Dino assume liderança na defesa de Lula e se credencia para ocupar espaço no cenário político nacional

 

Flávio Dino deixando a sede da PF em Curitiba depois de ser impedido de visitar Lula da Silva
Flávio Dino deixando a sede da PF em Curitiba após de ser impedido de visitar Lula 

O governador Flávio Dino (PCdoB) deu mais um passo para se consolidar como um político de influência no cenário nacional, ao reafirmar a coerência do seu discurso e das suas posições na guerra político-jurídica que vem tensionando fortemente o País desde que o Tribunal Regional Federal da 4ª Região ratificou a sentença do juiz-chefe da Operação Lava Jato, Sérgio Moro, condenando o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva (PT) a 12 anos e um mês de prisão sob a acusação de que ele recebeu propina da empreiteira OAS no controvertido Caso do Triplex de Guarujá. O governador e mais oito governadores foram a Curitiba tentar uma visita ao ex-presidente, mas o grupo foi impedido por decisão da juíza Carolina Moura Lebbos, responsável pela execução da pena do líder petista, que considerou o encontro uma regalia à qual Lula da Silva não tem direito. Sem delongas nem crise de autoridade, o governador Flávio Dino – que foi juiz federal e sabe como as coisas funcionam nessa seara – respeitou a decisão da magistrada, e marcou sua ida ao Paraná escrevendo, do próprio punho, uma carta ao ex-presidente expressando-lhe total apoio, que recebeu a assinatura dos demais governadores.

O governador do Maranhão fez questão de comunicar ao mundo que foi a Curitiba reafirmar suas convicções políticas e jurídicas sobre a prisão de Lula da Silva, e o fez por meio de um vídeo no qual lhe declara solidariedade “pessoal e política”, por ter “a convicção de que há um erro imenso, tanto no tocante ao mérito, ou seja, no caso do dito apartamento, do triplex, não comporta uma condenação desse tipo”, e também porque, segundo o seu entendimento, “não houve o exaurimento dos recursos que a Constituição, a lei brasileira, assegura a todos os brasileiros”. Justifica que “por isso nós estamos diante de uma prisão de caráter mais político do que legal, clara violação à Constituição e ao artigo 283 do Código do Processo Civil, uma vez que não houve o trânsito em julgado”. E fecha o argumento afirmando que “por isso estamos defendendo, claro, a liberdade do presidente Lula, os seus direitos políticos, mas estamos defendendo também e integridade e a autoridade do sistema jurídico, da Constituição e das leis para todos os brasileiros”. Conclui afirmando, em tom de convocação, tratar-se de “uma causa que deve unir a todos aqueles que sabem a importância do cumprimento e da democracia em favor de todos”. E no clássico estilo de militante, propõe uma palavra-de-ordem: “Lula livre!”.

Por qualquer ângulo que se observe a sua movimentação se chegará à conclusão de que o governador Flávio Dino sabe exatamente o que está fazendo. Quando discursa contra o que chama de “erro jurídico imenso”, fala tecnicamente e com a autoridade de quem já foi juiz federal. As estocadas que dá no juiz Sérgio Moro parecem manifestações baseadas na convicção em relação à anormalidade do processo. Tanto que nenhuma voz partidária das decisões do juiz Sérgio Moro se manifesta em sua defesa. E quando afirma que a condenação de Lula da Silva  é principalmente um ato político, o silêncio da Justiça Federal em Curitiba parece uma atitude temerosa de que haja, de fato, algo de muito grave nas entranhas das decisões tomadas até aqui em relação ao ex-presidente.

Chama atenção o fato de que o movimento dos governadores foi iniciativa do líder maranhense, que vem tomando as iniciativas e sendo seguido pelos dirigentes estaduais identificados como essa linha de ação na defesa do ex-presidente. Flávio Dino fala de igual para igual com seus colegas governadores, independente do peso político dos estados que representam, e vem dando seguidas demonstrações de que começa, de fato, a ocupar um lugar destacado nesse campo político. A iniciativa que tomou, diante do impedimento de acesso a Lula da Silva, de escrever-lhe uma carta do próprio punho e tê-la respaldada com as assinaturas dos oito governadores e dos três senadores presentes foi uma demonstração cabal de que assumiu, de fato, a liderança do movimento e do grupo. E certamente não agiria com essa desenvoltura se estivesse preso a algum malfeito ou tivesse alguma conta sinistra a acertar com a Justiça, o que torna ainda mais sólida sua posição política nesse contexto em que pelo menos oito entre 10 têm rastros suspeito a serem explicados, com delegados, promotores e juízes.

O que está se vendo é um político maranhense com posição consolidada no estado, com amplas chances de reeleição, e em franca ascensão no plano nacional, com possibilidade concreta de ocupar espaço expressivo nesse vazio de lideranças que o País está vivendo. Pelo menos até aqui, nenhuma outra interpretação dos fatos mostrará um cenário diferente.

 

PONTO & CONTRAPONTO

Roberto Rocha aposta que o PSDB farpa uma campanha “eficiente” no Maranhão

Roberto Rocha: está entusiasmado com a campanha dos tucanos
Roberto Rocha: está entusiasmado com a campanha dos tucanos

O senador Roberto Rocha começa a articular o lançamento da chapa com a qual o PSDB vai disputar o Governo do Maranhão e as duas cadeiras no Senado. Mais candidato a governador do que nunca, Roberto Rocha se movimenta embalado pelo faro de que vai liderar uma chapa que considera competitiva, principalmente para o Senado, que terá como candidatos o ex-governador d atual deputado federal José Reinaldo Tavares e o deputado estadual Alexandre Almeida. E ainda com dois candidatos de peso à Câmara Federal, o ex-prefeito de Imperatriz Sebastião Madeira e o deputado federal Waldir Maranhão. O senador trabalha para viabilizar sua candidatura fortemente atrelada ao projeto presidencial do tucano Geraldo Alckmin, que teria lhe prometido incluir o Maranhão pelo menos duas vezes no roteiro da sua campanha. Ao contrário do que muitos vêm afirmando, o senador Roberto Rocha tem afirmado em conversas reservadas que o PSDB não perdeu muitos prefeitos com a saída do vice-governador Carlos Brandão, que previu ser seguido por pelo menos 20 dos 28 prefeitos tucanos. Nas contas da cúpula dos tucanos, nem uma dezena de prefeitos deixou o partido, entre eles Vianey Bringel, de Santa Inês, que migrou para o DEM, e Luis Fernando Silva, de São José de Ribamar, que por enquanto se mantém. Roberto Rocha tem garantido a interlocutores que o PSDB no estado.

 

DEM amplia bandada estadual e reforça base com nomes como Daniela Tema

Daniela Tema: nome forte do DEM na Região Central do estado
Daniela Tema: nome forte do DEM na Região Central do estado para outubro

É a cada dia mais evidente a expectativa que o DEM fará forte diferença na corrida por cadeiras na Assembleia Legislativa. O partido, que já contava com os deputados Stênio Rezende, Antônio Pereira e Cabo Campos, saiu da janela reforçado pelos deputados Rogério Cafeteira, Neto Evangelista e Paulo Neto. Além dos deputados, que são naturalmente candidatos à reeleição, o DEM foi turbinado por nomes politicamente fortes e com amplas chances de chegar à Assembleia Legislativa. Um desses é Daniela Tema, esposa do prefeito de Tuntum e presidente da Famem, Cleomar Tema (PSB). Nutricionista por formação e desde a infância envolvida com a política por influência familiar, Daniela Tema, pouco mais de 30 anos, nasceu em Presidente Dutra e se tornou conhecida em toda a região pelo trabalho que realizou na direção do Socorrão de Presidente Dutra, o primeiro hospital regional implantado pelo governador Jackson Lago (PDT). Jovem, bonita, com boa formação e politicamente determinada, Daniela Tema ganhou também o incentivo do governador Flávio Dino, que elogiou o desempenho na condução do Socorrão de Presidente Dutra. Poucos duvidam da sua força eleitoral na Região Central do Maranhão.

São Luís, 11 de Abril de 2018.

2 comentários sobre “Dino assume liderança na defesa de Lula e se credencia para ocupar espaço no cenário político nacional

  1. Quanto mais baterem no Presidente LULA ele mais crescerá! Sempre foi assim ao longo da história. O tempo mostrará através da história como o golpe aconteceu E OS PROCEDIMENTOS para entregar o país aos estrangeiros que se sentiram ameaçados com a onda nacionalista que dominava o BRASIL.

  2. Precisa-se de RE-ZAR..
    ..
    IRMÃO CAMARADA, POR ORA É HORA…
    Caro Irmãozinho em Cristo:
    Sr. Companheiro Paloffi [PT]:
    irmão camarada, por ora é hora de se recolher, portanto ore, amém?
    Améém, sim!
    Senhor, fazei de mim 1
    instrumento da corrupção
    e do golpe a Constituição
    Onde tiver gorjeta,
    Q eu encha maleta.
    Q seja minha sina
    receber propina.
    Se houver mutreta,
    Q eu mame na teta.
    Mídia?
    Imprensa?
    Tudo perfídia!
    Quero é minha recompensa!
    Não sou peixe-lobo,
    Sou sim 1 apedeuta.
    Odeio Rede-Globo
    Sem opinião de jornalista traíra,
    são PiG golpistas.
    Do PCdoB amo Jandira,
    Na cultura Ipojuca.
    PICHAÇÃO?
    não é obnubilação.
    Inclusive faço até licitação,
    Coitado do pobre,
    que não tem dinheiro
    pra Leonardo da Vinci nobre.
    Amo e divulgo,
    Tudo que é porralouca.
    Depois da meia-noite urubu vira frango,
    semeio tudo Q é barango.
    Vem na minha companheiro!
    .
    Amém?
    .
    {oração de Nosso Chefão Mor}.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *