Candidatos a prefeito de São Luís vão disputar a preferência de 659 mil eleitores, sendo a maioria formada por mulheres

 

pelotões 1 e 2
Edivaldo Jr. (PDT), Eliziane Gama (PPS), Wellington do Curso (PP), Bira do Pindaré (PSB), Rose Sales (PMB), Fábio Câmara PMDB), Eduardo Braide (PMN), Cláudia Durans (PSTU) e Vandeny Barros (PSOL) disputarão os votos de 659.779 ludovicenses no pleito de outubro

Um exército de 659.779 ludovicenses está apto a votar nas eleições de outubro, quando serão escolhidos o prefeito, seu vice e 31 vereadores de São Luís.  A informação foi divulgada ontem pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, que, ao apresentar os números oficiais do pleito, informou que o Brasil tem 144.088.912 eleitores, sendo 74.459.424 mulheres (52,13%) e 68.247.598 homens (47,79%), acrescentando que, de acordo com cálculos iniciais, o processo eleitoral vai custar R$ 600 milhões. O presidente do TSE disse que a estimativa é de que 530 mil a 580 mil candidatos disputem as eleições deste ano nos 5.570 municípios. Nesse contexto, as nove maiores cidades do interior do Maranhão reúnem 731 mil eleitores, sendo a maior concentração em Imperatriz.

Os números anunciados pelo presidente do TSE revelam que a maioria do eleitorado da Capital do Maranhão é formada por mulheres (55%), e que o eleitorado masculino é minoritário com apenas 45%. Além desses, outros dados reveladores, entre eles o de que apenas 13% dos eleitores de São Luís têm curso superior completo, e que, por mais incrível que possa parecer, 1,09% desse eleitorado (6,6 mil), são totalmente analfabetos. A maioria (42,7%) tem curso médio completo. O eleitorado de São Luís, como nas demais grandes cidades, votará pelo sistema biométrico, cuja identificação é feita pela impressão digital.

Segundo colégio eleitoral do Maranhão, Imperatriz tem 151.858 eleitores preparados para votar também pelo sistema biométrico. O eleitorado da metrópole tocantina é formado por 46% de homens e 53% de mulheres, e entre eles 15% de eleitores com nível superior e 3% analfabetos. Timon tem hoje 98.987 eleitores, com 47% de homens e 53% de mulheres, que votam pelo sistema biométrico. Do total, apenas 7,7% são formados por detentores de formação superior, tendo no contrapeso 5,2% de analfabetos.

Quarto maior colégio eleitoral do Maranhão, São José de Ribamar concentra atualmente 92.420 eleitores, composto de 54% de mulheres e 46% de homens. Entre os eleitores ribamarenses são 4% com nível superior e 2,4% analfabetos. Em Caxias, os candidatos a prefeito e a vereador vão disputar os votos de 90.328 eleitores, que votarão por meio da biometria. São 47% de eleitores e 53% de eleitoras, em cujo meio estão 8,02% de votantes com nível superior completo e surpreendentes 12,73% de eleitores analfabetos.

O eleitorado de Açailândia é formado por 66.412 eleitores, sendo 49% masculino e 51% feminino, com votação pelo sistema biométrico e entre os quais estão 5,4% com formação superior completa e nada menos que 8,20% de analfabetos. O município de Codó tem atualmente 65.598 eleitores, sendo 53% do sexo feminino e 47% do masculino, que também votam pelo sistema biométrico de identificação. Entre os seus votantes estão 4% com nível superior e absurdos 13,3% totalmente analfabetos.  O levantamento encontrou Paço do Lumiar com 58.697 eleitores e que serão identificados pela tecnologia biométrica. Paço do Lumiar tem 4% do seu eleitorado com nível superior completo e 1,9% analfabetos.

Pinheiro, o mais importante município da Baixada Maranhense e onde também já se vota pelo sistema biométrico, abriga 56.388 eleitores, composto de 52% de mulheres e 48% de homens. Naquele município, que se orgulha de ser torrão natal de presidente da República, apenas 1,02% do eleitorado tem curso superior completo e, mais grave ainda,  9,20% são analfabetos. Finalmente, os candidatos a prefeito de Bacabal disputarão os votos de 54.158 bacabalenses, que votarão pelo sistema biométrico. Aquele eleitorado é formado por 54% de mulheres e 46% de homens, entre os quais estão 7,09% com nível superior e, do lado mais fraco da balança, 7,09% analfabetos.

 

PONTO & CONTRAPONTO

Presidente do TSE quer eleições tranquilas e seguras

A Coluna reproduz, na íntegra, release divulgado pela Assessoria de Imprensa do TSE sobre a entrevista na qual o presidente da Corte, ministro Gilmar Mendes, divulgou ontem os números do eleitorado brasileiro para as eleições municipais de outubro:

O Brasil tem hoje 144.088.912 eleitores aptos a votar no próximo dia 2 de outubro. Esse e outros dados estatísticos foram divulgados nesta segunda-feira (25) pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, em entrevista coletiva à imprensa.

“Temos cumprido o nosso compromisso de fazer esforço para que as eleições corram e ocorram com maior tranquilidade”, disse o presidente da Corte ao destacar que medidas como o reforço financeiro de R$ 150 milhões em recursos e a reposição de 90 mil novas urnas eletrônicas já foram tomadas pelo Tribunal para garantir a realização das eleições.

Ao apresentar os números oficiais do pleito, o ministro informou que o eleitorado nacional é formado por 74.459.424 mulheres (52,13%) e 68.247.598 homens (47,79%). Os eleitores com 16 e 17 anos correspondem a 2.311.120 (1,60%), e os com 70 anos ou mais somam 11.352.863 (7,88%).

Sobre os municípios, São Paulo é o que possui o maior número de eleitores com 8.886.324 no total. O menor eleitorado é o de cidade de Araguainha, no Mato Grosso, com 954 eleitores.

Biometria

A votação com identificação totalmente biométrica (pelas impressões digitais) ocorrerá em 1.540 municípios (27,66%).

Outros 840 cidades utilizarão o sistema híbrido de identificação do eleitor. Isso significa que nessas localidades, nas quais o cadastramento ainda não é obrigatório, a verificação das impressões digitais ocorrerá apenas para eleitores que já possuem dados coletados. Os demais eleitores serão identificados da forma usual.

Portanto, 2.380 municípios do país terão urnas com identificação biométrica. O eleitorado correspondente a esses municípios soma 39.386.638 no total.

Registro de candidatura

O presidente do TSE disse que a estimativa é de que 530 mil a 580 mil candidatos disputem as eleições deste ano. Ele informou que até hoje (25), a Justiça Eleitoral recebeu 122 pedidos de registros de candidaturas o que, segundo o ministro, ainda é considerado um número muito baixo.

“Quanto mais tarde ocorre o registro, maior é a possibilidade de que haja a eleição com o registro sub judice [que ainda será analisado], por conta da demora que inevitavelmente ocorrerá nesses casos. Nós vamos, certamente, em muitos casos ter judicialização, impugnação de registros até que se chegue a um segundo grau ou alguma definição, e isso vai consumir algum tempo. De modo que é importante que os registros ocorram a tempo e hora para que possa haver o deslinde judicial, se houver impugnação”, alertou o ministro ao recomendar que haja celeridade nos pedidos.

O prazo para que os partidos políticos e as coligações solicitem ao juízo eleitoral competente o registro de seus candidatos termina às 19 horas do dia 15 de agosto (Lei nº 9.504/1997).

Prestação de contas

“Estamos nos preparando, e talvez nós estejamos até avançados, no sentido de concebermos uma análise mais rigorosa das contas. […] O nosso esforço é para fazer com que a prestação de contas deixe de ser um faz de contas”, declarou o ministro ao ressaltar que há um grupo de inteligência formado por técnicos do Tribunal de Contas da União (TCU), Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), Polícia Federal, Ministério Público, Banco Central e Receita Federal que irá acompanhar e fazer o batimento de dados das prestações de contas de campanhas.

Todavia, Gilmar Mendes disse que apesar desse esforço para intensificar a fiscalização das contas eleitorais, a preocupação com relação ao novo modelo de financiamento não está reduzida. Ele lembrou que o teto de gastos para 62% dos municípios brasileiros será de R$ 100 mil para prefeitos e R$ 10 mil para vereadores.

Diante desse cenário, segundo o ministro, “certamente haverá mais motivos para impugnações, discussões sobre abuso de poder econômico e tudo mais”.

Aplicativo Pardal

O presidente do Tribunal comunicou que o uso do aplicativo Pardal, já utilizado por alguns Tribunais Regionais Eleitorais (TREs), será generalizado para estas eleições. O software irá permitir ao eleitor fotografar situações irregulares de campanha e encaminhar previamente à Justiça Eleitoral e ao Ministério Público.

“Esses sinais evidentes de abusos de riquezas poderão ser constatados pelos próprios eleitores e poderão ser comunicados à Justiça Eleitoral e ao Ministério Público Eleitoral. Portanto, de alguma forma nós estamos fazendo um esforço para que a legislação seja cumprida”, disse.

Financiamento eleitoral

O ministro Gilmar Mendes também chamou atenção para o fato de, pela primeira vez, haver a proibição da doação de pessoas jurídicas às campanhas eleitorais, prática que será permitida apenas às pessoas físicas, com a proibição da doação anônima.

“Nós aqui no TSE temos falado de um risco de uma chamada ‘captura de CPFs’ ou ‘caça CPFs’, que é tentar achar pessoas que se disponham a colocar o seu CPF à disposição para doações, o que também não se recomenda”, advertiu.

Reforma política

O presidente do TSE afirmou que essas eleições serão tidas como um experimento diante das novas regras estabelecidas pela Reforma Eleitoral de 2015 (Lei nº 13.165/2015), e defendeu a discussão, junto ao Congresso Nacional, de uma reforma política substancial para as próximas eleições.

“Nós não podemos mais conviver com essa situação de multiplicação de partidos. Estamos aí com 29 partidos representados no Congresso Nacional, 35 ou 36 partidos habilitados, recebendo um montante significativo de fundos sem fazer jus a isso. […] Isso compromete o sistema e nós precisamos rever”, ponderou ao louvar, em nome da Justiça Eleitoral, a iniciativa do sistema político de ensejar essas reformas já tardias, na opinião dele.

Custos    

O ministro finalizou a coletiva informando que os custos para a realização das eleições municipais de outubro são estimados em R$ 600 milhões.

Os dados estatísticos oficiais sobre o pleito deste ano estão disponíveis no portal do TSE, na aba “Eleições”, “Eleições 2016”.

São Luís, 25 de Julho de 2916.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *