Flávio Dino vive o desafio de ter de mudar de partido para alçar voos políticos mais altos. Irá para o PSB?

Flávio Dino vive o desafio de mudar de partido para alçar voos políticos mais altos

Desde que começou a se movimentar com mais intensidade no cenário nacional, ampliando uma imagem política positiva que construiu como juiz federal, deputado federal, governador eleito e reeleito do Maranhão e agora como um dos nomes da esquerda com cacife para disputar a Presidência da República em 2022, o governador Flávio Dino tem visto sua condição partidária ser colocada em discussão, a partir de uma indagação: permanecerá no PCdoB? Muitos acham que ele deve deixar o PCdoB e migrar para um partido mais ao centro se quiser de fato entrar na corrida para a Presidência da República. Há também os que não veem problemas na sua permanência com como referência de uma agremiação comunista. Na ciranda das especulações, a maioria aponta apenas três caminhos partidários para o governador maranhense: o PT, o PDT e o PSB. A tendência mais forte e que ganhou maior eco foi apontada na semana passada pela revista Carta Capital, que deu como praticamente certa a migração do governador para o Partido Socialista Brasileiro (PSB), numa operação lenta e cuidadosa.

É verdade que Flávio Dino vem examinando, com calma, a possibilidade de mudar de partido, é verdade também que essa mudança está se transformado numa condição básica para que ele entre de fato na corrida presidencial. Os simpáticos à migração acham que o PCdoB é um partido muito à esquerda e que a rotulação de “comunista”, expressando um macarthismo caboclo fora de moda, tem algum peso na corrida eleitoral. Além do mais, o PCdoB não tem base popular, e sua presença forte no Maranhão – um deputado federal, seis deputados estaduais, quatro dezenas de prefeitos uma pequena legião de vereadores – se deve exclusivamente à força política do próprio Flávio Dino, potencializada por um trabalho hercúleo de expansão feito pelo seu presidente estadual, o deputado federal Márcio Jerry.

O PT não comporta uma liderança com o perfil de Flávio Dino. É um partido com muitos caciques, retalhado por “tendências” e que só tem uma liderança que se impõe aos demais de maneira avassaladora, que é o ex-presidente Lula da Silva Para alguns observadores mais moderados, o PDT seria o partido ideal para Flávio Dino se não tivesse nos seus quadros o ex-governador cearense Ciro Gomes, que já se encontra em campanha aberta e dificilmente abrirá mão da sua condição de “candidato nato”,  com bandeira presidencial empunhada e, pelo visto, pronto para declarar guerra fratricida a quem se colocar no seu caminho dentro do partido.

O PSB surge, finalmente, como o melhor pouso partidário para o governador Flávio Dino. É um partido leve, sem o emblema de esquerda zangada e que prega uma social democracia avançada e abriga. Hoje, o PSB é comandado pelo prefeito de Timon, Luciano Leitoa e abriga nos seus quadros políticos como o deputado federal Bira do Pindaré e o prefeito de Tuntum Cleomar Tema. A grande base do PSB no País é Pernambuco, legado do ex-governador Miguel Arraes, que o refundou e repassou ao neto, o ex-governador Eduardo Campos, morto em tragédia aérea durante a campanha presidencial de 2002. O PSB é um partido forte, com forte bancada federal – que inclui o maranhense Bira do Pindaré -, três governadores, muitos deputados federais e uma forte base de prefeitos – 13 deles no Maranhão – e muitos   vereadores. Nele o governador Flávio Dino certamente disporia de uma plataforma sólida como candidato presidencial.

Mas não é só um partido forte e estruturado que fará Flávio Dino deixar o PCdoB, pelo qual chegou onde chegou, pois se trata de uma decisão que vai muito além do seu projeto pessoal. Uma perspectiva crua se desenha: se ele migrar para o PSB, o PCdoB sofrerá um golpe mortal no Maranhão e ficará fortemente abalado no País inteiro. Haverá certamente uma conversão maciça dos atuais comunistas ao socialismo, turbinando fortemente o PSB e impondo sérios riscos à sobrevivência do PCdoB. E se a decisão for tomada agora – o que é improvável – haverá uma corrida ao PSB para as eleições municipais, o que atingirá fortemente o PCdoB. Ninguém duvida de que Flávio Dino tem um apreço especial por seu partido. No seu ideário estão os princípios básicos da sua atuação política, sendo para ele difícil deixá-lo sob grave risco de sobrevivência, principalmente num cenário que já lhe é desfavorável.

Flávio Dino é movido por inteligência política. E dificilmente tomará uma decisão desse porte como um tiro no pé.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Governadores do Norte dão lição de responsabilidade pública ao presidente Bolsonaro

Queimadas na Amazônia e a falta de equilíbrio do presidente Jair Bolsonaro

Os governadores do Norte estão dando mais uma prova de que, mais do que ficar falando impropriedades e levantando suspeitas sem lastro, como vem fazendo o presidente Jair Bolsonaro (PSL), o importante nesse momento é juntar forças e combater o mal maior que são as queimadas. E nessa linha de responsabilidade política e institucional, sete deles, inclusive maranhense Flávio Dino (PCdoB) pediram uma reunião com o presidente da República, nesta segunda-feira, em Brasília. Querem colocar as cartas na mesa, analisar o problema de maneira correta e responsável, dividir tarefas e fazer o que tem de ser feito neste momento: combater o fogo que está destruindo as reservas florestais da Região Amazônica.

A iniciativa dos governadores é uma lição de responsabilidade política e compromisso institucional. Eles estão fazendo exatamente o que o presidente Jair Bolsonaro, como responsável maior pela Nação e seu território, deveria ter feito desde que o problema começou a se agravar. Se ao invés de falar bobagem, levantar suspeitas sem sentido e querer bater boca sem dispor de um púnico argumento convincente, o presidente tivesse agido e convocado governadores para unir forças e encarar o problema, ele teria dado ao Brasil e ao mundo uma prova de que tem senso de responsabilidade. Poderia ter oferecido as condições possíveis e cobrar resultados. Preferiu vulgarizar problema com declarações que os fatos desmentiram.

Na reunião desta segunda, o presidente terá de encarar governadores que acusou de serem coniventes com as queimadas e que estão lhe dando uma lição de responsabilidade institucional. Vale aguardar pela sua reação.

 

DESTAQUE

São Luís vai sediar em setembro o I Congresso Internacional de Direito das Famílias e Sucessões do Maranhão

O que há de novo no vasto e rico mundo do Direito de Família e Sucessões? As muitas respostas para essa pergunta serão dadas nos dias 05 e 06 de Setembro em São Luís, mais precisamente no auditório da Fiema, durante o I Congresso Internacional de Direito das Famílias e Sucessões do Maranhão. Trata-se de um evento organizado pelo Movimento das Famílias, uma entidade maranhense inteiramente voltada para o cultivo e o aprimoramento dos profissionais que atuam nesse campo do Direito.

Para expor tudo o que há de novo no amplo universo de interesses da família no campo jurídico, com o suporte da Psicologia e da Medicina, o Movimento das Famílias mobilizou nada menos que duas dezenas de especialistas nessa seara – juristas renomados, advogados especializados, professores respeitados, entre eles vários maranhenses. Tudo com o objetivo de assegurar que o I Congresso Internacional de Direito das Famílias e Sucessões do Maranhão seja um evento efetivamente enriquecedor para os participantes, em especial advogados militantes da área e estudantes de Direito.

O I Congresso Internacional de Direito das Famílias e Sucessões terá uma programação variada e dinâmica, de modo que os participantes aproveitem ao máximo do que será dito e discutido em seis painéis temáticos e workshops a serem movimentados por palestrantes e debatedores. Além da programação de trabalho, o evento programou um evento cultural e brindará os participantes com um encerramento festivo. Cada participante receberá certificado de 20 horas.

Todas as informações acerca do evento – programação, participação e formas de pagamento – estão disponíveis no site www.movimentodaafamilias.com.br.

São Luís, 25 de Agosto de 2019.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *