PH comemora o Jubileu de Ouro de um Jornalismo pleno, culto e refinado

PH: Jubileu de Ouro de Jornalismo por merecimento e sem favor

O Jornalismo pleno – aquela atividade que desvenda o que, o quem, o quando, o como, o aonde e o porquê dos fatos e dá às   respostas a forma e o sentido de notícia – vive tempos sombrios no Brasil. Sofre a pressão da espantosa e desregrada facilidade do “Ctrl C – Ctrl V” inventada pela internet, e que transformou espaços na rede em “veículos de informação” sem cobrar dos que os fazem a formação jornalística devida, permitindo que seus titulares se apresentem indevidamente como “imprensa”. Jornalismo e jornalistas propriamente ditos resistem como podem a essa invasão incontrolável do seu espaço, tentando preservar os seus padrões técnicos e éticos. E, não bastassem as distorções permitidas pela tecnologia sem controle, enfrentam o primarismo de uma vertente de poder que não tolera a liberdade de informação. Nesse universo cinzento, que flerta com o obscurantismo, no entanto, estão levantadas barricadas de resistência, luzes que clareiam os rumos dos que não abrem mão de fazer Jornalismo pleno.

No Maranhão, entre os que enfrentam bravamente essa nova realidade, o Jornalista Pergentino Holanda, o PH, é expressão máxima desse Jornalismo superior e resistente. Ele alcança e comemora neste sábado, 07 de Dezembro de 2019, a espetacular marca dos 50 anos de atividade, festejando o Jubileu de Ouro de um Jornalismo integral, ininterrupto e irretocável, praticado momento a momento, sem hiatos temporais nem interrupções de conveniência, numa página diária de O Estado do Maranhão, na qual convivem, em plena harmonia, o cronista social, o agitador cultural, o repórter político, o observador econômico, o promotor de eventos e, em patamar especial, por estar muito acima da média, o cronista de costumes, que trafega com maestria no largo e rico universo que vai do comportamento ao registro histórico.

Ao longo desses impressionantes 18.250 dias – sem contar as seis horas a mais de cada ano -, PH documentou, com precisão informativa e elegância narrativa, o cotidiano do Maranhão, com enfoque especial em São Luís, que elegeu como musa – uma paixão assumida e sem limites. Relatou, com olhar arguto, o dia-a-dia das famílias que fizeram história; eternizou, com raro e refinado senso estético e bom gosto, a beleza e o papel de mulheres especiais; documentou, com visão jornalística consciente, os movimentos e os episódios dramáticos e decisivos protagonizados por seus líderes políticos; registrou, com grandeza e a precisão de quem sabe exatamente o que diz, a intensa agenda cultural do período – em todos os seus vieses –, e deu forma, ele próprio, a eventos festivos inesquecíveis.

Cidadão do mundo, traçou nas suas crônicas roteiros pouco conhecidos de cidades como Paris, Roma, Barcelona, Lisboa e Rio de Janeiro, que conhece como nativo. Os registros desse Jornalismo magistral estão na coluna diária e nas páginas de suplementos dominicais como o Sete Dias e o PH Revista, exemplos maiores da sua consciência da necessidade de atualização e renovação, mas sem perder a essência nem a qualidade do fazer jornalístico.

Em PH convivem o Jornalista excepcional e o escritor refinado. O Jornalista é profissional exemplar, inquieto, eternamente insatisfeito, que cumpre com senso de compromisso e indiscutível eficiência, de domingo a domingo, todos os ritos da labuta diária, que começa bem cedo e só termina noite avançada, depois que o repórter curioso e obstinado, o redator inteligente e preciso e o editor cuidadoso e exigente concluem suas tarefas. O escritor é o poeta festejado de outros tempos e o cronista que aos fins de semana contempla seus leitores com textos cuja qualidade narrativa alinhavada por uma prosa refinada ultrapassa claramente a fronteira do Jornalismo e invade a fundo o campo sagrado da literatura. As crônicas do PH, principalmente as que enfocam a São Luís do século passado – da Rua Grande, do Largo do Carmo, do Hotel Serra Negra, da esquina do BEM, do bar do Hotel Central – dão àquela cidade os movimentos, as cores e trazem até o cheiro de volta às lembranças de quem a viveu. O certo é que seus escritos proporcionam um mergulho comovente nas lembranças de um passado recente.

PH tem todos os direitos e argumentos para comemorar seu Jubileu de Ouro de Jornalismo. Os que dividem com ele a honra de praticar o Jornalismo pleno o saúdam como referência, torcendo para que continue brindando os seus leitores com o que há de melhor em matéria de informação, em todos os campos que o Jornalismo alcança.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Emendas contra o câncer: uma operação bem-sucedida unindo Legislativo e Executivo

Flávio Dino e Othelino Neto exibem cópia do chegue de R$ 4,2 mi que seria entregue a Enide Dino na presença dos deputados Wellington do Curso, Yglésio Moises, Antônio Pereira, Fábio Macedo, Carkinhos Florêncio, Adelmo Soares, Felipe dos Pneus, Hélio Soares, Detinha, Mical Damasceno, Rafael Leitoa, Daniella tema e Helena Duailibe, do secretário Carlos Lula (Saúde) e diretores da Fundação Jorge Dino

A liberação, pelo Governo do Estado, de R$ 4,2 milhões de emendas parlamentares em ajuda financeira ao Hospital Aldenora Bello foi o desfecho de uma das mais bem-sucedidas articulações envolvendo o Palácio dos Leões e o Palácio Manoel Beckman realizada em tempos recentes. Começou com discursos feitos, há cerca de três meses, pelos deputados Yglésio Moises (PDT) e Hélio Soares (PL) chamando atenção, em tom alarmante, para a crise financeira da Fundação Jorge Dino, que de tão grave já tinha como consequência a suspensão de alguns serviços gratuitos em tratamento de câncer, como a falta de medicamentos contra a dor, por exemplo, no Hospital Aldenora Bello, principal referência do Maranhão e uma das mais importantes da região no tratamento de câncer.

A grita dos deputados, que se multiplicaram na tribuna tratando do assunto, envolveu o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Othelino Neto (PCdoB), que assumiu o comando de uma ampla e cuidadosa articulação para a viabilização de uma proposta que respaldou: convencer cada um dos 42 deputados a destinar R$ 100 mil de suas emendas, totalizando R$ 4,2 milhões, para o Hospital, quantia suficiente para aliviar a crise financeira, garantindo a solução de pendências mais urgentes e assegurar a retomada dos serviços essenciais no tratamento do câncer, que estavam suspensos por falta de condições financeiras. Ao mesmo tempo, convencer o governador Flávio Dino a liberar os recursos. Foi uma operação em três frentes. E deu certo.

Na quinta-feira, a tramitação do processo foi concluída e, conforme o acerto inicial, o governador Flávio Dino (PCdoB) liberou os recursos, em ato que, ao lado do presidente Othelino Neto, reuniu no Palácio dos Leões, deputados, secretários e dirigentes da Fundação Jorge Dino.

 

Grupos governistas medem forças na disputa em São José de Ribamar

Eudes Sampaio e Jota Pinto 

Uma peleja discreta, mas dura, estaria sendo travada nos bastidores do Governo do Estado. De um lado, o secretário de Projetos Especiais, Luís Fernando Silva, estaria trabalhando no sentido de obter o apoio do PCdoB à candidatura do prefeito de São José de Ribamar, Eudes Sampaio (PTB), à reeleição. De outro, um grupo que teria a simpatia do presidente do PCdoB, deputado federal Márcio Jerry, estaria atuando a favor de uma aliança do partido com o Patriotas em torno da candidatura do ex-deputado Jota Pinto. Esses movimentos estariam acontecendo sem o aval do governador Flávio Dino, que ainda não teria se manifestado a respeito de quem pretende apoiar no terceiro maior colégio eleitoral do Maranhão na atualidade.

São Luís, 07 de Dezembro de 2019.

Um comentário sobre “PH comemora o Jubileu de Ouro de um Jornalismo pleno, culto e refinado

  1. Simples e pura hipocrisia, como sempre. Mesmo partido com 2 candidatos com chances de ganhar – na ausência de concorrentes . E o governador que é do PCdoB, desconhece a manobra!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *