Roberto Costa anuncia: MDB quer Roseana Sarney na disputa para a Prefeitura de São Luís

 

Roberto Costa in forma que MDB quer Roseana Sarney na disputa em São Luís

O MDB quer a ex-governadora Roseana Sarney como sua candidata à Prefeitura de São Luís no ano que vem. Essa vontade do partido, já transformada em projeto, foi expressada ontem pelo seu vice-presidente regional, deputado Roberto Costa, em discurso na Assembleia Legislativa. “O partido tomou uma decisão muito clara e definitiva de apresentar o nome da ex-governadora Roseana para disputar a Prefeitura de São Luís”, anunciou Roberto Costa, acrescentando que essa posição partidária será confirmada no dia 02 de dezembro, na convenção partidária, que contará com a presença do presidente nacional do MDB, deputado federal Baleia Rossi (SP). Roberto Costa explicou que a escolha de Roseana Sarney para disputar a Prefeitura de São Luís é a linha de frente de um movimento que o seu partido articula para lançar candidatos na maioria dos municípios maranhenses, a começar pelos maiores.

Na avaliação do partido, segundo o deputado Roberto Costa, as obras estruturantes realizadas por Roseana Sarney nos 13 anos em que esteve à frente do Governo lhe dão autoridade política para pleitear a Prefeitura da Capital. O líder emedebista não informou se a ex-governadora topa ser candidata, limitando-se a declarar que a posição por ele anunciada é uma decisão do partido do partido, deixando em aberto a prerrogativa dela de aceitar ou não.

– O MDB, após as eleições (2018), tem feito uma reflexão importante no sentido de avaliar o resultado das urnas, o comportamento da população em relação ao nosso sistema político. Houve mudanças importantes do eleitor, e nós precisamos buscar novamente a sintonia com a nossa população, com os nossos eleitores -, analisou o vice-presidente do MDB, dizendo acreditar – ele, pessoalmente, e o partido como um todo – que Roseana Sarney tem lastro para liderar a chapa emedebista como candidata à Prefeitura de São Luís. Assinalou que o partido avalia outros nomes para liderar o projeto eleitoral na Capital, mas ressalvou que as obras estruturantes realizadas nas gestões da ex-governadora – avenidas, viadutos, UPAs, Vivas, etc. – a colocam numa posição destacada dentro do partido.

Ao propor a candidatura da ex-governadora, Roberto Costa mostrou o quanto o MDB está determinado a conter sua desidratação política e eleitoral que vem emagrecendo o partido desde as eleições de 2014, aproveito a megaestrutura que a agremiação tem nos municípios, como um partido bem estruturado. “O MDB precisa ter novamente uma participação decisiva com a candidaturas próprias nas grandes cidades”, avaliou, afirmando que esse processo começa precisamente com o lançamento da ex-governadora Roseana Sarney para o comando da Capital. E informou que o MDB estuda lançar candidatos competitivos nos grandes municípios, numa estratégia que será consumada na reunião partidária com a presença do presidente nacional da agremiação.

O anúncio do deputado Roberto Costa foi feito quatro dias depois que o PV lançou a pré-candidatura do deputado estadual Adriano Sarney ao mesmo cargo. Roberto Costa esclareceu que uma coisa nada tem a ver com a outra, que o MDB não tem qualquer ligação com as decisões do PV e que Roseana Sarney é do MDB e não do partido controlado pelo irmão e pelo sobrinho dela. Para o deputado, que é atualmente o mais importante articulador do MDB no Maranhão e liderando um forte movimento de renovação dentro da agremiação apoiado pela ala jovem do partido, a candidatura da ex-governadora fortalecerá o MDB e elevará o nível do debate sobre os problemas da Capital.

Com a decisão, o MDB praticamente descarta outras candidaturas, como a do juiz federal Carlos Madeira, que se aposentará em dezembro, mas demorou para dar uma resposta definitiva ao partido. Resta saber como reagirá a ex-governadora Roseana Sarney, que recentemente, ao ser indagada sobre uma declaração do parlamentar emedebista sobre o assunto, respondeu com um enigmático “Nem, nem, nem”, deixando mais dúvida do que certeza no ar. É possível que agora, diante de um posicionamento do partido, ela reaja de uma maneira mais clara, ainda que seja para declinar da escolha. Ou surpreenda topando o desafio.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Pesquisa acende sinal de alerta nas pontas e no centro da disputa pelo comando de São Luís

Nos extremos, Eduardo Braide e Rubens Jr. são alertados pela pesquisa Exata

A mais recente pesquisa Exata sobre a corrida sucessória em São Luís ligou sinal de alerta no centro e nas duas pontas do pelotão de aspirantes. Primeiro, apontou que o favoritismo do deputado federal Eduardo Braide (Podemos), que aparece na liderança absoluta com 40% das intenções de voto, não é tão sólido quanto aparentou nos primeiros levantamentos. Segundo porque, com 1% das preferências, o deputado federal Rubens Júnior (PCdoB) precisa ter seu projeto turbinado. E terceiro porque no centro do pelotão pré-candidatos o deputado estadual Wellington do Curso (PSDB), com 12% das preferências, não está fora do páreo e mede força com o deputado estadual Duarte Júnior (PCdoB) é o 3º colocado com 11% das intenções de voto. No mesmo cenário aparecem ainda o deputado estadual Neto Evangelista (DEM) empatado com o deputado federal Bira do Pindaré (PSB), ambos com 6%, seguidos do vereador Osmar Filho (PDT) e do deputado estadual Adriano Sarney (PV), ambos com 3%, e do deputado estadual Yglésio Moises (sem partido) alinhado com o radialista Jeisael Marx (Rede) os dois com 1%. E vale destacar que a soma de brancos, nulos e indecisos alcança 15%.

Qualquer avaliação equilibrada e isenta desse cenário concluirá que, ainda que lidere com ampla folga, Eduardo Braide já não desfruta de cacife para liquidar a fatura no 1º turno, como previram outras pesquisas – em uma delas apareceu com 65% das intenções de voto.  Agora, seu cacife é de 40%, o que já não lhe daria vitória em turno único. A perda de intenções de voto por Eduardo Braide é reflexo direto do surgimento de outros candidatos, todos eles com potencial de crescimento, o que pode comprometer seriamente o seu favoritismo. E com um dado agravante: a baixa se dá a pouco mais de 10 meses da eleição, quando a lógica política indica que esse é um momento de crescimento, e a experiência relata que quem perde pontos nesse momento dificilmente os recupera.

Na outra ponta da linha, o deputado federal Rubens Júnior, um dos nomes do PCdoB incluído na disputa, aparece com 1% das intenções de voto, repetindo performance encontrada por outros levantamentos. Secretário das Cidades e Desenvolvimento Urbano, Rubens Júnior tem consistência política, conta com o incentivo do partido e, para analistas da base governista, pode deslanchar. O problema é que a eleição está marcada para daqui a pouco mais de 10 meses, um período não muito folgado para se decidir uma candidatura num campo de batalha tão minado como o de agora. Pode ganhar musculatura se for definido candidato do Palácio dos Leões até janeiro.

 

Weverton Rocha e Juscelino Filho negociam a migração de Neto Evangelista do DEM para o PDT

Neto Evangelista pode ser liberado pelo DEM para ingressar no PDT

A corrida para a Prefeitura de São Luís pode causar uma migração partidária impensável há algumas semanas. Corre forte nos bastidores que estão avançadas negociações para que o deputado estadual Neto Evangelista deixe o DEM e ingresse nas fileiras do PDT, de modo a tornar-se candidato do partido à Prefeitura de São Luís. A articulação se dá entre o senador Weverton Rocha, chefe maior do PDT maranhense, e o deputado federal Juscelino Filho, que comanda o DEM no estado. A explicação é simples. O PDT não dispõe de um nome consistente para disputar a Prefeitura de São Luís, e o DEM tem um bom nome, mas não tem estrutura política e partidária para embalar a candidatura. Determinado a não entregar sua joia preciosa, que comanda desde 1989 – num processo só interrompido pela eleição de João Castelo (PSDB) em 2008, e pela eleição de Edivaldo Holanda Júnior em 2012, então filiado ao PTC e que mais tarde migraria para o arraial brizolista -, o PDT quer Neto Evangelista nos seus quadros, apostando que essa candidatura pode atrair aliados. A princípio, o comando do DEM refugou, mas agira, depois de várias rodadas de conversa, há sinais de que o presidente Juscelino Filho estaria disposto a liberar Neto Evangelista, livrando-o do risco de perder o mandato. Há quem diga que esse acordo será amarrado e anunciado ainda neste ano.

São Luís, 26 de Novembro de 2019.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *