Ainda abalada pelas tragédias em Minas Gerais, Vale firma parceria para investir R$ 60 mi em ações sociais no Maranhão

 

Flávio Dino tendo o presidente da Vale, Eduardo Bartolomeo, e o presidente da Assembleia Legislativa, Othelino Neto, à esquerda, e um diretor da Vale, o vice-governador Carlos Brandão e o vice-prefeito de São Luís, Júlio Pinheiro, à direita.

A Vale deu uma demonstração de que as tragédias ocorridas no seu campo de ação em Minas Gerais, com rompimento de barragens que ceifaram quase três centenas de vida em Mariana e Brumadinho, e pelas quais foi diretamente responsabilizada, causando abalos estrondosos e danosos à sua credibilidade no Brasil e no mundo, não a tiraram inteiramente do eixo. Sua condição de empresa nacional, que explora uma riqueza incalculável pertencente aos brasileiros, o minério de ferro, que a torna uma organização com atuação em vários continentes, a levou a dar mais um passo no campo da responsabilidade social no Maranhão: firmou com o Governo do Estado uma parceria por meio da qual investirá R$ 60,3 milhões no estado. Do total, R$ 52,2 milhões serão aplicados em construção e reforma de escolas, instalação de laboratórios em escolas técnicas do Estado, formação de educadores, programas de alfabetização e restauração de prédios históricos no programa Nosso Centro, lançado recentemente pelo Governo do Estado, e R$ 8,2 milhões serão doados ao Corpo de Bombeiros. A parceria foi formalizada ontem pelo presidente da Vale, Eduardo Bartolomeu, e o governador Flávio Dino (PCdoB), em ato no Palácio dos Leões, presenciado pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado Othelino Neto (PCdoB).

De acordo com o que foi divulgado pela Vale e pelo Governo do Estado, os investimentos em educação ampliarão o programa Escola Digna, com a construção de cinco novas escolas com mobiliário e sistema de abastecimento de água nas cidades de São Pedro da Água Branca, Igarapé do Meio, Tufilândia e Vila Nova dos Martírios. Serão reformadas uma escola em Arari, uma em Monção e uma em Bom Jesus das Selvas. As unidades do Instituto Estaduais de Educação, Ciência e Tecnologia (IEMA) em São Luís (Centro e Itaqui-Bacanga) e Santa Inês serão contemplados com a implantação de novos laboratórios. A Fundação Vale atuará na alfabetização plena de crianças de até 8 anos em 23 municípios maranhenses, projetando formar, em uma década, pelo menos 200 mil estudantes do ensino fundamental e sete mil educadores de pré-escola em 1.500 escolas municipais e estaduais. Outra linha de atuação está relacionada à promoção do livro e da leitura no Ensino Fundamental e Médio e projetos de Educação de Jovens e Adultos (EJA), incluindo a doação de acervo a escolas. O braço social da Vale apoiará a Secretaria de Estado da Educação com diagnóstico e melhoria dos fluxos e processos.

O pacote de ações montado pela Vale alcançará um dos traços mais fortes da identidade cultural do Maranhão: o acervo arquitetônico colonial português concentrado no Centro Histórico   de São Luís, que é Patrimônio da Humanidade, conforme decisão da Unesco. Uma parte dos recursos reforçará o programa Nosso Centro, desenvolvido e recém lançado pelo Governo do Estado. No documento, a mineradora se compromete a restaurar casarões selecionados em comum acordo com o Governo estadual, que será responsável pela elaboração dos projetos executivos. Imóveis pertencentes à Vale em A parceria projeta ainda investimentos em saneamento e abastecimento de água em várias áreas de São Luís e Raposa. Imóveis pertencentes à Vale em Vitória do Mearim, Alto Alegre do Pindaré, Açailândia e São Pedro da Água Branca serão transformados em bases operacionais da Polícia Militar em mais um esforço no combate ao crime ao longo da Estrada de Ferro Carajás.

“Hoje estamos assinando um importante documento de parcerias com a empresa que atua no Maranhão, a Vale, acordo esse que implicará a realização de investimentos em várias áreas. Destaco a adesão da empresa ao programa Nosso Centro, recentemente lançado. Só nessa área de restauração de patrimônio histórico são R$ 15 milhões. E esse é um protocolo que tem consequências práticas e muito significativas, girando em torno de R$ 60 milhões”, destacou o governador Flávio Dino.

Com iniciativas dessa natureza, a Vale compensa parte dos benefícios que recebe como usuária de parte do território maranhense para transportar o minério que extrai da Serra de Carajás e exporta para vários continentes, valendo-se também das excepcionais condições portuárias do Maranhão.

Em Tempo: parte desse comentário contém informações divulgadas pela Assessoria de Comunicação do Governo do Estado.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Edilázio Jr. assume o comando do PSD no vácuo do fracasso eleitoral de Cláudio Trinchão

Edilázio Jr. na Câmara federal: apoio ao Governo Bolsonaro e espaço no PSD

O deputado federal Edilázio Jr. foi confirmado presidente do PSD no Maranhão. A confirmação partiu do presidente nacional da agremiação, o ex-prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. O parlamentar sucede a Cláudio Trinchão, que foi o todo-poderoso secretário de Fazenda nos últimos períodos de Governo de Roseana Sarney, mas fracassou nas duas tentativas que fez de eleger-se deputado federal. À frente do partido, Edilázio Jr. tem a oportunidade de consolidar um espaço político dentro do Grupo Sarney, que não teve quando pertenceu ao PV, partido totalmente dominado por Sarney Filho e Adriano Sarney, e no próprio PSD, quando a legenda esteve sob o controle de Cláudio Trinchão.

Um dos mais ativos representantes da nova geração da direita no Maranhão, Edilázio Jr. milita nas fileiras do sarneysismo por contingência familiar – é genro de Ronald Sarney, irmão do ex-presidente José Sarney (MDB), o que lhe garante proximidade com o líder maior e com a ex-governadora Roseana Sarney (MDB). Poderia militar no MDB, mas desde cedo percebeu que ali também não teria espaço para levar à frente os seus projetos políticos. Iniciou carreira como deputado estadual pelo PV, mas logo deparou-se com limitações, mudando finalmente para o PSD, pelo qual se elegeu deputado federal. Diante do fracasso eleitoral de Cláudio Trinchão, Edilázio Jr. trabalhou para se tornar uma das estrelas do partido na Câmara Federal, apoiando enfaticamente o Governo Bolsonaro, ocupando por essa via o espaço que o levaria à presidência do partido no estado.

Tem agora pela frente a desafiadora tarefa de consolidar a legenda no Maranhão e prepará-la para as eleições municipais de 2020, que serão o grande teste da sua competência como líder partidário. “A responsabilidade vai ser grande e, através do diálogo e da luta, vamos alcançar nossos objetivos e fortalecer ainda mais o PSD”, declarou após ser guindado ao comando do partido. Vai operar o partido tendo como o ex-deputado federal Clóvis Fecury como 1º vice-presidente.

 

Adriano Sarney afirma que Flávio Dino e José Sarney firmaram um acordo, mas não revela os termos

Adriano Sarney: afirma que houve acordo entre Flávio Dino e José Sarney

Causou surpresa em muitos, e até perplexidade em alguns, o discurso do deputado estadual Adriano Sarney (PV) afirmando, peremptoriamente, que o governador Flávio Dino (PCdoB) e o ex-presidente José Sarney, seu avô, firmaram um acordo, e anunciando, em tom de trombeta de guerra, que não se envolverá.

Chama a atenção o fato de o governador Flávio Dino haver declarado, em mensagem no twitter e em longa entrevista concedida ao Jornal Pequeno, publicada na edição de Domingo (30/06), que conversou com José Sarney na condição de ex-presidente da República, tratando exclusivamente da instabilidade política do País. Afirmou, categoricamente, que não trataram do cenário político estadual e que o encontro não alterou as suas posições de adversários no Maranhão. O ex-presidente José Sarney, por sua vez, manteve silêncio férreo sobre o assunto, não fazendo qualquer declaração relacionada com a conversa, que aconteceu na sua residência, em Brasília, na quarta-feira (26/06).

O deputado Adriano Sarney surge no cenário com uma versão absolutamente surpreendente, fazendo uma afirmação contundente: “Esse acordo certamente não me envolverá, jamais. Porque, neste mandato, o titular sou eu, e eu vou até o final, independente de acordos políticos”. Disse, para em seguida acrescentar: “Não sou eu quem deve apresentar as particularidades do que foi conversado entre José Sarney e Flávio Dino. Mas houve, sim, acordo, e o povo do Maranhão vai presenciar esses detalhes futuramente”.

O deputado Adriano Sarney deve ter ciência de que sua afirmação o obriga a, cedo ou tarde, apresentar a prova, sob pena de ter sua seriedade política colocada em dúvida.

São Luís, 03 de Junho de 2019.

6 comentários sobre “Ainda abalada pelas tragédias em Minas Gerais, Vale firma parceria para investir R$ 60 mi em ações sociais no Maranhão

  1. O Dep. Adriano mostra que é um político independente e de posições firmes. Quem o conhece sabe. E não é de hj que ele faz Oposição ao Flávio. Desde 2015 ele está nesta trincheira.

  2. Ganhou ponto comigo, manteve a coerência e não foi atrás desse encontro vergonhoso. Sarney nem deveria ter se sentado com um cara que se elegeu lhe desmoralizando, politicamente e pessoalmente

  3. Adriano disse que independente de acordo entre Sarney e Flávio Dino, o mesmo não está envolvido e nem estará envolvido. Que o povo foi quem concedeu o seu mandato e ele não poderá trair aqueles que votaram nele para ser oposição! Homem de coragem!!! Só um homem de pulso firme faz isso! Admirável!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *