Candidatos proporcionais omitem candidatos ao Senado nas suas peças de propaganda usadas na campanha

 

Edison Lobão, Sarney Filho, Eliziane Gama, José Reinaldo, Weverton Rocha e Alexandre Almeida praticamente não atuam como duplas e estão no “cada um por si e Deus por todos”, seguindo cada um a sua própria estratégia de caça ao voto

Algo muito estranho está contaminando e, ao mesmo tempo, complicando a corrida para o Senado Federal no Maranhão: grande parte dos candidatos a deputado estadual e a deputado federal está ignorando, na sua propaganda em papel e em vídeo, o fato de que são duas, e não uma, as vagas que estão em disputa para o Senado da República. E essa “indiferença” em relação ao segundo candidato vem criando uma situação esdrúxula, pois passa ao eleitor desavisado a impressão de que só existe uma vaga para o Senado. A distorção está acontecendo em todas as coligações, causando, se não uma confusão, um clima de desinformação generalizada que, se não for esclarecido urgentemente, em larga escala, e com muita ênfase, pode levar a uma distorção perigosa o suficiente para comprometer a representatividade dos eleitos.

Candidatos a deputado estadual e a deputado federal estão fazendo dobradinha com apenas um candidato a senador nas coligações lideradas pelo governador Flávio Dino (PCdoB), pela ex-governadora Roseana Sarney (MDB), e pelo senador Roberto Rocha (PSDB). Apenas os candidatos proporcionais das coligações que têm à frente Maura Jorge (PSL) – com um candidato apenas, Samuel Campelo (PRTB) – e Odívio Neto (PSOL-PCB), e o PSTU de Ramon Zapata estão “vendendo” seus nomes ao Senado em duplas, como parece ser mais lógico em se tratando de aliança partidária.

“Sou Fábio Macedo e meu candidato ao Senado é Weverton Rocha”, declara enfaticamente o deputado estadual Fábio Macedo (PDT), em busca da reeleição, deixando no ar grande dúvida: ele apoia mesmo só um candidato a senador? Qual sua posição em relação à outra vaga, que tem a deputada federal Eliziane Gama (PPS), da sua coligação, como candidata? Outro exemplo: a deputada federal Luana Costa (PSC), que pertence à coligação “O Maranhão quer mais”, não faz qualquer referência aos candidatos ao Senado, senador Edison Lobão (MDB) e Sarney Filho (PV). O mesmo ocorre com o empresário e ex-prefeito de Imperatriz, Ildon Marques, que não estampa no seu material de campanha o nome de seus candidatos ao Senado nem o nome do candidato a governador. Há também inúmeros casos como o que envolve deputado federal André Fufuca (PP), da coligação “Maranhão de Todos”, que vota com Weverton Rocha e declarou apoio ao candidato Sarney Filho para a outra vaga. Em outro viés, Márcio Jerry (PCdoB), candidato a deputado federal, exibe na sua propaganda impressa os dois candidatos senatoriais da sua coligação, Weverton Rocha e Eliziane Gama. O mesmo está fazendo no seu material de propaganda o deputado presidente da Assembleia Legislativa Othelino Neto (PCdoB), que informa com clareza que tem dois candidatos a senador, Weverton Rocha e Eliziane Gama.

Essa omissão está sendo ostensiva em relação aos candidatos ao Senado e chega a ser agressiva, atingindo os próprios candidatos, porque nas suas propagandas não indicam os nomes dos colegas de coligação para a outra vaga. Assim: Sarney Filho (PV) não inclui Edison Lobão (MDB) na sua propaganda e vice-versa; Weberton Rocha faz campanha isolado de Eliziane Gama, que faz o mesmo em relação a ele; e José Reinaldo (PSDB) ignora totalmente o colega de partido Alexandre Almeida (PSDB), que também faz de conta que ele não existe para a outra vaga. Nessa peleja marcada pelo “cada um por si e Deus por todos”, a campanha transcorre esquisita, com certo ar de confusão, como se não houvesse duas vagas no Senado.

A situação de agora é bem diferente de 2010, por exemplo, quando os hoje senadores Edison Lobão e João Alberto formaram uma chapa compacta, de aliança, e venceram a eleição para as duas vagas no Senado sem necessidade de um correr para um lado e outro para outro, como se fossem concorrentes para uma única vaga, sem nem de longe produzir o clima de confusão como a disputa de agora. Trata-se de um cenário.

 

 PONTO & CONTRAPONTO

 

Pesquisa mostra uma disputa dura pelas vagas no Senado

Pesquisa DataIlha/Difusora mostra Eliziane Gama, Edison Lobão, Sarney Filho e Weverton Rocha muito próximos, ligados pela margem de erro

A pesquisa DataIlha/Difusora encontrou um cenário que reforça mais ainda a impressão de que a corrida ao Senado encontra-se intrincada com os quatro candidatos mais bem posicionados na preferência do eleitorado no mesmo patamar, ligados pela margem de erro, que é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

Eliziane Gama surpreende com 10,01% das intenções de voto, à frente de  Edison Lobão (MDB) com 9,40%, Sarney Filho (PV) com 9,23% e Weverton Rocha (PDT) com 7,51%. Os quatro candidatos estão rigorosamente no mesmo patamar, sendo absolutamente impossível prevê um desfecho neste momento.

Esse grupo é formado exatamente pelos candidatos que reúnem cacife político e eleitoral. Eliziane Gama, por exemplo, ganhou ânimo novo depois que o governador Flávio Dino declarou que ela, sim, é a “guerreira” do Maranhão. O senador Edison Lobão é um “ás” da política, que sabe o que faz quando sua posição de liderança é ameaçada. Sarney Filho vai se movimentando para não permitir que Weverton Rocha chegue de vez, o que é um problema, porque o pedetista é arrojado e está disposto a jogar tudo para se eleger e conta com o apoio integral do governador Flávio Dino. E é exatamente esse poder de fogo que cada um tem que alimenta ba saudável guerra pelo voto.

No grupo que vem em seguida está assim formado, segundo a pesquisa: José Reinaldo (PSDB) com 5,60%, Alexandre Almeida (PSDB) com 1,13%, Preta Lú (PSTU) com 0,39%, Samuel Campelo (PSL) e Saulo Pinto (PSOL) com 0,22%, Iêgo Brunno (PCB) com 0,20%, e Saulo Arcangeli (PSTU) com 0,5%. Brancos e nulos somaram 17,57%.

 

Números do DataIlha e da Econométrica sobre corrida sucessória batem

Flávio Dino, Roseana Sarney, Roberto Rocha, Maura Jorge. Odívio Neto e Ramon Zapata encontram-se na mesma posição segundo as duas últimas pesquisas

É quase uma regra nas campanhas eleitorais no Maranhão: as pesquisas são sempre desacreditadas por candidatos que estão perdendo e, claro, valorizadas ao extremo pelos que as lideram. O que ocorre no Maranhão neste momento é a confirmação desse jogo. Daí ser interessante a comparação dos números das duas pesquisas mais recentes sobre a corrida ao Palácio dos Leões, feitas pelos institutos DataIlha e Econométrica. Os percentuais de intenção de voto são praticamente iguais, confirmando a tendência já consolidada desde a pré-campanha.

Na pesquisa DataIlha/TV Difusora, o governador Flávio Dino (PCdoB) lidera com  60,47% dos votos válidos contra 30,08% de Roseana Sarney (MDB). Roberto Rocha (PSDB) aparece com 4,4%, Maura Jorge (PSL) com 3,56% e Ramon Zapata (PSTU) com 0,6% e Odívio Neto (PSOL) com 0,2%. A votação nominal encontrou 18,65% de nulos, brancos e indecisos.

A pesquisa Econométrica/TV Guará, divulgada na semana passada, encontrou o governador Flávio Dino com 60% dos votos válidos contra 32% da ex-governadora Roseana Sarney, seguida do senador Roberto Rocha com 4,2%, de Maura Jorge com 2,4%, Ramon Zapata e Odívio Neto somados não foram além de 1%. O levantamento da Econométrica encontrou 11,5% de brancos, nulos e indecisos.

Outras pesquisas recentes, como a do Ibope e a do instituto Exata encontraram números próximos, que poderiam se alinhar pela margem de erro, via de regra de três pontos percentuais para mais e para menos. Ou seja, se tais institutos não estiverem cometendo um erro coletivo monumental, o governador Flávio Dino caminha firme para a reeleição, tendência que só poderá ser revertida com surgimentos de fatos excepcionais durante a campanha, o que é improvável que aconteça.

São Luís, 03 de Setembro de 2018.

 

Um comentário sobre “Candidatos proporcionais omitem candidatos ao Senado nas suas peças de propaganda usadas na campanha

  1. Meu nobre Jornalista Ribamar Corrêa, eu tenho a absoluta certeza de que os dois senadores que serão eleitos para nós representar no senado Federal serão a Elisiane Gama e o Weverton Rocha!!!
    Agora quanto aos dois representantes do grupo político do Zé Sarney, esses não terão a menor chance de se elegerem, principalmente o Senador “Esquálido” e “Senador Vareta”. Já o outro, o Zequinha Sarney vai ficar a ver navios e no ostracismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *