Eduardo Braide volta ao debate sucessório com vídeo insinuando sua candidatura ao Governo

 

Eduardo Braide volta a criar expectativas no quadro sucessório
Eduardo Braide volta a criar expectativas no quadro sucessório estadual no ano que vem

O deputado estadual Eduardo Braide (PMN) volta ao centro nervoso e agitado do cenário político, e de novo apontado como possível candidato a governador. Os registros entusiasmados dessa possibilidade foram motivados por um vídeo de publicidade partidária no qual o parlamentar assanha o universo sucessório com um discurso em que se mostra interessado em entrar agora na corrida pelo Palácio dos Leões. Na peça, ele afirma que “o Maranhão pode crescer de verdade (…), sem aumentar impostos de forma abusiva prejudicando a população e os pequenos comerciantes (…)”, e que “educação e segurança não sejam só propaganda, mas funcionem de verdade”. Trata-se, evidentemente, de uma clara provocação ao governador Flávio Dino (PCdoB) e, de quebra, uma insinuação de que se as coisas lhe forem favoráveis, ele suspenderá sua corrida à Câmara Federal e partirá para o gigantesco desafio de entrar na briga pelo comando político e administrativo do Maranhão.

Um dos quadros mais preparados e promissores da nova geração de políticos maranhenses, Eduardo Braide faz um jogo inteligente nessa fase de pré-campanha. Com o enorme cacife que acumulou na corrida pela Prefeitura de São Luís no ano passado, na qual começou na rabeira e alcançou o peso de adversário principal do prefeito Edivaldo Jr. (PDT), com quem disputou um animado segundo turno, o parlamentar do PMN aproveita as incertezas que ainda povoam o quadro de candidatos a governador e se apresenta como alternativa saudável no jogo sucessório. Assim, assume o espaço do que seria uma espécie de “quarta via”, credenciando-se a se tornar o caminho da faixa do eleitorado que não gosta da linha de esquerda do governador Flávio Dino (PCdoB), da suspensão da aposentadoria da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) nem do projeto ainda em desenvolvimento do senador Roberto Rocha (PSDB).

Político antenado, que já consegue se situar no cenário como opção para deputado federal, senador e governador, Eduardo Braide procura tirar proveito dessa posição mostrando que tem noção clara do seu potencial e dos seus limites. No vídeo, por exemplo, ele se coloca como uma alternativa, mas isso não significa que esteja anunciando sua candidatura. O seu projeto, segundo ele próprio, é eleger-se deputado federal, disputar a Prefeitura de São Luís em 2020 e, consumadas essas conquistas, chegar ao Governo do Estado. Um roteiro natural, factível e viável, segundo todas as projeções feitas por aliados e adversários. Por enquanto, se nada excepcional e prejudicial acontecer, ele permanecerá fiel ao seu projeto, que vem montando cuidadosamente desde que chegou à Assembleia Legislativa em 2010.

Atento ao desenrolar dos fatos, e ciente de que a excepcionalidade pode acontecer, Eduardo Braide vem se preparando cuidadosamente para o desafio de saltar duas etapas – Câmara Federal e Prefeitura de São Luís – para encarar a briga por um mandato majoritário. Se as circunstâncias o empurrarem, ele poderá se credenciar a uma vaga no Senado, e se esse empurrão for de fato excepcional, estará pronto para medir força e prestigio com o governador Flávio Dino, a ex-governadora Roseana Sarney e com o senador Roberto Rocha. Poderá também entrar como candidato apoiado pelo Grupo Sarney se a ex-governadora desistir de enfrentar as urnas. Essa última possibilidade é admitida por fontes graúdas do Grupo Sarney, e o próprio parlamentar não diz nem sim nem não, apenas abre um sorriso maroto quando lhe perguntam sobre o assunto. Um comportamento típico de quem já alcançou o status de “raposa política”

Não é possível, nesse momento, fazer uma previsão segura sobre qual será o caminho do deputado Eduardo Braide nas eleições do ano que vem. A possibilidade visível é que ele vai disputar votos numa posição diferenciada, com a vantagem de quem parece vocacionado para se tornar um quadro político que, mesmo tendo um ideário político conservador do ponto de vista ideológico, está acima da média.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Zé Vieira se diz perseguido em Bacabal, mas a verdade é que ele está lutando contra ele próprio

Zé Vieira, Roberto Costa e João Alberto: guerra sem perseguidor nem perseguido
Zé Vieira, Roberto Costa e João Alberto: guerra sem perseguidor nem perseguido

O prefeito eleito, empossado e afastado de Bacabal, Zé Vieira (PR), se diz vítima de perseguição, em entrevista publicada na edição de Domingo do Jornal Pequeno. Ele afirmou que a perseguição se dá porque ele declarou apoio ao governador Flávio Dino (PCdoB) e porque é inimigo do senador João Alberto (PMDB). O que acontece em Bacabal é uma guerra pelo poder, um conflito entre dois grupos que brigam há tempos pelo comando da Prefeitura bacabalense. Nessa guerra sem trégua, Zé Vieira, um senhor que caminha para os 80 anos, se desdobra para ocupar novamente um cargo que já ocupou por dois mandatos, e para isso joga tudo para seduzir o eleitorado e anular o adversário – agora mesmo está gastando uma pequena fortuna numa guerra judicial que, tudo indica, está perdida. Do outro lado está o senador João Alberto, um político integral e de tempo integral e que tem uma paixão sem medida por Bacabal, onde nasceu e passou parte da infância, mas nunca cortou os laços que os ligam. A diferença é que o senador João Alberto – que também já foi prefeito (janeiro de 1989 a abril de 1990) – não está disputando o cargo, mas apoiando o deputado Roberto Costa (PMDB), um dos políticos mais preparados e promissores da sua geração. Não há, portanto, nessa guerra política pelo comando de Bacabal, um algoz e uma vítima. E fazendo uma avaliação simples da situação, o mais correto é afirmar que, apesar de ter um adversário osso duro de roer na sua cola, Zé Vieira está na verdade lutando contra ele próprio, pois quem está dando força para a cassação do seu registro de candidatura, anular seus votos e mandá-lo para casa sem o direito de votar o ser votado durante três anos são as condenações por improbidade administrativa que lhe pesam sobre as costas.

 

Humberto Coutinho se recupera de um quadro infeccioso e se recolhe em Caxias para intensificar tratamento

Humberto Coutinho: recuperação entre famiiiares em Caxias
Humberto Coutinho: recuperação entre famiiiares em Caxias

A Dra. Cleide Coutinho e familiares, em respeito à população de Caxias e do Maranhão, informam que Dr. Humberto Coutinho encontra-se em Caxias para dar continuidade ao tratamento de um quadro infeccioso e, por determinação da equipe médica, as visitas estarão restritas aos familiares. Informam, ainda, que logo que haja liberação da equipe médica, Dr. Humberto retornará a receber todos os seus amigos com a mesma receptividade. 

Caxias, 13 de novembro de 2017

O comunicado esclarece a ausência do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Humberto Coutinho (PDT), das últimas sessões. E se submeteu a mais uma sessão de quimioterapia, com a qual vem vencendo um câncer no intestino, e a um tratamento intenso para combater sequelas de um processo cirúrgico que sofreu para a retirada de aderências decorrentes de uma cirurgia anterior. A Coluna apurou que o deputado Humberto Coutinho encontra-se se recuperando em sua residência, mas sob rigorosa determinação dos seus médicos de proibir temporariamente o contato com amigos, aliados e correligionários políticos, com os quais costuma passar horas seguidas conversando sobre o cenário político nacional e nele o quadro maranhense e nos municípios. Nessas conversas, Humberto, Humberto Coutinho costuma se agitar, apesar da sua aparência serena. “Fazer polpitica conversando e o que eu mais gosto de fazer”, disse ele em uma conversa com o titular da Coluna. E é verdade, pois o médico, empresário da área de Saúde e pecuarista troca qualquer programa por uma boa conversa política, e é essa relação com a política que fez dele uma das principais referências do Maranhão nessa seara.

São Luís, 13 de Novembro de 2017.

2 comentários sobre “Eduardo Braide volta ao debate sucessório com vídeo insinuando sua candidatura ao Governo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *