“Armada” com Ribinha Cunha, Roseana Sarney tentar mudar o favoritismo de Flávio Dino em Imperatriz

 

Roseana Sarney tem Ribinha Cunha como trunfo para melhorar posição em Imperatriz e na Região Tocantina

Depois da convenção que confirmou a sua candidatura ao Governo do Estado, a ex-governadora Roseana Sarney (MDB) reprogramou sua agenda de campanha e decidiu que sua primeira incursão nessa nova e decisiva fase da corrida ao Palácio dos Leões será na Região Tocantina. De acordo com uma fonte bem situada no quartel-general do Grupo Sarney, depois que escolheu o empresário Ribinha Cunha (PSC) como seu vice, a candidata emedebista resolveu jogar pesado na região polarizada por Imperatriz, que é atualmente o segundo maior e mais importante colégio eleitoral do Maranhão. Roseana Sarney estaria ciente de que, segundo pesquisas, sua posição nas preferências do eleitorado de Imperatriz não é muito estimulante, mas teria avaliado que, com o vice da região e o prefeito de Imperatriz, Assis Ramos (MDB), é possível criar um ambiente que melhore expressivamente a sua posição na Princesa do Tocantins e região. Aliados do governador Flávio Dino (PCdoB) ouvidos pela Coluna observaram que dificilmente a candidata do MDB conseguirá ter um desempenho que venha, pelo menos, diminuir substancialmente a vantagem que o governador tem ali.

Roseana Sarney e sua comitiva – que incluirá os candidatos senatoriais Edison Lobão (MDB) e Sarney Filho (PV) -, desembarcarão em Imperatriz no próximo sábado (11), para cumprir uma vasta programação na cidade e na região. Agora, terá o empresário Ribinha Cunha como seu anfitrião e porta-voz e que, na condição de candidato a vice-governador, terá com a tarefa principal quebrar o gelo que o empresariado e parte da classe política vinham mantendo em relação à ex-governadora. Os estrategistas do Grupo Sarney estão confiantes de que o dono do Café Viana e de outras empresas, juntamente com seu irmão, o deputado estadual Leo Cunha (PSC), possa abrir as portas políticas da cidade e atrair pelo menos uma expressiva fatia do eleitorado para a candidata emedebista. Político consagrado na região, o ex-prefeito Sebastião Madeira (PSDB), que apoiou a candidatura de Ribinha Cunha para prefeito em 2016 e conhece como poucos os humores do eleitorado da Vila do Frei, acha que a escolha dele para vice “melhora para Roseana”.

Com a experiência de quem está iniciando sua quinta campanha para o Governo do Estado, tendo perdido as quatro primeiras em Imperatriz, Roseana Sarney sabe que reverter a posição em Imperatriz e adjacências é missão quase impossível, mesmo levando em conta as surpreendente e às vezes espetaculares viradas que a política dá. Isso porque o Grupo Sarney já não conta em Imperatriz com aliados do quilate do ex-governador Ribamar Fiquene, já falecido, nem do megaempresário e ex-prefeito Ildon Marques, que mudou de rumo e nesta disputa está posicionado com o governador Flávio Dino. Com personalidade política diferenciada e abrigando um eleitorado independente e uma classe política nem sempre alinhada às orientações do Palácio dos Leões, a antiga Vila do Frei é cenário complicado para a ex-governadora, que resolveu passar essa situação a limpo. Roseana Sarney tem plena ciência de que o resultado das urnas de Imperatriz é decisivo na disputa pelo Governo do Estado, e por isso jogará grande parte do seu cacife na dobradinha com Ribinha Cunha.

Roseana Sarney tem experiência e jogo de cintura para tentar seduzir o eleitorado imperatrizense.  O problema é que o governador Flávio Dino construiu na segunda maior cidade do Maranhão uma base política e eleitoral sólida por conta de uma forte ação do Governo e um intenso trabalho de articulação. O item mais reluzente da relação de feitos é a transformação de Imperatriz no segundo maior polo universitário do estado com a criação da Uema Sul, um projeto inicialmente muito criticado perla Oposição, mas que vingou e está consolidado. Será difícil para ela inverter o sentido das coisas na Região Tocantina.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Sentença da juíza de Coroatá é munição para uma boa e animada refrega no tapetão

Flávio Dino minimiza sentença da juíza de Coroatá e diz que ela cairá no TRE

Causou forte burburinho nos bastidores da política a decisão da juíza eleitoral de Coroatá, Analise Nogueira Reginato, de tornar inelegíveis o governador Flávio Dino e o ex-secretário de Comunicação e Articulação Política, Márcio Jerry, que é também presidente estadual do PCdoB, e cassar o mandato do prefeito daquele município, Luis da Amovelar Filho (PCdoB), todos por suposto abuso de poder político e econômico nas eleições de 2016, a partir de uma ação movida pela coligação “Coroatá para todos”, liderada pela então prefeita Teresa Murad, que perdeu a eleição.  O governador Flávio Dino reagiu serenamente dizendo que a sentença “é fraca e estranha” e que será derrubada no TRE.

Aliados de Roseana Sarney comemoraram a sentença da magistrada como um fato de extrema relevância, com força para mudar o rumo da corrida eleitoral, avaliando que a decisão judicial poderá mesmo tirar o governador Flávio Dino e Márcio Jerry da vida pública e devolver a Prefeitura de Coroatá ao domínio dos Murad. Aliados de Flávio Dino enxergaram na decisão judicial mais uma tentativa inócua de criar embaraços o seu projeto de reeleição, apontando a ação como um factóide orquestrado pelo ex-deputado Ricardo Murad.

Outra informação que correu nos bastidores foi que a primeira avaliação feita por advogados do PCdoB teria concluído que a fundamentação da ação é fraca e será contestada imediatamente, com possibilidade de cassação da sentença da juíza Analise Nogueira Reginato. No início da noite, o governador Flávio Dino avaliou que a sentença não produzirá qualquer efeito, tanto que anunciou para hoje o registro da chapa da coligação “Maranhão de todos”, que lidera tendo Carlos Brandão como vice.

Assim como acontece com a tentativa de implodir a candidatura do vice-governador Carlos Brandão à reeleição, a decisão da juíza de Coroatá declarando a inelegibilidade do governador Flávio Dino é uma boa briga a ser travada no tapetão da Justiça. E com um detalhe a mais: Flávio Dino estaria decidido a questionar a sentença da magistrada ao temido Conselho Nacional de Justiça.

 

PEC nº 005/2018: Municípios vão ter nomes trocados?

José Sarney e Edison Lobão podem ter seus nomes mudados em municípios

A aprovação, pela Assembleia Legislativa, da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 005/2018, que proíbe a denominação de logradouros públicos com nome de pessoas vivas, vai causar uma grande reviravolta no batismo de escolas, hospitais, ruas, praças parques, etc. Mas dois casos chamam atenção: os municípios de Presidente Sarney e Governador Edison Lobão. O município, que tecnicamente é uma unidade política, com relativa autonomia, formada por um território e uma área urbana, pode ser definido como um logradouro público? Se puder, os 17,1 mil habitantes de Presidente Sarney, que fica na Baixada Ocidental, perderão o gentílico sarneyenses, e os 16,3 mil de Governador Edison Lobão, localizado na Região Tocantina, não mais serão identificados como lobanenses. É como trocar de identidade. Será uma mudança e tanto nas suas vidas.

São Luís, 08 de Agosto de 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *