José Reinaldo reage a Madeira e alveja Rocha dizendo que ex-prefeito não será “tábua de salvação de tripulante de barco que está afundando”

 

José Reinaldo reage a Madeira e alveja Roberto Rocha
José Reinaldo reage a Madeira e alveja Roberto Rocha

 

Atingido fortemente pelo aviso dado publicamente pelo comando estadual do PSDB no sentido de que ele perderá a vaga de candidato a senador, caso continue a incentivar a candidatura do deputado estadual Eduardo Braide (PMN), o ex-governador e atual deputado federal José Reinaldo Tavares reagiu com um comunicado cuja íntegra e a seguinte:

Comunicado

Por compreender que o equilíbrio de todo e qualquer debate público é exercido, com legitimidade, somente na plena vigência da democratização do acesso à informação, utilizo este expediente para fazer esclarecimentos à população maranhense e à classe política em geral.

Desde que me posicionou a favor da candidatura do deputado estadual Eduardo Braide ao Governo do Estado, tenho sido alvo de constantes ataques sob o comando do poderio econômico e político que – em desrespeito ao papel fundamental da imprensa – usam profissionais da comunicação para mandar recados a mim, sem que o meu ponto de vista possa sequer ser manifestado.

É de conhecimento público que sempre fui um político acessível a todos, inteiramente aberto ao diálogo e jamais me furtaria à ocasião de conversar com membros de qualquer partido – ainda mais com quadros relevantes do PSDB, como Sebastião Madeira e Roberto Rocha, partido ao qual estou oficialmente filiado.

Nutro um enorme respeito pelo ex-prefeito e ex-deputado Sebastião Madeira, que neste momento, entre útil e afoito, tem sido desbragadamente usado para atender aos interesses dos mais afetados pela ameaça de uma terceira via nas eleições deste ano.

Aproveito a ocasião para fazer um registro histórico. Quando decidi criar a Frente de Libertação do Maranhão, em 2006, o saudoso Jackson Lago rebelou-se contra a estratégia de lançarmos três candidatos ao Governo. E, no auge da discordância, chegou a me acusar de ser um agente infiltrado de Sarney para implodir a Oposição. O resultado todos conhecem: Lago consagrou-se nas urnas, eleito governador do Maranhão, em uma vitória que entrou para a História.

Conheço Madeira e sei que ele não servirá como tábua de salvação para nenhum tripulante de um barco que está afundando. Que a verdade e o espírito democrático possam se sobrepor às querelas e aos jogos dos que abusam do poder para me intimidar e confundir a população.

Brasília, 29 de Maio de 2018.

No texto, confuso em alguns pontos, o ex-governador José Reinaldo Tavares se diz atacado sob o comando de um tal “poderio econômico e político”, que usa profissionais da comunicação para lhe mandar recados”, sem soltar a menor pista sobre quem está falando. Mas, por outro lado,  deixa muito claro que não pretende rever sua “estratégia” de incentivar a Eduardo Braide, e menos ainda de assumir a linha de frente da candidatura do tucano Roberto Rocha. Afirma que não se furta a conversar com “figuras relevantes” do partido – Roberto Rocha e Sebastião Madeira -, assinalando ser um político “acessível a todos” e que jamais se negaria a conversar com a cúpula partidária, comandada pelo presidente e o secretário geral. Nem poderia, porque é inimaginável, em qualquer circunstância, que o quadro de um partido se furtasse a conversar com o presidente e o secretário geral do partido, que são quem realmente manda de fato no partido.

José Reinaldo centra fogo em Sebastião Madeira, a quem alega conhecer, e que, segundo ele, está sendo “desbragadamente” usado pelos mais afetados com a ameaça de uma terceira via. O ex-governador não cita nomes, mas não deixa dúvidas de que seus disparos são contra Roberto Rocha de quem não gosta, não tolera o fato de tê-lo como chefe partidário e não move uma palha para consolidar a candidatura dele ao Governo do Estado. E isso fica mais claro quando diz que Sebastião Madeira “não servirá de tábua de salvação para nenhum tripulante de um barco que está afundando”.

O problema é que o ex-governador entrou no PSDB imaginando que poderia dar as cartas, mas está se dando conta de que “a força” partidária está com o senador Roberto Rocha e com o ex-prefeito Sebastião Madeira. Finalmente, descobriu que a estratégia de incentivar uma candidatura fora do partido não funcionaria no mundo dos tucanos, menos ainda agora, quando, ao contrário de 2006, quando era governador e tinha poder de fato.

O comunicado não é agressivo, mas é duro e em nada minimiza a situação já criada dentro do PSDB, que segue para as eleições mergulhado numa profunda crise.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Bolsonaro vem aí para confirmar aliança com Maura Jorge

Jair Bolsonaro e Maura Jorge: aliança será confirmada no dia 16 de junho
Jair Bolsonaro e Maura Jorge: aliança será confirmada no dia 16 de junho

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) será o próximo presidenciável a desembarcar em São Luís para cumprir agenda de pré-campanha, cujo item mais destacado, além da sua própria apresentação, será a confirmação da candidatura da ex-prefeita de Lago da Pedra, Maura Jorge (Podemos), que resolveu ignorar definitivamente o pré-candidato do seu partido, senador Álvaro Dias (PR). Jair Bolsonaro desembarcará em São Luís no dia 16 de Junho, para liderar um ato em que confirmará sua candidatura ao Palácio do Planalto, iniciando uma maratona que percorrerá todo o Nordeste. Ponta de lança do seu movimento no Maranhão, Maura Jorge está articulando a vinda a São Luís caravanas de todo o estado para participar do ato de pré-campanha, dando assim o passo inicial para a “capilarização” do candidato da extrema-direita. Apoiadores de Maura Jorge dizem que a manifestação pró-Bolsonaro será “um grande ato”.

 

Cinco presidenciáveis já passaram este ano por São Luís

Ciro Gomes, Geraldo Alckmin, Guilherme Boulos, Aldo Rabelo e Álvaro Dias já passaram pelo Maranhão
Ciro Gomes, Geraldo Alckmin, Guilherme Boulos, Aldo Rabelo e Álvaro Dias já passaram pelo Maranhão

Jair Bolsonaro será o sexto pré-candidato a presidente da República a visitar o Maranhão em pré-campanha. O primeiro foi justamente o senador Álvaro Dias, que foi recebido por Maura Jorge. Em seguida, esteve em São Luís o candidato do PDT, Ciro Gomes, que esteve com o governador Flávio Dino, no Palácio dos Leões. Depois dele foi a vez do candidato do PSOL, Guilherme Boulos, que foi recepcionado pelo candidato a governador Odívio Neto. Depois dele, veio Geraldo Alckmin (PSDB), que foi recepcionado com grande ato organizado pelo candidato a governador pelo partido, senador Roberto Rocha. Há duas semanas, o presidenciável visitante foi o ex-ministro Aldo Rabelo, candidato do Solidariedade, tendo sido recepcionado pelo ex-secretário de Estado da Indústria e Comércio, Simplício Araújo, candidato a deputado federal. Com exceção de Geraldo Alckmin, todos tiveram passagem discreta por São Luís, a maioria cumprindo agenda de eventos fechados.

São Luís, 29 de Maio de 2018.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *