PCdoB projeta lançar 120 candidatos a prefeito e ter participação decisiva na sucessão em São Luís

 

Márcio Jerry entre Rubens Jr., Duarte Jr. e Júlio Nogueira: o comandante e os pré-candidatos do PCdoB em São Luís em recente ato do partido para atrair filiados 

Depois de sair das urnas em 2016 com 46 prefeitos, o que consolidou a posição de secção mais importante do País, o braço maranhense do PCdoB quer dar um salto ainda mais alto nas eleições municipais de 2020: aumentar o número de prefeitos, incluindo entre eles o próximo mandatário de São Luís. Esse projeto começa com a meta de chegar no ano eleitoral com candidatos a prefeito em pelo menos 120 municípios, em voo solo ou em coligação. Esse cenário foi desenhado pelo presidente regional do partido, deputado federal Márcio Jerry, no programa Sala de Entrevista, da TV Assembleia, comandado pelo jornalista Juracy Filho. Quando falou como presidente do PCdoB, Márcio Jerry exibiu confiança em mais uma resposta afirmativa do eleitorado maranhense ao desempenho do Governo Flávio Dino, que tem no PCdoB e 15 partidos aliados, entre eles o PDT e o PSB, sua base política, manifestando convicção de o partido que comanda sairá mais uma vez consagrado das urnas. No caso de São Luís, ele previu que o candidato da aliança será escolhido numa articulação do prefeito Edivaldo Holanda Jr. (PDT) com o governador Flávio Dino (PCdoB), podendo ser um pedetista, um comunista ou nome de outro partido aliado, como o DEM, por exemplo.

Na entrevista, Márcio Jerry avisou que o PCdoB vai jogar pesado para consolidar e até ampliar sua posição de partido dominante no cenário atual da política maranhense. Para começar, pretende chegar a 31 de janeiro do ano que vem com nada menos que diretórios do partido instalados nos 217 municípios maranhenses, feito que nenhuma agremiação – nem o PMDB nos seus melhores momentos – conseguiu alcançar. Se “bater” tal meta, não terá concorrente em número de candidatos a prefeito, a vice-prefeito e, principalmente, a vereador, e certamente ocupará um lugar na crônica dos partidos políticos do Maranhão com esse feito inédito. E fez questão de frisar que o número de candidatos a prefeito previsto (120), é uma previsão de agora, o que significa dizer que esse exército de candidatos poderá ser bem maior. Márcio Jerry sinalizou que o “alongamento” do PCdoB no Maranhão é um projeto nacional, tanto que foi alinhavado em reunião em São Luís com o comando nacional do partido, e será conversado com prefeitos, vereadores e presidentes municipais da agremiação.

No caso de São Luís, Márcio Jerry escala pré-candidatos do PCdoB a prefeito, mas dá tom mais forte à estratégia de lançar um candidato viável pela grande aliança, a partir de uma articulação do prefeito Edivaldo Holanda Jr. e o governador Flávio Dino. “O nosso objetivo, nossa meta, é novamente ganhar a eleição em São Luís em 2020 e manter o Governo do Estado em 2022. Nós, nosso partido, tivemos uma importância grande na eleição do nosso querido prefeito Edivaldo Holanda Jr. em 2012 e tivemos um papel importante na reeleição de Edivaldo Holanda Jr. em 2016. Temos, portanto, legitimidade para participar desse processo”, disse. E deixou claro que essa articulação deve envolver nomes do PCdoB (o deputado federal Rubens Jr., o deputado estadual Duarte Jr. e o vice-prefeito Júlio Nogueira), do PDT (os vereadores Osmar Filho e Ivaldo Rodrigues), do PSB (Bira do Pindaré) e do DEM (Neto Evangelista), citando também a pré-candidatura independente do radialista Jeisael Marx. “Temos um grande leque de pré-candidatos, e pelo consenso progressivo, nós vamos encontrar um bom caminho”, projetou, ciente de que a disputa em São Luís será um desafio e tanto, a começar pela existência incontestável de um candidato forte na Oposição, o deputado federal Eduardo Braide (PMN).

Além de São Luís, Márcio Jerry deixou no ar a impressão de que o PCdoB vai jogar pesado para ganhar o comando de grandes municípios. Tudo indica que pode eleger o prefeito de Imperatriz, o deputado estadual Marco Aurélio ou o secretário Clayton Noleto (Infraestrutura). Poderá reeleger Domingos Dutra em Paço do Lumiar e Wellryk Costa em Barra do Corda. Mas até aqui ainda não tem nomes fortes para disputar em São José de Ribamar, Caxias, Timon, Pinheiro, Santa Inês, Bacabal, Balsas, Codó, Pedreiras e Chapadinha, por exemplo, sendo quase certo que fará composições nesses municípios, se possível emplacando o candidato a vice.

No meio político é dominante a impressão de que o projeto de “alongamento” do PCdoB é viável.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Prefeitura de São Luís: antecipação da folha é resultado de um esforço gigantesco que já dura 65 meses

Edivaldo Holanda Jr.: esforço mensal para manter a folha de pessoal em dia durante 65 meses

A Prefeitura de São Luís anuncia para esta quinta-feira (30) o pagamento do funcionalismo municipal. Nada excepcional se o anúncio fosse feito num cenário em que o Poder Público estivesse vivendo uma situação de normalidade financeira. Mas não é o caso. A regularidade com que o prefeito Edivaldo Holanda Jr. vem pagando os servidores é o desdobramento de um esforço gigantesco que vem sendo feito há exatos 65 meses, tempo de duração dos seus dois mandatos até aqui. Ainda está bem vivo na memória dos barnabés ludovicenses o clima de incerteza e de insegurança que se instalou na máquina administrativa municipal no final do mandato do então prefeito João Castelo (PSDB), em dezembro de 2012. Jovem e inexperiente, Edivaldo Holanda Jr. recebeu a Prefeitura em estado caótico, com os servidores cobrando dezembro e 13º e os sistemas municipais de Saúde e de Educação em colapso, tudo concorrendo para o desenho de um futuro sombrio. Mas, ao contrário do desastre previsto, que muitos consideraram fato consumado, o jovem prefeito trincou os dentes, segurou a pancadaria e conseguiu o inesperado: pagou o mês de janeiro, o primeiro da sua gestão, e apesar de todas as previsões catastróficas, manteve a folha em dia nestes quase cinco anos e meio de mandato. O anúncio do pagamento, que há muito se tornou rotineiro, é o resultado de um esforço gigantesco feito pelo prefeito Edivaldo Holanda Jr. nas suas primeiras semanas de gestão em 2013, que começou com um duro ajuste nas finanças, reforçado por um controle draconiano nos gastos, pelos quais pagou preço político, mas que o futuro cuidou de mostrar o prefeito fez o que tinha de ser feito e hoje colhe os frutos. Ainda com muita dificuldade, mas certamente dormindo sem ser atormentado por pesadelos.

 

Assembleia aprova homenagem de Roberto Costa a Patrícia Sousa, idealizadora da Casa de Apoio Ninar

Roberto Costa e Patrícia Souza em visita à Casa de Apoio Ninar

O deputado Roberto Costa (MDB) conseguiu um feito incomum para um parlamentar de Oposição. Teve aprovado na Assembleia Legislativa Projeto de Resolução concedendo a Medalha do Mérito Legislativo Manoel Bequimão, a maior honraria do Poder Legislativo, à neuropediatra Patrícia da Silva Sousa, idealizadora e coordenadora do projeto Casa de Apoio Ninar, que completa dois anos como uma das mais diferenciadas e simbólicas obras sociais do Governo do PCdoB.

Instalada na antiga residência de veraneio e de festas do Governo do Estado, na Ponta do Farol, em São Luís, a Casa de Apoio Ninar proporciona assistência a bebês com doenças que afetam o neurodesenvolvimento, assegurando-lhes acompanhamento de médico em neurologia, fisioterapia, fonoaudiologia, terapia, assistência social, oftalmologia, pediatria, neuropediatra, psiquiatria infantil e infectologia. Ali também é assegurada assistência física, emocional e educacional a pais. Todo o trabalho é coordenado por Patrícia Sousa.

O deputado Roberto Costa transformou-se num entusiasmado apoiador da Casa de Apoio Ninar quando, a partir de informações que colheu durante meses, visitou a mansão que em outros tempos foi sinônimo de festas, descobrindo ali uma obra transformadora. Sua boa impressão aumentou quando conversou com a idealizadora e coordenadora Patrícia Sousa.

Ao idealizar a homenagem, Roberto Costa emedebista justificou: “É o mínimo de reconhecimento que podemos demonstrar à doutora Patrícia Sousa, que é a idealizadora de todo o projeto. Ela planejou e executou, por meio do Governo do Estado, que está de parabéns, bem como o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, por apostar e dar essa oportunidade a um projeto que se tornou referência nacional, atendendo a crianças de todo o Maranhão”.

São Luís, 30 de Maio de 2019.

Um comentário sobre “PCdoB projeta lançar 120 candidatos a prefeito e ter participação decisiva na sucessão em São Luís

  1. Amigos, todas as especulações estão sendo feita para barrar os adversários do prefeito e governador na campanha de 2020. Agora,não se espantem se aparecer uma dupla imbatível para governar a cidade ,Tadeu e Braid. Na politica tudo é possível e imaginável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *