Sete aliados de Flávio Dino vão atacar o prefeito Edivaldo Jr. na pré-campanha à Prefeitura de São Luís

 

pancadaria 3
Edivaldo Jr. vai ser alvejado por Eliziane Gama, Bira do Pindaré, Neto Evangelista, João Castelo, Eduardo Baide, Sérgio Frota e Wellington do Curso na campanha

A corrida para a Prefeitura de São Luís está produzindo um quadro político inusitado, que consiste numa verdadeira guerra – com traços de autofagia -, entre candidatos da ampla colcha de retalhos partidários alinhavada  pelo governador Flávio Dino (PCdoB). São sete os pré-candidatos saídos dessa seara para tentar desbancar o prefeito Edivaldo Jr. (PDT): o deputado estadual Bira do Pindaré (PSB), o deputado federal e ex-prefeito João Castelo (PSDB), o deputado estadual Sérgio Frota (PSDB) e o deputado estadual licenciado e secretário de Estado de Desenvolvimento Social Neto Evangelista (PSDB), a deputada federal Eliziane Gama (PPS), e os deputados estaduais Bira do Pindaré (PSB), Eduardo Braide (PMN) e Wellington do Curso (PP). Todos estão liberados para se bater politicamente pelo voto, o que causa, ao mesmo tempo, certa confusão no eleitorado, que já começa a demonstrar alguma dificuldade para entender claramente o que está acontecendo na banda política governista.

Na semana que passou, o secretário Neto Evangelista e o ex-prefeito João Castelo ocuparam horário na TV para bater forte, o primeiro no prefeito Edivaldo Jr. e o segundo para fazer uma defesa enfática do impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), posição sabidamente satanizada pelo governador e seu grupo mais próximo, e na esteira disso alfinetar agudamente o prefeito de São Luís. Edivaldo Jr. não deu resposta direta ao secretário Neto Evangelista, preferindo dizer na TV que não foi eleito para fazer política, mas para resolver os problemas da cidade. A mesma peça foi usada para rebater o ex-prefeito João Castelo, que comparou os problemas do Governo Dilma com os do Governo Edivaldo Jr.. Sérgio Braga ainda não entrou de cabeça na campanha, mas em alguns discursos na Assembleia Legislativa deu a entender que se sair candidato partirá para o confronto com o prefeito Edivaldo Jr..

O deputado Bira do Pindaré tem feito duras críticas à administração municipal, embora o faça com o cuidado de não alvejar diretamente o prefeito Edivaldo Jr.. Bira do Pindaré, no entanto, parece determinado a mostrar que tem força eleitoral em São Luís e a sair das urnas politicamente fortalecido, se não eleito prefeito, pelo menos com uma votação que o credencie a dar voos mais altos. Político forjado nos campos de oposição, tendo aprendido mais a atacar do que a defender, Pindaré com certeza elevará o tom das críticas ao prefeito de São Luís à medida que a campanha for evoluindo. Sabe que  se não partir para o ataque, para o debate forte, será um candidato caricato, sem personalidade, e assim não será nenhum risco ao projeto de eleição de Edivaldo Jr..

O prefeito de São Luís enfrentará também os ataques do deputado Eduardo Braide, um político de postura amena, pouco afeito a embates agressivos, mas que costuma desarmar adversários com um discurso inteligente, o que em muitos casos é mais devastador do que a agressividade verbal pura e simples. Braide tem dito que não entrou nessa briga para fazer mera figuração; isso quer dizer que vai jogar o jogo como o jogo for, ou seja, que ele também vai jogar pesado, já que sua candidatura nata tem a ver com o Palácio dos Leões.

O deputado Wellington do Curso se tornou – pelo menos na tribuna da Assembleia Legislativa – o mais agressivo e incômodo adversário do prefeito Edivaldo Jr., dando versões dramáticas aos problemas da cidade e culpando o chefe do Executivo e sua equipe por tudo de ruim que existe na Capital. A catilinária agressiva vem sendo repetida diariamente e de maneira tão intensa que o deputado Edivaldo Holanda (PTC), defensor e propagador das ações do filho, resolveu se dedicar a rebater os ataques, usando uma retórica muito pesada, do tipo “o deputado Wellington do Curso tem diarreia mental” e “esse rapaz é um desequilibrado”, e por aí vai. O fato é que, com seu excesso de zelo, Edivaldo pai transformou um marinheiro de primeira viagem atrevido em candidato a prefeito.

Entre os aliados do governador Flávio Dino que querem chegar à Prefeitura atropelando o prefeito Edivaldo Jr., o mais perigoso é a deputada federal Eliziane Gama. Até aqui líder nas pesquisas que medem a corrida pré-eleitoral, a deputada do PPS não tem perdido oportunidade de estocar o prefeito, a quem já responsabilizou “pelos problemas que São Luís vive neste momento”. Em tempos recentes, Eliziane tem aproveitado todos os seus pronunciamentos para meter São Luís no meio, sempre usando frases duras, que funcionam como pancadas no prefeito Edivaldo Jr.. Entre os observadores da cena pré-eleitoral é quase unânime que dentre os aliados do governador Flávio Dino os ataques mais duros a Edivaldo Jr. partirão da candidata popular-socialista.

Nessa briga eleitoral, o prefeito de São Luís aparece como o alvo a ser atingido por todos. Mas se decidir reagir, terá em alguns casos de atacar no campo pessoal, pois se tentar alvejar a atuação dos ex-secretários Neto Evangelista e Bira do Pindaré, por exemplo, acertará o Governo Flávio Dino. O desdobramento dessa estranha equação é imprevisível, mas leva a uma conclusão bem clara: nessa briga de aliados, o prefeito de São Luis está em desvantagem. E o Palácio dos Leões assiste a tudo como se nada estivesse acontecendo, provavelmente por avaliar que os petardos desse tiroteio não alcançarão o Governo do Estado, já que parte dessa penca de candidatos depende dele para desenhar caminhos futuros.

 

PONTO & CONTRAPONTO

 

Senadores ainda não decidiram votos
senadores
João Alberto, Edison Lobão e Roberto Rocha: indecisos

Vários observadores da cena política nacional – inclusive a Coluna – andaram cantando uma pedra que não está devidamente definida: a de que os três senadores maranhenses votarão pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff.  Mas a verdadeira informação é que até agora os três senadores ainda não definiram seus votos para valer, e o fato que atesta essa afirmação é que nenhum deles declarou pública e formalmente como vai votar. Há, é verdade, uma tendência para que João Alberto (PMDB), Edison Lobão (PMDB) e Roberto Rocha (PSB) votem pelo impeachment. Muita gente ainda acredita que João Alberto seguirá o voto corajoso e firme do deputado federal João Marcelo Souza (PMDB) contra o impeachment. Muitos também não acreditam que o senador Edison Lobão dê as costas para a presidente de quem foi o poderoso e influente ministro de Minas e Energia no seu primeiro Governo. Não custa lembrar, por outro lado, que João Alberto e Edison Lobão são senadores do PMDB e estão sofrendo uma pressão gigantesca do partido, o que justificará sua eventual definição pelo impeachment. Já o senador Roberto Rocha nada tem a fazer a não ser seguir a orientação do seu partido também pelo impedimento da presidente da República. Mas como em tempos de crise as posições políticas são imprevisíveis, o mais certo é esperar que eles digam claramente como votarão.

 

Destaque

Fábio Braga quer o Maranhão na Rota do Cordeiro
fabio braga 1
Braga quer Rota do Cordeiro no Maranhão

O deputado Fábio Braga (SD) decidiu apostar parte das suas fichas como parlamentar num projeto audacioso, mas que na avaliação dele pode funcionar como uma alavanca poderosa no processo de desenvolviment Regiões do Itapecuru e do Baixo Parnaíba, formadas por nada menos que 17 municípios: incentivar fortemente a Cadeia Produtiva da Ovinocaprinocultura com o objetivo de incluir o Maranhão na chamada Rota do Cordeiro.

Na semana passadas, juntamente com o deputado Levi Pontes (PCdoB), Fábio Braga participou de uma reunião na Secretaria de Estado da Agricultura Familiar (SAF), coordenada pelo secretário Adelmo Soares, com a participação de representantes de outras pastas, de dois ministérios e outros órgãos federais de fomento, universidades e prefeituras para debater o projeto e definir metas no que diz respeito à infraestrutura para a criação de rebanhos de ovinocaprinos, assegurar-lhes a reprodução em escala adequada, garantir o acompanhamento no que respeita à saúde animal e outras providências necessárias para incentivar a criação em larga escala.

O objetivo da reunião foi, enfim, promover a profissionalização da cadeia produtiva da ovinocaprinocultura maranhense e o desenvolvimento do subsistema de insumo, produção, processamento e comercialização, que viabilizará um resultado maior na quantidade de carne de caprinos para abate sob inspeção em matadouros e frigoríficos.

O objetivo maior de Fábio Braga é incluir o Maranhão na chamada Rota do Cordeiro, através dos municípios Água Doce, Anapurús, Araioses, Belágua, Brejo, Buriti, Chapadinha, Magalhães de Almeida, Mata Roma, Milagres do Maranhão, Santana do Maranhão, Santa Quitéria do Maranhão, São Bernardo, Tutóia, Urbano Santos e Vargem Grande.

ROTA DO CORDEIRO – Para quem não sabe, a chamada Rota do Cordeiro é uma ação de desenvolvimento econômico baseada na produção e comercialização de ovinocaprinos. A rota já existe em pelo menos quatro estados do Nordeste e foi implantada recentemente no Ceará em regiões mais áridas. Há informações de que também o Piauí já se movimenta no sentido de ampliar sua cadeia produtiva ovinocaprina para integrá-la à Rota do Cordeiro, num movimento que poderá chegar rapidamente ao Maranhão se as providências forem tomadas agora.

Durante a reunião, Fábio Braga expôs ao secretário Adelmo Soares, aos representes dos Ministérios da Integração Nacional e do Desenvolvimento Social, às comitivas de bancos internacionais e às demais autoridades presentes, a necessidade de fazer um diagnóstico do Itapecuru e do Baixo Parnaíba, a fim de promover o aumento da cadeia produtiva da ovinocaprinocultura nessas regiões, que já recebem incentivos da política do governador Flávio Dino. E avaliou que se forem ofertados aos pequenos produtores recursos financeiros e assistência técnica de órgãos federais e estaduais, universidades e órgãos de pesquisas, a cadeia produtiva da ovinocaprinocultura maranhense vai melhorar e aumentar a produção.

Num relato sobre a reunião que fez à Assembleia Legislativa na última quarta-feira (19), o deputado Fábio Braga defendeu o investimento declarando: “Quem ganha com isso é a população, que terá uma carne de origem e qualidade fiscalizada pelos governos Federal e Estadual refletindo, sobretudo, na saúde humana”.

 

São Luís, 23 de Abril de 2016.

3 comentários sobre “Sete aliados de Flávio Dino vão atacar o prefeito Edivaldo Jr. na pré-campanha à Prefeitura de São Luís

  1. Os 7 realmente são aliados do Governador, mas o candidato de fato é apenas um, que inclusive seu partido será vice na chapa! Deixando claro que o candidato do Governador é Edivaldo, apesar dele não querer declarar abertamente seu apoio em respeito a sua aliança partidária de 2014, todos sabemos que eles estão unidos nessa!

  2. O que realmente tem preocupação e um projeto pra São Luís é Edivaldo, pois o restante só querem se promover visando as eleições de 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *