Dino reforça que é preciso formar frente ampla para derrotar Bolsonaro e as forças que o apoiam

 

Flávio Dino diz que frente ampla é o caminho para derrotar Jair Bolsonaro nas urnas no pleito de 2022

“Precisamos derrotar o Bolsonaro e o bolsonarismo, derrotar a ideologia da morte, da destruição que embasa esse sistema de poder que aí está, mas que passará, porque nós venceremos”. Com essa declaração, que resume sua expectativa em relação ao futuro político do País a partir de agora, o governador Flávio Dino (PCdoB) fechou sua participação em live do “Janelas pela Democracia”, realizada na noite de terça-feira (14), e que reuniu líderes dos partidos da esquerda democrática:  deputada federal Gleisi Hoffmann (PT), deputado federal Alessandro Molon (PSB), senador Randolfe Rodrigues (Rede), senador Cristovam Buarque (Cidadania), Carlos Lupi (PDT) e José Luiz Penna (PV). No debate, que foi acompanhado por milhares de internautas de todas as regiões do País, o governador do Maranhão reafirmou com clareza as suas posições, a começar pela defesa da construção de uma ampla frente, que inclua partidos políticos do centro-direita à esquerda, sem tutela ideológica, para enfrentar o presidente Jair Bolsonaro e a direita radical.

– Não se trata de atacar Bolsonaro, mas de defender o Brasil e os brasileiros – argumentou o governador maranhense, para quem uma frente ampla e bem articulada é o melhor caminho para tirar do poder Jair Bolsonaro e os segmentos conservadores de extrema-direita que o apoiam. “Os movimentos a favor da democracia nos ajudam a ampliar a opinião, para que não seja uma coisa dos partidos e sim uma questão da sociedade, uma autodefesa”, explicou.
O governador do Maranhão sustentou a proposta de construção de uma frente popular. Para tanto, manifestou a convicção de que, se convocadas para a defesa de uma causa do Brasil e do futuro da sociedade brasileira, que vem sofrendo duros ataques do reacionarismo em todos os seus vieses, as pessoas sem partido, sem filiação partidária, sem opção ideológica, mas que defendem o Brasil e os brasileiros, se engajarão no movimento. “Me dirijo àqueles que praticam o patriotismo verdadeiro e não o farisaísmo de quem finge ser patriota, mas que na verdade defende os interesses de outros países, apenas os interesses dos mais ricos, daqueles que mais têm”, disse Flávio Dino, num forte disparo dirigido ao presidente da República. Para ele, defender o “patriotismo popular” é, sobretudo, “amar o povo”.

Com essas manifestações, o governador Flávio Dino deixou implícita sua convicção de que o caminho para derrotar Jair Bolsonaro e as forças da direita radical é travando o embate político direto, intenso, que mostre aos brasileiros os riscos que a democracia corre se essas forças se consolidarem no Poder. Para ele, exemplos como a postura absurda do presidente da República e dos seus seguidores em relação à pandemia do novo coronavírus, o desprezo deles pelo melo ambiente, a política armamentista e a descontinuidade administrativa – ministérios da Educação e Saúde sem ministros, por exemplo – são reveladores do total despreparo do presidente da República e do descompromisso com a sociedade brasileira, principalmente os seus estratos mais carentes.

O governador maranhense está convencido de que a frente ampla contra o atual Governo é o caminho para derrotá-lo nas urnas. O primeiro passo será as forças de Oposição vencerem as eleições municipais e, a partir dessa vitória, construir a base política e eleitoral para derrotar o bolsonarismo nas urnas em 2022, com uma candidatura que represente o espectro político da frente ampla. O seguinte será mobilizar os segmentos políticos de fato comprometidos com a democracia, a exemplo da aliança que construiu no Maranhão e que se mantém com 16 partidos que formam um amplo arco ideológico.

Nos seus pronunciamentos políticos, Flávio Dino tem insistido nessa proposta, explicando, às vezes de maneira quase didática, que a vitória nas urnas é o caminho mais saudável e legítimo consolidar definitivamente a democracia brasileira.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Pré-candidatos à Prefeitura de São Luís intensificam articulações por alianças partidárias

Rubens Júnior, Eduardo Braide e Net Evangelista se mexem para ampliar bases de apoio

Os últimos dias têm agitado intensamente os bastidores da corrida para a Prefeitura de São Luís, com os pré-candidatos mais fortes procurando ampliar as suas bases de sustentação política e partidária, mais transformar esse cacife em poder de fogo eleitoral. Rubens Júnior praticamente selou a aliança do PCdoB com o PT, e vem ganhando reforços individuais, como o da deputada estadual e atual secretária da Mulher, Ana do Gás. Neto Evangelista (DEM) já tem o apoio da cúpula do PDT – sem o prefeito Edivaldo Holanda Júnior, vale registrar – e deve confirmar o apoio do PSL, segundo declarou o presidente do partido no Maranhão, vereador Chico Carvalho. E Eduardo Braide (Podemos) deve formalizar em pouco tempo a aliança com o PSC do deputado federal Aluísio Mendes e com o PSD do deputado federal Edilázio Júnior. Os demais pré-candidatos – Duarte Jr. (Republicanos), Bira do Pindaré (PSB), Carlos Madeira (SD), Yglésio Moises (PROS), Adriano Sarney (PV), Franklin Douglas (PSOL), Saulo Arcangeli (PSTU) e Detinha (PL) –  também se encontram em franco movimento em busca de alianças partidárias. É provável que até o final deste mês, bem antes das convenções, o quadro de candidaturas e suas alianças está definido.

 

Prefeito de Imperatriz reage à ação de promotora e compra briga feia com Ministério Público

Assis Ramos comprou briga feia com o MP ao acusar a promotora Mahyma Abas de perseguição 

Não bastassem seus problemas administrativo, a queda de popularidade e um time de adversários pesos pesados para enfrentar na corrida às urnas, o prefeito de Imperatriz, Assis Ramos (DEM) comprou briga feia com o Ministério Público estadual ao acusar a promotora de Justiça Nahyma Ribeiros Abas, titular da 1ª Promotoria Especializada de Imperatriz, de perseguição política, quando ela o acionou na Justiça por suspeita de praticar nepotismo na sua administração, com a intenção de prejudica-lo eleitoralmente. Indignado, Assis Ramos – que é delegado de Polícia, portanto conhecedor do alcance e dos limites do MP -, anunciou que vai denunciá-la ao Conselho Nacional do Ministério Público, reafirmando tratar-se de perseguição política. Ontem, o Ministério Público, por meio da sua Secretaria de Assuntos Institucionais, reagiu em nota às declarações e movimentos do prefeito Assis Ramos, declarando total apoio à promotora Nahyma Abas, apontando-a como uma profissional correta e conta com o “apoio irrestrito” do Ministério Público. Resta esperar pela tréplica do prefeito Assis Ramos.

São Luís, 16 de Julho de 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *