Operação para neutralizar Eliziane Gama pode fracassar

 

eliziane 1
Eliziane Gama: nome forte em São Luís

 

Uma cuidadosa operação política está em curso no circuito em que ocorrem as conversas e as definições   sobre a corrida para a Prefeitura de São Luís. Trata-se de articulações com o objetivo de tirar a deputada federal Eliziane Gama (PPS) da disputa, o que, se alcançado, abrirá caminho para a reeleição do prefeito Edivaldo Jr. (PTC), como, em princípio, quer o governador Flávio Dino (PCdoB). De acordo com informações divulgadas recentemente, Eliziane Gama teria na mesa a proposta para ser candidata ao cargo de vice-prefeito na chapa do atual prefeito ou dar-lhe apoio em troca de acertos políticos e eleitorais futuros. Até onde se sabe, a parlamentar estaria recusando todas as ofertas e reafirmando que está mesmo decidida a se candidatar à cadeira principal do Palácio de La Ravardière.

Eliziane Gama se move nesse tabuleiro embalada pelos mais de 100 mil votos que recebeu na disputa para a Câmara Federal, dos quais mais de 30% saíram das urnas da Capital, o que a transformou num novo fenômeno no maior colégio eleitoral do Maranhão. E com um detalhe importante a ser considerado: Eliziane realizou uma campanha no voto a voto, no corpo a corpo e sem a megaestrutura de outros candidatos.  Contou com parte do eleitorado evangélico, mas o seu conceito já ultrapassou a fronteira da política religiosa, para ganhar espaços em todos os segmentos da sociedade organizada.

A deputada tem dito a interlocutores que será candidata sim à Prefeitura de São Luís, o que, pelo menos até aqui, elimina qualquer possibilidade de sucesso da operação deflagrada com o aval do Palácio dos Leões.

A motivação do prefeito Edivaldo Jr. e do governador Flávio Dino tem base na mais pura lógica política. Os dois sabem que Eliziane Gama tem voo próprio e nada perderá disputando a Prefeitura. Se vencer a eleição, tudo bem, seguirá em frente como prefeita, para mirar em seguida, o Palácio dos Leões. Se não ganhar, a derrota não será tão amarga, pois ela acumulará ganhos políticos expressivos, o que a credenciará para disputar a reeleição para a Câmara dos Deputados sem maiores esforços, mas com cacife também para vir a ser candidata à cadeira de vice-governador, na hipótese de a reforma política manter a reeleição, o que parece muito difícil, podendo também vir a ser candidata ao Senado.

O prefeito Edivaldo Jr. tem se valido de pesquisas para monitorar o cenário da disputa, por isso sabe muito bem o que está fazendo quando tenta tirar do páreo a pré-candidata do PPS. Sabe que no momento sua posição perante o eleitorado é complicada, mas confia que pode virar o jogo transformando a cidade em canteiro de obras quando as chuvas permitirem. Uma fonte com trânsito no Palácio de La Ravardière revelou à coluna que os números informam que a situação do prefeito não é boa, mas que os últimos levantamentos indicaram leves, mas nítidos, sinais de recuperação. Isso significa dizer que o prefeito não é, como dizem alguns, uma peça política descartável e que se ele conseguir viabilizar alguns projetos e efetivar as parcerias prometidas pelo governador Flávio Dino, poderá perfeitamente dar a volta por cima e caminhar firme para a reeleição – se houver, é bom lembrar.

A equação que o prefeito e o governador montaram para neutralizar Eliziane Gama no tabuleiro eleitoral de São Luís em 2016 tem tudo para não vingar. Suas chances de sucesso dependem de uma perda de prestígio político e eleitoral da parlamentar, o que, pelo menos até aqui, não tem qualquer chance de vir a acontecer. Eliziane Gama sabe o que quer, aonde quer chegar e parece ter descoberto o caminho para alcançar o seu objetivo. O seu bom desempenho na Câmara dos Deputados a colocou entre os novos talentos da Casa, reconhecimento que começa dentro do seu próprio partido, o PPS, cuja direção nacional está apoiando as suas ações parlamentares e já teria batido o martelo a favor da sua candidatura à Prefeitura de São Luís.

É claro que conta o fato de que ainda faltam 18 meses para as eleições municipais, e que até lá muita água vai rolar, a começar pela reforma política. Mas é bom lembrar que, se não tropeçar feio a partir de agora, a deputada do PPS estará bem situada em qualquer cenário, o que torna inócua a tentativa de tirá-la do páreo.

 

PONTOS & CONTRAPONTOS

 

Lobão na ativa

O senador Edison Lobão (PMDB), que é atualmente o decano do Senado, decidiu não se intimidar com a inclusão do seu nome entre os suspeitos denunciados pela Operação Lava-Jato. Vem participando das sessões e das articulações nos bastidores, e também atuando nas comissões permanentes da Casa. Na quarta-feira, Lobão comandou a primeira reunião da Comissão de Assuntos Sociais, da qual é presidente. A reunião durou mais de duas horas e o que se viu foi um Lobão tranquilo, ativo e exibindo sólida experiência política e parlamentar. Ele tem dito a interlocutores que vai responder a todos os questionamentos e rebater todas as acusações durante o inquérito, garantindo que elas não têm fundamento.

 

Guerra aberta I

Ganha corpo na Assembleia Legislativa uma guerra entre deputados que poderá deixar muitas sequelas pessoais e políticas. Essa perspectiva foi desenhada ontem pelo deputado Souza Neto (PTN), que ao reagir a críticas do deputado Othelino Neto (PCdoB), vice-presidente da Casa, ao governo Roseana Sarney, em especial ao programa de Saúde tocado pelo ex-deputado Ricardo Murad como secretário de Saúde. Souza Neto diz ter em mãos documentos que comprometeriam seriamente a gestão de Othelino Neto na Secretaria Estadual de Meio Ambiente durante o Governo José Reinaldo, e que os mostrará em plenário assim que o deputado do PCdoB apresentar documentos que comprometeriam a gestão de Ricardo Murad no comando do Sistema Estadual de Saúde.

 

Guerra aberta II

Souza Neto, que segue a orientação política do ex-deputado Ricardo Murad, disparou: “Governos passados, como o de Jackson Lago e de Zé Reinaldo Tavares, também fazem parte desses 50 anos que os governistas gostam tanto de falar aqui e são tão responsáveis quanto eles. No governo Zé Reinaldo, o deputado Othelino Neto foi secretário e, diga-se de passagem, teve uma gestão desastrosa na Secretaria de Meio Ambiente”, disse. Ainda sobre o assunto, Sousa Neto completou: “Eu tenho todos os documentos que dizem o que ele foi como secretário de Meio Ambiente, mas vou esperar os documentos da Secretaria de Saúde saírem para poder debater, já que ele ridiculariza e fala tão mal do ex-gestor da Saúde. Aí a gente vai saber de quem foi o pior gestor”.

 

Homenagem

O decano do Tribunal de Justiça do Maranhão, desembargador Antônio Fernando Bayma Araújo, foi homenageado com a Medalha Desembargador Décio Antônio Erpen, na noite quarta-feira (25), durante a solenidade de abertura do 68º Encontro dos Corregedores de Justiça do Brasil, realizado em Teresina (PI). Homenagem mais que justa.

 

São  Luís, 26 de Março de 2015.

3 comentários sobre “Operação para neutralizar Eliziane Gama pode fracassar

  1. A Dep. Eliziane, Não deve abrir mão de jeito nenhum da sua candidatura, mas deve fazer uma leitura apurada de todos os cenários, e se posicionar sempre como candidata. O mais leigo em politica sabe que o tempo sempre foi do novo e de novo.

Deixe uma resposta para paulo Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *