Indicação de Pedro Fernandes para o Ministério do Trabalho foi atingida por uma demonstração de força nada republicana

 

Pedro Fernandes se diz vetado por José Sarney
Pedro Fernandes diz que indicação foi vetado por José Sarney

Primeiro a surpresa, depois, perplexidade. Foram esses os sentimentos que atingiram milhares e milhares de maranhenses ao serem informados de que o deputado federal Pedro Fernandes não será mais nomeado ministro do Trabalho porque, mesmo indicado unanimemente pela bancada do PTB, teria sido, segundo o próprio parlamentar, vetado pelo ex-presidente José Sarney (PMDB). O motivo: Pedro Fernandes, que durante décadas foi aliado do Grupo Sarney, decidiu seguir outro rumo e integrar a aliança liderada pelo governador Flávio Dino (PCdoB). Por meio de assessores, o ex-presidente José Sarney negou enfaticamente a interferência, mas todos os indícios apontam no sentido de que a restrição foi manifestada e aceita pelo presidente da República, causando um enorme constrangimento na bancada federal do PTB, que recebeu do Palácio do Jaburu um pedido para substituir o parlamentar maranhense.

Está mais que claro que Pedro Fernandes foi vetado, e todos os sinais indicam que esse veto partiu do Grupo Sarney. Nenhum argumento técnico ou ético motivou o presidente a mudar a indicação do PTB. Para começar, no campo político o deputado Pedro Fernandes e seu partido têm sido aliados corretos do presidente Michel Temer, pagando preço político alto por ter votado contra a sua decapitação nas duas vezes em que ele esteve com a cabeça na guilhotina da Câmara Federal. Além disso, Pedro Fernandes votou a favor da reforma Trabalhista e vem defendendo com firmeza a da Previdência e outras matérias polêmicas propostas pelo Governo, correndo o sério risco de sofrer desgaste eleitoral. Pedro Fernandes é considerado um dos quadros mais corretos, honestos, ativos e eficientes da Câmara Federal, onde exerce o quinto mandato como um dos três deputados mais assíduos, participando de praticamente 100% das seções e votações. Por fim, tecnicamente Pedro Fernandes é um engenheiro civil de larga experiência, com sólida formação técnica, que inclui estudos sobre a realidade trabalhista no Brasil, que é a base ideológica, doutrinária e programática do seu partido, o PTB, fundado por Getúlio Vargas. Ninguém duvida, portanto, de que ele seria um bom ministro, plenamente afinado com as orientações do Palácio do Planalto.

E não bastassem esses argumentos, Michel Temer e Pedro Fernandes foram colegas de Câmara Federal, se conhecem muito bem. Tanto que, conforme informações de bastidores, o presidente Michel Temer teria festejado a indicação de Pedro Fernandes para o cargo, tendo inclusive marcado a data da sua posse para esta quinta-feira (4).

O argumento usado para justificar o veto foi o de que aqui na sua base política, o PTB está alinhado ao governador Flávio Dino, pelo fato de o vereador por São Luís Pedro Lucas Fernandes (PTB), exerce o cargo de Secretário de Articulação Metropolitana do Governo do Estado. A versão mais corrente, confirmada pelo próprio Pedro Fernandes, foi a de que, insatisfeito por ter um adversário seu no Maranhão sendo nomeado ministro de Estado, resolveu melar a escolha fazendo chegar sua insatisfação ao presidente Michel Temer. Politicamente fragilizado, e certamente não querendo ter um José Sarney no seu encalço, o presidente da República sucumbiu ao reclame do velho cacique e resolveu amargar o constrangimento de descartar um aliado correto e decente e desagradar a uma bancada inteira para atender a um capricho político absolutamente desarrazoado, aparentemente motivado apenas pela necessidade de exibir poder.

O argumento da aliança de Pedro Fernandes com o governador Flávio Dino não se sustenta, uma vez que outros partidos aliados do presidente estão afinados com o governador Flávio Dino. Um deles é o DEM, que declarou apoio ao governador, inclusive com o aval do seu quadro mais importante, o presidente da Câmara Federal, deputado Rodrigo Maia. O outro é o PP, cujo presidente regional, deputado André Fufuca, 1º vice-presidente da Câmara Federal e aliado de proa do Palácio do Planalto, selou uma aliança com o governador Flávio Dino o mundo não desabou. O PRB, que está se fortalecendo sob o comando do deputado federal Cléber Verde, é afinado com o Governo Michel Temer e mantém uma aliança firme com o Governo do PCdoB. Ou seja, o argumento meramente partidário não se sustenta.

Restam, portanto, poucas dúvidas de que a indicação do deputado federal Pedro Fernandes para o cargo de ministro do Trabalho foi atingida por uma mera e nada republicana demonstração de força.

 

PONTO & CONTRAPONTO

ADEUS

Funeral de Humberto Coutinho mobiliza líderes políticos e comove milhares de caxienses

Flávio Dino abraça Cleide Coutinho; Othelino Neto solidário com
Flávio Dino, Othelino Neto e Lourival Serejo solidários com Cleide Coutinho; Fábio Gentil  no velório; caxienses choram no  adeus

O funeral do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Humberto Coutinho (PDT) traduziu corretamente o seu tamanho pessoal e político. As personalidades presentes, tendo à frente o governador Flávio Dino (PCdoB), o agora presidente da Assembleia Legislativa, deputado Othelino Neto (PCdoB), o vice-presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Lourival Serejo, representando o Poder Judiciário, e o prefeito de Caxias, Fábio Gentil (PRB), deputados federais e estaduais, prefeitos, vereadores, secretários de Estado e líderes, empresariais, sindicais e comunitários, demonstraram, em suas manifestações, que estavam ali para reverenciar um cidadão que se destacou como líder político, médico e empresário e que, tivesse ganhado um pouco mais de tempo, estaria agora no epicentro da disputa pelas duas cadeiras do Senado.

Humberto Coutinho partiu com dignidade e com despedidas justas. No adeus coletivo, dominado por um profundo e visível sentimento de respeito, foi marcado por lágrimas, música e muitas palmas. Foi como autoridades, amigos, familiares, aliados e a população de Caxias se despediram dele ontem, durante o velório realizado no Ginásio da Facema e no cortejo que percorreu as principais ruas e avenidas da cidade.

A comoção veio à tona durante a missa de corpo presente. E transbordaram quando o governador Flávio Dino e a Dra. Cleide Coutinho fizeram discursos emocionantes.  “Pela primeira vez, em 11 anos, eu chego aqui e Humberto Coutinho não estava me esperando. Jamais pensei que um dia eu ia assinar um decreto oficial em homenagem a esse grande homem”, disse Flávio Dino, sem conseguir conter as lágrimas. Ele acrescentou que o presidente Humberto Coutinho era um homem leal. “Humberto foi muito leal comigo”, afirmou, se dirigindo a Dra. Cleide e declarando que “você pode contar comigo, Caxias pode contar comigo. A maior homenagem que podemos dar é uma salva de palmas ao amigo Humberto Coutinho”.

Cleide Coutinho lembrou que Humberto Coutinho lhe disse, em São Luís, que o maior presente que poderia receber seria morrer em Caxias. “Agradeço a sua gentileza, que fez com que isso acontecesse perto dos amigos e da sua família”, disse reportando-se ao governador Flávio Dino.

Visivelmente comovido, o prefeito Fábio Gentil disse que o nome de Humberto Coutinho ficará fincado na história de Caxias. “Ele era um ser humano de coração extraordinário, foi um político que contribuiu muito para o crescimento de Caxias. Os frutos por ele plantados continuarão a ser regados. É uma perda irreparável”, disse o prefeito.  “Eu perdi um grande amigo. Ele entrou na política junto comigo e fará muita falta”, disse Gastão Vieira.

Cortejo

Durante todo o percurso do cortejo as pessoas acenavam dando adeus a Humberto Coutinho. A cidade parou para acompanhar a passagem do cortejo. Um dos momentos mais marcantes aconteceu em frente à Casa de Saúde e Maternidade onde os funcionários fizeram uma linda homenagem a Humberto Coutinho, cantando a música ‘Como é grande o meu amor por você’. Em frente à Faculdade de Ciência e Tecnologia do Maranhão (Facema), também foi prestada homenagem especial. Em seguida, o cortejo passou pela TV Sinal Verde, Avenida Senador Alexandre Costa, Estação Rodoviária, Coheb, seguindo para o bairro do Itapecuruzinho, onde ocorreu o sepultamento em capela da família, que fica ao lado do Cemitério Olaria.

Homenagens

O Maranhão político perdeu um grande, um grande líder, um conciliador muito admirado por todos. Essa foi declaração uníssona entre os políticos presentes ao funeral do presidente Humberto Coutinho.

Além do governador Flávio Dino e do prefeito Fábio Gentil, o presidente do Poder Legislativo, deputado Othelino Neto – ainda comovido com a perda do pai, o jornalista Othelino Filho, declarou: “É com o sentimento de tristeza que estamos aqui na despedida de Humberto Coutinho que deixa um vácuo muito grande na política do Maranhão”.

“É uma grande perda para o Estado. Humberto foi um grande amigo, um companheiro. O Maranhão perde um grande político, um ser humano excelente e que tinha um coração de ouro”, acentuou a deputada Francisca Primo (PCdoB). “É uma tristeza muito grande. Ele foi um grande líder e um pai para todos os deputados. É uma perda muito grande para todos nós. Peço a Deus que o coloque em um bom lugar. Ele fará muita falta”, disse Glauberth Cutrim (PDT). “O Maranhão está em luto. Caxias perde o seu grande herói. Nós sentimos muito a morte do presidente Humberto”, acentuou o deputado Cabo Campos (DEM). “É uma grande perda para todos nós. Ele era um bom homem, um bom pai de família, um bom amigo, um grande político não só para Caxias, mas para todo o Maranhão. Ele deixou a sua marca na história. Ele vai deixar muita saudade”, acentuou Ricardo Rios (SD), 1º secretário da Mesa da Assembleia Legislativa.

O deputado Alexandre Almeida (PSD) afirmou que, indiscutivelmente, Humberto Coutinho conseguiu, através de sua profissão como médico, transformar a vida de milhares de maranhenses, por isso ele se destacou na política. “Ele tinha a arte de ouvir, teve uma carreira muito destacada. Sujeito que vai fazer falta para a Assembleia, para o povo do Maranhão. Lamento e deixo o meu abraço e agradecimento pelo que ele representa para todos nós”. disse Alexandre Almeida.  “Fica uma lacuna. É uma perda irreparável. Ele era uma pessoa que começou a dar o exemplo pela família. Ele tinha um bom relacionamento com toda Assembleia. É motivo de muita dor a sua partida. Peço a Deus que conforte  a sua família e que o coloque em um bom lugar”, afirmou o deputado Eduardo Braide (PMN).

Cleomar Tema (Tuntum e Famem) faz homenagem ao amigo e líder Humberto Coutinho

Amizade e aliança política inabaladas há de três décadas
Cleomar Tema e Humberto Coutinho: amizade e aliança política  mantidas sem abalos durante quase três décadas

“Ele deixa uma história de ousadia, lutas e conquistas. O meu amigo, o meu companheiro Humberto Coutinho deixa um grande legado para as gerações futuras do nosso Estado. Foi um grande e autêntico líder, um homem leal aos seus ideais, cumpridor de suas palavras e que, por todos os seus predicados, era extremamente respeitado, tanto pelos amigos como pelos adversários”. O resumo da personalidade política de Humberto Coutinho foi feito pelo prefeito de Tuntum e presidente da Famem, Cleomar Tema (PSB), ao comentar a perda daquele que foi o seu maior e mais importante parceiro politico e amigo desde que se aliaram em 1990.

Cleomar Tema não conseguiu esconder a forte emoção que lhe dominou ao comentar a perda. Lembrando que essa aliança se sustenta há três décadas, o presidente da Famem destacou que ele e Humberto Coutinho estiveram nas “trincheiras de luta” por todos esses anos. “Aprendi muito com o Humberto Coutinho, recebi muitas orientações dele e posso assegurar que foi um homem, um político e um pai de família extraordinário”, destacou.

Tema acrescentou que tanto a FAMEM, cuja nova sede leva o nome do ex-mandatário caxiense, como o município de Tuntum estão de luto oficial por três dias. Cleomar Tema ao afirmar que o Maranhão jamais esquecerá os ensinamentos daquele que ele considera um dos maiores políticos maranhenses. O prefeito de Tuntum e presidente da Famem divulgou nota de pesar, cujo teor é o seguinte:

Nota de Pesar

O presidente Cleomar Tema e toda a Diretoria da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (FAMEM) lamentam, com profundo pesar, o falecimento do presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Humberto Coutinho, fato este ocorrido na noite de segunda-feira, dia 1º de janeiro de 2018, no município de Caxias.

Humberto Coutinho foi e sempre será referência na militância municipalista do estado do Maranhão, seja na condição de prefeito de Caxias, cidade que ele administrou por dois mandatos, seja pela sua trajetória de político que sempre defendeu o fortalecimento dos municípios.

Humberto Coutinho ficará guardado na memória de todos os prefeitos e prefeitas maranhenses. Seu nome e seu espírito de estadista continuarão honrando as lutas da Famem, cuja sede nova, inaugurada no mês passado, recebeu o nome de Casa do Municipalismo Humberto Coutinho.

À família e amigos, nossos sinceros sentimentos.

Ao povo do Maranhão, homenagearemos, sempre, a memória de um homem íntegro, político fiel às suas convicções, e que sempre lutou e trabalhou pelo progresso de nosso estado.

Cleomar Tema

Prefeito de Tuntum e presidente da Famem

 

São Luís, 02 de Janeiro de 2018.

Um comentário sobre “Indicação de Pedro Fernandes para o Ministério do Trabalho foi atingida por uma demonstração de força nada republicana

  1. Pedro Fernandes foi vetado pelas posições e atitudes nada sábias seu neo-padrinho, que ao entrar em bolas divididas com o atual Presidente da Republica, acabaram por afundar sua indicação.
    Lembremos tb que a nomeação cabe ao Presidente, a indicação deste Ministério cabe ao PTB, o Presidente acata ou não o nome indicado: agora reflitamos, quem aceitaria reforçar um adversário, que já declarou que nas próximas eleições estará pedindo votos pro adversário do próprio Presidente??
    O PTB encontrará outro nome.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *