Aprovação ampla do Governo Dino em São Luís e Imperatriz vai muito além de uma avaliação do momento

 

Flávio Dino: credibilidade conquistada com a confirmação do discurso na prática

Pesquisa feita pelo instituto Exata e publicada na edição de Domingo do Jornal Pequeno informa: 65% dos ludovicenses aprovam o Governo Flávio Dino, contra 32% que não aprovam e 3% que não responderam; e 69% dos imperatrizenses o aprovam, contra 28% que não aprovam e 3% que não responderam. Esses números colocam o governador Flávio Dino (PCdoB) num patamar diferenciado em relação aos governantes mais recentes do Maranhão, e também entre os governadores dos demais estados, especialmente os que, como ele, foram reeleitos em 2018, estando portando, há 66 meses no comando dos seus estados. A avaliação largamente positiva do governador maranhense nos dois centros politicamente mais Flávio Dino é e tradicionalmente mais críticos em relação aos governantes, especialmente num momento como o atual, em que a atuação do Governo estadual é pesada e medida ao sabor dos graves e inusitados acontecimentos produzidos pela pandemia do coronavírus, chama a atenção. Mais do que isso, impressiona, principalmente se comparada, por exemplo, à avaliação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que há 18 meses no cargo vê seu prestígio pulverizado em seguidas quedas nas avaliações.

Flávio Dino é um governante diferenciado. A começar pelo fato de que passados quase 1.990 dias no cargo, ele mantém rigorosamente o discurso da campanha para a primeira eleição e cumpre, com muito pouca alteração, os compromissos que assumiu no discurso de posse feito na noite de 1º de Janeiro de 2015. Naquele momento, o novo governador anunciava o fim de um ciclo e o início de outro ciclo na política maranhense, e a mudança incluía, sobretudo, uma transformação nos modos e nos objetivos da governança. O compromisso básico foi “governador para o povo”, realizando uma gestão de viés social como nunca ocorrera no Maranhão, com foco em educação, saúde, segurança pública, assistência social nos seus mais variados aspectos, atenção para com a juventude, cuidados com os mais carentes, programas de segurança alimentar, combate à pobreza. Isso sem deixar de lado o outro viés: cuidar da cultura, investir em infraestrutura e incentivar as atividades econômicas.

Outro aspecto importante no perfil do atual Governo do Maranhão: transparência. Nesses cinco anos e meio não há um caso de desvio que tenha colocado o governador ou qualquer secretário na rota dos escândalos de corrupção que aqui e ali estouram Brasil a fora. Todos os gastos, sejam para bancar despesas com a máquinas e com as áreas de atendimento, sejam os destinados a custear investimentos, são objeto de um férreo controle, que não permite qualquer aventura fora dos trilhos. As informações sobre desempenho fiscal e o cumprimento orçamentário estão no Portal da Transparência. Até aqui, os raros rumores sobre pontos fora da linha reta da correção do atual Governo perderam logo sentido, exatamente por serem factoides.

A explicação para a aprovação elevada numa população exigente e politicamente independente como a de São Luís começa com o fat0o de que Flávio Dino não desembarcou na seara político. Se preparou, delineou um projeto de poder, criou as condições para colocá-lo em prática, correndo todos os riscos de fracasso, mas soube se movimentar, ocupou os espaços, desafiou o status quo vigente, expôs suas pretensões com clareza e, tendo ganhado a oportunidade, dedicou-se ao cumprimento dos compromissos assumidos no seu discurso de campanha. O prestígio que desfruta, mais do qualquer jogo de encantamento populista, vem da credibilidade que conquistou cumprindo o prometido. Essa relação que construiu com a sociedade desarmou seus adversários, inibiu a montagem de armadilhas, mas não seduziu 32% de ludovicenses que trilham por outros caminhos, dando gás à saudável disputa política que garante o vigor da democracia.

O bem-sucedido enfrentamento da pandemia reflete a base construída ao longo dessas mais de 260 semanas de gestão. Ontem, ao comentar a aprovação do Governo Flávio Dino em São Luís e Imperatriz, o secretário de Comunicação e Articulação Política, Rodrigo Lago, resumiu: “É a população reconhecendo que o governo soube bem enfrentar essa pandemia e, mais do que isso, vem ao longo dos últimos cinco anos revolucionando as políticas públicas no Maranhão”. É isso.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Duplicação da BR-135: além da restauração, cabe uma investigação séria sobre o que foi gasto

Militares restauram BR-135, onde caberia também uma investigação do MP federal sobre o desgaste

Políticos ligados ao Governo do presidente Jair Bolsonaro, como o senador Roberto Rocha (PSDB), por exemplo, estão comemorando o trabalho do braço construtor do Exército na recuperação do trecho duplicado da BR-135 entre o Estreito dos Mosquitos e Bacabeira. Tudo bem. Nada contra. Muito ao contrário. Se é para resolver, que sejam os homens de verde e suas máquinas, servidores públicos considerado bons no que fazem, e que, até onde a vista alcança, não atuam por apadrinhamento.

Os mesmos poderiam tomar outra iniciativa, essa tão importante quando as obras de restauração em andamento: pedir uma perícia técnica de alto nível, isenta, via Ministério Público Federal, e se possível contratando uma consultoria especializada e independente, para que se possa saber quem elaborou o projeto, quem contratou e quem realizou aquela duplicação, como foi realizada e quanto custou a obra. Há cálculos que apontam R$ 300 milhões, outros que somam R$ 500 milhões, havendo também os que sugerem que pelo menos R$ 1 bilhão passaram pelo charco viário do Campo de Perizes e alçaram voo rumo ao desconhecido.

A chave desse caso, que se devidamente investigado pode ganhar forma de um escândalo de grandes proporções, está no Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte, o famoso DNIT.

 

PV pode ter o apoio do MDB, mas a negociação será ampla e complicada

Adriano Sarney 

Pré-candidato a prefeito de São Luís pelo PV, o deputado estadual Adriano Sarney volta suas atenções para o MDB, partido que abriga as forças remanescentes do Grupo Sarney e que se prepara para participar das eleições na Capital com uma chapa forte de candidatos a vereador e, dependendo do contexto, com candidato próprio à sucessão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) ou participando de uma aliança indicando o candidato a vice. O projeto de Adriano Sarney se encaixa como uma luva na perspectiva do MDB, e a lógica política sugere que esses interesses se completam. Mas não é bem assim. Entre o MDB de agora e o PV de agora há um enorme fosso. As duas correntes do sarneysismo não se bicam, o que torna difícil a abertura de um diálogo que apare arestas e abra caminho para um entendimento nessa corrida eleitoral. Um entendimento PV/MDB passa necessariamente pela ex-governadora Roseana Sarney e pelo ex-deputado federal Sarney Filho – hoje politicamente radicado em Brasília -, pelo ex-senador João Alberto e pelo deputado estadual Roberto Costa. Se um deles disser “não”, não haverá acordo.

São Luís, 07 de Julho de 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *