Flávio Dino concede aumento salarial para professores e bombardeia discurso da Oposição

 

Flávio Dino deixa Oposição sem discurso ao conceder aumento opara professores
Flávio Dino deixa Oposição sem discurso ao conceder aumento opara professores

Ao anunciar aumento salarial de 6,8% para os professores da rede estadual de ensino, elevando o piso salarial da categoria para R$ 5.750,00, que vem a ser um dos três mais altos entre todos os estados, o governador Flávio Dino (PCdoB) disparou, no primeiro dia de março, o tiro que faltava para derrubar as bandeiras da Oposição segundo as quais o atual Governo não cuida da Educação e que estaria financeiramente quebrado. Ao mesmo tempo, a medida injeta ânimo numa categoria que é linha de frente nos países que alcançaram elevado grau de desenvolvimento econômico e social, mas que no Brasil tem sido historicamente colocada em segundo plano. A concessão salarial reforça, indiscutivelmente, o discurso de que sob o atual Governo o Maranhão experimenta um processo diferenciado de gestão na qual os recursos públicos são corretamente aplicados, centavo a centavo. O anúncio, além de minimizar o discurso oposicionista de má gestão financeira, turbina o projeto do governador Flávio Dino no campo político, fortalecendo ainda mais a sua condição de favorito na corrida sucessória, na qual busca a reeleição.

Essas e outras ações do Governo colocam o governador Flávio Dino numa posição, se não privilegiada e inalcançável, pelo menos confortável o suficiente para permitir que ele toque sua gestão pagando a folha de pessoal rigorosamente em dia e, mais do que isso, fazendo investimentos expressivos com os parcos recursos que lhe sobram. Assim, o gestor comunista vai contrariando a maré de dificuldade e má gestão que assola a maioria dos estados, de modo a que ele seja apontado como uma das principais referências do País. Isso não significa dizer que o Governo do PCdoB é um mar de tranquilidade. Como os demais, enfrenta problemas graves e muitas carências. A diferença é que no Maranhão parece haver mesmo um esforço determinado no sentido de que o dinheiro público seja usado como deve ser, na implantação de programas como o Escola Digna, nas escolas de tempo integral, nos Iema`s, no intercâmbio com outros países, enfim, ações concretas, programadas para produzir resultados concretos. A isso se somam conquistas palpáveis os campos da Saúde, com uma rede hospitalar impensável há até pouco tempo;  da Segurança, investimentos maciços na Polícia e no controle efetivo do sistema penitenciário;  da Infraestrutura, com o programa mais asfalto urbano; e do desenvolvimento social, com o Mais IDH e a ampliação da rede de restaurantes populares, por exemplo.

Não como discutir que nas ações de Governo está embutido o viés político e, nele, o foco eleitoral. Essa é a regra em qualquer sociedade democrática na qual o poder só é alcançável pelo voto. Isso significa dizer que líderes de Governo bem sucedido têm todo o direito de pleitear a renovação do mandato. Com o direito líquido e certo de se articular para a formação de alianças partidárias que julgar conveniente para impulsionar as forças reunidas na corrida eleitoral. Uma realidade em que o mesmo direito tem as forças oposicionistas de fiscalizar, cobras, denunciar, enfim, dar voz aos divergem. Nesse formato político, nada mais normal e lícito, por exemplo, do que o projeto da ex-governadora Roseana Sarney (MDB) de voltar ao poder, argumentando que os quatro Governos que comandou foram benéficos para o Maranhão, havendo quem concorde e quem discorde. Mas é fato que nos seus quase 14 anos de poder ela construiu uma plataforma que lhe dá discurso

É o jogo da política, no qual os envolvidos, especialmente os que tentam manter-se no poder ou a ele retornar, defendem suas plataformas e tentam convencer o eleitorado a lhes dar o seu voto de confiança  E no jogo atual do Maranhão, o governador Flávio Dino está com a bola. E a campanha e o desfecho dela dirão o que de fato os maranhenses pensam de tudo isso.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Confronto verbal com Jefferson Portela desgasta Raimundo Cutrim  no Governo e no PCdoB

Raimundo Cutrim fica e posição delicada no PCdoB depois de se confrontar com Jefferson Portela
Raimundo Cutrim fica e posição delicada no PCdoB depois de se confrontar com Jefferson Portela sobre segurança

O pugilato verbal entre o secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela, e o deputado Raimundo Cutrim (PCdoB) indicam que algo está em descompasso dentro do PCdoB. Embalado pela condição de delegado federal aposentado e ex-titular da pasta, Raimundo Cutrim foi à tribuna da Assembleia Legislativa fazer “críticas técnicas” à atuação da Polícia no caso da quadrilha de contrabandistas, formada com a participação de policiais, entre eles o delegado-chefe da Seic, Tiago Bardal, e acabou alvejando a polpitica de segurança do Governo. Pavio curto e conhecido por dizer verdades azedas, o secretário Jefferson Portela reagiu de pronto, afirmando, entre outras coisas, que o deputado e ex-secretário é acusado de participar de uma organização criminosa e, por isso, não tem moral para fazer críticas à Polícia. Ontem, Raimundo Cutrim voltou à tribuna para reclamar da reação do secretário, e disparar uma bimba na direção do Palácio dos Leões: “A segurança pública no Maranhão está acabada. Não existe segurança pública no Maranhão”. A explosão do deputado, que também chamou o secretário de “secreta riozinho” repercutiu fortemente nos bastidores do Governo, causando uma reação em cadeia contra o parlamentar. O os desdobramentos devem acontecer dentro do partido, que tem Raimundo Cutrim como um membro estranho, sem qualquer identificação ideológica com o partido, enquanto Jefferson Portela é um quadro de ponta da agremiação, com militância na esquerda desde os primeiros passos no movimento estudantil. A bomba caiu no colo do presidente do partido, Márcio Jerry, que é secretário de Comunicação e Articulação Política e Articulação, que entrou no circuito para apagar o fogo, mas sabendo que a repercussão poderá ser muito forte e desgastante para o partido e para o Governo. Há quem diga que depois do que declarou na tribuna, o deputado Raimundo Cutrim não tem  mais condições de permanecer no partido. Ele tem até o dia 7 de março para resolver esse imbróglio.

 

É delicada e constrangedora a situação do deputado Cabo Campos

Cabo Campos corre até o risco de ser cassado
Cabo Campos corre até o risco de perder seu mandato na AL

Delicada e constrangedora a situação do deputado Cabo Campos (DEM) na Assembleia Legislativa, na Polícia Militar e na comunidade evangélica. Ele é acusado de espancar violentamente a sua mulher, podendo ser enquadrado na Lei Maria da Penha por crime inafiançável. Desde que a noticia veio à tona, o deputado Cabo Campos não participa das sessões plenárias, quebrando uma reconhecida assiduidade. Entre os deputados, principalmente as mulheres, sua imagem está fortemente desgastada, devendo o caso ser registrado Procuradoria da Mulher, comandada pela deputada Valéria Macedo (PDT), devendo também ser acionado pela Comissão de Ética.  Entre seus colegas policiais ele tem sido alvo de críticas duras. E na com unidade evangélica, muitas vozes, entre elas a da deputada federal Eliziane Gama, querem vê-lo enquadrado nos rigores da Lei. O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Othelino Neto (PCdoB), está conduzindo o caso de modo a que tudo seja devidamente apurado, para que o deputado Cabo Campos responda rigorosamente dentro das regras regimentais.

São Luís, 02 de Março de 2018.

2 comentários sobre “Flávio Dino concede aumento salarial para professores e bombardeia discurso da Oposição

  1. Caro Jornalista,
    O Governador apenas reajustou o piso salarial, até porque o Governo Federal, repassa recursos para tanto. Refaça o seu equívoco.

  2. Flávio Dino concede aumento aos professores e esquece os aposentados e pensionistas e acha que está fazendo muito. Eita Maranhão sem sorte !!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *