Justiça estanca projeto de poder de Astro de Ogum e abre caminho para mudanças no comando da Câmara de São Luís

 

 

Astro de Ogum manter´[a os anéis, mas deve perderá o poder, que deve ficar com Osmar Filho
Astro de Ogum manterá os anéis, mas deve perderá o poder, que deve ficar com Osmar Filho, forte candidato a presidente
Após um prolongado embate subterrâneo entre grupos, decisões judiciais consolidaram a regra pela qual a Câmara Municipal de São Luís terá de realizar a eleição da nova Mesa Diretora até o final deste mês, e com um dado que muda radicalmente o cenário político no Legislativo da Capital: o atual presidente, vereador Astro de Ogum (PMN), não poderá ser candidato. A reviravolta detonou a articulação do grupo liderado por Astro de Ogum e Isaías Pereirinha (PSL), que está no comando da instituição há anos, situação que pretendia manter por pelo menos até 2020, com a reeleição do atual presidente, ou a de um vereador por ele indicado. A contramarcha abre caminho para a ascensão do vereador Osmar Filho (PDT), que representa a nova geração de integrantes da Casa e uma visão bem diferente da do grupo que está no poder, sendo também mais sintonizada com a grande transição política em curso no Maranhão.

Para se manter no poder, o grupo comandado pelo presidente Astro de Ogum tentou derrubar Resoluções da Câmara aprovadas em 2012 e que proibiu a reeleição de membros da Mesa Diretora dentro da mesma legislatura. Questionada na Justiça pelo vereador Chico Carvalho (PSL), a regra, se derrubada, abriria caminho para a reeleição de Astro de Ogum ou – quem sabe? – a eleição do próprio Chico Carvalho, que já presidiu a Casa por dois mandatos, na década passada, exatamente quando a reeleição na mesma legislatura era permitida. A estratégia montada por Chico Carvalho com o aval de Astro de Ogum e de Isaías Pereirinha foi, porém, por água abaixo, já que o posicionamento da Justiça mantém a Câmara Municipal nos trilhos das suas próprias regras, que poderão até ser mudadas, mas que seja com base num processo normal de alteração legislativa, uma vez que, não se sabe exatamente por que, a instituição pode escolher a data de escolha dos seus dirigentes de acordo com as conveniências da maioria do plenário.

A “parceria” Astro de Ogum-Isaías Pereirinha começou para valer em fevereiro de 2012, quando o segundo se elegeu presidente, tendo o primeiro como seu vice. Antes que a regra fosse mudada naquele ano, Isaías Pereirinha se reelegeu presidente, mantendo Astro de Ogum como vice. Ocorre que no início 2016, um ano antes de terminar seu segundo mandato, Isaías Pereirinhas adoeceu gravemente, afastando-se do cargo para cuidar da saúde, entregando o poder ao seu vice, que assumiu como presidente interino. No comando da máquina que alimenta o Palácio Pedro Neiva de Santana, Astro de Ogum se revelou um político esperto e ativo, conseguindo ampliar o seu raio de influência, saindo das eleições de 2016 reeleito como o vereador mais votado de São Luís. E na esteira do prestígio que conseguiu ao concluir o mandato presidencial de Isaías Pereirinha – que também se reelegeu -, Astro de Ogum elegeu-se presidente da Câmara para o atual período legislativo. O seu projeto incluía, é claro, derrubar a regra que proibia a reeleição num mesmo mandato, reeleger-se, e assim manter-se no poder até o início de 2021.

O projeto de poder de Astro de Ogum começou a ser minado quando o vereador Osmar Filho (PDT) ganhou o terceiro mandato como o mais votado de São Luís. Mesmo antes de assumir o novo mandato, o pedetista anunciou aos seus colegas sua intenção de disputar a presidência, mas o seu projeto foi adiado mediante um acordo pelo qual apoiaria Astro de Ogum, ficando acertado que teria o apoio dele na eleição de agora. Como Astro de Ogum tentou “esquecer” o acordo e jogar pesado para se reeleger, Osmar Filho fez uma ampla articulação para, primeiro, fazer valer a regra da proibição em vigor e, segundo, consolidar o seu projeto de candidatura.

A decisão judicial confirmando a regra segundo a qual a eleição tem de ser realizada agora e que o presidente atual não pode ser candidato à reeleição, não apenas tirou Astro de Ogum do páreo e implodiu o seu grupo, consolidou a candidatura de Osmar Filho. Com o lastro de quem já conhece o jogo de poder nos bastidores da Câmara Municipal e que já foi secretário municipal de Articulação Política, Osmar Filho soube se proteger neutralizando as artimanhas do atual presidente e seus aliados, e trabalhar para viabilizar sua candidatura a realização da eleição da Mesa Diretora da semana passada mostrou que ele ganhou o primeiro round. E deu a largada para o segundo e decisivo embate ao reunir 15 dos 31 vereadores em um almoço cujo prato principal.

Quem conhece a tradição e os bastidores da Câmara Municipal de São Luís sabe que até a eleição da Mesa, cuja data deve ser definida depois que o Tribunal de Justiça bater martelo sobre o assunto na sessão do Plano desta quarta-feira, sabe que muita água ainda pode rolar. Mas a julgar pelo cenário de hoje, o que está se desenhando é o seguinte: Astro de Ogum perdeu poder e seu grupo está se desmanchando, e Osmar Filho desponta como o provável sucessor, com o apoio discreto, mas decisivo, do Palácio de la Ravardière.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Enchentes: Tema articula apoio estadual e federal a desabrigados e comemora o “Mais Casa”

Tema Cunha: comanda a busca da soluções para os problemas causados pelas enchentes
Tema Cunha: comanda a busca da soluções para os problemas causados pelas enchentes

O prefeito de Tuntum e presidente da Federação dos Municípios do Maranhão (Famem), Cleomar Tema (PSB), respirou aliviado no fim de semana. Depois de vários dias de sufoco por conta dos vendavais que se abateram – e continuam se abatendo – sobre sua cidade e mais de uma dezena de municípios maranhenses, principalmente na região central do estado, o presidente da Famem chegou ontem a São Luís para dar seguimento aos pleitos que formulou ao governador Flávio Dino (PCdoB), na visita que fez a Trizidela do Vale, no Sábado (14). Tema informa que, mesmo com a persistência das chuvas, o pior já passou em Tuntum, mas garante que as equipes da Prefeitura continuam trabalhando para limpar as áreas mais afetadas com o transbordamento do riacho Tuntum, dando a atenção possível às famílias desabrigadas. Além do Governo do Estado, que já está em ação nos mais diversos municípios atingidos, o presidente da Famem está em sintonia com a bandada federal, agora coordenada pela deputada federal Luana Costa (PSB), pedindo aos deputados maranhenses que unam forçar para obter ajuda do Governo Federal. Cleomar Tema está especialmente entusiasmado com o anúncio feito em Trizidela do Vale pelo governador Flávio Dino: o Governo do Estado instituiu o “Mais Casa”, por meio do qual cada família diretamente afetada pelas chuvas e que tenham perdido suas casas e pertences, receberá u cheque n valor de R$ 5 mil para reconstruir suas moradias. “Esse é um alento enorme, que vai ajudar ânimo novo aos desabrigados”, disse Cleomar Tema.

 

Lobão lamenta enchentes e evita transformar o drama dos desabrigados em tema da guerra política

Edison Lobão se solidariza com desabrigados das enchentes, evitando politizar o drama social
Edison Lobão se solidariza com desabrigados das enchentes, evitando politizar o drama social

O senador Edison Lobão (MDB) gravou e veiculou na internet um vídeo no qual trata da situação dos municípios maranhenses atingidos pelas enchentes. Além do previsível – manifestação de solidariedade e anúncio de iniciativas para ajudar as populações afetadas -, a manifestação do senador emedebista chama a atenção por um dado diferenciado: ao contrário de outras vozes, que estão aproveitando para politizar os estragos causados pelo aguaceiro, o discurso do senador Lobão é exatamente o inverso. Na mensagem virtual, Edison Lobão lamenta o que está acontecendo em Tuntum, Trizidela do Vale, Joselândia, Marajá do Sena e outros municípios, mas enfatiza tratar-se de um problema “imprevisível”, evitando assim a tentação de responsabilizar A ou B pelos estragos e suas consequências. Lobão até aproveita para valorizar seu cacife, mas o faz de maneira cuidadosa, lembrando que quando foi governador (1991-1994) enfrentou problema idêntico e tomou as providências que podia tomar à época. Em nenhum momento puxou o sufoco dos temporais para o campo das disputas políticas de agora, tratando o problema dentro dos seus limites. Ou seja, o senador mostrou mais uma o seu viés de político tarimbado, que sabe jogar na seara do politicamente correto.

São Luís, 16 de Abril de 2018.

2 comentários sobre “Justiça estanca projeto de poder de Astro de Ogum e abre caminho para mudanças no comando da Câmara de São Luís

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *