Felipe Camarão anuncia que não será candidato em São Luís e abre caminho para Neto Evangelista na aliança DEM/PDT

 

Felipe Camarão sai da cena sucessória e abre caminho para Neto Evangelista ser o pré-candidato do DEM em São Luís

O mundo político da capital foi sacudido ontem por uma nota por meio da qual o advogado Felipe Camarão, secretário de Estado da Educação e filiado ao DEM, anunciou, oficial e enfaticamente, que não será candidato a prefeito de São Luís em 2020. Mais do que uma baixa importante na extensa relação de candidatáveis, na qual ocupava espaço de peso pesado, a saída de Felipe Camarão da corrida à sucessão do prefeito Edivaldo Holanda Jr. abriu caminho para que a aliança entre o PDT e o DEM, que já está sendo articulada abertamente, venha a ter como candidato a prefeito o deputado estadual Neto Evangelista (DEM). A iniciativa de Felipe Camarão, justificada pelo compromisso assumido com o governador Flávio Dino (PCdoB) de cuidar da área educacional do seu Governo, indica que a partir de agora as pré-candidaturas ao Palácio de la Ravardière começarão de fato a serem definidas, já se podendo ter quatro nomes como certos: o deputado estadual Neto Evangelista (DEM) e os deputados federais Rubens Jr. (PCdoB), tido como nome forte no Palácio dos Leões, Bira do Pindaré (PSB), que poderá se lançar por conta própria, e Eduardo Braide (ainda sem partido), na seara da Oposição.

O “estou fora” de Felipe Camarão funcionou como um passe livre para aspirantes de todas as correntes que formam a aliança liderada pelo governador Flávio Dino. Nesse contexto, o maior beneficiário foi Neto Evangelista, que ganhou caminho aberto para que possa investir na aliança DEM/PDT, que se movimenta para lançar um candidato fora da aliança dinista. Considerando que o senador Weverton Rocha dificilmente entrará nessa disputa, o PDT só conta com dois nomes, o vereador Ivaldo Rodrigues e o vereador Osmar Filho, presidente da Câmara Municipal, ambos políticos já experimentados nas refregas eleitorais de São Luís, mas ainda estão construindo lastro para entrar mesmo na briga pela vaga de candidato do partido. Neto Evangelista, por sua vez, está no terceiro mandato de deputado estadual, já tendo vivido a experiência de uma disputa majoritária em São Luís, quando foi candidato a vice na chapa do prefeito João Castelo (PSDB) no pleito de 2012. Amargou uma derrota desconcertante, mas saiu do pleito bem mais traquejado.

Neto Evangelista é cria política do pai, o bem-sucedido ex-vereador e ex-deputado João Evangelista, que presidiu a Câmara Municipal da Capital e a Assembleia Legislativa, e que lhe ensinou a se movimentar nas reentrâncias políticas e eleitorais de São Luís. Nos últimos quatro anos, o parlamentar democrata, egresso do PSDB, estreitou sua intimidade com a cidade como secretário de Desenvolvimento Social do Governo Flávio Dino, tendo recebido o programa Restaurante Popular com apenas quatro e o ampliou para mais de 20 unidades em diversos municípios. Jovem, afável, exibe o traquejo das raposas tarimbadas, com jeito de quem tem carisma suficiente para seduzir eleitores.

Ninguém no meio político minimiza o seu poder de fogo, principalmente se tiver a sua candidatura embalada pelo apoio do senador Weverton Rocha e do prefeito Edivaldo Holanda Jr. Tem, portanto, cacife para encarar candidatos do porte de Rubens Jr., que deve ser lançado pelo PCdoB com o aval direto do governador Flávio Dino e a articulação do deputado federal Márcio Jerry (PCdoB); Eduardo Braide, que ainda vai escolher o partido, e Bira do Pindaré, que é o nome do PSB para a disputa de 2020 em São Luís. A esses devem se somar o candidato a ser lançado pelo Grupo Sarney, que segundo algumas fontes como também o nome que sair das fileiras do Grupo Sarney  tem, portanto, as credenciais necessárias para pleitear a vaga de candidato a prefeito pela aliança DEM/PDT.

Se esses ensaios de candidatura vingarem, São Luís terá, com certeza, uma das disputas eletrizantes e de nível mais elevado da sua história recente. Será o grande embate da nova geração, sem a participação de nenhum candidato com prazo de validade vencido.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Camarão preferiu continuar no comando do projeto educacional de Dino

Flávio Dino tem Felipe camarão como um dos homens fortes da sua equipe de secretários

Um dos melhores quadros da nova geração de homens públicos no Maranhão, tendo sido até aqui muito bem-sucedido por onde passou, estando no momento dedicado ao gigantesco e desafiador projeto educacional do atual Governo do Estado, Felipe Camarão é visto como destinado a se tornar um peso pesado da política partidária, com cacife até para chegar ao Governo do Estado daqui a algum tempo. Com a larga visão que vem demonstrando, o governador Flávio Dino acha que entrar numa disputa tão dura agora não seria um bom negócio para ele, governador – que teria de abrir mão de um auxiliar de ponta num momento decisivo do seu segundo Governo, nem para Felipe Camarão, que deixaria o seu projeto educacional incompleto. A decisão de não participar da disputa pela Prefeitura de São Luís foi tomada no momento certo, a começar pelo fato de que a partir de agora ele estará fora da sempre desgastante rede de especulações.

Em Tempo: Segue na integra a nota divulgada pelo secretário Felipe Camarão: Nos últimos dias venho recebendo inúmeros questionamentos sobre possível candidatura para Prefeitura de São Luís, o que me faz escrever esta mensagem, para vocês, destacando que meu foco é continuar ajudando o governador Flávio Dino no grande desafio do Maranhão, que é a Educação. Trabalho diuturnamente para garantir mais escolas, mais professores, melhor IDEB. São muitas ações para que tenhamos uma educação pública de qualidade, que não dá para desvirtuar meu foco sendo pré-candidato.

 

Governador completa reforma com Márcio Honaiser, Ana Mendonça e Jowberth Frank

Ana Mendonça, Rodrigo Lago, Márcio Honaiser, Rogério Cafeteira, Jowberth Frank assumirão segunda-feira (25), e Marcelo tavares já assumiu o comando da Casa Civil

O deputado Márcio Honaiser (PDT) será o novo secretário de Estado de Desenvolvimento Social, a deputada Ana Mendonça (PCdoB) será a nova secretária de Estado da Mulher, e o sociólogo Jowberth Frank comandará a Secretaria de Estado Trabalho e Economia Solidária.  Com as três definições, o governador Flávio Dino abre vagas na Assembleia Legislativa para os suplentes Ariston Souza (Avante), atual vice-prefeito de Santa Rita, e Zito Rolim (PDT), ex-prefeito de Codó, e completa a reforma na sua equipe prevista no final do ano passado. As escolhas foram anunciadas ontem à noite pelo governador Flávio em post no Twitter, como é sua marca na área de comunicação.

A escolha de Márcio Honaiser para a Sedes, um dos braços sociais mais importantes do atual Governo do Estado e que foi comandada por mais de três anos pelo deputado Neto Evangelista, já era dada como certa no meio político e nos bastidores do Governo. O parlamentar ganhou fama de bom gestor ao comandar a Secretaria de Estado da Agricultura na primeira gestão de Flávio Dino, tendo sido apontado informalmente como um dos mais eficientes membros do secretariado. Márcio Honaiser vem do movimento estudantil como integrante da Juventude do PDT, tendo se tornado um dos quadros da confiança do ex-governador Jackson Lago. Depois da morte do grande líder, apoiou a ascensão de Weverton Rocha ao comando pedetista, tornando-se um dos homens fortes da agremiação. Elegeu-se deputado estadual tendo como base principal Balsas.

Ana Mendonça chega à Secretaria de Estado da Mulher ao iniciar o seu segundo mandato na Assembleia Legislativa. Sempre atuou como membro fiel da base governista, tanto que deixou seu antigo partido e se filiou ao PCdoB. No seu primeiro mandato, teve pouca atuação na tribuna, mas atuou fortemente nos bastidores, brigando nas secretarias para levar benefícios para os municípios que lhe deram a segunda maior votação em 2014. Desde que tomou posse no novo mandato, Ana Mendonça fez vários discursos em defesa dos direitos da mulher e atacando fortemente o feminicídio – ontem mesmo fez um pronunciamento sobre esse tema. Com esses gestos, reforçou os rumores de que seria convocada para o secretariado, o que foi confirmado com sua escolha para a Secretaria da Mulher.

O sociólogo Jowberth Frank foi uma indicação do PT em substituição à ex-deputada federal Teresinha Fernandes (PT).

Com as três escolhas, o governador Flávio Dino complete a reforma administrativa, que tem forte viés político. Primeiro convocou o deputado Marcelo Tavares para reassumir a Casa Civil, abrindo vaga para o suplente Edivaldo Holanda (PTN). Depois, anunciou Rodrigo Lago, que comandava a Secretaria de Estado de Transparência e Controle, para assumir a Secretaria de Estado de Comunicação e Articulação Política, em substituição ao deputado federal Márcio Jerry, e o ex-deputado Rogério Cafeteira para a Secretaria de Esporte e Laser, substituindo a Hewerton Rodrigues.

Os novos secretários serão empossados segunda-feira (25).

São Luís, 22 de Fevereiro de 2019.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *