Madeira pleiteia o comando do PSDB no Maranhão e coloca Brandão em situação complicada

 

madeirabrandão
Crise perfeita: ex-prefeito Sebastião Madeira quer o comando do PSDB que hoje está com o vice-governador Carlos Brandão

O ex-prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira, acendeu o rastilho de pólvora que faltava para criar a “crise perfeita” no PSDB do Maranhão e cujo desfecho definirá o rumo do partido em 2018. Em entrevista que concedeu nesta semana, em Brasília, a jornalistas da Região Tocantina, Madeira revelou, com todas as letras e a devida ênfase, que está pleiteando junto à direção nacional o comando do PSDB no Maranhão, o que, se aceito, significará a destituição do vice-governador Carlos Brandão da presidência do partido no estado. Na entrevista, Sebastião Madeira sinalizou que o PSDB maranhense não abraçará o projeto de reeleição do governador Flávio Dino (PCdoB), devendo repetir no estado a aliança que mantém hoje no plano nacional com o PMDB. O ex-prefeito de Imperatriz admitiu duas possibilidades para ele nas eleições do ano que vem: ser candidato à Câmara Federal ou ao Senado.  O vídeo da entrevista – postado ontem pelo bem informado blog de Gláucio Ericeira – caiu como uma bomba dentro do PSDB, no Palácio Henrique de la Rocque (sede da Vice-Governadoria) e repercutiu no Palácio dos Leões e em gabinetes do Senado e da Câmara Federal.

Sebastião Madeira sabe onde está pisando. Para começar, tem credibilidade junto à cúpula do PSDB, da qual na participou quando deputado federal nos anos e 80 e 90, tendo presidido o Instituto Teotônio Vilela, o braço doutrinário e ideológico do PSDB, com forte influência política nos dois governos de FHC. Depois que assumiu a Prefeitura de Imperatriz, em janeiro de 2009, se afastou da vida partidária no plano nacional e regional, dedicando-se, de maneira obstinada, a executar o seu programa de governo, dedicação que resultou na reeleição em 2012. Com a bagagem de quem fez a sua parte, ele agora se prepara para tentar a volta à vida parlamentar como candidato a senador ou a deputado federal. Avalia que o PSDB do Maranhão está fora de contexto, e acredita que com a direção atual o partido não irá a lugar algum. Daí o movimento que faz em Brasília para a direção nacional destitua Carlos Brandão e lhe entregue o comando do partido.

Não há dúvidas de que o impacto maior das declarações de Sebastião Madeira ocorreu no Palácio Henrique de la Rocque, cidadela de onde o vice-governador Carlos Brandão vem se desdobrando – de uns tempos para cá com visíveis dificuldades – para manter o controle do tucanato maranhense. Inicialmente, ele vinha acompanhando atentamente os movimentos do senador Roberto Rocha, que não esconde o seu projeto de se reconverter à socialdemocracia liberal tucana, de preferência como seu chefe maior no Maranhão, posição que já ocupou e nunca se conformou por tê-la perdido. Brandão já trabalhava com o risco de perder o controle do partido para Roberto Rocha; a movimentação de Sebastião Madeira torna sua situação bem mais delicada, a começar pelo fato de que ele não pode dar aos chefes nacionais do PSDB a garantia de que se afastará do governador Flávio Dino e se aproximará do PMDB controlado pelo Grupo Sarney. Se Brandão cair, o governador Flávio Dino fatalmente perderá o PSDB como parte da sua aliança e, pior, o terá como adversário.

O movimento de Sebastião Madeira também não tem a simpatia do senador Roberto Rocha, e por uma razão simples: só lhe interessa voltar no comando do partido, o que dificilmente ocorrerá se Madeira mantiver de pé o seu projeto político-eleitoral. E como está claro que o ex-prefeito de Imperatriz não vai abrir mão de comandar o partido no Maranhão, é lógico prever que o senador Roberto Rocha vai preferir continuar dividindo com o deputado federal e ex-governador José Reinaldo o comando do PSB no estado. Nesse caso, Sebastião Madeira caminha para levar a melhor.

É claro que, pragmáticos como são, os tucanos de alto coturno tentarão encontrar uma solução negociada para não mandar o vice-governador Carlos Brandão procurar outra legenda. A Brandão, no entanto, só interessa continuar no PSDB sendo o seu timoneiro, não admitindo sair da cadeira principal para ser comandado de Sebastião Madeira. O desfecho mais provável desse jogo de xadrez é que, agora sem a presença forte do ex-governador João Castelo – os tucanos maranhenses voltem às origens e sigam em frente com o ex-prefeito de Imperatriz.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Pedro Lucas tem vontade e DNA para apoiar metropolização
pedro lucas e pai
Pedro Lucas Fernandes traz o DNA de Pedro Fernandes e o estímulo de Manei Ribeiro

Se, de fato, vier a assumir o comando da Agência Metropolitana, como foi oficiosamente anunciado, o vereador Pedro Lucas Fernandes (PTB) terá todas as condições de realizar um trabalho de envergadura dentro da linha que lhe for traçada pelo governador Flávio Dino. Dois fatores serão decisivos para que o edil ludovicense comande o novo órgão com uma visão mesclada de técnica e política. O primeiro fator é o próprio vereador, um dos bons quadros mais promissores da novíssima geração de políticos maranhenses, que demonstrou um visível entusiasmo no exercício do primeiro mandato e que iniciou o segundo como quem pretende pisar no acelerador. O segundo fator é o seu DNA político relacionado com a Ilha de Upaon Açu, em especial o município de São Luís. Além da sua formação, Pedro Lucas Fernandes traz na bagagem a experiência acumulada pelo pai, o ex-vereador e deputado federal Pedro Fernandes, engenheiro civil por formação e político por opção, e por isso mesmo com um passado de mergulho profundo nos problemas da cidade e seus arredores, seja como vereador atuante ou como secretário de obras de várias gestões, entre outros cargos que exerceu. Além do pai, Pedro Lucas Fernandes pode também ser estimulado pela experiência políticas do tio, o ex-vereador e ex-deputado Manoel Ribeiro, que comandou a Câmara Municipal da Capital por quase uma década, fazendo política e se enfronhando nos problemas da cidade, de tal modo que comandou a cidade como prefeito por alguns dias. Não há dúvidas de que o vereador petebista está preparado para os desafios do cargo, que será a de coordenar o processo de metropolização. Mas, se souber somar a sua visão, a sua vontade e a sua competência com a experiência acumulada pelo pai e os sopros de ação do tio, o vereador Pedro Lucas Fernandes reunirá as condições para realizar um trabalho excepcional.

 

Francisca Primo festeja nova lei de proteção da mulher
francisca primo dois
Francisca Primo: preocupada com a proteção das mulheres no Brasil

A deputada Francisca Primo (PCdoB) elogiou ontem a aprovação pela Câmara Federal do Projeto de Lei nº 5.555/2013, que pune a divulgação não autorizada de vídeo e dados de mulheres na internet. O projeto modifica a Lei Maria da Penha nº 11.340/2006 para criminalizar a divulgação pela internet ou por outros meios de imagens, vídeos e áudios, montagens ou fotocomposições de mulheres sem o seu expresso consentimento. A deputada avalia o projeto como mais um instrumento de proteção à mulher que tem a finalidade de punir quem expor indevidamente a mulher. “O aperfeiçoamento dessa lei será mais uma conquista das mulheres, porque o machismo ainda é uma violência de natureza estrutural no nosso país. A cada 90 minutos uma mulher é vítima agressão fatal no Brasil. Segundo a deputada, esse aditivo vem para o acolhimento da mulher vítima de violência na internet”, afirmou Primo. “As mulheres têm sido atacadas com a situação falsa e absurda que expõe a sua intimidade, podendo levar até ao suicídio a partir dessas circunstâncias. Então a partir de hoje, as mulheres contam com mais essa proteção”, finalizou Francisca Primo.

 

São Luís, 22 de Fevereiro de 2017.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *