São Luís: pesquisa DataIlha confirma cenário e alerta candidatos sobre risco de eleição em turno único

 

Se havia alguma réstia de dúvida de que neste momento a disputa para a Prefeitura de São Luís rascunha um desfecho em turno único, a pesquisa do instituto DataIlha, feita em parceria com a Band, divulgada ontem, mandou-a para o espaço. O levantamento encontrou o seguinte cenário: Eduardo Braide (Podemos) liderando com 44,4% das intenções de voto, seguido de Duarte Júnior (Republicanos) com 10,8%, pressionado por Neto Evangelista (DEM), que aparece com 8,5%, este por sua vez sofrendo agora pressão de Rubens Júnior (PCdoB), que recebeu 7,1% das preferências, e com Bira do Pindaré (PSB) com 3,8%, tendo Jeisael Marx (Rede) na sua cola com 3,4%. A pesquisa DataIlha chega ao conhecimento público num momento de ebulição na corrida sucessória na Capital, com o afastamento temporário do candidato do PCdoB.

O dado que mais chama a atenção no levantamento do DataIlha é que, a exemplo das outras pesquisas (Ibope, Econométrica e Prever), Eduardo Braide se mantém firme no patamar dos 40 pontos percentuais. Essa posição consistente é demonstrada por outro dado importante produzido pelos números: os movimentos de sobe e desce dos demais candidatos, especialmente Rubens Júnior e Bira do Pindaré, se fazem com um tirando votos do outro, sem afetar a base de preferência de Eduardo Braide. Uma mudança para valer só ocorrerá se, ou quando, algum candidato da linha de frente crescer minando a base de sustentação do candidato do Podemos, o que não aconteceu até agora. Essa mudança se torna decisiva quando se observa que, também a exemplo das outras pesquisas, o número de indecisos (11,6%) e o de intenções de votar nulo ou em branco (7,5%) são baixos.

Esse cenário pode estimular uma disputa mais dura, obrigando o candidato do Podemos a sair da sua posição de conforto na liderança para encarar o bombardeio que muito provavelmente será disparado contra ele ao longo da campanha. Isso porque é difícil imaginar que concorrentes com a ousadia de Duarte Júnior, a firmeza de Neto Evangelista, o poder de fogo político de Rubens Júnior e a posição contestadora de Bira do Pindaré fiarão inertes, sendo triturados sem reação. Nas rodas políticas e nas redes sociais, é dominante a expectativa quanto a uma injeção de gás destinada a “incendiar” a campanha. Eduardo Braide parece disposto a seguir em frente indiferente às provocações, mas sabendo que em algum momento terá de encarar os fatos e colocar sua posição em jogo. Político jovem, mas experiente nesse jogo, o candidato do Podemos sabe que um erro no embate pode ser fatal.

Os próximos dias serão importantes para Duarte Júnior, Neto Evangelista, Bira do Pindaré e, especialmente, para Rubens Júnior, que, testado positivo para a Covid-19, se afastou dos compromissos de campanha, cedendo ao presidente do PCdoB, deputado federal Márcio Jerry, a tarefa de comandar a campanha ao lado do candidato a vice Honorato Fernandes (PT). A arrancada de um deles poderá fragilizar a base de Eduardo Braide e levar o desfecho da disputa para o segundo turno, o que, se vier a acontecer, será uma reviravolta que poderá mudar radicalmente o curso da corrida ao Palácio de la Ravardière. O avanço da campanha também poderá, por outro lado, estabilizar de vez a posição do candidato do Podemos, levando-o a fechar a disputa no primeiro turno – um cenário previsto por uns e improvável para outros.

O fato é que a pesquisa DataIlha chegou para confirmar a fotografia do momento e dar um aviso eloquente aos candidatos: se eles não reagirem logo, dificilmente reverterão o cenário previsto de turno único.

Em Tempo: Realizada entre os dias 01 e 03 deste mês, a pesquisa DataIlha ouviu 1080 eleitores, tem margem de erro de três pontos percentuais para mais ou para menos, intervalo de confiança de 95% e foi registrada na Justiça Eleitoral sob o número MA-09163/2020.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Na ausência de Rubens Júnior, Márcio Jerry assume o comando da campanha

Ao lado de Honorato Fernandes, Márcio Jerry comanda a campanha na ausência de Rubens Júnior

Se por um lado a base da candidatura de Rubens Júnior à Prefeitura de São Luís pela coligação “Do Lado do Povo” (PCdoB-PT-Cidadania-PMB-DC) mergulhou em clima de tensão por conta da retirada temporária dele por causa da Covid-19, por outro, o presidente do PCdoB e coordenador geral da campanha, deputado federal Márcio Jerry, cuidou de tranquilizar os apoiadores. Ele tomou o lugar do candidato e, ao lado do candidato da chapa a vice-prefeito, o vereador petista Honorato Fernandes, pisou no acelerador, reanimando os partidários e avisando que a candidatura de Rubens Júnior está de pé para vencer a eleição.

– Nosso candidato Rubens 65 está fora de combate esses dias por causa da doença, mas a militância tomou para si a responsabilidade de continuar a campanha. O recado é simples: #SomosTodosRubens” – declarou Márcio Jerry, em tom de convocação, em plenária da coligação “Do Lado do Povo”.

Além de Márcio Jerry, a senadora Eliziane Gama (Cidadania) vai se dedicar à campanha de Rubens Júnior, reforçando o papel do seu partido na coligação. Como Márcio Jerry, Eliziane Gama conhece o caminho das pedras eleitorais de São Luís, já tendo inclusive disputado a Prefeitura de São Luís em 2012.

 

Felipe dos Pneus lidera em Santa Inês contra Valdivino Cabral e Ribamar Alves

Não surpreendeu a informação encontrada pelo instituto Escutec segunda qual o deputado estadual Felipe dos Pneus lidera a corrida para a Prefeitura de Santa Inês. Ele tem lidera com 47% das intenções de votos, seguido pelo ex-prefeito Valdivino Cabral com 42%, Padre Nelcino com 3% e Ribamar Alves com 2%. Além desses, disputam a Prefeitura os candidatos Creusa da Caixa, Joe Rodrigues e Linderberg Braga todos com 1% das intenções de voto, mesmo percentual dos entrevistados que disseram não votar em nenhum dos candidatos. Os indecisos são 2%.

Santa Inês tem um quadro de candidatos no qual o deputado Felipe dos Pneus representa a nova geração da política, contra a qual nada consta, o que não acontece o segundo colocado, o ex-prefeito Valdivino Cabral, que foi prefeito duas vezes (1989 e 1997), criou uma imagem de bom gestor, mas foi arranhado por condenações do TCU, sob a acusação de desviar dinheiro público, o que ele naturalmente nega. O outro contrapeso o ex-deputado estadual, ex-deputado federal e ex-prefeito Ribamar Alves, que tinha uma carreira vitoriosa até se envolver num escândalo de assédio sexual, que o levou para a cadeia e dinamitou a base política por ele construída durante anos em Santa Inês e na região.

Engenheiro civil e empresário, Felipe dos Pneus, se eleito, tem a responsabilidade de, em nome da nova geração, fortalecer a credibilidade da classe política de Santa Inês

Em Tempo: A pesquisa Escutec ouviu 1.200 eleitores de Santa Inês nos dias 22 a 25 de setembro, tem margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos, intervalo de confiança de 90% e seu registro no TSE é MA-0466/2020.

São Luís, 07 de Outubro de 2020.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *