São Luís: Pesquisas apontaram favoritismo de Braide, mas o cenário está longe da forma definitiva

 

Eduardo Braide lidera a corrida em São Luís seguido de Roseana Sarney e Duarte Júnior , mas terá favoritismo testado

Duas pesquisas (Econométrica e DataM), realizadas no apagar das luzes de 2019, para medir os humores do eleitorado em relação a pré-candidaturas à Prefeitura de São Luís, indicaram, com forte nitidez, que nessa fase ainda primária e imprecisa da corrida às urnas, Eduardo Braide (Podemos) se mantém como favorito inconteste à sucessão do prefeito Edivaldo Holanda Jr. (PDT), surfando em ondas de 44,9% a 41,6% de intenções de voto. Os dois levantamentos mostram que o segundo time de pré-candidatos é liderado por Roseana Sarney (MDB) com 11,4% e 9,9%, seguida de Duarte Jr. (PCdoB), com 9,9% nos dois levantamentos, Wellington do Curso (PSDB) com 7,9% e 4,8%, Neto Evangelista (DEM) com 7,2% e 3,8%, Bira do Pindaré (PSB) com 4,4% e 3,5%, Jeisael Marx (Rede) com 2,9% e 2%, Osmar Filho (PDT) com 2,5% nos dois, Yglésio Moises (sem partido) com 1,3% e 1,4%, Carlos Madeira (SD) com 0,1% e 0,8% e Rubens Júnior (PCdoB) com 0,7% e 0,6%. O ex-prefeito Tadeu Palácio aparece na pesquisa Econométrica com 6,1%, mas não foi incluído na do DataM, e Adriano Sarney (PV) só aparece na pesquisa Econométrica, com 3,0%, num cenário sem Roseana Sarney.

São cenários que, com exceção de Eduardo Braide, vêm de repetindo, com algumas alterações tímidas e pontuais, principalmente devido ao fato de que nem os candidatos, nem os partidos e nem os líderes maiores bateram martelo sobre quem será, de fato, candidato. Janeiro será uma espécie de contagem regressiva para que os grupos políticos e partidários começam, efetivamente, a dizer quem será quem nesse jogo.

Três situações poderão definir os rumos da corrida eleitoral na capital. A primeira delas será o posicionamento do governador Flávio Dino sobre quem será o candidato do PCdoB, se Duarte Júnior ou Rubens Júnior. A segunda é sobre quem o Edivaldo Holanda Júnior abraçará como candidato do PDT: Osmar Filho, Neto Evangelista numa eventual aliança DEM/PDT, ou sugerirá um vice numa aliança com o PCdoB? E a terceira: Roseana Sarney será mesmo candidata do MDB para disputar com Adriano Sarney ou ficará de fora da disputa. As respostas para essas indagações darão composição definitiva ao cenário da disputa, pois a sucessão no Palácio de la Ravardière dificilmente se dará fora dessas situações e do projeto de Eduardo Braide. Isso porque o favoritismo do candidato do Podemos até aqui parece consistente, a indefinição no PCdoB e no PDT e o “fator” Roseana Sarney mostrados pelas pesquisas indicaram que essas definições terão elevado poder de fogo político e eleitoral ao longo da corrida.

A consistência do cacife de Eduardo Braide mostrada nas pesquisas sugere que o governador Flávio Dino e o prefeito Edivaldo Holanda Júnior caminhem para uma aliança do PCdoB com o PDT, restando saber em torno de que nome. Duarte Júnior tem se mostrado bom de voto, mas ainda é muito verde em política, enquanto Rubens Júnior tem sólida tarimba política, é bom de voto, mas ainda não deslanchou em São Luís. O nome a ser escolhido tem de ter a cara da aliança PCdoB/PDT, de modo a incorporar um discurso ao mesmo tempo alinhado à Prefeitura e ao Governo do Estado e que traduza o ânimo da aliança político-partidária que comanda o Maranhão, incluindo São Luís. Além disso, se, contrariando as expectativas, Roseana Sarney resolver ser mesmo candidata, ninguém duvida de que o cenário sofrerá alteração expressiva, podendo até minar o favoritismo de Eduardo Braide e mandá-lo enfraquecido para um segundo turno.

Nesse contexto, Wellington do Curso, Neto Evangelista, Tadeu Palácio, Bira do Pindaré, Jeisael Marx, Osmar Filho, Yglésio Moises e Carlos Madeira, se confirmarem suas candidaturas, terão de fazer esforços gigantescos para reverter o favoritismo de Eduardo Braide e reduzir o poder de fogo do candidato a ser lançado numa aliança PCdoB/PDT, para que tenham alguma chance na disputa. Isso significa dizer que apostar agora na vitória de Eduardo Braide é precipitação pura, porque a corrida para valer só será iniciada quando o martelo for batido no Palácio dos Leões, no Palácio de la Ravardière e na mansão do Calhau. Esse desenho deve ser rascunhado durante a calmaria de janeiro e a festança de Momo, para ganhar forma definitiva com a chegada das águas de março. É quando se saberá se o favoritismo do candidato do Podemos é sólido quanto parece.

Em Tempo: O instituto DataM ouviu 800 eleitores de São Luís, nos dias 28 e 29 de dezembro, tendo sua pesquisa margem de erro de 3,1% para mais ou para menos sobre os percentuais encontrados. O instituto Econométrica ouviu 938 eleitores nos dias 17 e 18 de dezembro, tendo sua pesquisa margem de erro de 3,4% e com um intervalo de confiança de 95%.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

PDT não vai conseguir lançar candidatos na maioria dos grandes municípios

Weverton Rocha 

A menos que esteja em curso uma estratégia para surpreender meio mundo nos próximos meses, o cenário do momento para as eleições municipais indica que o PDT, comandado pelo senador Weverton Rocha, será coadjuvante em parte expressiva dos    maiores municípios do Maranhão. Até aqui, não há indicativo seguro de que o PDT tenha um nome forte para brigar pela sucessão em São Luís, hoje governada pelo partido. Em Imperatriz, o PDT já anunciou que apoiará a candidatura do deputado Marco Aurélio (PCdoB). Em Caxias, o partido só entrará na disputa se o candidato for a deputada Cleide Coutinho, que não demonstra interesses em entrar na disputa. Em Pinheiro, tudo indica que o PDT apoiará a candidatura do prefeito Luciano Genésio (PP), candidato à reeleição. Em Timon, ainda há dívidas sobre quem será o candidato do prefeito Luciano Leitoa (PSB), havendo, porém, quem garanta que o deputado pedetista Rafael Leitoa será lançado em breve, o que muitos duvidam. Em São José de Ribamar, não há ainda certeza se o PDT lançará um candidato para enfrentar o prefeito Eudes Sampaio (PTB), o ex-deputado Jota Pinto (Patriotas). E provável que o senador Weverton Rocha dê uma guinada radical nessa tendência que se constrói e amplie o arco de alianças do partido, pois se não o fizer, terá comprometido seu projeto de fazer uma megabase política para as eleições de 2022.

 

João Alberto confirma candidatura a vereador em Bacabal

João Alberto: projeto mantido

“O projeto está mantido. Sou candidato a vereador de Bacabal”. A declaração, feita em tom enfático, é do ex-deputado estadual, ex-deputado federal, ex-senador da República e ex-governador do Maranhão João Alberto Souza, atual presidente do MDB maranhense. Inicialmente recebida por uns como um mero rompante, por outros como um rasgo de bom humor, a revelação do líder emedebista ganhou essência de verdade e está, de fato, transformada num projeto eleitoral definido e, segundo o próprio, irreversível. Contrariando a avaliação segundo a qual tentar uma cadeira na Câmara Municipal de Bacabal seria desprestígio para um político da estatura do ex-governador, hoje com 84 anos, João Alberto argumenta que, primeiro, encontra-se com saúde plena e o ânimo político de sempre, considerando que poderá, com sua experiência, contribuir para elevar o nível político e legislativo do parlamento bacabalense, bem como contribuir com a vida política da cidade da qual já foi prefeito e que continua sendo sua principal base política e eleitoral. João Alberto andou incentivando outros contemporâneos seus a abandonar a aposentadoria política e se candidatar a vereador nas suas cidades de origem, mas parece que a ideia não vingou. Tudo indica que ele será o único a experimentar a tentar a proeza de fechar sua trajetória onde tudo começou.

São Luís, 05 de Janeiro de 2020.

Um comentário sobre “São Luís: Pesquisas apontaram favoritismo de Braide, mas o cenário está longe da forma definitiva

  1. Esse era o carcará sanguenolento do início da década de 90 quando foi governador do Maranhão em que governou o estado com a mão-de-aço na pasta da segurança pública. Encerrar a sua carreira na politica maranhense como vereador da cidade de Bacabal retrata de maneira vexatória, o seu total desprestígio junto ao povo e a classe política do estado do Maranhão. Olha como tudo isso se tornou triste e lamentável!!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *