Escutec: Brandão lidera ameaçado por Weverton, que tem Lahesio como ameaça crescente

 

Carlos Brandão lidera a corrida ao Governo do Estado seguido de Weverton Rocha, Lahesio Bonfim, Edivaldo Jr., Simplício Araújo, Enilton Rodrigues e Hertz Dias

Pesquisa para medir a corrida ao Palácio dos Leões feita pelo instituto Escutec em 70 municípios de todas as regiões do Maranhão no período de 11 a 16 de Junho, divulgada ontem mesmo, encontrou a indicação de que se a eleição fosse agora, o governador Carlos Brandão (PSB) seria reeleito vencendo o primeiro e o segundo turno com o senador Weverton Rocha (PDT). No primeiro turno, o governador sairia das urnas com 27% e o senador com 23%, seguido de Lahesio Bonfim (PSC) com 15%, Edivaldo Holanda Jr, (PSD) com 11%, Simplício Araújo (Solidariedade) com 3%, Hertz Dias (PSTU) e Enilton Rodrigues (PSOL), ambos com 1%. Um contingente de 8% de entrevistados se dividiu entre não votar em nenhum deles, anularia o voto ou votaria em branco, enquanto que outros 11% não quiseram ou não souberam responder. Num segundo turno entre Carlos Brandão e Weverton Rocha, o governador seria reeleito com 36% contra 34%; e se a rodada final fosse com Lahesio Bonfim, Carlos Brandão venceria por 38% a 29%, e com Edivaldo Jr., seria reeleito com 39% contra 23%.

A nova pesquisa Escutec confirma com clareza a tendência revelada na pesquisa feita no final de abril e publicado no dia 1º de maio, na qual os pré-candidatos ficaram nas seguintes posições: Carlos Brandão (24%), Weverton Rocha (20%), Edivaldo Júnior (12%), Lahesio Bonfim (11%) tem 11%. Roberto Rocha (8%), Josimar de Maranhãozinho (3%), Simplício Araújo (2%), Enilton Rodrigues (1%) – Hertz Dias (PSTU) não pontuou. No segundo turno, Carlos Brandão venceria Weverton Rocha por 39% a 34%, Edivaldo Jr. por 39% a 23% e Lahesio Bonfim por 42% a 25%.

Uma regra básica na avaliação de pesquisas reza que não é possível comparar a pesquisa de um instituto com a de outro, como é o caso deste levantamento com o do instituto Exata, divulgada há três dias, por causa da diferença de método e do universo pesquisado, entre outros itens importantes. No caso dessa pesquisa Escutec, ela tem uma nítida linha de coerência com os números que encontrou no final de abril, confirmando a movimentação dos pré-candidatos, notadamente os dois que estão na frente.

Os números do Escutec refletem a lógica. O governador Carlos Brandão começou com quatro pontos percentuais de intenção de voto e avançou, lenta e firmemente, em todos os levantamentos, até ultrapassar o senador Weverton Rocha, que saíra na frente, mas estacionou no patamar dos 20% durante mais de uma dezena de pesquisas. E mesmo levando em conta o apoio que recebeu das forças bolsonaristas lideradas pelo senador Roberto Rocha (PTB), candidato à reeleição, e pelo deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL), e o afastamento temporário do governador da cena pré-eleitoral, soa estranha uma arrancada repentina do senador pedetista. E mesmo que Weverton Rocha tivesse protagonizado uma situação excepcional, dificilmente isso se refletiria numa pesquisa quase instantaneamente. Nesse contexto, é lícito avaliar, mesmo com algumas reservas, que a pesquisa Escutec é consistente.

A prova dos nove mesmo será tirada numa pesquisa a ser feita em meados de julho, depois de algum tempo em que o governador Carlos Brandão tiver retornado ao tabuleiro eleitoral, correndo o estado, fazendo corpo-a-corpo como eleitor e intensificando articulações, como vem fazendo o senador Weverton Rocha e os demais candidatos, aproveitando como podem o vazio da sua ausência temporária. Carlos Brandão tem trunfos poderosos, como o aval do ex-presidente Lula da Silva (PT) e do ex-governador paulista Geraldo Alckmin (PSB), que logo entrarão no circuito pedindo votos para sua reeleição, como também a parceria do ex-governador Flávio Dino (PSB), que se mantém franco favorito para o Senado. Sem candidato a presidente – não disse até agora uma só palavra sobre Ciro Gomes (PDT) – e tendo como aliados os chefes bolsonaristas do estado, o que inibe um discurso crítico sobre o presidente Jair Bolsonaro (PL), o senador Weverton Rocha não dispõe de trunfos, correndo o risco de chegar na campanha propriamente dito com seu discurso esgotado.

Em Tempo: Contratada pelo portal Imirante.com, a pesquisa tem margem de erro de 2,19% para mais ou para menos, intervalo de confiança de 95%, e está registrada na Justiça Eleitoral sob o número MA-05721/2022.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Lahesio leva a melhor na disputa com Edivaldo Jr.

Lahesio Bonfim está levando a melhor contra Edivaldo Jr.

O ex-prefeito de São Pedro dos Crentes e pré-candidato do PSC ao Governo do Estado Lahesio Bonfim tem todos os motivos para soltar rojões nos arraiais junino, mesmo sendo evangélico militante. O seu desempenho nas pesquisas de intenção de votos deixando para trás o eleitoralmente bem sucedido ex-prefeito de São Luís e pré-candidato do PSD Edivaldo Holanda Jr., e ameaçando se aproximar perigosamente do senador Weverton Rocha, tem sido o ponto fora da curso numa corrida que parecia linear. O seu principal foco no momento é conquistar espaços na Capital e na Ilha de Upaon Açu, esforçando-se para livrar-se da imagem de político medíocre e sem preparo para ser governador. Seu principal adversário no momento, Edivaldo Jr. fez o caminho contrário, tentando levar ao interior o seu currículo de bom gestor, escrito nos oito anos como prefeito eleito e reeleito de São Luís. Já tendo alcançado 15% de intenção de votos num crescendo firme, Lahesio Bonfim está levando a melhor sobre Edivaldo Jr., que aparece travado no patamar entre 10 e 12 pontos percentuais, e dá sinais de que vai partir para travar uma guerra de vida ou morte com o segundo colocado, que segundo o Escutec é o senador Weverton Rocha, que deve mantê-lo agora sob o alcance de seu retrovisor.

 

Paulo Velten vai a assembleia do Consórcio Nordeste, a feira e a reunião informal com Lula

Paulo Velten na assembleia do Consórcio do Nordeste e no estande maranhense da Feira de Agricultura Familiar e Economia Solidária em Natal

Tem chamado a atenção a desenvoltura e a intensidade com que o presidente do Poder Judiciário, desembargador Paulo Velten, vem atuando como governador interino do Maranhão. Ele tem mantido a rotina palaciana, despacha com secretários e deixa claro que não se ajustará ao rótulo de interino puro e simples. Seus movimentos mais interessantes são os feitos na seara política. Tem incursionado no interior inaugurando e anunciando obras, e não se furta a abraçar crianças e a cumprimentar cidadãos e líderes políticos. Parece não se incomodar nos atos públicos, sob forte calor, nos quais discursa longamente, passando a impressão de que está identificando nesse papel. Um observador atento, que tem acompanhado sua agenda, disse à Coluna ter certeza absoluta que o desembargador Paulo Velten encontra-se equilibradamente fascinado com o poder político.

Ontem, em Natal (RN), o governador interino Paulo Velten participou da Assembleia Geral do Consórcio do Nordeste, participando efetivamente da discussão de uma pauta extensa, tendo feito, por exemplo, um dura crítica ao Projeto de Lei Complementar nº 182022, que reduz o valor do ICMS cobrado pelos estados sobre combustíveis. Visitou atento também da I Feira Nordestina de Agricultura Familiar e Economia Solidária, da qual o maranhão participou com uma delegação com 40 agricultores de 18 municípios, representados por quebradeiras de coco babaçu, indígenas, quilombolas e assentados.

E no final participou de uma reunião informal dos governadores dom o ex-presidente Lula da Silva, que está incursionando pelo Nordeste em pré-campanha.

São Luís, 17 de Junho de 2022.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *