Pesquisa aponta embate decisivo entre Lahesio Bonfim e Edivaldo Jr. pela terceira posição

 

Lahesio Bonfim está levando a melhor na disputa com Edivaldo Jr. que pode levar a uma vaga no 2º turno

Se a surpreendente arrancada do senador Weverton Rocha, pré-candidato do PDT, alcançando razoável vantagem sobre o governador licenciado e hospitalizado Carlos Brandão, pré-candidato do PSB à reeleição, está gerando questionamentos de natureza ética, o dado que envolve a disputa intermediária entre o ex-prefeito de São Pedro dos Crentes, Lahesio Bonfim (PSC), e o ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Jr. pré-candidato do PSD, que travam uma dura guerra intermediária e cujo prêmio é o caminho aberto para disputar as primeiras posições chama a atenção pelas características dos pré-candidatos. Segundo a pesquisa Exata, o ex-prefeito de São Pedro dos Crentes está impondo vantagem de três pontos percentuais sobre o ex-prefeito de São Luís, causando surpresa no meio político. Lahesio Bonfim é um médico conhecido por atitudes controversas, por declarações incendiárias e que se esforça para ser visto como um outsider, ou seja, um político fora dos padrões. Edivaldo Holanda Jr., que é advogado, prima por uma imagem de político enquadrado, que vive muito discretamente, fala pouco e se esforça para se mostrar um gestor eficiente.

Provavelmente pela sua ainda curta, mas muito bem sucedida trajetória – dois mandatos de vereador de São Luís, meio mandato de deputado federal e dois mandatos de prefeito de São Luís, com votações em grande medida garantida pelo eleitorado evangélico -, todos sem um traço de rasura, Edivaldo Jr. foi convidado pelo presidente nacional do PSD, o ex-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab, para ingressar no partido e ser o seu candidato ao Governo do Estado. Foi um movimento perfeito, encampado com entusiasmo pelo presidente do partido no Maranhão, deputado federal Edilázio Jr., e seu principal articulador, o experiente deputado estadual César Pires. Passados os primeiros momentos do lançamento, o pré-candidato do PSD se deu conta de que não estava disputando a Prefeitura de São Luís, mas o Governo do Maranhão, que reúne 217 prefeituras espalhadas num território de mais de 300 mil quilômetros quadrados. Sua marcha para o interior está sendo lenta, mantendo-o na faixa dos 10% de intenção de voto.

Lahesio Bonfim faz trajetória rigorosamente inversa. Montado numa trajetória de médico do interior, demais, elegeu-se e se reelegeu prefeito de São Pedro dos Crentes, sul do estado, 4,5 mil habitantes, quase todos evangélicos. Ele diz, e alguns confirmam, que fez ali uma gestão-modelo, cujos pontos principais serão a base da sua gestão no Governo do Estado, se eleito for. Bolsonarista assumido, enfrentou percalços na busca de um partido, mas encontrou no PSC, comandado pelo deputado federal Aluísio Mendes, um pouso seguro. Ganhou fama na região e se lançou candidato num movimento do interior para a Capital, onde, agora ciceroneado pelo experiente e respeitado vereador Gutemberg Araújo (PSB), tenta se mostrar um político preparado para governar “e mudar” o Maranhão. E foi com essa estratégia que saiu de 3%, atropelou Josimar de Maranhãozinho (PL) e agora ultrapassou Edivaldo Jr., alcançando 14% nas duas pesquisas Exata mais recentes. De espírito provocador, disparou contra o senador Weverton Rocha em entrevista recente: “É um político que não tem pudor com dinheiro público, e por isso o Flávio Dino não o escolheu”.

Se os números da pesquisa Exata traduzirem a realidade, Lahesio Bonfim começa, de fato, a se credenciar para disputar uma vaga num eventual segundo turno com o governador Carlos Brandão ou com o senador Weverton Rocha. Sua movimentação – esteve semana passada com empresários e visitou ontem o prefeito Eduardo Braide (sem partido) e ainda não posicionado da corrida aos Leões – parece muito mais intensa e abrangente. Por seu turno, Edivaldo Jr., que cumpre uma agenda no interior, que não tem produzido resultados, segundo mostram as pesquisas mais recentes, nas quais ele aparece estacionado numa faixa que vaio de nove a doze pontos percentuais. Ninguém duvida de que tem potencial para virar a mesa e seguir em frente, com mais ousadia e agressividade (no bom sentido).

Se gerou uma forte expectativa em relação ao embate que será travado pelo governador Carlos Brandão com o senador Weverton Rocha pela liderança da corrida, a pesquisa Exata trouxe a informação de que Lahesio Bonfim e Edivaldo Jr. terão de travar um confronto “de sair faísca”, como se dizia em outros tempos.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Pesquisa Exata criticada por não respeitar ausência e problema de saúde de Brandão

Carlos Brandão pode ter sido prejudicado na pesquisa Exata

Uma situação de natureza ética envolvendo a pesquisa Exata, divulgada na segunda-feira (13) chamou. Ela decorre do fato de o instituto haver saído a campo exatamente no momento em que o governador Carlos Brandão (PSB), candidato à reeleição, encontrava-se hospitalizado em São Paulo, e nessa condição, vítima de uma boataria frenética e quase insana sobre o seu real estado de saúde. Há quem diga que houve má fé, havendo também quem resuma tudo numa “infeliz” coincidência. Entre os que viram má fé no prosseguimento da pesquisa, há os que acham que a aplicação dos questionários poderia ter sido suspensa temporariamente, e caso já estivessem respondidos, deveriam ter sido guardados. Para eles, aconteceu exatamente o que não deveria ter acontecido.

Os críticos da pesquisa argumentam que na condição de licenciado, hospitalizado e submetido a duas cirurgias, o governador Carlos Brandão ficou em óbvia desvantagem, já que a boataria chegou a espalhar que ele não seria mais candidato e que dificilmente voltaria ao cargo. Tal contexto certamente contribuiu para que a tendência mostrada das últimas pesquisas, com estagnação de Weverton Rocha e crescimento de Carlos Brandão, sofresse uma reviravolta tão ostensiva. Ficou, de fato, no ar, uma nuvem densa de carência ética nesse episódio, que está dando o que falar nos bastidores e fora deles.

 

Em ação, Othelino Neto diz que tem agenda intensa no campo político

Othelino Neto entrevistado por Juraci Filho na TV Assembleia

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Othelino Neto (PCdoB) retomou com todo gás a sua própria pré-campanha para renovação do mandato parlamentar e como coordenador político da pré-campanha do ex-governador Flávio Dino (PSB) ao Senado. Essa disposição exibida por ele próprio ontem, em entrevista ao programa Bastidores, conduzido pelo jornalista Juraci Filho na TV Assembleia. Com os pés no chão e ciente dos desafios que tem pela frente, Othelino Neto revelou: “Estamos com uma agenda intensa e o ex-governador Flávio Dino tem conversado muito com a classe política. Agora, intensificamos o movimento de visita aos municípios, levando a sua pré-campanha e ajudando a compor não só um programa de governo para a pré-candidatura à reeleição do governador Carlos Brandão, mas, também, coletando informações para a sua pré-candidatura ao Senado”.

Conhecido pela sua capacidade de analisar cenários políticos aparentemente complicados, Othelino Neto observa que no Maranhão está se reproduzindo o desenho da conjuntura pré-eleitoral em curso no País:  “Para o nosso campo, estão vindo partidos e líderes alinhados, em sua maioria, à pré-candidatura do ex-presidente Lula. Isso sinaliza muito positivamente para nós. Afinal, somos avalistas desse projeto para o estado”.

Na mesma conversa, o presidente da Assembleia Legislativa anunciou a volta, depois de dois anos suspensa, da festança junina “Arraiá do Povo”, realizada no pátio do Palácio Manoel Beckman, organizada pelo Gedema, com o objetivo de valorizar a cultura maranhense e oferecer momentos de alegria e descontração a deputados, servidores e à comunidade em geral.

São Luís, 15 de Junho de 2022.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *