Trucidado nas urnas em 2018, PSDB lambe as feridas e inicia movimentação para se reorganizar como partido

 

Roberto Rocha entrega a Sebastião Madeira a complicada tarefa de remontar o PSDB no Maranhão

Sem que as feridas deixadas pelas eleições do ano passado estejam completamente saradas, apenas suficientemente lambidas, o braço maranhense do PSDB começa a se movimentar, com passos tímidos, mas decididos, para tentar retomar a forma de ninho partidário e disputar eleições municipais, a começar por São Luís. Esse movimento está sendo conduzido pelo ex-prefeito de Imperatriz e secretário geral da agremiação Sebastião Madeira, que recebeu do presidente do partido, senador Roberto Rocha, carta branca para tirar a agremiação da mais completa letargia que sofreu desde que começou a existir no Maranhão. O objetivo é recolocar o PSDB como peça importante e influente no xadrez político estadual.

O PSDB maranhense foi trucidado nas urnas de 2018, com a derrota acachapante dos seus mais destacados candidatos: Roberto Rocha ficou num humilhante 4º lugar com 2% dos votos na corrida ao Palácio dos Leões, José Reinado Tavares e Alexandre Almeida engoliram poeira na maratona pelas vagas no senado, e Sebastião Madeira foi abandonado pela Região Tocantina na disputa por vaga na Câmara Federal. O partido sofreu a humilhação de ter de se contentar com a reeleição do polêmico deputado estadual Wellington do Curso, que nada tem de tucano e entrou no ninho como quem sobe numa tábua de salvação. Uma devastação quase completa para uma agremiação que fizera o vice-governador do Estado, dois deputados estaduais em 2014, e 29 prefeitos, vários vice-prefeitos e uma penca de vereadores em 2016. Os últimos resultados eleitorais do PSDB fizeram com que o senador Roberto Rocha quase chegasse ao fundo do poço como líder partidário.

Com a instalação do novo Governo Federal e as mudanças ocorridas no Congresso Nacional, o vento, que até então o estava empurrando para rumo incerto, mudou radicalmente a favor do chefe do tucanato maranhense. Roberto Rocha foi turbinado no Senado ao ser escolhido líder da poderosa bancada do PSDB, em substituição ao influente senador cearense Tasso Jereissati, ganhando também o prestigiado cargo de corregedor geral da instituição. Além disso, Roberto Rocha construiu estreita relação com o novo presidente da Casa, senador David Alcolumbre (DEM-AP), para cuja eleição contribuiu fortemente, e tem conversado com frequência com o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), abrindo trânsito no Governo de Jair Bolsonaro. Essa virada o fez entender que não poderia cuidar dos seus compromissos senatoriais e comandar o partido no Maranhão ao mesmo tempo, pois seria como badalar o sino e acompanhar a procissão. E entregou a tarefa ao secretário geral Sebastião Madeira, que já começou a se movimentar no sentido de reorganizar a agremiação nos municípios, estruturar diretórios e comissões provisórias, visando as eleições do ano que vem.

Na semana passada, Sebastião Madeira se reuniu com o ex-deputado Clodomir Paz – um tarimbado organizador partidário -, para alinhavar e definir os novos rumos do PSDB no Maranhão.  São Luís será um dos focos da atenção, devendo participar na linha de frente da disputa pelo Palácio de la Ravardière, assim como Imperatriz, São José de Ribamar e outros municípios de grande e médio porte nas mais diferentes regiões do estado. (Há quem diga que o próprio senador Roberto Rocha estaria avaliando a possibilidade de ele mesmo se candidatar à sucessão do prefeito Edivaldo Holanda Jr, (PDT).

Não será fácil reorganizar o PSDB e lhe devolver o tamanho que ele já teve no Maranhão. Para tanto, um dos passos a serem dados deve ser a remobilização dos tucanos que se afastaram do partido nos últimos tempos, como a corrente que seguia a liderança do ex-governador João Castelo e que tem a ex-prefeita de São Luís, Gardênia Castelo, como referência. A reaglutinação dessas forças poderá injetar mais gás no PSDB, que vive o drama da derrota em todo o País.

O secretário geral Sebastião Madeira e o próprio presidente Roberto Rocha sabem que a situação do PSDB é dramática e a sua reanimação e recolocação no tabuleiro político maranhense é uma tarefa nada fácil.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Rubens Jr., vaia para a Secid com o desafio de se credenciar como opção do PCdoB para a sucessão estadual

Rubens Pereira Jr. vai deixar um bom desempenho na Câmara federal para comandar secretaria

“É um orgulho e uma honra poder fazer parte da gestão do governador Flávio Dino apontado como o que mais cumpre promessas no Brasil e que foi reeleito com quase 60% dos votos. Nós aproveitaremos a nossa experiência adquirida até aqui para mais esse desafio”. É com esse ânimo que o deputado federal Rubens Pereira Jr. (PCdoB) se licenciará do mandato para assumir o comando da Secretaria de Estado das Cidades e Desenvolvimento Urbano (Secid), com posse marcada para quinta-feira (21), conforme declarações dadas por ele ao programa “Sala de Entrevista”, do Portal da Assembleia, conduzida pelo jornalista Juraci Filho.

Advogado por formação, com mestrado em Direito Constitucional e cursando MBA em Gestão Pública, Rubens Jr. dá todas as indicações de que não pretende dedicar-se permanentemente à seara parlamentar. Convocado pelo governador Flávio Dino por conta da reengenharia do seu Governo, deixa claro que a experiência executiva que vivenciará no comando da Secid servirá de base para um salto muito mais amplo, que pode ser a prefeitura de São Luís ou o Governo do Estado. Seu bom desempenho em dois mandados na Assembleia Legislativa e no primeiro mandato na Câmara Federal, quando foi um dos mais destacados integrantes da bancada do PCdoB, da qual foi vice-líder e porta-voz do partido em ações de larga importância em que a agremiação se posicionou durante o Governo de Michel Temer (MDB). E finalmente a experiência de coordenar a bancada federal maranhense por dois anos.

Rubens Jr. é um dos quadros que o governador Flávio Dino lapida para a sua sucessão. Daí a sua obrigação de ter um bom desempenho com o secretário de Estado.

 

Desgastada e esburacada, BR-135 volta a ser tema dominante no plenário da Assembleia Legislativa

Vinícius Louro, Zé Gentil, Hélio Soares, Wellington do Curso, César Oires e Roberto Costa reclamaram da má conservação da BR-135

Mais uma vez a BR-135, a única artéria rodoviária que liga a Ilha de São Luís ao resto do mundo, volta a ser tema dominante na Assembleia Legislativa. Até pouco tempo a grita era pela duplicação – que já foi feita até Bacabeira e as obras avançam em direção a Miranda do Norte. Agora, as reclamações contundentes são pelo seu mau estado de conservação, a começar pelo trecho inaugurado há pouco mais de um ano, que já virou uma trilha de crateras, estando praticamente intrafegável em alguns trechos. A situação está caótica, de acordo com o relato de deputados, a via está gravemente ferida em muitos trechos, a começar pelo mais longo dedes, que liga Miranda do Norte a São Mateus.

Ontem, os deputados Vinícius Louro (PR), Hélio Soares (PR), Zé Gentil (PRB), Wellington do Curso (PSDB), César Pires (PV) e Roberto Costa (MDB) reclamaram das condições das duas rodovias, apelando para que a bancada federal pressione o DNIT para que a restauração dos trechos esburacados seja feita o mais rapidamente possível. Antes que a rodovia volte a ser chamada de “Estrada da Morte”.

São Luís, 19 de fevereiro de 2019.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *