Partidários de Bolsonaro ampliam espaço político no Maranhão com recursos de programas sociais

 

Roberto Rocha, Aluízio Mendes, Juscelino Filho, Cléber Verde e Josivaldo JP: bolsonaristas ocupando espaço político

Ninguém duvida de que o presidente Jair Bolsonaro (PL), que levou uma surra histórica nas urnas maranhenses nos dois turnos da eleição presidencial de 2018 na disputa com o petista Fernando Haddad, corre o risco de ser surrado de novo no estado, por margem muito ampla, agora no embate direto como ex-presidente Lula da Silva (PT). Todos os sinais até agora emitidos pelo eleitorado por meio das pesquisas de opinião são indicativos de que o presidente, ao contrário do que muitos apostaram, não conquistou nem os corações nem as mentes da esmagadora maioria dos maranhenses, e isso deve ser dito pelas urnas, se nada de excepcional acontecer até o 2 de Outubro. Por outro lado, não há dúvida também de que as forças políticas maranhenses diretamente ligadas ao Governo Bolsonaro, caso do senador Roberto Rocha (PTB), assim como as que se relacionam na surdina e fingem que não o fazem, caso do senador Weverton Rocha (PDT), se movem ostensivamente para ocupar espaço político expressivo no estado nessa corrida. E para isso estão se valendo do pacote de “bondades” eleitoreiras que que o governo bolsonarista está usando no pesado jogo que o presidente pratica para viabilizar o seu projeto de reeleição.

Ontem, um dos auditórios do campus da UFMA foi palco de um evento no qual o ministro da Cidadania, Ronaldo Bento, comandou ontem a etapa maranhense da chamada “Jornada do Auxílio Brasil”, o benefício de R$ 400,00 com o qual o Governo Bolsonaro substitui o programa Bolsa Família criado no Governo Lula na década de 2000. Segundo o ministro da Cidadania, o Maranhão tem mais de 1 milhão de beneficiários do programa. A tal “jornada” do Auxílio Brasil no estado é uma parceria do Ministério da Cidadania com a Federação dos Municípios do Maranhão (Famem), comandada por ninguém menos que Erlânio Xavier, prefeito de Igarapé Grande, um dos chefes do PDT regional e homem forte da campanha do senador Weverton Rocha (PDT) ao Governo do Estado.

Muito fraco de público, o evento atraiu parte da “nata” do bolsonarismo estadual. Lá estiveram o prefeito de São Luís, Eduardo Braide (sem partido), que na condição de oposição ao Governo de Carlos Brandão (PSB), mantém canais produtivos de acesso ao Governo Federal, e o senador Roberto Rocha, bolsonarista entusiasmado que preside o braço maranhense do PTB e é candidato à reeleição. Na ato comandado pelo ministro Ronaldo Bento estiveram também os presidentes regionais do PSC, deputado federal Aluísio Mendes, principal fiador da pré-candidatura de Lahesio Bonfim ao Governo do Estado pelo seu partido, e como ele bolsonarista de proa; do União Brasil, deputado federal Juscelino Filho integrante da corrente do partido alinhada ao Palácio do Planalto e que parece desconhecer que o ex-DEM tem um candidato a presidente da República, o deputado federal por Pernambuco Luciano Bivar, que é também presidente nacional do partido; e do Republicanos, deputado federal Cléber Verde, igualmente alinhado ao Governo Bolsonaro. Os dois últimos são linha de frente do projeto de candidatura do senador Weverton Rocha ao Governo do Maranhão. E junto com eles o deputado federal Josivaldo JP (PSC).

A incursão do ministro da Cidadania, que também entregou 12 equipamentos agrícolas e 10 caminhões, é uma mostra tímida da derrama de recursos que o Governo Bolsonaro está fazendo a três meses e meio das eleições. E está evidenciado que seus aliados no estado encontram-se usando esse e outros programas sociais do Governo Federal para fortalecer seus projetos eleitorais, no caso, a reeleição. Milhões e milhões de reais têm sido derramado nos municípios em emendas parlamentares, sem que se tenha efetivamente um controle sobre esses recursos. Ontem mesmo, o senador Roberto Rocha anunciou ter conseguido recursos para a construção de uma grande ponte na Ilha de São Luís, numa demonstração de que o presidente está disposto a “quebrar” o Brasil mais do que já está “quebrado” para renovar o seu mandato e os dos seus aliados.

Com essa “burra” aberta e generosa, os bolsonaristas maranhenses vão ocupando espaços e se fortalecendo usando os fartos recursos da União.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Othelino Neto manda apurar denúncia de irregularidade em concurso

Othelino Neto manda aourar denuncia feita por Yglésio Moises

O presidente licenciado da Assembleia Legislativas, deputado Othelino Neto (PCdoB), não pensou duas vezes depois de ser informado da denúncia, feita pelo deputado Yglésio Moyses (PSB) de que o concurso realizado pelo Poder Legislativo para o preenchimento de vagas no seu corpo funcional estaria contaminado por irregularidades. Ele decidiu acionar o Ministério Público para que investigue a denúncia. E anunciou que tudo será colocado em pratos limpos, garantindo que, caso a suspeitas de irregularidades forem confirmadas, serão tomadas, inclusive a anulação do certame. Caso não haja irregularidades, o processo do concurso terá continuidade inclusive com a contratação dos aprovados. Não se podia esperar outra atitude do chefe do Poder Legislativo. Agora é manter a calma e aguardar o resultado da investigação, para depois decidir o que fazer.

Já em relação ao deputado Yglésio Moises há duas situações conflitantes. Informados da suspeita de irregularidade no concurso, o parlamentar agiu corretamente ao fazer a denúncia na tribuna, que é o espaço mais adequado para uma manifestação parlamentar, ainda que a informação guarde controvérsias e inconsistência. Por outro lado, o parlamentar disse colegas seus tentaram demovê-lo da decisão de fazer a denúncia, oferecendo-lhe, “indiretamente”, R$ 200 mil para que ficasse calado. Surpreendeu Yglésio Moises ter preservado as identidades dos colegas que tentaram suborná-lo. Para ser inteiramente correto, o parlamentar teria de dar nomes aos tais colegas dele.

 

Velhos conhecidos das urnas, Hertz Dias e Saulo Arcangeli serão lançados pelo PSTU

Hertz Dias e Saulo Arcangeli: de volta ao sacrifício

Hertz Dias e Saulo Arcangeli serão lançados oficialmente, amanhã, candidatos a governador do Estado e a senador, respectivamente, pelo PSTU. São dois velhos conhecidos das urnas maranhenses, que até nas últimas eleições não foram bem acolhidos pelo eleitorado. Hertz Dias foi candidato do PSTU à Prefeitura de São Luís na última eleição, e agora foi promovido candidato do partido aso Governo do Estado. Saulo Arcangeli tem uma trajetória muito mais longas e mais rica de derrotas acachapantes para governador, prefeito e senador. O lançamento será feito, os dois serão confirmados candidatos, cumprirão o calendário eleitoral como tal, mas suas candidaturas morrerão na praia. Terão, pelo menos, o mérito de participar do grande debate.

São Luís, 16 de Junho de 2022.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *