urbanismo e Habitação). Os secretários extraordinários Olímpio Araújo (Governança Solidária e Orçamento Participativo) e Gustavo Marques (Projetos Especiais) estariam garantidos na equipe.

As dúvidas atingem Ana Paula Rodrigues (Brasília), Delcio Rodrigues (Fazenda), Júlio César Marques (Articulação e Desenvolvimento Metropolitano), Julio França (Desportos e Lazer), Fátima Ribeiro (Segurança Alimentar), Breno Galdino (Segurança com Cidadania), Tati Lima (Informação e Tecnologia) e Hélio Soares (Articulação Política). A Secretaria de Agricultura, Pesca e Abastecimento aparece acéfala no portal da Prefeitura.

Logo que a Justiça Eleitoral proclamou o resultado da disputa para o Palácio de la Ravardière, começou nos bastidores da política municipal uma onda forte de rumores dando conta de que a vereadora Helena Duailibe (PMDB) deixaria a Secretaria de Saúde, sob a alegação de que o marido dela, Afonso Manoel Ferreira, se elegeu vereador (PR). As especulações avançaram e apontaram que o cargo estaria sendo reivindicado pelo PDT, que estaria propenso a indicar para o cargo a enfermeira Rosângela Curado, derrotada na disputa pela Prefeitura de Imperatriz. Na operação de troca, Helena Duailibe seria nomeada para uma das subsecretarias da Secretaria de Estado da Saúde. Essa mudança dependeria do aval do deputado federal e presidente estadual do PDT Weverton Rocha, que naquele momento encontrava-se em viagem aos Estados Unidos. O plano, porém, não prosperou – pelo menos não se ouviu mais rumores de que o PDT estava tentando emplacar Rosângela Curado no cargo.

Outra onda de especulação foi formada em torno da Secretaria de Comunicação, mas essa também não foi além, pois até onde é sabido, a atual secretária, a articulada jornalista Conceição Castro, está afinada com o prefeito Edivaldo Jr. e tem o aval do influente secretário de Estado de Comunicação e Articulação Política e presidente do PCdoB, jornalista Márcio Jerry. A bolsa das especulações tem previsto um improvável retorno de Batista Matos ao cargo, mas muitos apostam que ele ocupará outro cargo. Fala-se também no experiente jornalista Jorge Vieira, que foi um dos coordenadores da área de jornalismo da campanha de Edivaldo Jr..  Os ventos, porém, sopram em favor de Conceição Castro, que deverá continuar dando as cartas na Seconzinha.

Os membros mais experientes da equipe recomendam que os demais tenham calma, continuem trabalhando normalmente e aguardem a manifestação do prefeito Edivaldo Jr..

 

PONTO & CONTRAPONTO

Máquina tem secretarias essenciais e inutilidades inexplicáveis

A Prefeitura de São Luís é uma das maiores máquinas administrativas entre as do seu porte em todo o País. São 24 secretarias, algumas delas essenciais, outras importantes, algumas aceitáveis e várias desnecessárias. Educação, Saúde, Planejamento, Fazenda, Desportos e Lazer, Cultura, Turismo, Administração, Trânsito e Transportes, Obras, Meio Ambiente são pastas essenciais em qualquer estrutura administrativa pública. Mas há, por outro lado, pastas cuja existência parece não fazer muito sentido. O que vem a ser a área de “Informação e Tecnologia”? “Planejamento e Desenvolvimento” não tromba com “Projetos Especiais”. Será que a Prefeitura precisa mesmo de uma pasta chamada “Governança Solidária e Orçamento Participativo”? O que vem a ser mesmo “Segurança com Cidadania”? Mais ainda: como explicar o gigantismo da Secretaria de Obras e Serviços Públicos, que cuida desde a construção de grandes, médias e pequenas obras até iluminação e limpeza urbana? Não faz o menor sentido.

Qualquer avaliação minimamente coerente concluirá que uma reforma cuidadosa e corretamente planejada poderá deixar a máquina administrativa municipal com 15 pastas bem estruturadas, que darão mais funcionalidade à gestão municipal com uma melhor prestação dos serviços públicos.

Assembleia Legislativa entra em recesso
othelino-11
Othelino Neto faz balanço e anuncia comissão do recesso

A Assembleia Legislativa iniciou ontem o recesso parlamentar e spo retomará suas atividades no início de fevereiro de 2017. No comando da última sessão do semestre, o presidente em exercício Othelino Neto (PCdoB) fez um balanço rápido, mas consistente, do ano legislativo de 2016, destacando alguns momentos de grande relevância do parlamento estadual. Ele também desejou que 2017 seja um ano melhor, sem os problemas que aconteceram em 2016, tanto no campo da política nacional,  quanto no campo da economia. “Também pedimos a Deus que as tragédias ocorridas no ano de 2016 não se repitam; que 2017 seja um ano em que o país possa superar essa grave crise política que vem enfrentando; que a economia possa reagir e que o país possa retomar a geração de empregos para que a população sofra menos”, acentuou o deputado Othelino Neto. Ao finalizar, pediu que haja mais tolerância entre as pessoas de diferentes origens ideológicas; que 2017 seja um ano de paz e que a convivência entre as pessoas seja mais harmônica. “O meu agradecimentos a todos. Nos veremos aqui no plenário, no dia 1º de fevereiro de 2017, para o início do novo ano legislativo”, concluiu.

comissao
Roberto Costa, Sérgio Frota, Fábio Macedo, Zé Inácio e Vinícius Louro formam a Comissão do Recesso

Antes de encerrar a sessão, Othelino Neto anunciou a Comissão de Representação Interna que atuará durante o recesso parlamentar, composta pelos deputados Fábio Macedo  (PDT), José Inácio (PT), Sérgio Frota (PSDB), Vinícius Louro (PR) e Roberto Costa (PMDB).

São Luís, 22 de Dezembro de 2016.

Um comentário sobre “Edivaldo Jr. mantém silêncio e secretários mergulham em expectativa sem saber se continuam ou serão dispensados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *