Operação do Gaeco em Paço do Lumiar por suspeita de irregularidades deixa Domingos Dutra em situação delicada

 

Domingos Dutra e Núbia Dutra sob forte  pressão de investigações do Gaeco

O prefeito de Paço do Lumiar, Domingos Dutra (PCdoB), enfrenta desde ontem uma investida pesada do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), braço do Ministério Público Estadual, em conjunto com a Superintendência Estadual de Prevenção e Combate à Corrupção (Seccor), da Polícia Civil, no combate à corrupção. A operação apura suposto desvio em contrato no valor de R$ 5,4 milhões firmado pela Secretaria de Administração e Finanças da Prefeitura de Paço do Lumiar com empresas supostamente fajutas para a prestação de serviços de limpeza e higienização diária, asseio e conservação de áreas internas e externas nas instalações físicas e mobiliárias, roçagem, com fornecimento de mão de obra, materiais e equipamentos. O alvo maior da investigação é a secretária de Fazenda e Planejamento, Núbia Dutra, primeira-dama do município. Os investigadores afirmam haver fartos e fortes indícios de irregularidades no contrato, e apontam a secretária como responsável direto por supostos desvios. Foi uma operação abrangente, com a participação de   promotor, delegado e policiais, que recolheram computadores e documentos na Secretaria de Planejamento, que tem a primeira-dama como titular, e na residência do casal Dutra, de onde foram levados documentos, computadores e celulares.

A operação do Gaeco não surpreendeu observadores atentos ao que vem acontecendo em Paço do Lumiar. Na edição de 24 de Abril, esta Coluna registrou o ajuizamento de Ação Civil Pública (ACP) feito pela promotora Gabriela Tavernard, titular da 1ª Promotoria de Justiça daquela comarca, acusando o prefeito Domingos Dutra e a secretária Núbia Dutra por supostas irregularidades na execução de dois contratos para a compra de “alimentação enteral e respectivos materiais”. Na ACP, a promotora pede que Domingos Dutra seja punido com o afastamento do cargo, suspensão dos direitos políticos, multa no valor de 100 vezes o seu salário de prefeito e devolução de R$ 1,4 milhão. Domingos Dutra e Núbia Dutra juram que estão sendo denunciados injustamente e contestam a ação na Justiça.

A ação do Gaeco/Seccor em Paço do Lumiar vai muito mais longe e envolve recursos supostamente desviados –  o montante ainda não foi estimado – por meio da empresa Araújo & Matos Serviços e Comércio Ltda., cujo nome de fantasia é Liberty Serviços e Comércio. A contratação foi feita por adesão à Ata de Registro de Preços. As investigações apontaram que a empresa anteriormente contratada para prestar serviços gerais à Prefeitura de Paço do Lumiar foi o Instituto Bem Brasil, ao custo de R$ 5,4 milhões. Mas o contrato foi rescindido e, mesmo assim, vários contratados continuaram trabalhando.

Certa ou errada, apolítica ou não, oportuna ou não, a investida do Gaeco, ontem, em Paço do Lumiar, foi um duro golpe na credibilidade do prefeito Domingos Dutra, que durante décadas como parlamentar de Oposição se notabilizou por acusar seus adversários, em especial, os chefes do Grupo Sarney, da prática de corrupção. Um dos fundadores do braço do PT no Maranhão, construiu uma carreira como vereador, deputado estadual, deputado federal, vice-prefeito de São Luís atuando como uma espécie de paladino contra corruptos. E nessa condição infernizou a vida do Grupo Sarney, com ataques diretos ao ex-presidente José Sarney. Agora se encontra na condição de investigado, com o Ministério Público, que tanto estimulou contra adversários, atuando no seu encalço e acusando-o de praticar desvios. Mais do que isso: todas as acusações são feitas contra ele e sua mulher, Núbia Dutra, que é, de longe, sua auxiliar mais influente por acumular a maior fatia de poder no secretariado.

Na nota que divulgou sobre a operação do Gaeco/Seccor, o prefeito Domingos Dutra externou indignação afirmando estar sendo vítima de perseguição e que a ação investigatória é destinada a desmoralizar a primeira-dama e sua administração, prometendo, ele sim, desmoralizar a ação. Ao candidatar-se a prefeito de Paço do Lumiar, Domingos Dutra sabia que sua vida não seria fácil, pois teria contra ele a família Aroso e o Grupo Sarney, que têm como objetivo varrê-lo da cena política e, se possível, mandá-lo para a cadeia. É improvável que o Gaeco e a Seccor sejam parte de uma trama para derrubá-lo. Mas não há dúvidas de que tais investidas em Paço do Lumiar dão munição pesada contra o prefeito e a primeira-dama.

 

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Pergunta no ar: Para onde irá Edivaldo Holanda Jr. depois que deixar a Prefeitura de São Luís?

Edivaldo Holanda Jr.: Para onde irá depois de deixar a Prefeitura de São Luís em 2019

Uma roda descontraída de conversa sobre a cena política de São Luís resultou na seguinte indagação: Qual será o destino de Edivaldo Holanda Jr. (PDT) depois de passar o bastão de prefeito da Capital ao seu sucessor, no dia 1º de Janeiro de 2021? Várias hipóteses foram levantadas. A primeira é que o então ex-prefeito vai mergulhar por alguns meses e em seguida iniciar articulações para as eleições de 2022, podendo vir a ser candidato a governador ou a vice-governador, ou ainda a senador, caso o   governador Flávio Dino entre mesmo na briga pelo Palácio do Planalto. Edivaldo Holanda Jr. poderá brigar por uma cadeira na Câmara Federal, de onde saiu para disputar a Prefeitura em 2012, ou então, numa hipótese muito remota, pleitear uma cadeira na Assembleia Legislativa. O fato é que Edivaldo Holanda Jr. vai encarar as urnas em 2022. Político centrado, que sabe que passo dará no próximo lance da sua carreira até aqui muito bem-sucedida. Dentro do PDT e da aliança liderada pelo governador Flávio Dino, Edivaldo Holanda Jr. é uma referência em matéria de sucesso político e eleitoral. Hoje o segundo nome mais forte do PDT, só perdendo em prestígio para o senador o atual prefeito reeleito de São Luís tem suporte político e eleitoral para   candidatar-se a qualquer cargo, a começar pelo de governador, podendo ser também um bom candidato a vice-governador. É aguardar e conferir.

 

Osmar Filho se movimenta com intensidade e de olho na prefeitura de São Luís

Se não amarrar de vez a aliança com o DEM em torno da candidatura do deputado estadual Neto Evangelista à Prefeitura de São Luís, o comando do PDT terá duas alternativas: embarcar numa candidatura do PCdoB ou apostar todas as suas fichas num projeto de candidatura envolvendo o presidente Câmara Municipal, vereador Osmar Filho (PDT). Provavelmente fazendo essa leitura e sem querer perder tempo, Osmar Filho tem se movimentado supervalorizando sua agenda de presidente da Câmara, como o lançamento, na semana passada, do ProUni para estudantes de São Luís e uma série de outros atos com o objetivo de turbinar sua imagem de político jovem e atuante. Avaliações frias e focadas na realidade indicam que as chances de Osmar Filho entrar na sucessão no Palácio de la Ravardière são remotas, mas existem, e isso deve ser levado em conta.

São Luís, 08 de Maio de 2019.

Othelino Neto é reeleito presidente da Assembleia Legislativa e ganha poder de fogo até para ser governador

 

Othelino Neto com a futura Mesa Diretora do Poder Legislativo: Glaubert Cutrim, Detinha, Rildo Amaral, César Pires, Andreia Resende, Cleide Coutinho, Pará Figueiredo e Paulo Neto

A Assembleia Legislativa antecipou ontem, em pouco mais de 20 meses, a eleição da Mesa Diretora que norteará os destinos da Casa no biênio 2021/2022. Com a eleição, consumada em chapa única pelos 41 deputados presentes – apenas Hélio Soares (PR) não compareceu -, o presidente Othelino Neto (PCdoB) e boa parte da atual Mesa Diretora foram reeleitos, assegurando o comando do Poder Legislativo por toda a atual legislatura. O resultado da sessão conduzida pelo deputado Roberto Costa (MDB), foi uma decisão consensual, avalizada por todas as bancadas, incluindo as dos partidos de Oposição. Othelino Neto destacou o consenso expressado na votação. Para ele, a eleição antecipada revelou que a Casa está harmonizada, em que pesem as profundas diferenças que separam a Situação e Oposição. “A Assembleia Legislativa compreendeu que esse era o momento e resolvemos antecipar a eleição”, justificou o presidente, que encabeçou a chapa “Igualdade e Democracia”, com a seguinte composição: 1º vice Glaubert Cutrim (PDT), 2º vice: Detinha (PR), 3º vice: Rildo Amaral (SD), 4º vice: César Pires (PV), 1º secretário: Andreia Rezende (DEM), 2º secretário: Cleide Coutinho (PDT), 3º secretário: Pará Figueiredo (PSL) e 4º secretário: Paulo Neto (DEM).

O presidente Othelino Neto saiu fortalecido com a reeleição. Reeleito, ele ganhou estatura política para ser o principal interlocutor da classe política com o Palácio dos Leões, e para ser uma das vozes de peso nas articulações e composições dentro da aliança liderada pelo governador Flávio Dino (PCdoB) visando as eleições municipais do próximo ano e as eleições gerais de 2022. E foi exatamente a capacidade de articulação e a habilidade no trato com os deputados, reveladas já na legislatura anterior quando substituiu em várias ocasiões o então presidente Humberto Coutinho (PDT), habilidades que se acentuaram quando assumiu o comando efetivo da instituição com a morte do ex-presidente, em janeiro de 2018.

Discreto, avesso a alardes e adepto da conversa e da articulação, Othelino Neto não apenas manteve a estabilidade interna, como foi aos poucos imprimindo sua própria marca no funcionamento do Poder Legislativo. A atenção que vem dando a todos os deputados eleitos e reeleitos, independentemente da posição política e da cor partidária de cada um, lhe deu credibilidade junto aos seus pares. Eles, principalmente os recém-chegados passaram a tê-lo como um interlocutor importante e eficiente, e como um presidente que, ainda jovem, assimilou com perfeição as regras do jogo e tem feito a sua parte exercendo uma liderança forte. Seus atos, gestos e movimentos têm surpreendido muitos dos que inicialmente imaginaram que ele seria apenas mais um presidente.

A estatura que o presidente reeleito da Assembleia Legislativa ganhou já o coloca como um quadro destacado no cenário político estadual. Tanto que nas rodas que se formaram no plenário da Assembleia Legislativa após a eleição da futura Mesa Diretora, ele já estava sendo inserido nas mais diferentes situações que poderão se formar dependendo do rumo que o governador Flávio Dino e o vice-governador Carlos Brandão (PRB) tomarem na corrida eleitoral. Como chefe do Poder Legislativo, portanto o segundo na linha sucessória, poderá permanecer no cargo e se reeleger deputado estadual. Mas também poderá assumir o Governo do Estado e disputar a reeleição de governador, ou ainda, numa terceira hipótese, largar tudo e arriscar-se na disputa por um mandato federal, de deputado federal ou de senador.

Antes dos desdobramentos que estão a caminho e que deverão ganhar corpo a partir do ano que vem com as eleições municipais, o presidente reeleito Othelino Neto tem pela frente três enormes desafios. O primeiro é garantir o equilíbrio nas relações internas, tornando a Assembleia Legislativa uma instituição ao mesmo tempo ativa e produtiva, movida pelo confronto das opiniões num ambiente plural, mas sem crises ou traumas. O outro é assegurar que o Poder Legislativo mantenha sua independência e permaneça convivendo harmonicamente com o Poder Executivo e o Poder Judiciário. E o terceiro é atuar politicamente para fortalecer a aliança partidária liderada pelo governador Flávio Dino, com a perspectiva de vencer as eleições em todos os níveis.

– Vou trabalhar muito para isso – declarou, numa demonstração de que está muito consciente do papel que passou a desempenhar desde ontem no contexto político maranhense.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Glaubert Cutrim e Roberto Costa se destacaram na definição da futura Mesa Diretora da Assembleia Legislativa

Na ciranda das articulações que desaguaram na montagem da Mesa Diretora que comandará a Assembleia Legislativa no último e decisivo biênio da atual legislatura, dois deputados se destacaram: o pedetista Glaubert Cutrim e o emedebista Roberto Costa.

Com o aval do PDT, Glaubert Cutrim (foto) foi reeleito 1º vice-presidente da Assembleia Legislativa, um cargo estratégico no segundo biênio. Se o presidente Othelino Neto deixar o cargo assumir o Governo ou disputar assento na Câmara federal ou no Senado, o parlamentar, que está no segundo mandato, assumirá o comando da Casa, ganhando, além do status de chefe de Poder, uma estatura que lhe dará voz de peso na mesa das negociações políticas decisivas para a grande guerra eleitoral de 2022. Entusiasmado com a reeleição, ele agradeceu ao PDT e, ao lado do pai, o conselheiro do TCE Edmar Cutrim, e do irmão, deputado federal Gil Cutrim, Glaubert Cutrim assumiu o compromisso honrar o mandato.

Roberto Costa (foto) ganhou destaque por outro caminho. No clima de consenso que dominou as articulações para a formação da futura Mesa Diretora, o deputado emedebista abriu mão de se reeleger 4º vice-presidente para ceder a vaga para o deputado César Pires (PV), num grande entendimento na seara oposicionista. Se decidisse manter-se no cargo, bastaria levar a decisão para uma votação no plenário, que teria sem dúvida a maioria dos votos. Político inteligente, que tem os pés no chão, Roberto Costa preferiu abrir mão do cargo e cedê-lo a puxar César Pires para um confronto desnecessário. Saiu do episódio em paz com a banda oposicionista e com o respeito dos deputados de tidas as correntes, a começar pelo presidente Othelino Neto, que foi o mediador e fiador do gesto de Roberto Costa.

 

Sobrinho de Jair Bolsonaro veio ao Maranhão para se informar sobre cargos federais

Leo ìndio, primo favorito de Carlos Bolsonaro, esteve em São Luís e se reuniu com aliados do tio

Continuava repercutindo ontem a inesperada e festiva visita de um certo Léo Índio ao Maranhão. Sobrinho do presidente Jair Bolsonaro (PSL) e recém-nomeado assessor parlamentar no Senado, lotado no gabinete de um senador fluminense, o primo predileto do vereador carioca Caros Bolsonaro (PSL) desembarcou em São Luís na companhia do deputado Edilázio Jr. e recepcionado pela ex-prefeita Maura Jorge, ainda candidata a ser o braço do bolsonarismo no estado. Pelo que foi divulgado por fontes ligadas a Maura Jorge e Edilázio Jr., o primo de Carlos Bolsonaro veio ao Maranhão tomar pé da situação dos bolsonaristas da terra, e informar-se sobre cargos federais a disposições. O resultado é que Léo Índio foi badalado por partidários do presidente da República, festejado com um banquete em restaurante conhecido da Ilha, tendo como anfitriões entusiasmados Maura Jorge e Edilázio Jr., que   resolveram juntar forças contra o deputado federal Aloízio Mendes (Avante), que estaria na iminência assumir o controle de alguns cargos federais importantes o Maranhão.

São Luís, 07 de Maio de 2019.

Flávio Dino faz contraponto a Jair Bolsonaro e se firma como a principal voz de Oposição no País

 

Flávio Dino rebate Jair Bolsonaro e se firma como a voz da Oposição no País

O governador Flávio Dino (PCdoB) já é, de longe, o mais destacado opositor do presidente Jair Bolsonaro (PSL) em todo o País. Hoje a principal referência da esquerda democrática, que agrega um espectro que vai do centro à esquerda mais ranzinza, o governador do Maranhão é a voz que faz o contraponto a todas as declarações e decisões polêmicas feitas e tomadas pelo chefe da Nação, que a cada dia se posiciona como um militante de direita radical. Na linha do bate-rebate intenso e permanente, ao longo desses quatro meses em que Jair Bolsonaro chefia o Governo da República, Flávio Dino, com a autoridade de governador reeleito em turno único, se firmou como a voz mais presente e mais constante a apontar incoerências e contradições nas palavras e nos movimentos e no discurso do presidente, numa frequência que vai aos poucos mudando o clima inicial de indiferença adotado pelo ocupante do Palácio do Planalto. O dado a ser destacado é que o governador rebate o presidente no campo das ideias e da inteligência, com reações de alto nível, que não permitem aos porta-vozes planaltinos treplicarem com truculência verbal. Nesse contexto, Flávio Dino cresce como um adversário potencial do presidente na corrida ao Planalto em 2022.

Nesse período, o governador Flávio Dino rebateu o presidente Jair Bolsonaro em inúmeros episódios em que o segundo jogou pesado, impondo o seu viés conservador, às vezes primário. Dois casos ganharam repercussão maior. O primeiro foi o comentário inacreditável de Jair Bolsonaro ao afirmar que, para ele, se o turista quiser vir ao Brasil “para comer uma mulher, tudo bem”, mas o País não será o “paraíso do turismo gay”. No mesmo dia, o governador Flávio Dino lançou uma campanha afirmando que o Maranhão está à disposição de turistas de todo o mundo, mas as nossas “Mulheres, não!” Em poucas horas governos e prefeituras de todo o Nordeste abraçaram a campanha maranhense, transformando-a num posicionamento regional, que ganhou repercussão em outros estados e cidades das demais regiões. A reação do governador do Maranhão incomodou ao Palácio do Planalto, que tentou concertar a derrapagem verbal do presidente, mas já era tarde.

Outro contraponto feito por Flávio Dino se deu quando o presidente Jair Bolsonaro resolveu autorizar as Forças Armadas a exaltarem o 31 de Março, data de eclosão do Golpe Militar de 1964, afirmando que se tratou de um movimento “democrático”, quando na verdade foi o passo inicial de uma ditatura militar que durou 21 anos. Flávio Dino reagiu fazendo uma homenagem aos maranhenses perseguidos pela ditadura representados nas figuras da médica comunista Maria Aragão e do poeta Bandeira Tribuzi, símbolos da resistência à repressão ditatorial no Maranhão.

Nessa linha de se contrapor às investidas do presidente da República sobre situações pontuais do País, o governador Flávio Dino anunciou a valorização cada vez maior do ensino de Filosofia e de Sociologia na universidade maranhense depois que o chefe da Nação orientou o Ministério da Educação no sentido de reduzir investimentos na manutenção dessas duas disciplinas, que considera inúteis, quando em todas as universidades do mundo elas são a chave para a evolução do pensamento e para a compreensão do mundo. “Sem ideias e pensamento crítico nenhuma sociedade se desenvolve de verdade”, justificou o governador, que defendeu também a autonomia da universidade, ameaçada pelo novo Governo. No mesmo tom, Flávio Dino reagiu à decisão presidencial de cortar 30% das verbas para as Universidades de Brasília, Federal Fluminense e Federal da Bahia, por considerá-las ambientes de “bagunça”, afirmando que fará o que estiver ao alcance do seu Governo para aumentar os investimentos na Universidade estadual do Maranhão, na linha do que acontece em todo o planeta. “Ou haverá novo recuo, ou nova derrota no Judiciário. Lamentável tanta confusão”, disse Flávio Dino na sua rede social.

Ainda no campo da Educação, o governador Flávio Dino rebateu no ato a declaração do presidente Jair Bolsonaro afirmando que o educador Paulo Freire, cujo método de educação popular é reconhecido em todos os continentes e reconhecido pela ONU, “é um chato”, e quer tirá-lo da condição de patrono da educação no Brasil.  “Resolvi conceder ao professor Dr. Paulo Freire (in memoriam) a condecoração máxima do Estado do Maranhão. Reconhecimento à importância de sua monumental obra para a educação em todo o mundo. Claro que também no nosso Estado, pois agimos inspirados em suas lições, que são eternas”, disparou o governador publicou o governador na sua conta no Twitter.

Embalado por argumentos consistentes e pelo desassombro político, o governador do Maranhão vai assim construindo uma plataforma de pré-candidato a presidente da República, e pelo menos até aqui com um discurso o presidente Jair Bolsonaro dificilmente resistirá num combate direto.

 

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Othelino Neto deve fechar a segunda-feira autorizado a comandar a Assembleia Legislativa até 2022

Othelino Neto: deve ser reeleito nesta segunda-feira

A Assembleia Legislativa deve antecipar hoje a eleição da Mesa Diretora que a comandará no exercício de 2020/2022. E o presidente Othelino Neto (PCdoB) deve ser reeleito em chapa única, fazendo apenas alguns ajustes na composição atual da Mesa, de acordo com entendimentos com as lideranças partidárias. A antecipação da eleição do comando do Poder Legislativo foi assegurada por uma mudança no Regimento Interno da Casa, por meio de Resolução Legislativa proposta pelo deputado Glaubert Cutrim (PDT) e aprovada em segundo turno pelos 35 que participaram da sessão, realizada na última quinta-feira. Com a mudança. Um acordo articulado pelo presidente com os líderes de bancadas após a aprovação da Resolução decidiu que a eleição da futura Mesa Diretora será realizada logo nesta segunda-feira.  Com a reeleição, que deverá confirmar também o deputado Glaubert Cutrim como 1º vice-presidente, o presidente Othelino Neto será o quarto presidente ad Poder Legislativo a ser reeleito na mesma legislatura, caracterizando o período como uma quadra em que os presidentes foram deputados politicamente fortes e bons articuladores. O deputado-presidente, que assumiu o comando com a morte do presidente Humberto Coutinho (PDT), em Janeiro de 2018, e de lá para cá se revelou um líder eficiente e um interlocutor de resultados, conquistando o respeito e a confiança de todos os deputados. Ninguém duvida de que o presidente Othelino Neto terminar a sessão desta segunda-feira com mandato garantido para comandar a Casa por toda essa legislatura.

 

Natalino Salgado se inscreve hoje para tentar voltar ao comando da UFMA

Natalino Salgado se candidatará mais uma vez para comandar a UFMA

O ex-reitor Natalino Salgado anunciou que nesta segunda-feira formalizará sua candidatura a reitor da Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Ele decidiu tentar o terceiro mandato num momento em que a instituição passa por graves dificuldades e sob a desmotivadora certeza de que a partir do segundo semestre sofrerá um corte de 30% nas no seu orçamento. Com o projeto de voltar ao comando da UFMA em momento tão delicado, o ex-reitor dá uma demonstração de coragem política e convicção de que poderá repetir o desempenho e alcançar os resultados dos dois mandatos consecutivos que cumpriu à frente da instituição. As chances de Natalino Salgado voltar ao comando da UFMA pelo voto de professores, servidores e estudantes são concretas. Começa com o fato de que ele é um gestor de ponta, competente e eficiente, que durante sua gestão prolongada, que coincidiram com os dois Governo do PT, transformou o Campus do Bacanga num imenso canteiro de obras – algumas delas, como a nova sede da Biblioteca, viraram esqueletos de concreto. Com o apoio de uma grande fatia dos servidores, professores e estudantes, Natalino Salgado terá como adversário a esquerda, que enxerga nela um expoente da direita conservadora. Todos, porém, reconhecem a sua habilidade em tratar as questões da UFMA em Brasília. Há quem diga que o ex-reitor entra na corrida como favorito. Vale aguardar.

São Luís, 05 de Maio de 2019.

Campanha da Assembleia Legislativa contra assédio e feminicídio acerta os alvos e ganha repercussão nacional  

 

Campanha da Assembleia Legislativa de reação ao assédio e ao feminicídio ganha repercussão nacional com veiculação na TV Senado e na TV Câmara em todos o país

Encarados agora como uma chaga na vida brasileira, o assédio e o feminicídio, duas pragas que expõem a cultura machista nacional desde as suas origens, com registros assombrosos no Maranhão, como as abordagens inconvenientes e intimidadoras e casos de assassinatos brutais – como alguns que mancham a história de São Luís, cometido pelo desembargador Pontes de Visgueiro contra a esposa, praticado com requintes de crueldade causados por ciúme doentio e “em defesa da honra” – estão sendo finalmente combatidos com a determinação e o vigor exigidos. A sociedade e as instituições resolveram agir depois que o grito das mulheres, há muito sufocado pelo medo e pelo preconceito, ecoou finalmente com a força devida, ensejando uma mobilização nacional contra essa forma brutal e inaceitável de agressão. E nesse movimento, a Assembleia Legislativa do Maranhão, onde as mulheres vêm ocupando espaço cada vez mais expressivo, assumiu uma posição de vanguarda, dando-lhes os instrumentos necessários para que suas poucas formas de defesa, sendo um deles a comunicação.

Além dos discursos-denúncia de deputados e deputadas, de entrevistas e de pregações em sessões especiais, comissões, audiências públicas, simpósios e conferências, que expressam a indignação e a determinação de combater o assédio e o feminicídio, o presidente Othelino Neto (PCdoB), que é jornalista e sabe o peso da comunicação na sociedade atual, acionou o Departamento de Comunicação para que um passo mais largo fosse dado. O resultado da recomendação do presidente ao diretor de Comunicação, ao experiente jornalista Edwin Jinkins, foi a elaboração de uma campanha que vem surpreendendo pela eficácia das mensagens nela contidas.

Produzida com o apoio da Procuradoria da Mulher, que é o braço jurídico de defesa da mulher no Poder Legislativo, e do Grupo de Esposas dos Deputados do Estado do Maranhão (Gedema), o braço social da instituição legislativa, a campanha exibe vozes e imagens que externam, numa só peça com um minuto de duração, o grito de alerta, a indignação e a reação da mulher contra o assédio e o feminicídio. Na peça, uma executiva, uma médica, uma policial e uma jornalista são mostradas como vítimas potenciais, mas que reagem dizendo um basta, agindo como cidadãs dispostas a não mais tolerar o abuso machista, sugerindo que mulheres em situação de risco liguem para o 180, por meio do qual a PM atende a esses chamados. Melhor, nas suas reações indignadas e firmes – “Chega de abuso!”, “Chega de assédio” e “Chega de feminicídio!” – as mulheres deixam no ar a indicação de que as relações podem ser baseadas na igualdade de direitos, no respeito, no companheirismo e na delicadeza.

“A Assembleia Legislativa do Maranhão levantou essa bandeira ao lançar esta campanha sensível de combate à crescente onda de violência que tem vitimado, a cada dia, mais mulheres no Brasil. Conseguimos mostrar, em um minuto, também o empoderamento das mulheres ao ocuparem posições de destaque na sociedade, quer seja nos seus ambientes ou no seio familiar, mostrando que elas são fortes e não se intimidam”, destaca o diretor Edwin Jinkings.

Bem recebida e integralmente assimilada no Maranhão, a começar pelo fato de que usou personagens femininas de ficção e da vida real – a policial é mesmo uma oficial da Polícia Militar -, a campanha foi exibida em todas as emissoras de televisão e rádio durante os meses de março e abril, e ganhou projeção nacional quando veiculada na TV Senado e na TV Câmara, onde  recebeu o aval de diretores, produtores e especialistas. A repercussão da campanha em todo o País entusiasmou, com justiça, o presidente Othelino Neto, que provocado sobre o assunto, não escondeu  sua satisfação com os resultados alcançados pela peça produzida pela chamada “prata da casa”: “É muito gratificante poder contribuir, de maneira mais ampla, para alertar a sociedade brasileira sobre as diversas formas de violência contra a mulher, incentivando-as a denunciar os agressores”.

Em Tempo: a campanha pode ser vista pelo link http://bit.ly2UZSj4.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Márcio Jerry vê Jair Bolsonaro como um presidente desastrado e sem rumo

Márcio Jerry diz que Jair Bolsonaro foi um desastre nos primeiros quatro meses

Um dos mais duros críticos do Governo Federal, o deputado federal Márcio Jerry (PCdoB) usou ontem sua conta no twitter para avaliar, em cinco pontos, o desempenho de Jair Bolsonaro (PSL) nos quatro meses no comando do País. Nas suas observações, o vice-líder do PCdoB na Câmara Federal aponta o presidente como desatinado, que não governa para os mais pobres, que incentiva a violência, que orienta uma política externa vexatória, e que não impõe controle aos filhos. Seguem, os cinco pontos:

  1. O presidente Jair Bolsonaro comete desatinos todos os dias. Não enfrenta nenhum dos problemas reais do país, prefere fazer guerra política permanente, atacar direitos, propor absurdos contra o povo.
  2. Governo Bolsonaro mira os mais pobres e as políticas públicas fundamentais para o país. É o governo que quer fazer da previdência mais um bom negócio para os banqueiros, expondo a maioria do povo à desassistência previdenciária.
  3. Governo Bolsonaro é o da violência. Discursa estimulando a conflagração, flexibiliza uso de armas, prega agressões, ataca a educação, ameaça retirar ainda mais recursos da saúde.
  4. Nunca o Brasil passou tantos vexames internacionais. Um dos maiores países do planeta exposto todos os dias ao ridículo pelas patetices presidenciais. Jair Bolsonaro se comporta como um vassalo dos EUA e um bobão perante o mundo.
  5. Na cruzada bolsonarista os alvos são o povo, os sindicatos, a imprensa, a educação, saúde, os direitos, a democracia. Enfim, tudo que a sociedade brasileira erigiu ao longo de décadas vira alvo da maluquice do presidente, filhos e “guru”. Muito absurdo junto. Reage, Brasil!

 

Se Tadeu Palácio reaparece na cena, mas não deve esquecer a “maldição” que ataca ex-prefeitos de São Luís

Tadeu Palácio, Conceição Andrade, Gardênia Gonçalves e Mauro Fecury deixaram a prefeitura e não retornaram

Em meio aos tímidos movimentos por meio dos quais alguns grupos tentam dar forma e sentido ao bolsonarismo no Maranhão, o ex-prefeito de São Luís, Tadeu Palácio, vem sendo provocado a deixar a cidadela em que se refugiou depois de alguns passos em falso no tabuleiro da política da Capital. A posição de Tadeu Palácio, que foi reeleito em 2002 em primeiro turno, mas acabou deixando o cenário político para não ser trucidado, faz lembrar o quanto a população ludovicense é dura com seus ex-prefeitos. Mauro Fecury, por exemplo, que foi prefeito três vezes por via indireta, fez fortuna com o Ceuma, mas nunca mais foi bem votado em São Luís. Gardênia Gonçalves, que chegou ao Palácio de la Ravardièrie na célebre disputa com Jaime Santana em 1985, deixou o mandato e não mais arriscou um retorno, que só foi possível com a eleição do marido João Castelo em 2008, mas que não foi reeleito. O mesmo aconteceu com a ex-prefeita Conceição Andrade, que teve sua carreira política interrompida depois dos quatro anos que comandou a administração da Capital. Se ainda tiver o bom senso de outros tempos, o ex-prefeito Tadeu Palácio certamente avaliará cenário político e chegará à conclusão de que o melhor é continuar trabalhando na sua clínica oftalmológica.

São Luís, 04 de Maio de 2019.

Assembleia Legislativa muda data de eleição da Mesa e Othelino Neto deve ter reeleição antecipada

Othelino Neto tem força politica e credibilidade para pleitear renovação do mandato de presidente da Assembleia Legislativa em eleição que deve ocorrer nesta segunda

 

Se não surgir um empecilho de última hora, algo absolutamente imprevisto, o deputado Othelino Neto (PCdoB) terá renovado o seu mandato de presidente da Assembleia Legislativa na segunda-feira (6), para permanecer no comando do parlamento estadual até 2022. Esse caminho foi aberto e pavimentado ontem, com a aprovação, por 37 dos 42 deputados, de uma Resolução Legislativa que ajustou o Regimento Interno da Casa e assim permitir que a eleição da nova Mesa Diretora, que a rigor só aconteceria no final de 2019, possa ser realizada a qualquer tempo dentro do atual mandato. Consumada a mudança, o presidente, líderes de bancadas e parlamentares em geral iniciaram um entendimento para definir a data da eleição da futura Mesa Diretora, logo chegando a um grande acordo para que o pleito seja realizado na primeira sessão da próxima semana, com chapa única, tendo o presidente Othelino Neto como candidato à reeleição e representantes dos diversos partidos em cargos da Mesa Diretora, como manda a regra.

A antecipação da eleição da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa não é novidade. O procedimento vem sendo usado há tempos, variando de acordo com o poder de fogo dos presidentes, como ocorreu nas legislaturas mais recentes. O deputado Arnaldo Melo (MDB), por exemplo, elegeu-se presidente em janeiro de 2011 para o biênio 2011/2012 – dando uma célebre rasteira no deputado Ricardo Murad (MDB), então favorito do Palácio dos Leões – e se reelegeu para o biênio 2013/2014 meses antes da data prevista exatamente por uma alteração no Regimento. O mesmo aconteceu com o deputado Humberto Coutinho (PDT), eleito presidente em janeiro de 2015 para o biênio 2015/2016, e mais de um semestre antes do prazo antecipou a reeleição para o biênio 2017/2018.

Na sessão de segunda-feira (29), o Projeto de Resolução apresentado pelo deputado Glaubert Cutrim (PDT), atual 1º vice-presidente da Mesa, foi aprovado sem discussões, sendo criticado apenas pelo deputado Hélio Soares (PR), que não questionou a legalidade, limitando-se a pedir aos colegas “um pouco mais de reflexão”, sem explicitar claramente o fundamento da sua crítica. Tanto que nenhum parlamentar presenta àquela sessão sequer o aparteou, numa sinalização clara de que Situação e Oposição estavam de acordo com a alteração o regimental.

A sintonia de todas as correntes que formam a atual Assembleia Legislativa em torno do Projeto de Resolução alterando a regra regimental da eleição da Mesa Diretora tem um fundamento   técnico e uma explicação política. O fundamento técnico está no fato de que eleição da Mesa Diretora é um assunto interno da Assembleia Legislativa, que fixa a regra relativa à data da eleição sempre que julgar necessário e oportuno, desde que não altere, por exemplo, normas pétreas, como a duração do mandato presidencial, que é de dois anos, segundo reza a Constituição do Estado. Todas as mudanças relacionadas com a data da eleição foram aprovadas sem qualquer restrição de natureza judicial. A explicação política é uma equação também muito simples: a mudança só é proposta e consumada quando o presidente é forte e tem o respaldo da maioria.

No caso da decisão tomada ontem, sua explicação política está no fato de que o presidente Othelino Neto reúne hoje condições excepcionais para garantir antecipadamente a renovação do seu mandato presidencial. Há 16 meses no comando da Casa – assumiu em janeiro de 2018 com a morte do presidente Humberto Coutinho e se elegeu para novo mandato em janeiro de 2019 -, o atual presidente vem surpreendendo o meio político, dentro e fora da seara parlamentar, pela sua capacidade de articulação e pela visão aberta e renovada como vem comandando o parlamento e seus movimentos. Essa postura de dar tratamento igualitário a todos os deputados independente das suas cores partidárias o tornou respeitado até mesmo pelas mais ranzinzas vozes de Oposição. Sua reeleição antecipada será o resultado natural das condições políticas que criou dentro da Casa.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Jair Bolsonaro agradece vitória em São Pedro dos Crentes com agência do BB

Jair Bolsonaro presenteia São Pedro dos Crentes com agência do Banco do Brasil

Na terça-feira (30), o presidente Jair Bolsonaro (PSL) revelou a um grupo de jornalistas a realização da sua primeira obra no Maranhão: a instalação de uma agência do Banco do Brasil em São Pedro dos Crentes, um dos menores municípios do Maranhão. Sem revelar a origem da sua iniciativa, o presidente contou a jornalistas que ligou para o presidente do Banco do Brasil e pediu que ele instalasse uma agência naquele município, recebendo em pouco tempo a informação do próprio presidente do banco que a agência já estava sendo instalada.

A iniciativa do presidente para suprir essa necessidade de São Padro dos Crentes, um pequeno município localizado na grande região que liga Barra do Corda a Imperatriz, situando-se ao lado de Estreito e próximo a Mirador, com cerca de 4.800 habitantes, e que se diferencia dos demais 216 municípios maranhenses por ter uma população de maioria evangélica, tem uma explicação: Jair Bolsonaro recebeu ali menos de dois mil votos, mas eles representaram mais da metade do eleitorado, o que o tornou o único colégio eleitoral do Maranhão onde o candidato Jair Bolsonaro obteve a maioria dos votos. Para lembrar, o candidato do PT, Fernando Haddad, venceu no estado com 75% dos votos válidos, contra 25% do candidato do PSL. No meio político corre que o gesto do presidente seria uma maneira de estocar o governador Flávio Dino (PCdoB), que perdeu a eleição em São Pedro dos Crentes para Roseana Sarney (MDB). A “vingança” não parece fazer muito sentido.

Nada contra o presente a São Pedro dos Crentes, cuja população, formada em sua maioria por trabalhadores rurais e pequenos empreendedores, é certamente merecedora do serviço e de muito mais. Mas o gesto presidencial poderá se transformar numa faca de dois gumes, uma vez que muitos municípios maranhenses, vários deles maior e mais movimentado do que São Pedro dos Crentes, vêm há muito batalhando para ganhar agências do BB

 

Ala Jovem do MDB mantém de pé a pré-candidatura de Victor Mendes a prefeito de São Luís

Victor Mendes é o nome do MDB liderado por Roberto Costa para prefeito de São Luís

Erra feio quem descarta a candidatura do ex-deputado federal Victor Mendes à prefeitura de São Luís pelo MDB. Revelado ainda em janeiro pela Coluna, o projeto é uma das ações que a ala jovem do MDB, que agora está dando as cartas no partido, sob o comando do 1º vice-presidente, deputado Roberto Costa, com o aval presidente, ex-governador João Alberto. O movimento iniciado em torno da ex-governadora Roseana Sarney nasceu fraco e não prosperou, primeiro porque ela própria não demonstrou nem uma réstia de interesse, e depois porque seus amigos mais próximos acham que ela não tem por   que correr o risco de acumular mais uma derrota na sua carreira bem-sucedida, mas que carrega duas manchas, a de 2006 e a de 2018. A opção primeira é, portanto, o ex-deputado federal Victor Mendes, que deverá ter sua pré-candidatura formalizada no próximo semestre, depois do dia 7 de Outubro, quando o ano eleitoral estiver iniciado.

 

São Luís, 02 de Maio de 2019.

Neto Evangelista tem nas mãos as condições para consolidar sua pré-candidatura à Prefeitura de São Luís

 

Embalado por Juscelino Filho (direita) e ACM Neto (centro), Neto Evangelista tem nas mãos a chance da uma candidatura forte para disputar a Prefeitura de São Luís

Menos de uma semana depois de realizada a convenção do DEM, o lançamento do deputado Neto Evangelista como pré-candidato do partido a prefeito de São Luís foi, de longe, a principal decisão tomada por seus caciques e continua causando desdobramentos diversos no cenário ainda impreciso em que se dará a sucessão do prefeito Edivaldo Holanda Jr. (PDT). O ponto central é que esse projeto sucessório conta com o apoio do PDT e dificilmente terá o PCdoB como aliado formal no primeiro turno, já que o partido do governador Flávio Dino alinhava o lançamento de candidato próprio, já tendo definido três pré-candidatos: o deputado federal licenciado e atual secretário Rubens Jr. (Cidades), o deputado estadual Duarte Jr., e o vice-prefeito Júlio Nogueira. Em visita à convenção, o governador Flávio Dino aplaudiu a indicação de Neto Evangelista, disse que não será obstáculo para ele, mas não fez uma declaração expressa de apoio, sinalizando que incentivará outras pré-candidaturas.

Não resta dúvida de que Neto Evangelista saiu da convenção do DEM com um cacife muito maior do que o que carregava quando chegara ao Sebrae na manhã de sexta-feira (25). Havia no ar a expectativa de que o ponto alto da convenção – com a presença do presidente nacional, ACM Neto, prefeito de Salvador e pré-candidato a presidente da República – seria a confirmação da sua pré-candidatura, já acertada nos bastidores com o PDT. E a maneira como se deu o lançamento, com o aval explícito dos senadores Weverton Rocha, líder maior do PDT, e Eliziane Gama, que comanda o Cidadania (ex-PPS) no Maranhão. Curiosamente, o prefeito Edivaldo Jr. não participou da convenção do DEM, mas ninguém duvida que ele seguirá o que for definido pelo comando do PDT.

Filho de São Luís, bacharel em Direito e nascido no caldeirão da política alimentado pelo pai, o ex-vereador de São Luís e ex-deputado estadual João Evangelista, Neto Evangelista herdou forte base política e eleitoral na Capital. Estreou em 2010 aos 22 anos elegendo-se deputado estadual pelo PSDB, tendo disputado o cargo de vice-prefeito em 2012 na chapa do então prefeito João Castelo (PSDB), que disputava a reeleição, mas foi derrotado pelo então deputado federal Edivaldo Holanda Jr. (PTC). Reelegeu-se deputado estadual em 2014, sendo em seguida brindado pelo governador Flávio Dino com a Secretaria de Desenvolvimento Social, que tem como carro-chefe os restaurantes populares, que foram quadruplicados em São Luís e levados para as principais cidades do estado. A pasta deu-lhe ampla visibilidade e o aproximou mais ainda do eleitorado da Capital.

Na avaliação de observadores atentos, com pouco mais de 30 anos, Neto Evangelista já um político experiente e reúne condições de liderar uma frente partidária e encarar o deputado federal Eduardo Braide (PMN) num embate direto pelo Palácio de la Ravardièrie. É visível também que ainda não é unanimidade dentro da aliança governista, parecendo ser ainda uma aposta do senador Weverton Rocha com o apoio da colega dele Eliziane Gama, não contando ainda com o aval do PCdoB, que dificilmente deixará de lançar um candidato, que pode ser o secretário Rubens Jr. ou o deputado estadual Duarte Jr.. O primeiro porque tem peso político como deputado federal que é, além de pertencer ao núcleo mais próximo do governador Flávio Dino. O segundo por ter grande potencial eleitoral e sabe usar com competência rara as redes sociais.

E fato indiscutível, porém, que o deputado Neto Evangelista tem nas mãos uma chance especial de mostrar talento político e capacidade de liderança capaz de remover obstáculos e consolidar um projeto que, se for viabilizado e bem-sucedido, o colocará na primeira fila dos líderes da sua geração que estão em condições de sonhar com o Palácio dos Leões. No momento, o futuro do projeto de chegar ao Palácio de la Ravardiérie depende dos movimentos que o pré-candidato do DEM vier a fazer no tabuleiro sucessório.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

PDT pode lançar um Cutrim para disputar a Prefeitura de São José de Ribamar com Eudes Sampaio

Eudes Sampaio poderá enfrentar nas urnas Gil Cutrim, Glaubert Cutrim ou Edmar Cutrim em S. J. de Ribamar

O PDT ainda não decidiu como participará da disputa pela Prefeitura de São José de Ribamar, onde o prefeito Eudes Sampaio (PTB), que assumiu com a renúncia do prefeito Luis Fernando Silva (DEM), se prepara para ser candidato à reeleição. O partido comandado pelo senador Weverton Rocha trabalha no momento com três nomes de uma mesma família com forte influência no município: o deputado federal Gil Cutrim, que já foi vice-prefeito, prefeito substituto e reeleito; o deputado estadual Glaubert Cutrim, atual 1º vice-presidente da Assembleia Legislativa, ou o pai deles, Edmar Cutrim, ex-deputado estadual e conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, que poderá antecipar sua aposentadoria para entrar na guerra pelo voto na Cidade do Padroeiro. O fato é que a Prefeitura de São José de Ribamar é estratégica e de suma importância para o projeto maior do senador Weverton Rocha de disputar o Governo do Estado em 2022. A cautela com a escolha do candidato deve-se exatamente ao fato de que o chefe pedetista não pretende arriscar, ao contrário, quer escolher um candidato que vença a eleição. Além do prefeito Eudes Sampaio – que deve contar com o apoio do ex-prefeito Luis Fernando Silva, detentor ainda de uma gama de prestígio capaz de influenciar decisivamente na disputa eleitoral -, a corrida sucessória em São José de Ribamar deve contar ainda com a candidatura do ex-deputado Jota Pinto (PEN) e com pelo menos três outros candidatos.

 

DESTAQUE

Assembleia Legislativa abre inscrições para o Parlamento Estudantil Maranhense 2019

Estudantes de 16 a 22 anos que estejam cursando o 2º ou o 3º ano do ensino médio ou o 2º, o 3º ou o 4º ano do ensino técnico, em escola pública ou privada, e que tenham interesse por política e gostariam de ser deputados estaduais por um dia, poderão viver essa experiência na terceira edição do Parlamento Estudantil Maranhense, um programa de educação política criado pela Assembleia Legislativa do Maranhão em convênio a Secretaria de Estado da Educação (Seduc). Este ano, o Parlamento Estudantil Maranhense 2019 será formado por 22 deputados, que serão selecionados a partir de projetos de leis apresentados pelos candidatos a serem deputados por um dia.

As inscrições para o Parlamento Estudantil Maranhense 2019 serão abertas neste 1º de Maio, e podem ser feitas por meio do hotsite http://www.al.ma.leg.br/parlamento-estudantil/ em prazo que se estenderá até o dia 12 de agosto. Caberá à Seduc selecionar 42 projetos, que serão encaminhados à Assembleia Legislativa, onde uma comissão selecionará os 22 cujos autores serão os deputados por um dia.  O resultado da primeira seleção sairá no dia 30 de agosto e, o resultado final, no dia 16 de setembro. A culminância do programa será no dia 29 de novembro, no Plenário Nagib Haickel.

A inscrição se dará por meio do preenchimento de uma ficha, juntamente com apresentação de um projeto de lei nas áreas de Cultura, Educação, Esporte, Defesa do Consumidor, Meio Ambiente, Direitos Humanos, Saúde e Segurança Pública. Ao projeto deve ser anexada cópia da Identidade do candidato e a declaração escolar de que está cursando o 2º ou 3º ano do Ensino Médio ou frequentando o 2º, 3º ou 4º do Ensino Técnico Integrado com o Ensino Médio. O candidato menor de idade deve apresentar Termo de Autorização do Responsável Legal e cópia do documento de identidade do responsável. A falta de qualquer um desses documentos causará o indeferimento da inscrição.

São Luís, 01 de Maio de 2019.

Esmagado nas urnas sob o comando de Roberto Rocha, PSDB definha sem movimentos de reação

 

Roberto Rocha investe no projeto pessoal de se ligar a Jair Bolsonaro, estratégia que ainda não produziu resultado visível, enquanto o PSDB do Maranhão está sem rumo

A confirmação de que mais seis prefeitos – Vianey Bringel (Santa Inês), Camyla Jansen (Cajari), Magrado Barros (Viana), Toinho Patioba (Gonçalves Dias), Chico Eduardo (Brejo de Areia) e Rubens Japonês (Alto Parnaíba) – estão deixando o PSDB para se filiar ao DEM é a confirmação definitiva de que o que restou do ninho dos tucanos desabou do muro para o fundo do poço. A revoada migratória de chefes municipais tucanos tende a continuar, com a possibilidade concreta de o PSDB maranhense chegar à corrida eleitoral do ano que vem com nenhum ou quase nenhum prefeito em busca da renovação do mandato. Mais grave ainda, enquanto os demais partidos se movimentam para ampliar seu poder de fogo atraindo reforços – caso do DEM, PR, MDB, PRB, PP, entre outros -, o PSDB parece mergulhado numa letargia, como se os seus dirigentes estivessem sem ânimo para reagir à desidratação que está desfigurando o partido que foi forte quando liderado pelo ex-governador João Castelo e, depois, pelo vice-governador Carlos Brandão e que agora caminha para ser varrido do mapa político maranhense sob o comando do senador Roberto Rocha.

O quadro atual confirma previsões feitas por observadores que consideram que o comando nacional do PSDB cometeu um monumental erro quando tirou o partido do controle do vice-governador Carlos Brandão para entregá-lo de novo ao senador Roberto Rocha. Sob o comando de Carlos Brandão, os tucanos saíram das eleições municipais de 2016 com 29 prefeitos – só perdeu para o PCdoB, que elegeu 49 -, vários vice-prefeitos e uma penca considerável de vereadores, com ânimo para chegar a 2018 em condições de continuar na vice-governadoria e com um plantel forte de candidatos a deputado federal e a deputado estadual. Mas o que aconteceu foi que a troca de comando no ninho estadual fragilizou gravemente o PSDB, que saiu das urnas mais como um espectro partidário, com o senador Roberto Rocha, candidato a governador humilhado, com 2,2% dos votos, e tendo como único troféu a reeleição do deputado estadual Wellington do Curso.

Quando retomou o comando do PSDB maranhense, depois de anos de “exílio” no PSB, onde nunca foi inteiramente assimilado, o senador Roberto Rocha passou a todos que articularia a grande reunificação do partido, atraindo inicialmente o grupo do ex-governador João Castelo, ainda de pé pela presença forte da ex-prefeita Gardênia Castelo e outros grupos menores. Mas aconteceu exatamente o contrário. Conduzindo o partido inteiramente para sustentar o seu projeto pessoal de candidatar-se a governador, Roberto Rocha convenceu o comando nacional, a começar pelo presidente do partido, Geraldo Alckmin, que também na sua obsessão de ser candidato a presidente do Brasil não se deu conta de que o projeto o projeto do partido no Maranhão era também obsessivo. O resultado foi politicamente trágico: o candidato presidencial Geraldo Alckmin foi esmagado no plano nacional e o candidato a governador Roberto Rocha foi triturado na seara estadual.

O caminho natural o senador Roberto Rocha seria levantar o partido, sacudir a poeira e estimulá-lo a dar a volta por cima, como estão fazendo todos os derrotados nas eleições do ano passado, como o MDB, por exemplo. No Senado, Roberto Rocha inicia a segunda fase do seu mandato dando mostras de que está vivo: ganhou a liderança da bancada do PSDB, ao mesmo tempo em que se movimenta para se tornar um aliado de proa do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Até agora, no entanto, o presidente ainda não um gesto enfático e incontestável de que senador seja um dos seus “homens de ouro” no Congresso Nacional.

Há rumores de que nos próximos dias o comando estadual do partido se reunirá para avaliar o cenário e definir os próximos passos. A se confirmar a reunião, os líderes devem abri-la com a consciência de que eles podem ser substituídos, mas um partido como o PSDB não ser substituído no cenário político maranhense.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

DESTAQUE

Apontada como exemplos de força e juventude, Andreia Resende e Daniella Tema foram homenageadas na convenção do DEM

A convenção do DEM, realizada sexta-feira (26), fez duas homenagens que valorizaram de maneira expressiva a presença feminina no partido. Foram distinguidas e aplaudidas as deputadas Andreia Resende e Daniella Tema, que são vistas como símbolos de vitalidade, garra e compromisso com o partido.

Andreia Resende no ato em que foi homenageada durante a na convenção do DEM pelo presidente Juscelino Filho

Andreia Resende é hoje um símbolo de resistência e superação, não só como referência no DEM, mas na Assembleia Legislativa e em todo o estado. Odontóloga por formação, Andreia Resende sempre respirou política por conta do seu pai, o médico e ex-deputado estadual Francisco Martins, um dos mais importantes líderes de Balsas. E foi nesse ambiente de agitação política que se casou com o ex-deputado Stênio Resende, também nascido em família política em Vitorino Freire. Os dois sofreram um grave acidente automobilístico durante a campanha, ela ficou paraplégica. Sua garra política, fazendo campanha numa cadeira de rodas, e sua vontade de viver transformaram-na num exemplo que se tornou referência. Isso porque, contrariando a tendência de muitos que sofrem tal revés na vida, ela vive a euforia da sobrevivência e encarna a militante política ativa, lúcida e defensoras de causas importante, como a das mulheres.  “Aqui sentada, eu estava agradecendo a Deus por hoje ter tido vida, força e coragem de estar aqui. De participar desse momento tão democrático, onde represento todas as mulheres nesse partido que busca o direito delas, os direitos humanos e das minorias. Princípios que vão de encontro aos meus”, declarou em tom de agradecimento.

Daniella Tema, reconhecida pelo presidente ACM Neto  como força da juventude que renova a política estadual

Daniella Tema foi homenageada por representar a juventude do DEM. Nutricionista, que com 30 anos assumiu o comando do Hospital de Urgência e Emergência de Presidente Dutra e fez uma gestão produtiva e bem-sucedida. Casada com o médico Cleomar Tema, prefeito de Tuntum, Daniella Tema chegou ao DEM em 2017, tornando-se, em pouco tempo, uma referência de juventude.  Ao ser homenageada pela cúpula do partido durante a convenção, Daniella Tema destacou o engajamento dos jovens na política e defendeu a maior participação das mulheres na vida pública. “Em nome da juventude maranhense, agradecemos, de coração, esta homenagem, concedida pelo presidente nacional dos Democratas, ACM Neto, e pelo presidente estadual do partido, deputado federal Juscelino Filho. Vivemos um momento de esperança no nosso país, precisamos cada vez mais da participação dos jovens e das mulheres para que possamos diminuir as desigualdades sociais na construção de um país melhor e mais justo para todos”, declarou. Foi entusiasticamente aplaudida pelos convencionais.

 

Luis Fernando Silva surpreendeu com a renúncia e mergulho como secretário do Governo Dino

Luis Fernando: ainda devendo uma explicação

Uma pergunta está no ar: qual será, de fato, o papel do secretário de Estado de Programas Especiais, Luis Fernando Silva, no Governo Flávio Dino? Nas rodas de conversas são muitas as especulações, mas a verdade pura e simples é que nenhuma mostrou-se consistente para ser a resposta. Dois anos depois de ter retornado à Prefeitura de São José de Ribamar, um dos cinco maiores municípios do Maranhão, em 2016, no embalo de uma eleição que beirou a unanimidade, Luis Fernando Silva protagonizou um dos mais surpreendentes movimentos na política maranhenses nos tempos recentes ao renunciar ao cargo. A surpresa foi maior ainda quando logo em seguida foi revelado que ele deixou o cargo para tornar-se secretário de Estado no Governo Flávio Dino. E para fechar o enredo, o agora secretário mergulhou, sem ter revelado até agora o seu projeto no comando da secretaria – que era uma pasta de gaveta, mas que ganhou estrutura, segundo informações divulgadas pelo próprio Governo. Há rumores de que logo, logo o ex-prefeito de São José de Ribamar e hoje secretário de Programas Especiais revelará seus próximos passos. Vale aguardar.

São Luís, 20 de Abril de 2019.

Movimentos no PP, DEM, MDB, PV, PCdoB, PDT e PSB colocam novas lideranças no comando da política no Maranhão

 

André Fufuca, Juscelino Filho, Roberto Costa, Adriano Sarney, Márcio Jerry, Weverton Rocha e Bira do Pindaré são a nova geração de líderes políticos do Maranhão

Os movimentos mais recentes registrados na seara partidária e fora dela confirmaram, em definitivo, que a nova geração chegou de vez ao comando da política maranhense. Quatro casos ilustram com precisão essa nova realidade: a assunção do deputado estadual Adriano Sarney ao comando do PV e do braço político da família Sarney, a ascensão da ala jovem do MDB aos órgãos de decisão do partido, a ascensão do deputado federal André Fufuca à vice-presidência nacional do PP, e a consolidação do deputado federal Juscelino como líder do DEM. O cenário político estadual vem sendo ainda fortemente movimentado pela condução do deputado federal Márcio Jerry no PCdoB, da intensa ação do senador Weverton Rocha na direção do PDT e do deputado Bira do Pindaré na chefia do PSB. Esses movimentos vão, aos poucos, mas de maneira efetiva, dando um novo desenho ao quadro político, indicando que as lideranças que pontificaram até as eleições de 2018 não mais terão vez, a começar pelo fato de que essa renovação também alcança o eleitorado estadual.

A progressiva transferência do poder político da família Sarney para o deputado Adriano Sarney é fato indiscutível, mesmo estando ele partidariamente vinculado ao PV. Com migração política do ex-deputado federal Sarney Filho para Brasília e com a visível perda de influência da ex-governadora Roseana Sarney, o ex-presidente José Sarney tem deixado claro que o seu caminho será investir na segunda geração representada por Adriano Sarney. Isso está claro no papel que ele vem cumprindo de principal voz da Oposição na Assembleia Legislativa e no espaço que vem ocupando nos meios de comunicação da família. Ainda não é possível prever o desfecho dessa operação, mas já é óbvio que Adriano Sarney é hoje a voz do sarneysismo.

A tomada do poder no MDB pela ala jovem, liderada pelo deputado estadual Roberto Costa, vem mudando a feição e a linha de ação do partido. Ali, ainda que o ex-governador João Alberto permaneça na presidência, as decisões maiores estão sendo tomadas por essa corrente, que domina o Diretório e a Comissão Executiva. A mudança para valer começou após as eleições, quando esse grupo se recusou a ser comandado pela ex-governadora Roseana Sarney. Hoje, o MDB está dividido entre o grupo jovem liderado por Roberto Costa e pela ala mais conservadora que tem o deputado Hildo Rocha como referência. Mas é nítida que a ala jovem está dando as cartas e caminha para assumir o controle do partido sob a batuta de Roberto Costa.

Em outro ambiente, depois de uma série de movimentos que o levaram à presidência do PP no Maranhão e, nas asas do partido presidir a Câmara Federal em momento tenso, o deputado federal André Fufuca chega agora à vice-presidência nacional do PP, e com amplas chances de vir a assumir o comando pleno da agremiação, já que o atual presidente, o senador piauiense Ciro Nogueira, corre o risco de ser preso sob acusação de traquinagens com dinheiro público. Com faro apurado e movimentos precisos, feitos na hora certa, André Fufuca já ocupa um espaço invejável na política nacional e estadual, com assento na mesa das grandes decisões.

Nesse contexto de mudanças, os passos mais largos foram dados pelo deputado federal Juscelino Filho, que numa jogada de raposa, assumiu o comando do DEM, que se encontrava na indigência, para transformá-lo numa força partidária de peso. A convenção realizada sexta-feira (26) foi a demonstração definitiva da força que o partido alcançou, tirando o prefeito de Imperatriz, Assis Ramos, do MDB, e turbinando a pré-candidatura do deputado Neto Evangelista em São Luís numa surpreendente e bem armada aliança com o PDT. Essa guinada surpreendente deu a Juscelino Filho voz influente nas conversas que traçarão os destinos políticos do Maranhão.

Essa legião de novos líderes vem sendo puxada por uma geração intermediária, que tem o governador Flávio Dino como a principal referência. O deputado federal Márcio Jerry se destaca como comandante indiscutível da grande guinada dada pelo PCdoB no Maranhão, a ponto de torná-lo o maior braço estadual do partido em todo o País. No mesmo patamar está o senador Weverton Rocha, que assumiu as rédeas do PDT quando o partido mergulhou numa profunda crise após a morte do ex-governador Jackson Lago, devolvendo forte poder de fogo à agremiação nos últimos tempos. E o deputado federal Bira do Pindaré, que tem nas mãos a oportunidade de ser um desses protagonistas no comando do PSB.

Não restam dúvidas de são essas vozes decidirão o futuro político do Maranhão nos próximos tempos.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

PRB reforça projeto de candidatar o vice Caros Brandão à sucessão do governador Flávio Dino

Em ato do PRB, sábado, Cleber Verde lança Carlos Brandão para governador nas eleições de 2022 

Ao mesmo tempo em que o meio partidário começa a se movimentar para definir candidaturas para as eleições municipais do ano que vem, alguns grupos se mexem já para demarcar terreno para a corrida sucessória estadual em 2022. Nesse sentido, partidários do vice-governador Carlos Brandão não perdem oportunidade de reforçar sua pré-candidatura, criando um clima de pré-campanha em torno do Nº 2 do Governo do Maranhão, numa ação que parece contar com a simpatia do Palácio dos Leões. Esse movimento em torno do vice-governador foi repetido na manhã de sábado, no ato de inauguração da nova sede do PRB, no Renascença. Ali, na presença de lideranças do partido, Carlos Brandão foi mais uma vez efusivamente saudado como a grande aposta do PRB para a corrida para a sucessão do governador Flávio Dino. “Não tenho dúvida, que na sua condição de vice, um político experiente, é o nome natural para suceder o governador”, avaliou o tarimbado  deputado federal Cleber Verde, chefe maior do PRB no Maranhão e que tem dado todas as demonstrações de que pretende levar esse projeto em frente, certo de que Carlos Brandão fôlego e cacife para ser também a aposta do governador Flávio Dino para a sua própria sucessão. O vice-governador, que a cada dia reforça a sua postura de pré-candidato, mas com o cuidado extremo de não avançar o sinal nem criar embaraços para o Palácio dos Leões, vê seu projeto turbinado, aumentando no meio político a impressão de que é, de fato, um nome viável.

 

Wellington do Curso se lança pré-candidato a prefeito de São Luís como única opção do PSDB

Wellington do Curso: diz ser pré-candidato em SL

“O PSDB vai ter candidato a prefeito de São Luís e eu sou pré-candidato”. A afirmação, feita de maneira contundente, partiu do deputado estadual Wellington do Curso, o único representante tucano na Assembleia Legislativa. Wellington do Curso faz uma caminhada solitária, atuando como opositor ferrenho e intransigente do prefeito Edivaldo Holanda Jr. (PDT), em quem bate todos os dias da tribuna do parlamento estadual. O deputado se mantém na condição de pré-candidato com a autoridade de único sobrevivente da tragédia eleitoral que atingiu o ninho dos tucanos nas eleições de 2018, quando o senador Roberto Rocha teve pouco mais de 2% como candidato a governador, e lideranças como Sebastião Madeira, ex-deputado federal e ex-prefeito de Imperatriz, amargaram dura derrota nas urnas. Até agora, o senador Roberto Rocha, que continua no comando estadual do partido, nada sinalizou com relação às eleições municipais, limitando-se a dar sinal verde para que Sebastião Madeira reunir o que sobrou do outrora poderoso ninho maranhense com vistas ao pleito municipal. Do alto dos 100 mil votos que recebeu no pleito municipal de 2016 e da reeleição para a Assembleia Legislativa, Wellington do Curso é, de fato, o nome do PSDB para enfrentar Eduard Braide (PMN), Neto Evangelista (DEM), Duarte Jr. (PCdoB), entre outros nomes lembrados para a sucessão do prefeito Edivaldo Holanda Jr.

São Luís, 28 de Abril de 2019.